CASOS CLÍNICOS - PowerPoint PPT Presentation

casos cl nicos n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
CASOS CLÍNICOS PowerPoint Presentation
Download Presentation
CASOS CLÍNICOS

play fullscreen
1 / 101
CASOS CLÍNICOS
190 Views
Download Presentation
flavio
Download Presentation

CASOS CLÍNICOS

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. CASOS CLÍNICOS Thais Alves de Paula Endocrinologista Ismd 2014

  2. DISLIPIDEMIA • Estratificação do risco cardiovascular • Escore de curto prazo – ER global • Escore de longo prazo – ER pelo tempo de vida (aplicado para pessoas > 45anos) • Motivação às mudanças do estilo de vida

  3. DISLIPIDEMIA Escore de risco global • 3 fases: • Determinação da presença de doença aterosclerótica significativa ou seus equivalentes • Utilização dos escores de predição de risco • Reclassificação do risco predito pela presença de fatores agravantes

  4. DISLIPIDEMIA FASE 1- Determinação da presença de doença aterosclerótica significativa ou seus equivalentes • Paciente que se enquadra nessa categoria, dispensa as outras etapas • Já é considerado de alto risco (Grau I, evidência A)

  5. DISLIPIDEMIA FASE 2- Escore de risco • Baixo risco – probabilidade < 5% de apresentarem evento cardiovascular em 10anos (grau I, evidência A) • Histórico familiar positivo para doença cardiovascular prematura serão reclassificados como risco intermediário (grau II, evidência B) Parente de primeiro grau, masculino < 55 ou feminino < 65anos

  6. DISLIPIDEMIA FASE 2- Escore de risco • Risco Intermediário: • Homens risco calculado 5-20% • Mulheres risco calculado 5-10% ( • (Grau I, evidência A) • Alto Risco • Homens risco calculado > 20% • Mulheres risco calculado > 10% • (Grau I, evidência A)

  7. DISLIPIDEMIA FASE 3- Fatores Agravantes • Utilizado para pacientes de risco intermediário • Se pelo menos um dos fatores presentes, reclassifica o indivídulo para condição de alto risco • (Grau IIa, evidência B)

  8. DISLIPIDEMIA

  9. DISLIPIDEMIA Escore de risco pelo tempo de vida • Indivíduos de risco baixo e intermediário, > 45anos • Classificação do fatores de risco de acordo com controle e/ou importância dos mesmos • Ótimos • Não ótimo • Elevado • Principais

  10. DISLIPIDEMIA

  11. DISLIPIDEMIA

  12. DISLIPIDEMIA

  13. DISLIPIDEMIA • ER pelo tempo de vida – alto risco: • Homens > 39% • Mulheres > 20,2% • (Grau IIa, evidência B)

  14. DISLIPIDEMIA

  15. CASO 1 • B.A.S, 47anos, sexo masculino, IMC: 27,3kg/m2, submeteu-se a exames de rotina que mostraram CT: 223mg/dl, LDL: 153mg/dl, HDL: 41mg/dl e TG: 145mg/dl, GJ: 88mg/dl, função tireoidiana normal. Ao exame físico, PA: 130 x 80, circunferência abdominal: 90cm. Nega comorbidades. Nega tabagismo ou etilismo. Relatava história de tio que teve IAM aos 52anos. • Calcule escore de risco global. É necessário escore de risco pelo tempo de vida? Se sim, calcule. • Qual a meta terapêutica? É necessário tratamento? • De acordo com a sua meta terapêutica, qual a droga de escolha caso seja necessário tratamento?

  16. ESCORE DE RISCO GLOBAL • 1 fase: doença aterosclerótica ou seus equivalentes?

  17. ESCORE DE RISCO GLOBAL • 1 fase: doença aterosclerótica ou seus equivalentes? • 2 fase: predição de risco NÃO!

  18. 6 + 1 + 2 + 1 + 0 + 0 = 10

  19. PREDIÇÃO DE RISCO = 9,4%

  20. ESCORE DE RISCO GLOBAL • 3 fase: fatores agravantes de risco NÃO!

  21. ESCORE DE RISCO GLOBAL • Predição de risco: 9,4%, sem fatores agravantes de risco

  22. ESCORE DE RISCO PELO TEMPO DE VIDA • Risco baixo ou intermediário, > 45anos SIM!

  23. ESCORE DE RISCO PELO TEMPO DE VIDA

  24. ESCORE DE RISCO PELO TEMPO DE VIDA

  25. ESCORE DE RISCO PELO TEMPO DE VIDA • Risco baixo ou intermediário, > 45anos • Homens > 39%  alto risco • Permanece como risco intermediário SIM!

  26. META TERAPÊUTICA

  27. TRATAMENTO • Droga de primeira escolha: estatinas

  28. CASO 2 • Paciente 32anos, feminino, procura seu consultório para exames de rotina. Exames séricos solicitados por você: CT: 233mg/dl, LDL: 138mg/dl, HDL: 58mg/dl TG: 185; GJ: 82mg/dl, TSH: 1,72mUI/dl, TGO: 21, TGP: 18. Nega tabagismo, etilismo ou doenças na família. Ao exame físico: IMC: 25,8kg/m2, PA: 120 x 80, aparelho cardiopulmonar normal. • Calcule escore de risco global. É necessário cálculo do escore pelo tempo de vida? Se sim, calcule. • Qual o tratamento de escolha?

  29. ESCORE DE RISCO GLOBAL • 1 fase: doença aterosclerótica ou seus equivalentes?

  30. ESCORE DE RISCO GLOBAL • 1 fase: doença aterosclerótica ou seus equivalentes? • 2 fase: predição de risco NÃO!

  31. 0 + (-1) + 3 + 0 + 0 + 0 = 2

  32. PREDIÇÃO DE RISCO = 1,7%

  33. ESCORE DE RISCO GLOBAL • 3 fase: fatores agravantes de risco NÃO!

  34. ESCORE DE RISCO GLOBAL • Predição de risco: 1,7%, sem fatores agravantes de risco

  35. ESCORE DE RISCO PELO TEMPO DE VIDA • Risco baixo ou intermediário, > 45anos NÃO!

  36. TRATAMENTO • DLP • Mudança do estilo de vida

  37. CASO 3 • J.B.M, feminino, 56anos, não fumante, sem história familiar de DAC, submeteu-se a exames de rotina com ginecologista que mostraram os seguintes resultados: CT: 275mg/dl; LDL: 195mg/dl; HDL: 41mg/dl, TG: 165mg/dL, Glicemia de jejum: 91mg/dl, CPK: 352 (até 195). Ao exame físico: PA: 135 x 80mmHg, IMC: 28,2kg/m2. Encaminhada ao Endocrinologista para avaliação e conduta. • Calcule escore de risco global. É necessário cálculo do escore de risco pelo tempo de vida? Se sim, calcule. • Qual tratamento indicado e a meta terapêutica?

  38. ESCORE DE RISCO GLOBAL • 1 fase: doença aterosclerótica ou seus equivalentes?