os sentidos n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Os Sentidos PowerPoint Presentation
Download Presentation
Os Sentidos

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 30

Os Sentidos - PowerPoint PPT Presentation


  • 128 Views
  • Uploaded on

Os Sentidos. Percepção e sensações. Formação dos sentidos. Áreas cerebrais e suas funções. O Tato.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Os Sentidos' - edison


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
os sentidos

Os Sentidos

Percepção e sensações

o tato
O Tato
  • Permite a sensação de calor, frio, pressão, dor e textura dos objetos. Acontece através da pele, por meio de corpúsculos sensitivos, que são neurônios específicos para tais percepções no meio ambiente.
  • Funções Biológicas: proteção mecânica,

proteção térmica, proteção contra o ressecamento e a desidratação e defesa imunitária.

slide7
Além dos corpúsculos (receptores) a pele possui os Terminais de Ruffini, ramificados, responsáveis pelas sensaçõesde calor e os Bulbos de Krause responsáveis pelassensações de frio.
  • Para sentirmos dor é preciso ter terminações nervosas livres na derme.
a dor
A DOR
  • Ninguém, certamente, gosta desta sensação. Entretanto, a dor é extremamente benéfica: nos alerta, imediatamente, que algo está prejudicando o nosso corpo.
  • A dor é uma linguagem: células nervosas especializadas no sentido da dor (nociceptores), que existem aos milhares em cada milímetro de nossa pele, transmitem estes impulsos ao nosso sistema nervoso central (SNC) que responde tentando afastar a parte do corpo afetada do estímulo doloroso.
slide9

Os nociceptores são ativados por, basicamente, 4 tipos de estímulo: mecânico, elétrico, térmico ou químico.

  • A ativação dos nociceptores é, em geral, associada a uma série de reflexos, tais como :
  • aumento do fluxo sanguíneo local,
  • contração de músculos da vizinhança,
  • mudanças na pressão sanguínea
  • dilatação da pupila.
  • Uma das primeiras descobertas foi a da ação das prostaglandinas sobre os nociceptores.
slide10
Quando um tecido é corrompido, tal como por uma infecção ou queimadura solar, as suas células liberam prostaglandinas e leucotrienos, que aumentam a sensibilidade dos nociceptores.
slide11
No cérebro não existem nociceptores!

O processo evolucionário ficamos repletos de nociceptores pelo o corpo inteiro.

No entanto, no cérebro não existem nociceptores, não temos uma resposta exata para esta ausência.

slide12
Para pesquisar!!!
  • Como agem os analgésicos?
slide13
A Benzocaína
  • Nos terminais nervosos, assim como em outras células, há uma diferença no potencial elétrico (leia-se força iônica) entre o interior e exterior da membrana citoplasmática. Em geral, o potencial do interior da célula é mais negativo do que o exterior. A presença de vários substratos que se ligam a receptores (proteínas) específicos na membrana provoca a abertura de certos canais iônicos que podem alterar o valor desta diferença de pontencial.
  • Quando um certo valor de ddp em cada nociceptor é alcançado, o potencial de ação é gerado e levado até o SNC ao longo das fibras nervosas associadas. benzocaína
  • Os anestésicos locais atuam exatamente nesta etapa: eles bloqueiam a transmissão e propagação destes impulsos. Por isso, são aplicados exatamente sobre o local de iniciação do impulso doloroso. Assim, esta informação não chega ao SNC e a dor não é sentida. Esta é a forma de ação da benzocaína, por exemplo.
acido l tico causa dor muscular
Acido Lático causa dor muscular?

Muito já se falou sobre as causas das dores musculares, e muitas pessoas dizem que o vilão da história é a ácido láctico, mas já foi comprovado cientificamente que o lactato não é o causador da dor muscular.

  • Segundo Cailliet (1979), o acúmulo de metabólitos irritantes é ainda considerado a causa da dor muscular, mas o metabólito especifico ainda não foi identificado. A idéia previamente considerada, de que o ácido láctico e o ácido pirúvico eram o fator, já foi refutada porque exercícios isquêmicos em pacientes com ausência hereditária de fosforilase muscular (síndrome de McArdle) desenvolvem dor grave, mais do que a média, e o ácido lático não pode ser produzido nestes indivíduos.
slide15
Segundo McArdle et al. (1998), alguns estudos revelaram que a dor muscular era considerada maior quando o exercício envolvia uma solicitação alta e repetida durante o alongamento ativo nas contrações excêntricas que quando envolvia contrações concêntricas e isométricas.
  • Esse efeito não se correlacionava com o acúmulo de lactato, pois a corrida de alta intensidade num plano horizontal (contrações concêntricas) não produzia qualquer dor residual, apesar das elevações significativas no lactato sanguíneo.
  • __________________________________________________________________
o paladar
O Paladar
  • Função sensorial capaz de captar estímulos químicos relacionados aos sabores. Juntamente com o olfato nos tornam capazez de perceber e selecionar os sabores dos alimentos .
  • Ocorrem na língua .
  • Gostos: amargo, doce,salgado e azedo.
  • Receptores sensoriais do paladar: Papilas Gustativas
slide18
A maior parte do que sentimos como gosto é determinado pelo olfato.
  • Os odores se espalham pela cavidade bucal e passam pelas fossas nasais, sentimos simultaneamente gosto e cheiro .
o olfato
O Olfato
  • Sentido responsável pela percepção de estímulos químicos dos cheiros das substâncias.
  • A superfície nasal é responsável pelo olfato, no homem existem cerca de 20 milhões de células sensoriais, onde estão 6 pêlos sensoriais em cada uma delas.
  • O sistema olfatório dos humanos e dos primatas é pouco desenvolvido, ou seja, nós e os macacos somos microsmáticos. Existem também alguns animais que não possuem esse sistema, como o boto e a toninha, que são anosmáticos.
slide24
O T. Rex possuía olfato extremamente eficiente,acredita-se que pelo menos 30 vezes maior que as aves, o que permitia sentir cheiro das carcaças e cadáveres a quilômetros de distância.
a audi o
A Audição
  • Sentido responsável pela percepção dos sons do ambiente. O órgão responsável pela audição é a orelha ( vestíbulo – coclear) localizado na parte temporal média da caixa craniana.
  • Atua no equilíbrio do indivíduo no espaço.
  • Ocorre uma seqüência alternada de ondas na propagação do som, através da diferença de pressão do ar.
slide26
Como nós ouvimos?

O sistema auditivo humano pode ser dividido em duas partes:

 - Periférico  - Central

A Sistema Auditivo Periférico é formado pela Orelha externa, Média e Interna.A Orelha Externa é formada pelo pavilhão auricular (conhecida como orelha), conduto auditivo externo, o qual é totalmente fechado pela membrana timpânica (Tímpano)

Na Orelha Interna localiza-se a cóclea (responsável pela audição) e o vestíbulo e canais semicirculares (responsáveis pelo equilíbrio). A cóclea tem a forma de um caracol e o seu interior é preenchido por líquidos onde encontramos pequenas células, chamadas de células ciliadas, as quais mantém um íntimo contato com as fibras do nervo auditivo. Este por sua vez, envia os impulsos nervosos para o cérebro, permitindo-nos percebê-los como som.

a vis o
A Visão
  • Sentido que permite aos seres vivos relacionar-se com o ambiente, percebendo através dos diversos estímulos luminosos, como se comporta o ambiente. Através da visão podemos explorar mais o meio e nos proteger.
  • Sentido complexo, atuando com o snc e diversos músculos e sensores luminosos específicos .