EVOLU ÇÃO DO PENSAMENTO RELIGIOSO - PowerPoint PPT Presentation

evolu o do pensamento religioso n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
EVOLU ÇÃO DO PENSAMENTO RELIGIOSO PowerPoint Presentation
Download Presentation
EVOLU ÇÃO DO PENSAMENTO RELIGIOSO

play fullscreen
1 / 70
EVOLU ÇÃO DO PENSAMENTO RELIGIOSO
176 Views
Download Presentation
diem
Download Presentation

EVOLU ÇÃO DO PENSAMENTO RELIGIOSO

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. EVOLUÇÃODO PENSAMENTO RELIGIOSO

  2. Entendercontextohistorico • Tecerparalelos com a doutrinaEspirita • Desenvolversenso de respeitopara com todas as Religiões OBJETIVOS

  3. Allan Kardec e a Moral de Jesus • “Se o ensino moral de Jesus fosse discutido, as seitasteriam, aliás, encontradonele a suaprópriacondenação, porque a maioriadelas se apegoumais à parte mística do que à parte moral, queexige a reforma de cada um. • Introdução ESE

  4. Necessidade de Comunicação • Aperfeiçoando as engrenagens do cérebro, o princípio inteligente sentiu a necessidade de comunicação com os semelhantes e, para isso, a linguagem surgiu entre os animais, sob o patrocínio dos Gênios Veneráveis que nos presidem a existência.

  5. Expressão das Emoções Contudo, à medida que se lhe acentuava a evolução, a consciência fragmentária investia-se na posse de mais amplos recursos.O Princípio Inteligente passa a expressar também suas emoções A partir do exercício da palavra o homem desenvolve o pensamento contínuo. Assim, suas ideias relâmpagos no reino animal transformam-se em conceitos e inquirições, traduzindo seus desejos íntimos. LINGUAGEM CONVENCIONAL

  6. Despreendimento do Corpo • Aprende a desprender-se do carro denso de carne, [...], durante o sono comum, para receber, [...], junto do próprio corpo adormecido, a visita dos Benfeitores Espirituais que o instruem sobre as questões morais.

  7. NossaImensa Luta • Entre a alma que pergunta, • a existência que se expande, • a ansiedade que se agrava e o Espírito que responde ao Espírito, no campo da intuição pura, • esboça-se imensa luta. [...]

  8. Nasce o Culto O Sol propicia-lhe a concepção de um Criador, oculto no seio invisível da Natureza [...] a noite povoa-lhe a alma de visões nebulosas e pesadelos imaginários, dando-lhe a idéia do combate incessante em que a treva e a luz se digladiam

  9. A necessidade de Interligar • Abraça os filhinhos com enternecimento feroz, buscando a solidariedade possível dos semelhantes na selva que o desafia. • Mentaliza a constituição da família e padece na defesa do lar.

  10. Renovandoos Porquês • Os porquês a lhe nascerem fragmentários, no íntimo, insuflam-lhe aflição e temor. • Percebe que não mais pode obedecer cegamente aos impulsos da Natureza, ao modo dos animais que lhe comungam a paisagem, mas sim que lhe cabe agora o dever de superar-lhes os mecanismos, como quem vê no mundo em que vive a própria moradia, cuja ordem lhe requisita apoio e cooperação.

  11. Concepção de um Ser Supremo • Nesse concerto de forças, a morte passou a impor-lhe angustiosas perquirições e, enterrando os seus entes amados em sepulcros de pedra, o homem rude, a iniciar-se na evolução de natureza moral, perdido na desértica vastidão do paleolítico, aprendeu a chorar [...]

  12. Religião: uma característica essencialmente humana • “Encontram-se no passado, e se encontram até hoje, sociedades que não possuem ciência, nem artes, nem filosofia. Mas nunca existiu sociedade sem religião”. • Todas as religiõeshouveram de ser emsuaorigemrelativasaograu de adiantamento moral e intelectual dos homens Allan Kardec - O Ceu e o Inferno Cap 1, item 12

  13. Animismo • Litolatria • Adoração de pedras, rochas e relevos de solo • Fitolatria • Adoração dos vegetais • Zoolatria • Adoração de animais • Idolatria • Adoração de Idolos (nascimentodamitologia e politeismo) • Todos elementos são passíveis de possuírem: sentimentos, emoções, vontades ou desejos, e até mesmo inteligência. • Resumidamente, os cultos animistas alegam que: "Todas as coisas são Vivas", "Todas as coisas são Conscientes", ou "Todas as coisas têm ânima“. (alma)

  14. Tudoquantonãocompreendia devia ser obra de um podersobrenatural, e disso a acreditaremtantas potênciasdistintasquantosefeitospudessever, nãoiamais do que um passo. • Masemtodosos tempos houvehomensesclarecidos, quecompreenderam a impossibilidadedessamultidão de poderesparagovernar o mundosemuma direção superior, e que se elevaramaopensamento de um Deus LE –Q-667

  15. Definições de Religião • Há várias etimologias (origem): • Vem de RE-LEGERE RE- (RE-LER): considerar o que pertence ao culto divino, ler de novo, ou então reunir; • Ou ainda, RE-LIGARE (re-ligar): ligar o homem de novo a Deus. O homem vai a Deus e Deus vai ao homem; • Re-elegere – Por fim, segundo Santo Agostinho, religião deriva do verbo re-legere que significa reeleger, reescolher, por isso, religião lembraria o bem supremo que deve ser eleito novamente, quando dele nos encontramos distanciados “ Religião é o sentimento Divino, cujas exteriorizações são sempre o Amor, nas expressões mais sublimes. Enquanto a Ciência e a Filosofia operam o trabalho da experimentação e do raciocínio, a Religião edifica e ilumina os sentimentos O Consolador –Q- 260

  16. Elementos Constitutivos da Religião: • DOUTRINA (crença, dogma): toda religião tem sua doutrina, que fala sobre a origem de tudo: sentido da vida, da dor, da matéria, do além. • RITOS (cerimônias): o homem não vive sem símbolos, sem ritos, sem estruturas visíveis. Os ritos unem os homens de uma determinada comunidade religiosa. • ÉTICA(leis): cada religião traz consigo as conseqüências de sua doutrina, ensinando o que é certo e o que é errado, dentro de sua cosmovisão. Os preceitos mais importantes são: lei da natureza, lei do amor e lei do bom senso. • COMUNIDADE OU ADEPTOS: toda religião tende a formar uma comunidade, tende a manifestar a sua fé junto de outros. Não de trata de um sentimento individualista. • RELAÇÃO EU-TU – é a relação da pessoa com um diferente, um Tu mais elevado, superior. Toda religião antes de possuir ritos e doutrinas é uma relação pessoal com Deus.

  17. Tipos de Religiões • PRIMITIVAS: Animismo, Politeísmo, Xamanismo, Totemismo • SAPIENCIAIS: Hinduísmo, Budismo... • PROFÉTICAS: Judaísmo, Cristianismo, Islamismo • ESPIRITUALISTAS: Espiritismo, Cultos Afro Brasileiros e Umbanda

  18. PRIMITIVAS • Politeísmo • Xamanismo • É uma experiência mística própria de religiões primitivas, centrada na pessoa do xamã, que se acredita capaz de curar e de se comunicar com os espíritos. • O xamã exerce as funções de curandeiro, sacerdote e condutor de almas. • Os povos que admitem o xamanismo acreditam que a doença é provocada pela perda da alma. Assim, o xamã deve de início descobrir onde se encontra a alma perdida ou seqüestrada por algum espírito do mal • Do grego polus= vários + théos= Deus) Religião que admite vários deuses. • Consiste na crença em mais do que uma divindade de gênero masculino, feminino ou indefinido, sendo que cada uma é considerada uma entidade individual e independente. • Exemplos: • Religião Grega, • Egípcia, Asteca, Maia, • Hinduísmo etc.

  19. PRIMITIVAS • Totemismo • Nesta religião essencialmente primitiva, os adeptos se julgam associados a seres animais e vegetais ou mesmo a fenômenos e elementos naturais como o sol, a água, o trovão, o raio, etc. Todos se crêem ligados entre si, na pessoa de um antepassado heróico, que tanto pode ser um homem, como um animal, como uma planta. • Esculpiam seus símbolos em pedras, umas empilhadas em cima das outras, com imagens de animais sobre seus brasões • Panteísmo • Etimologicamente falando, o termo panteísmo deriva das palavras gregas pan ("tudo") e teísmo ("crença em deus"), sustentando a idéia da crença em um Deus que está em tudo, ou a de muitos deuses representados pelos múltiplos elementos divinizados da natureza e do universo.

  20. Religiões SapiencaisHinduísmo Budismo • Religiões sapienciais”, são aquelas que se baseiam na sabedoria humana e na experiência da vida. Em geral, mostram ao homem um caminho a seguir, acentuando a meditação e a sabedoria. • Às vezes, nessas religiões, é difícil discernir o que é religião e o que é filosofia ou sabedoria. Acentuam a compaixão, a contemplação, o autoconhecimento, possuindo, de modo genérico, um elevado ideal ético. • Hinduísmo •  É uma das religiões mais antigas do mundo. • Eles acreditam que nós temos muitas vidas diferentes, e que nós aprendemos lições espirituais através da nossa experiência na terra. • Acreditam em karma, que é um sistema que cada ação feita aqui na terra será refletida de alguma forma no nosso futuro. A pessoa comete um ato bom ou ruim, não parece ter resultado imediatamente no presente, mas no futuro seus atos irão refletir em coisas boas ou ruins.

  21. Hinduísmo • O Hinduísmo é a principal religiãodaÍndia, professadapormais de 80% dos indianos. É umamistura de váriostipos de crenças com diversosestilos de vida, originárias das váriastradiçõesétnicasquehabitamessepaís. É conhecidahámais de 8.000/3.000 anosa.C., e nãopossuifundador. SeuslivrossagradossãoosVedas e osUpanishads. • Apesar do hinduísmo ser conhecidocomoumareligiãopoliteísta, com cerca de 330 milhões de deuses, também tem um "deus" que é supremo: Brahma. Acredita-se que Brahma é umaentidadequehabitaemtodaárea de realidade e existência, portodo o universo. Acredita-se que Brahma é um deusimpessoal e quenãopode ser conhecido e queeleexisteemtrêsformasseparadas: • Brahma—Criador; • Vishnu—Preservador • Shiva – Destruidor. • Essas "faces" do Brahma sãotambémconhecidasatravés de muitasencarnações de cadauma.

  22. Criação das Castas • Antigamente, o sistema de castas era seguidocomo lei, masdepoisque Mahatma Gandhi contestou-o, emnome dos direitoshumanos, a mobilidade social começou a daralgunsfrágeispassos no país.

  23. FundamentosBásicos do Hinduísmo • 1- cadapessoapossui um espírito (atman), que é umaforçaperene e indestrutível. Suatrajetóriadepende das ações de cada um, de acordo com a Lei do Carma, onde a todaaçãocorrespondeumareação; • 2- atéatingir a libertação final (moksha), o indivíduopassacontinuamentepormortes e renascimentos, cujociclo é chamado de Roda de Samsara, daqualsósaiapósatingira Iluminação; • 3- osrituaiscompõem-se de doiselementosprincipais: Darshan, que é a meditação/ contemplaçãodadivindade, e o Puja (oferenda); • 4- a alimentaçãovegetariana é um de seuspontosprincipais, pois é livredaimpureza (morte/sangue), e comotodoalimentodeve ser antes oferecidoaosdeuses, não se podeofertaralgoqueseja “sujo”;

  24. Budismo • Sistema ético, religioso e filosófico fundado pelo príncipe hindu Sidarta Gautama (563-483 a.C.), ou Buda, por volta do século VI. O relato da vida de Buda está cheia de fatos reais e lendas, as quais são difíceis de serem distinguidas historicamente entre si. • O Budismo consiste no ensinamento de como superar o sofrimento e atingir o nirvana (estado total de paz e plenitude) por meio da disciplina mental e de uma forma correta de vida. • Também crêem na lei do carma, segundo a qual, as ações de uma pessoa determinam sua condição na vida futura. A doutrina é baseada nas Quatro Grandes Verdades de Buda • A existência implica a dor -- O nascimento, a idade, a morte e os desejos são sofrimentos. • A origem da dor é o desejo e o afeto As pessoas buscam prazeres que não duram muito tempo e buscam alegria que leva a mais sofrimento. • O fim da dor -- só é possível com o fim do desejo. • A Quarta Verdade -- se prega que a superação da dor só pode ser alcançada através de oito passos:

  25. Budismo • Compreensãocorreta:a pessoadeveaceitar as QuatroVerdades e osoitopassos de Buda. • Pensamentocorreto:A pessoadeverenunciartodoprazeratravés dos sentidos e o pensamento mal. • Linguagemcorreta: A pessoanãodevementir, enganarouabusar de ninguém. • Comportamentocorreto: A pessoanãodevedestruirnenhumacriatura, oucometeratosilegais. • Modo de vidacorreto: O modo de vidanãodevetrazerprejuízo a nada ou a ninguém. • Esforçocorreto: A pessoadeveevitarqualquer mal hábito e desfazer de qualquer um que o possua. • Desígniocorreto:A pessoadeveobservar, estaralerta, livre de desejo e dador. • Meditaçãocorreta:Aoabandonartodososprazeressensuais, as másqualidades, alegrias e dores, a pessoadeveentrarnosquatrográusdameditação, quesãoproduzidospelaconcentração.

  26. CONFUCIONISMO • O confucionismo é um sistemafilosóficochinêscriadoporKung-Fu-Tzu(Confúcio). • Entre as preocupações do confucionismoestão a moral, a política, a pedagogia e a religião.

  27. 1- Educação Confucionismo Espiritismo-Práticadavirtude Qual a mais meritória de todas as virtudes? – Todas as virtudes têm seu mérito, porque indicam progresso no caminho do bem... mas a sublimidade da virtude é o sacrifício do interesse pessoal pelo bem de seu próximo, sem segundas intenções. caridade. (LE – 893) • O ponto de partida é aformação do indivíduo. • Através do ensinamento e daautodisciplina, o indivíduochegaaoconhecimento e à práticadavirtude; descobresuaautênticanatureza, interioriza as disposições do Tian (Céu) , podendoassimagir com espontaneidade, semnecessidadedacoação de leis parafazer o bem. • Chegando a esseponto, ele é um homem superior ouverdadeiro e tem o poder de influenciarpositivamentesobreosoutros, transformando-os.

  28. 2- Familia Confucionismo Espiritismo Quem nos diz que a família é espaço de convivência são os Espíritos ao responderem à questão 714 de "O Livro dos Espíritos": "Os liames sociais são necessários ao progresso e os laços de família resumem os liames sociais: eis porque eles constituem uma lei natural. Deus quis que os homens, assim, aprendessem a amar-se como irmãos • O primeiroâmbitoemque o ser humano se forma e aprende a agir com autenticidade é a família.O filhoaprende com ospais, especialmente no exercíciodapiedade filial (xiao), ouseja, o filhodeveaospaisrespeito, obediência, deferência, sustentonavelhice, enquanto o paidáaofilho, proteção e ajudaemsuaformação.

  29. 3- Sociedade Confucionismo Espiritismo Deus fez o homem para viver em sociedade. Deus não deu inutilmente ao homem a palavra e todas as outras faculdades necessárias à vida de relação (LE – Q- 766) O homem deve progredir, mas sozinho não o pode fazer não possui todas as faculdades; precisa do contato dos outros homens. No isolamento ele se embrutece . (LE – Q – 768) . • O segundoâmbito é a sociedade, onde se aprendem e se praticam as virtudessociais, sobretudo, a justiça(yi), a generosidadepara com osoutros, o perdão(shu) e a benevolência(ren). Estaúltima é umavirtude fundamental no pensamentoconfucionista, cujoextensosignificadocompreendetudo o quetorna o homemverdadeiramentebom.

  30. 4- O Estado • É no Estado, que coincide com sociedadeoumundo civil, emcontraposição a umacondição de nãocivilização, que o homemaprende e pratica a virtudedalealdade-fidelidade(zhong). • Os súditos, especialmenteosfuncionáriospúblicos, devem ser leaisaosoberanoque, porsuavez, se comprometeemadministrar o Estado e governar o mundo, nãoporumarigorosaaplicação das leis, maspeloexercício das virtudes. Se o soberano for virtuoso, o Estado permaneceráestável, a sociedadeirá se manterordenada, a famíliaviveránaharmonia; damesma forma, se as relaçõesfamiliaresforemcorretas, a açãonasociedadetambém o será e o mundoviveráempaz. • No confucionismo, as duasvirtudesmaisimportantessão: a benevolência(ren)queemana do coração, centrodapersonalidade, e torna o homemverdadeiramentehomem e (li) a maneiracorreta de agir e de relacionar-se com osoutros. • Sem o ren, vive-se o formalismo, sem oli, cai-se narudeza e nabarbárie. As açõeshumanasvirtuosasfeitas com o ren e o lisão o cumprimento das ordens do Tian (Céu)que se difundemsobre a terra, tornando-a humana e fazendoemergir as normas e osprincípiosquepermeiam a realidade.

  31. Religiões Proféticas Por “religiões proféticas” entendemos aquelas em cuja origem se encontra um profeta, que comunica a revelação recebida de Deus e denuncia as injustiças. • Por Também chamadas religiões monoteístas (do grego mónos, "único" e theós, "Deus”) É a crença em um só Deus, diferente do politeísmo que conceitua a natureza de vários deuses. • São elas: Judaísmo, Cristianismo, Islamismo “profeta” entendemos um porta-voz

  32. Profeticas Judaismo • O judaísmo é considerado a primeira religião monoteísta a aparecer na história. • Tem como crença principal a existência de apenas um Deus, o criador de tudo. • Para os judeus, Deus fez um acordo com os hebreus, fazendo com que eles se tornassem o povo escolhido e prometendo-lhes a terra prometida.Atualmente a fé judaica é praticada em várias regiões do mundo, porém é no estado de Israel que se concentra um grande número de praticantes

  33. Judaísmo • Há mais de 5000 anos, depois de um período de seca assolou a Península Arábica, os cananeus, tribos dos árabes semitas(Sem,Cam e Jafe), vieram se estabelecer nos territórios a leste do Mar Mediterrâneo que formam, hoje, a Síria, o Líbano, a Jordânia e a Palestina. • Os Jebusitas, um subgrupo cananeu, fundaram Jebus - Jerusalém- no lugar onde ele está localizada hoje. • Aproximadamente 2000 anos mais tarde, os filisteus, vindos de Creta, chegaram na terra de Canaã. Misturaram-se com as tribos cananéias e viveram na área sudoeste da moderna Palestina, sobre a costa do Mar Mediterrâneo na área que agora se estende na Faixa de Gaza até Ashdod e Ashkelon. • Os cananeus deram aos territórios que eles habitaram o nome bíblico de "A Terra deCanaã", enquanto os filisteus deram-lhe o nome de Filistina ou 'Palestina'

  34. MapadaRegião • Os cananeus descobriram que estavam numa localização estratégica e cercada por poderosos impérios originários do Egito a sudoeste, através do Mar Mediterrâneo a leste, e Mesapotâmia e Ásia a oeste • Mais de um milênio antes do nascimento de Cristo, egípcios, assírios, babilônicos, persas, mongóis, gregos e romanos cresceram ao redor da terra dos cananeus e filisteus e a governaram por variados períodos de tempo. Por volta do século XX a.C., Abraão veio de Ur, no norte da Mesopotâmia, para a terra de Canaã. Ele se estabeleceu nas cercanias do Vale do Jordão. Visto que nem o velho e nem o Novo Testamento não haviam sido revelados durante sua vida, Abraão não era nem judeu nem cristão, mas um crente na unicidade de Deus

  35. As Conquistas Quando Abraão chegou à Palestina, encontrou os cananeus e os filisteus com os quais teve que lutar para conquistar as terras da Palestina • Abraao-Agar – Ismael • Abraao- Sarah – Isaque • Isaque – Rebeca- Esau e Jaco • Jaco – Lea e Raquel • Jaco as doze tribos • MigraçãoparaEgito • A era de Moises A comunidade familiar na palestina era patriarcal. O poder passava do pai para o filho mais velho.

  36. Decálogo • Não levantarás falso testemunho contra o teu próximo. • Não desejarás a mulher do teu próximo; • Não cobiçarás… nada que pertença ao teu próximo. • Eu sou o Senhor teu Deus, que te tirei da terra do Egipto, dessa casa da escravidão. Não terás outros deuses diante de Mim. • Não invocarás em vão o Nome do Senhor teu Deus.... • Guarda o dia do Sábado para o santificar • Honra teu pai e tua mae... • Não matarás. • Não cometerás adultério • Não furtarás.

  37. Cristianismo • Cristianismo (do grego Xριστός, "Cristo") é uma religiãomonoteísta centrada na vida e nos ensinamentos de Jesus de Nazaré, tais como são apresentados no Novo Testamento. • A fé cristã acredita essencialmente em Jesus como o Cristo, Filho de Deus, Salvador e Senhor. • Neste período, a religião Cristã se expandiu através da vida e pregações realizadas pelos doze apóstolos de Jesus Cristo (André, Bartolomeu, Felipe, Tiago, Tiago filho de Alfeu, João, Judas Iscariotes, Judas Tadeu, Mateus, Pedro, Tadeu e Tomás).

  38. DoutrinaCristã • De acordo com a fécristã, Deus mandouaomundoseufilhopara ser o salvador (Messias) dos homens. • Este, seria o responsávelpordivulgar a palavra de Deus entre oshomens. Foiperseguido, porémdeusuavidapeloshomens. Ressuscitou e foi par o céu. Ofereceu a possibilidadedasalvação e davidaeternaapós a morte, a todosaquelesqueacreditamem Deus e seguemseusmandamentos. • A principal idéia, oumensagem, dareligiãocristã é a importância do amordivinosobretodas as coisas. • Para oscristãos, Deus é umatrindadeformadapor : pai (Deus), filho (Jesus) e o Espírito Santo. • Atualmente o cristianismo possuí cerca de 2,13 bilhões de adeptos, sendo a maior religião mundial adotada por cerca de 33% da população do mundo. É a religião predominante na Europa, América, Oceania e em grande parte de África e partes da Ásia.

  39. A Influência do Cristianismo • O Cristianismo é naverdade a históriadacivilizaçãoocidental. • O Cristianismo tem tidoumainfluênciamarcantenasociedadecomo um todo arte, linguagem, política, lei, vida familiar, datas no calendário, música e a forma quepensamos. • Tudo tem sidocoloridopelainfluênciaCristã .

  40. O IníciodaIgreja • A igrejacomeçou 40 diasdepoisdaressurreição de Jesus (35.D.C.). • Jesus tinhaprometidoqueEleiriaconstruirsuaigreja(Mateus 16:18), e com a vinda do Espírito Santo no dia de Pentecostes(Atos 2:1-4), a Igreja (a “assembléiaconvocadaparafora”) começouoficialmente. Três mil pessoasresponderamaosermão de Pedro naqueledia e escolheramseguir a Cristo.

  41. O IníciodaIgreja • Os novo convertidosaoCristianismoeramjudeusouprosélitosaojudaismo, e a igreja era localizadaemJerusalém. • Porcausa disso, Cristianismofoivisto de primeiracomo um culto, parecido com osfariseus, saduceus e essênios. No entanto, a pregação dos apóstolos era completamentediferente dos ensinamentos dos outrosgruposjudeus. • Jesus era o Messiasjudeu (o Reiungido) quetinhavindocumprir a Lei (Mateus 5:17) e instituir a Nova AliançabaseadaemSuamorte (Marcos 14:24). • Essamensagem, com a acusação de queelestinhamassassinadoseupróprioMessias, enfureceumuitoslíderesjudeus, e alguns, como Paulo de Tarso, fez algoparaexterminar “o Caminho” (Atos 9:1-2).

  42. O CrescimentodaIgrejaPrimitiva • Nãomuito tempo depois de Pentecostes, as portasdaIgrejaforamabertasaosnão-judeus. O Apóstolo Filipe pregouaossamaritanos (Atos 8:5), e muitos deles acreditaramem Cristo. • O Apóstolo Pedro pregou à famíliagentia de Cornélio (Atos 10), e elestambémreceberam o Espírito Santo. • O Apóstolo Paulo (o antigoperseguidordaIgreja) proclamou o Evangelhoaomundo Greco-Romano, alcançandoatémesmo Roma (Atos 18:16), e possivelmenteaté a Espanha.

  43. A AscençãodaIgrejaRomana • Emmaisoumenos 70 D.C., Jerusalémfoidestruída, oslivros do Novo Testamentotinhamsidocompletados e estavamcirculandopelasigrejas. • Pelospróximos 240 anos, osCristãosforamperseguidospor Roma – àsvezesaleatoriamente, àsvezespordecreto do governo. • No segundo e terceiroséculos, a liderançadaigreja se tornoumais e maishierárquica à medidaqueseusnúmerosaumentavam. • Váriasheresiasforamexpostas e refutadasduranteesseperíodo, e o cânon do Novo Testamentofoiestabelecido. Perseguiçãocontinuava a se intensificar.

  44. A AscençãodaIgrejaRomana • Então, em 312 D.C., o Imperador Romano Constantinoclamouter se convertido. • Maisoumenos 70 anosdepois, durante o reino de Teodósio, o Cristianismo se tornou a religiãooficial do Império Romano. • Bispospassaram a ocuparposições de honra no governo, e emmaisoumenos 400 D.C., ostermos Romano e Cristãoerampraticamentesinônimos. • Depois de Constantino, então, osCristãosnãoforammaisperseguidos .

  45. A AscençãodaIgrejaRomana • Com o passar do tempo, foramospagãosquepassaram a ser perseguidos a menosque se “convertessem” aoCristianismo. • Essaconversãoforçadalevoumuitagente a entrarnaigrejasemumaverdadeiraconversãoemseucoração. • Os pagãostrouxeramconsigoseusídolos e as práticasàsquaisestavamacostumados, e a Igrejamudou • Arquiteturaelaborada, peregrinações e a adoração de santosforamadicionados à simplicidade do louvordaigrejaprimitiva. • Maisoumenosdurante o mesmo tempo, algunsCristãosfugiram de Roma, escolhendoviveremisolamentocomomonges, e o batismo de bebêsfoiintroduzidocomouma forma de purificação do pecado original.

  46. O primeirocismadadaIgrejaRomana • Através dos próximosséculos, váriosconselhos se reuniramnatentativa de determinar a doutrinaoficialdaigreja, paracriticarosabusoscléricos, e parafazer um acordo entre ospartidosqueestavamlutando entre si. • Quando o Império Romano ficoumaisfraco, a Igreja se tornoumaispoderosa, e muitasdiscórdiaspassaram a acontecer entre as igrejas do Ocidente e as do Oriente. • A IgrejaOcidental (Latina), localizadaem Roma, clamavaautoridadeapóstolicasobretodas as outrasigrejas . O bispo de Roma tinhaatécomeçado a se chamar de “Papa” (o Pai). • A Igreja Oriental (grega), localizadaemConstantinoplanãoaceitouissomuitobem. • Divisõesteológicas, políticas, procedimentais e línguisticascontribuírampara o Grande Cisma do Orienteem 1054, no qual a IgrejaCatólicaRomana (“Universal”) e a IgrejaOrtodoxaexcomungaramuma a outra e quebraramtodososlaços

  47. IgrejaRomana • Sacramentos da iniciação cristã (Batismo, Confirmação e Eucaristia) que "lançam os alicerces da vida cristã: os fiéis, renascidos pelo Batismo, são fortalecidos pela Confirmação e alimentados pela Eucaristia" • Sacramentos da cura (Penitência e Unção dos enfermos) • Sacramentos ao serviço da comunhão e da missão (Ordem e Matrimônio).

  48. IgrejaOrtodoxa • Doutrina é muito semelhante à da Igreja Católica, preservando os sete sacramentos, o respeito a ícones, o uso de roupas litúrgicas nos seus cultos (denominados de divina liturgia) • PAPA – A doutrina da Igreja Ortodoxa é idêntica à de Roma em tudo, só que não aceitam o papa como suprema e única autoridade da Igreja • CELIBATO – Não é obrigatório. O casado pode ser padre, mas o padre não pode se casar. A opção é livre. • DIVÓRCIO – O casamento é indissolúvel, mas há uma exceção. Em caso de adultério, em favor da parte inocente, é possível um novo matrimônio. • ECUMENISMO - É permitido aos católicos freqüentar as igrejas ortodoxas, se houver motivo suficiente. Ex.: inexistência da Igreja na região.

  49. A IdadeMédia - AbusosCléricos • Durante a IdadeMédianaEuropa, a IgrejaCatólicaRomanacontinuou a terpoder, com os papas clamandoautoridadesobretodas as áreasdavida e vivendocomoreis. • Corrupção e avarezanaliderançadaigrejaerammuitocomuns. De 1095 a 1204 os papas endorsaram um série de cruzadassangrentas e carasnatentativa de repeliravançosmuçulmanos e de libertarJerusalém • *Descobrimento 1500

  50. Dogmas • Segundo o DicionárioHouaissdaLíngua Portuguesa, dogma é um "ponto fundamental de umadoutrinareligiosa, apresentadocomocerto e indiscutível, cujaverdade se esperaque as pessoasaceitemsemquestionar". Todosistemareligioso tem seuspontosfundamentais e indiscutíveisaosquaischamamos de dogmas. São “verdades” aceitassemdiscussão, apenaspelafé • O Concílio Ecumênico, Assembléia de Bispos e principais dignitários da Igreja, sob a presidência papal, tem por objeto a formulação dos artigos de fé e moral (dogmas) com o caráter de infalibilidade. • O Dogma da Infalibilidade Papal, o Dogma da Imaculada Conceição, o Dogma das Penas Eternas, o Dogma do Pecado Original • “Por conseguinte no espiritismo , o método é: • 1º) a observação dos fatos; • 2º) a sua generalização e a investigação da lei; • 3º)a indução racional que, além dos fenômenos fugitivos e mutáveis, percebe a causa permanente que a produz,” Assim — podemos agora repetir com ênfase — o método espírita tem a seu favor, no enunciado da Verdade, esse caminho novo e todo especial, embora muito simplista: a Razão e os Fatos experimentais, depois, obviamente, da Revelação Reformador – fevereiro de 1964