O caminho de Damasco - PowerPoint PPT Presentation

o caminho de damasco n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
O caminho de Damasco PowerPoint Presentation
Download Presentation
O caminho de Damasco

play fullscreen
1 / 21
O caminho de Damasco
136 Views
Download Presentation
giuseppe
Download Presentation

O caminho de Damasco

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. O caminho de Damasco O episódio que mudou a vida de São Paulo

  2. Passagens em que Paulo fala do acontecimento de Damasco • Gl 1,13-16: 13 “Certamente vocês ouviram falar do que eu fazia quando estava no judaísmo. Sabem como eu perseguia com violência a Igreja de Deus e fazia de tudo para arrasá-la. 14 Eu superava no judaísmo a maior parte dos compatriotas da minha idade, e procurava seguir com todo o zelo as tradições dos meus antepassados. 15 Deus, porém, me escolheu antes de eu nascer e me chamou por sua graça. Quando ele resolveu 16 revelar em mim o seu Filho, para que eu o anunciasse entre os pagãos”...

  3. Damasco 15 “Deus, porém, me escolheu antes de eu nascer e me chamou por sua graça. Quando ele resolveu revelar em mim o seu Filho, para que eu o anunciasse entre os pagãos”...

  4. Dos verbos destacados somente o terceiro implica o que podemos chamar de conversão. “Deus, porém, me escolheu antes de eu nascer e me chamou por sua graça. Quando ele resolveu revelar em mim o seu Filho, para que eu o anunciasse entre os pagãos”...

  5. Todo o restante do texto enquadra a conversão em um ambiente de providência e de história da salvação. A experiência de Damasco é descrita como revelação do Filho a ele (o texto grego diz: “nele”) e como missão.

  6. Segundo texto: Rm 8, 28-30: “Sabemos que todas as coisas concorrem para o bem dos que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o projeto dele. Aqueles que Deus antecipadamente conheceu, também os predestinou a serem conformes à imagem do seu Filho, para que este seja o primogênito entre muitos irmãos. E aqueles que Deus predestinou, também os chamou. E aos que chamou, também os tornou justos. E aos que tornou justos, também os glorificou”.

  7. Ele transfere aquilo que ele mesmo experimenta a respeito do encontro com Cristo. Compreende a estrutura do acontecimento e a aplica de modo geral: - Conhecer; - Predestinar; - Chamar; - Justificar; - Glorificar.

  8. Terceiro texto: 1Cor 9,1: “Eu não sou livre? Não sou apóstolo? Não vi Jesus, nosso Senhor?” Damasco foi um “ver o Senhor”!

  9. Quarto texto: 1Cor 15,8-9 “E por último apareceu também a mim como um filho abortivo, porque eu sou o menor dos apóstolos; não mereço o nome de apóstolo, porque persegui a Igreja de Deus”. Damasco é uma aparição a ele que não merecia! É fruto da bondade gratuita de Deus.

  10. Quinto texto: Fl 3,3-14: Nós colocamos a nossa glória em Jesus Cristo e não confiamos na carne. Eu, aliás, até poderia confiar na carne. Se alguém acha que pode confiar na carne, eu o posso mais ainda:fui circuncidado no oitavo dia, sou israelita de nascimento, da tribo de Benjamim, hebreu filho de hebreus. Quanto à lei judaica, fariseu; quanto ao zelo, perseguidor da Igreja; quanto à justiça que se alcança pela observância da Lei, sem reprovação. Por causa de Cristo, porém, tudo o que eu considerava como lucro, agora considero como perda.

  11. E mais ainda: considero tudo uma perda, diante do bem superior que é o conhecimento do meu Senhor Jesus Cristo. Por causa dele perdi tudo, e considero tudo como lixo, a fim de ganhar Cristo, e estar com ele. E isso, não mais mediante uma justiça minha, vinda da Lei, mas com a justiça que vem através da fé em Cristo, aquela justiça que vem de Deus e se apóia sobre a fé. Quero, assim, conhecer a Cristo, o poder da sua ressurreição e a comunhão em seus sofrimentos, para tornar-me semelhante a ele em sua morte, a fim de alcançar, se possível, a ressurreição dos mortos.

  12. Não que eu já tenha conquistado o prêmio ou que já tenha chegado à perfeição; apenas continuo correndo para conquistá-lo, porque eu também fui conquistado por Jesus Cristo. Irmãos, não acho que eu já tenha alcançado o prêmio, mas uma coisa eu faço: esqueço-me do que fica para trás e avanço para o que está na frente. Lanço-me em direção à meta, em vista do prêmio do alto, que Deus nos chama a receber em Jesus Cristo.

  13. Eu, aliás, até poderia confiar na carne. Se alguém acha que pode confiar na carne, eu o posso mais ainda:fui circuncidado no oitavo dia, sou israelita de nascimento, da tribo de Benjamim, hebreu filho de hebreus. Quanto à lei judaica, fariseu; quanto ao zelo, perseguidor da Igreja; quanto à justiça que se alcança pela observância da Lei, sem reprovação.

  14. Por causa de Cristo, porém, tudo o que eu considerava como lucro, agora considero como perda. E mais ainda: considero tudo uma perda, diante do bem superior que é o conhecimento do meu Senhor Jesus Cristo. Por causa dele perdi tudo, e considero tudo como lixo, a fim de ganhar Cristo, e estar com ele. E isso, não mais mediante uma justiça minha, vinda da Lei, mas com a justiça que vem através da fé em Cristo, aquela justiça que vem de Deus e se apóia sobre a fé.

  15. Este texto não fala do acontecimento de Damasco. Mas descreve a maneira pela qual Paulo o vivenciou. • A vida dele divide-se em antes e depois; • Ele diz que era irrepreensível quanto à justiça da lei. Então ele se converteu de quê? O que mudou nele? • O encontro com Cristo mudou nele o modo de avaliar o que é importante na vida.

  16. Sexto texto: 2Cor 4,6 “ Pois Deus que disse: ‘Das trevas brilhe a luz’, é quem faz brilhar a luz em nossos corações, para manifestar a luz do conhecimento da glória de Deus, que se reflete na face de Cristo”. O Deus da criação, que fez brilhar a luz no universo, faz brilhar a luz no apóstolo. Essa luz se reconhece no rosto de Cristo. Cf. Hb 1,3;

  17. Sétimo texto: 1Tm 1,12-16 “Agradeço àquele que me deu força, a Jesus Cristo nosso Senhor, que me considerou digno de confiança, tomando-me para o seu serviço, apesar de eu ter sido um blasfemo, perseguidor e insolente. Mas eu obtive misericórdia porque eu agia sem saber, longe da fé. Sim, ele me concedeu com maior abundância a sua graça, junto com a fé e o amor que estão em Jesus Cristo.

  18. Esta palavra é segura e digna de ser acolhida por todos: Jesus Cristo veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o primeiro. Mas exatamente por causa disto eu obtive misericórdia: Jesus Cristo quis demonstrar toda a sua generosidade primeiramente em mim, como exemplo para os que de-pois iriam acreditar nele, a fim de terem a vida eterna”.

  19. Parece haver aí uma contradição com o texto de filipenses. Era irrepreensível ou um insolente? • O mistério de sua conversão parece se relacionar com o núcleo mais íntimo da vida cristã, o que a diferencia do judaísmo: fé e graça; justiça e misericórdia; Jesus Cristo e a Lei.

  20. O acontecimento de Damasco é muito mais rico do que aparenta ser a uma primeira leitura; • Podemos aprender muito sobre nossa própria conversão com ele; • Isso pode nos ajudar a nos conhecer melhor a nós mesmos diante de Deus.

  21. Créditos • Coordenação geral da Produção: Irmã Bernadete Boff, fsp • Texto: Padre Antônio Luiz Catelan Ferreira • Arte do power point: Irmã Matilde Aparecida Alves, fsp Irmã Ivonete Kurten,fsp Bianca Russo • Fotos: Arquivo Paulinas – Proibida a reprodução e cópia de imagens - Direitos reservados