slide1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
A DITADURA MILITAR NO BRASIL PowerPoint Presentation
Download Presentation
A DITADURA MILITAR NO BRASIL

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 84

A DITADURA MILITAR NO BRASIL - PowerPoint PPT Presentation


  • 892 Views
  • Uploaded on

A DITADURA MILITAR NO BRASIL. 1964 - 1984. ANTECEDENTES : O debate sobre o desenvolvimento brasileiro. O governo Jango (1961-1964). A noite do Golpe. I 1964/1969 PERÍODO INSTITUCIONALIZAÇÃO DA NOVA ORDEM Castelo Branco(1964-1967 ) Costa e Silva (1967-1969.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

A DITADURA MILITAR NO BRASIL


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
    Presentation Transcript
    1. A DITADURA MILITAR NO BRASIL 1964 - 1984

    2. ANTECEDENTES : O debate sobre o desenvolvimento brasileiro O governo Jango (1961-1964) A noite do Golpe I 1964/1969 PERÍODO INSTITUCIONALIZAÇÃO DA NOVA ORDEM Castelo Branco(1964-1967) Costa e Silva (1967-1969 II 1969/1974 – O MILAGRE ECONÔMICO OS ANOS DE CHUMBO Medici 1969/1074 ETAPAS DA DITADURA MILITAR III 1973/1979 - A CRISE – O FIM DO MILAGRE A ABERTURA Geisel (1974-1978) IV 1979- 1984 -ABERTURA E TRANSIÇÃO Figueiredo (1979-1985)

    3. ANTECEDENTES : O debate sobre o desenvolvimento brasileiro Debate entre dois projetos políticos que começou no governo Getulio DECADA DE 60 Projeto Desenvolvimentista Projeto Nacional-Desenvolvimentista

    4. ANTECEDENTES : O debate sobre o desenvolvimento brasileiro 1962 Governo João Goulart Reformas de base CPC (Centro popular de Cultura) UNE Teatro Musica Canção do Subdesaenvolvido, Carlos Lira Critica à dependência cultural, política e econômica do pais desde o Descobrimento Para ouvir acesse : http://www.youtube.com/watch?v=opFt_gLoA5A

    5. Então o bravo brasileiro (iehéé),Em perigos e guerras esforçados (iehéé),Mais que prometia a força humanaPlantou couve, colheu banana.Bravo esforço do povo brasileiroMandou vir capital lá do estrangeiro.Subdesenvolvido, subdesenvolvido, subdesenvolvido, subdesenvolvido.As nações do mundo para cá mandaramSeus capitais tão desinteressados.As nações coitadas só queriam ajudar, não é?Aquela ilha velha não roubou ninguém,País de poucas terras só nos fez um bemUm Big BenUm big ben , bom, bem, bomNos deu luz (ah)Tirou ouro (oh)Nos deu trem (ah)Mas levou o nosso tesouro “O Brasil é uma terra de amores,Alcatifada de flores,Onde a brisa fala amores,Nas lindas tardes de abril.Correi pras bandas do Sul.Debaixo de um céu de anil,Encontrareis um gigante deitado:Santa Cruz, hoje o Brasil. Mas um dia o gigante despertou (ooaahhh!).Deixou de ser gigante adormecido.E dele um anão se levantou.Era um país subdesenvolvidoSubdesenvolvido, subdesenvolvido, subdesenvolvido, subdesenvolvido (bis)E passado o período colonial,O país passou a ser um bom quintal.E depois de dada a conta a PortugalInstalou-se o latifúndio nacional .. (Ai)Subdesenvolvido, subdesenvolvido, subdesenvolvido, subdesenvolvido Subdesenvolvido, subdesenvolvido, subdesenvolvido, subdesenvolvido

    6. Mas data houve em que se acabaram os tempos duros e sofridosPorque um dia aqui chegaram os capitais dos países amigos.País amigo, desenvolvido,País amigo, país amigo,Amigo do subdesenvolvidoPaís amigo, país amigo.E os nossos amigos americanosCom muita fé, com muita fé,Nos deram dinheiro e nos plantamosSó café, só café.É uma terra em que se plantando tudo dá.Pode-se plantar tudo que quiserMas eles resolveram que nos devíamos plantarSó café, só café Bento que bento o frade, frade.Na boca do forno, forno.Tirai um bolo, boloFareis tudo que seu mestre mandar?Faremos todos, faremos todos, faremos todos.Começaram a nos vender e nos comprar.Comprar borracha, vender pneu.Comprar minério, vender navio.Pra nossa vela, vender pavio.Só mandaram o que sobrou de lá:Matéria plástica, que entusiástica,Que coisa elástica, que coisa drástica,Rock balada, filme de mocinho,Ar refrigerado e chiclete de bola (pop)E coca cola.Subdesenvolvido, subdesenvolvido, subdesenvolvido, subdesenvolvido.

    7. O povo brasileiro tem personalidade.Não se impressiona com facilidadeEmbora pense como americano“Uuuuuuu, I’m going to kill that indian before he kills me (pinim...)Embora dance como americanoTa-ta-ta-ta, ta-ta-ta-taEmbora cante como americanoEh boi, lá, lá, lá,Eh roçado bão, lá, lá, lá,O melhor do meu sertão, lá, lá, láComeram o boi. O povo brasileiro, embora pense, cante e dance como americanoNão come como americano,Não bebe como americano,Vive menos, sofre maisIsso é muito importanteMuito mais do que importantePois difere o brasileiro dos demaisPersonalidade, personalidade, personalidade sem igual,Porém,Subdesenvolvida, subdesenvolvida,Essa é que é a vida nacional.” Para ouvir acesse : http://www.youtube.com/watch?v=opFt_gLoA5A

    8. Projeto Nacional-Desenvolvimentista Distribuição de Renda População 50% 30% 15% 5% 17,91% 27,92% 26,66% 27,69% Mercadoria de bens não duraveis 80% dos consumidores salarios alimentos Pequenas propriedades sindicatos greves Para isso : lei - eleições - partidos

    9. Projeto Desenvolvimentista Brasilia Industria automobilistica Modernização do país JK 20% dos consumidores Mercado exterior 2ªabertura dos portos Latifundio mecanização exportação

    10. Ideologia do automovel Estradas de rodagem Para isso Dinheiro do Estado Empréstimo externo Emissão Inflação Aumento da dívida 20% dos consumidores Aumentar o salário da classe media Imobilizar politicamente os 80% Achatar o salário dos 80%

    11. Aliados ideológicos da 1ºprojeto 80% Sindicatos Trabalhadores Movimentos Sociais Aliados ideológicos da 2º projeto Classe media e alta(20%) Os que gostam de ordem e segurança Forças Armadas(ESG) Anti-comunistas Povo : inimigo interno Projetos

    12. vitoria do segundo projeto Golpe de 31 de março de 1964 comicio pelas reformas ou Comicio da Central, organizado pela CGT 13 de março Marcha da Família com Deus pela Liberdade, organizada pela União Cívica Feminina, IPES e com as bênção da Igreja Católica 19 de março

    13. 30 de março : discurso de Jango no Automovel Clube do Rio “Não admitirei o golpe das reacionários” 31 de março: tropas do General Olimpio Mourão Filho( 4ª região militar- MG) movimentam-se para o Rio “O exercito dormiu janguista. O exercito acordou revolucionario” (Elio Gaspari)

    14. 1964/1969 -- PERÍODO DE INSTITUCIONALIZAÇÃO DA NOVA ORDEM

    15. legitimação e legalização das ações políticas dos militares. Atos Ins titu cio nais De 1964 a 1969 são decretados 17 atos institucionais regulamentados por 104 atos complementares. O governo divulgou que seu objetivo era combater a "corrupção e a subversão

    16. 1964/1969 -- PERÍODO DE INSTITUCIONALIZAÇÃO DA NOVA ORDEM AI -1 – suspende a constituição de 1946, organizações de base, sindicatos, ligas camponesas, UNE, centros acadêmicos), cassação de direitos politicos de centenas de pessoas AI-2 – após eleições dos governadores, cassa JK (candidato a presidente), prorroga Castelo Branco até 67, não há mais eleições diretas (presidente e governador), bipartidarismo (Arena e MDB)

    17. AI- 3 determinava eleições indiretas para governadores e nomeação dos prefeitos das capitais. AI-4 – Convocação do Congresso Nacional para a votação e promulgação do projeto de Constituição, que revogava definitivamente a Constituição de 1946.

    18. lutas com criatividade (encontros da UNE) subversão, clandestinidade. Festivais de música (tratado político) Reação estudantil Um grupo do CCC(Comando de Caça aos Cmunistas) invade o teatro Galpão em São Paulo, em 1968, e espanca o elenco da peça Roda Viva

    19. Roda Viva- Chico Buarque Tem dias que a gente se senteComo quem partiu ou morreuA gente estancou de repenteOu foi o mundo então que cresceu... A gente quer ter voz ativaNo nosso destino mandarMas eis que chega a roda vivaE carrega o destino prá lá ... Roda mundo, roda giganteRoda moinho, roda piãoO tempo rodou num instanteNas voltas do meu coração... A gente vai contra a correnteAté não poder resistirNa volta do barco é que senteO quanto deixou de cumprirFaz tempo que a gente cultivaA mais linda roseira que háMas eis que chega a roda vivaE carrega a roseira prá lá... Roda mundo, roda giganteRoda moinho, roda piãoO tempo rodou num instanteNas voltas do meu coração... A roda da saia mulataNão quer mais rodar não senhorNão posso fazer serenataA roda de samba acabou... A gente toma a iniciativaViola na rua a cantarMas eis que chega a roda vivaE carrega a viola prá lá... Roda mundo, roda giganteRoda moinho, roda piãoO tempo rodou num instanteNas voltas do meu coração... O samba, a viola, a roseiraQue um dia a fogueira queimouFoi tudo ilusão passageiraQue a brisa primeira levou... No peito a saudade cativaFaz força pro tempo pararMas eis que chega a roda vivaE carrega a saudade prá lá ... Roda mundo, roda giganteRoda moinho, roda piãoO tempo rodou num instanteNas voltas do meu coração...(4x) Para ouvir: http://www.youtube.com/watch?v=HRFw5u5wR4c

    20. - Rebelião da juventude – Paris, Alemanha, México Movimento Hippie Poder Negro Marcuse Brasil – passeatas morte de Edson Luis 1968 FIC ( Vandré : Para não dizer que não falei de flores) 7 de setembro – Marcio Moreira Alves

    21. A repressão proporcionou uma riqueza cultural imensurável devido à atmosfera de tensão vivida pelo povo. 1968 Sem outra opção, era preciso encontrar uma maneira de protestar através da arte. Dentre toda a produção musical do período ditatorial, “ Pra não dizer que não falei de flores”, de Geraldo Vandré, foi um hino de resistência ao regime militar.

    22. Pra Não Dizer Que Não Falei Das FloresGe rComposição: Geraldo Vandré aldo Vandré Pelos campos há fomeEm grandes plantaçõesPelas ruas marchandoIndecisos cordõesAinda fazem da florSeu mais forte refrãoE acreditam nas floresVencendo o canhão... Vem, vamos emboraQue esperar não é saberQuem sabe faz a horaNão espera acontecer...(2x) Caminhando e cantandoE seguindo a cançãoSomos todos iguaisBraços dados ou nãoNas escolas, nas ruasCampos, construçõesCaminhando e cantandoE seguindo a canção... Vem, vamos emboraQue esperar não é saberQuem sabe faz a horaNão espera acontecer...(2x) Para ouvir acesse: http://www.youtube.com/watch?v=PDWuwh6edkY

    23. Há soldados armadosAmados ou nãoQuase todos perdidosDe armas na mãoNos quartéis lhes ensinamUma antiga lição:De morrer pela pátriaE viver sem razão... Vem, vamos emboraQue esperar não é saberQuem sabe faz a horaNão espera acontecer...(2x) Nas escolas, nas ruasCampos, construçõesSomos todos soldadosArmados ou nãoCaminhando e cantandoE seguindo a cançãoSomos todos iguaisBraços dados ou não... Os amores na menteAs flores no chãoA certeza na frenteA história na mãoCaminhando e cantandoE seguindo a cançãoAprendendo e ensinandoUma nova lição... Vem, vamos emboraQue esperar não é saberQuem sabe faz a horaNão espera acontecer...(4x)

    24. AI-5

    25. Recesso Parlamentar : fechamento do Congresso Plenos poderes para o Presidente arbitrariamente intervir em estados e municípios AI-5 Prerrogativa presidencial: suspender direitos politicos e cassação de mandatos Ficava extinto, em caso de crimes políticos ou contra a economia, o habeas corpus. O presidente poderia decretar, a qualquer momento, estado de sitio,

    26. Decreto 477 Lei da Segurança Nacional AI-5 SNI (futuros presidentes) Ciex – Dói-Codi Cenimar Cisa Dops 200 mil dedos-duros Oban Esquadrão da Morte Fleury

    27. Opções - 1. Estudar 2. Exílio 3. Luta armada - urbana - rural Caça às bruxas Universidade de Brasília USP Federal do Rio Colégio Vocacional

    28. O MILAGRE ECONÔMICO 1969/1973 OS ANOS DE CHUMBO

    29. 1969/1973 – O MILAGRE ECONÔMICO Delfim Neto

    30. 1969/1973 – O MILAGRE ECONÔMICO Período de intenso crescimento econômico e de posterior endividamento. O PIB do Brasil cresceu acima de 10% ao ano, em média, apesar da inflação, que oscilou entre 15% e 20% ao ano, Grande concentração de renda, com redução dos salários reais acentuação da desigualdade social e aumento da pobreza, com cerceamento às liberdades individuais associado à repressão politica

    31. 1969/1973 – O MILAGRE ECONÔMICO 1970 50% = 14,91 30% = 22,85 15% = 27,38 5% = 34,86 Supermercados Shoppings Industria -------- mercadoria ------- consumidor Repressão X euforia dos consumidores Ideologia Brasil, ame-o ou deixe-o Ninguém segura este país.

    32. 3ª abertura dos portos Brasil Ilha de tranquilidade petrodolares Construção de infra-estrutura Aumento da dívida externa Pólo químico da Bahia Industria de base Transamazônica Rio-Niteroi Usinas Energia Nuclear Ferrovia do aço Grandes projetos

    33. 1969/1973 – OS ANOS DE CHUMBO A expressão anos de chumbo foi aplicada inicialmente a um fenômeno da Europa Ocidental, relacionado com a Guerra Fria e com a estratégia de tensão. Anos 70/80 : anos marcados por violência política, luta armada e terrorismo de esquerda e de direita, bem como pelo endurecimento do aparato repressivo dos estados democráticos da Europa Ocidental.

    34. do Ai-5 em 13 de dezembro daquele ano, até o final do governo Médici, em março de 1974 Anos de Chumbo feroz combate entre a extrema- esquerda de um lado, e de outro, o aparelho repressivo policial-militar do Estado. O governo é apoiado por organizações paramilitares e grandes empresas.

    35. Durante esse período, houve "desaparecimento" e morte de milhares de militantes, políticos e estudantes de esquerda. A liberdade de imprensa, de expressão e manifestação foram cerceadas. Por outro lado, alguns noticiários, como o Jornal Nacional, tentavam transmitir a imagem de um Brasil democrático e retratavam o evidente desenvolvimento nacional.

    36. Operação Bandeirante(OBAN) Sequestro do Embaixador Americano 1969 Esquadrão da Morte Assassinato de Marighela(ALN) Guerrilhas contra o regime militar espalham-se na cidade e no campo 1970 Copa do Mundo

    37. Apesar De Você CChico Buarque Vendo circular pelas ruas os automóveis com o adesivo “Brasil: ame-o ou deixe-o“, Chico Buarque se viu obrigado a reagir com sua melhor arma: a música. E assim nasceu “Apesar de você”: A música foi adotada como hino de resistência aos militares quando um jornal publicou uma notinha dizendo que “você”na verdade, era o general Médici. Chamado para depor, Chico disse que a música era para uma mulher muito mandona, mas não colou. A música foi proibida de ser executada e todos os compactos recolhidos e queimados.

    38. Apesar De Você Chico Buarque Composição: Chico Buarque (Crescendo) Amanhã vai ser outro dia x 3 Hoje você é quem mandaFalou, tá faladoNão tem discussão, não.A minha gente hoje andaFalando de lado e olhando pro chãoViu?Você que inventou esse EstadoInventou de inventarToda escuridãoVocê que inventou o pecadoEsqueceu-se de inventar o perdão (Coro) Apesar de vocêamanhã há de ser outro diaEu pergunto a você onde vai se esconderDa enorme euforia?Como vai proibirQuando o galo insistir em cantar?Água nova brotandoE a gente se amando sem parar Quando chegar o momentoEsse meu sofrimento Vou cobrar com juros. Juro!Todo esse amor reprimido,Esse grito contido,Esse samba no escuro Você que inventou a tristezaOra tenha a finezade "desinventar"Você vai pagar, e é dobrado,Cada lágrima roladaNesse meu penar (Coro2) Apesar de vocêAmanhã há de ser outro dia.Ainda pago pra verO jardim florescerQual você não queria Você vai se amargarVendo o dia raiarSem lhe pedir licença E eu vou morrer de rirE esse dia há de virantes do que você pensa Apesar de você (Coro3) Apesar de vocêAmanhã há de ser outro diaVocê vai ter que verA manhã renascerE esbanjar poesia Como vai se explicarVendo o céu clarear, de repente,Impunemente?Como vai abafarNosso coro a cantar,Na sua frente.Apesar de você (Coro4) Apesar de vocêAmanhã há de ser outro dia.Você vai se dar mal, etc e tal, Para ouvir acesse:http://www.youtube.com/watch?v=R7xRtSUunEY

    39. Calice – Chico Buarque e Gilberto Gil "Cálice" é uma canção escrita e interpretada por Chico Buarque e Gilberto Gil em 1973. Na canção percebe-se um elaborado jogo de palavras para despistar a censura da ditadura militar. A palavra-título, por exemplo, é cantado pelo coral que acompanha o cantor de forma a soar como um raivoso "Cale-se!". A canção teve sua execução proibida durante anos no Brasil. Na versão, Milton Nascimento canta os versos de Gil. Para ouvir acesse: http://www.youtube.com/watch?v=wV4vAtPn5-Q

    40. Cálice Chico Buarque Composição: Chico Buarque e Gilberto Gil Pai! Afasta de mim esse cáliceDe vinho tinto de sangue...(2x) Como beberDessa bebida amargaTragar a dorEngolir a labutaMesmo calada a bocaResta o peitoSilêncio na cidadeNão se escutaDe que me valeSer filho da santaMelhor seriaSer filho da outraOutra realidadeMenos mortaTanta mentiraTanta força bruta... Pai! Afasta de mim esse cáliceDe vinho tinto de sangue... De muito gordaA porca já não anda(Cálice!)De muito usadaA faca já não cortaComo é difícilPai, abrir a portaPai! Afasta de mim esse cálicePai! Afasta de mim esse cálic Como beberDessa bebida amargaTragar a dorEngolir a labutaMesmo calada a bocaResta o peitoSilêncio na cidadeNão se escutaDe que me valeSer filho da santaMelhor seriaSer filho da outraOutra realidadeMenos mortaTanta mentiraTanta força bruta... Como é difícilAcordar caladoSe na calada da noiteEu me danoQuero lançarUm grito desumanoQue é uma maneiraDe ser escutado Esse silêncio todoMe atordoaAtordoadoEu permaneço atentoNa arquibancadaPrá a qualquer momentoVer emergirO monstro da lagoa... Pai! Afasta de mim esse cálicePai! Afasta de mim esse cálicePai! Afasta de mim esse cáliceDe vinho tinto de sangue...

    41. Mesmo calado o peitoResta a cucaDos bêbadosDo centro da cidade... Pai! Afasta de mim esse cálicePai! Afasta de mim esse cálicePai! Afasta de mim esse cáliceDe vinho tinto de sangue... Talvez o mundoNão seja pequeno(Cale-se!)Nem seja a vidaUm fato consumado(Cale-se!)Quero inventarO meu próprio pecado(Cale-se!)Quero morrerDo meu próprio veneno(Pai! Cale-se!) Pai! Afasta de mim esse cálicePai! Afasta de mim esse cálicePai! Afasta de mim esse cáliceDe vinho tinto de sangue... De muito gordaA porca já não anda(Cálice!)De muito usadaA faca já não cortaComo é difícilPai, abrir a porta(Cálice!)Essa palavraPresa na gargantaEsse pilequeHomérico no mundoDe que adiantaTer boa vontade Quero perder de vezTua cabeça(Cale-se!)Minha cabeçaPerder teu juízo(Cale-se!)Quero cheirar fumaçaDe óleo diesel(Cale-se!)Me embriagarAté que alguém me esqueça(Cale-se!)

    42. 1973 -1979 –A crise : o fim do milagre

    43. 1973 -1979 –A crise : o fim do milagre A crise do petróleo Crise externa Esgotamento da capacidade de consumo da classe media Sobe o numero de carnets Crise interna Queima de estoque Aumento dos preços industria Fim da ilusão Nova força de trabalho ociosidade Diminui a capacidade produtiva Caos social desemprego subemprego marginalidade policia violência

    44. 1973 -1979 –A crise : o fim do milagre

    45. Deixa de consumir Classe Media 1974: voto na oposição Questiona o modelo Crise política Governo Duas táticas Crise econômica É preciso pagar os juros e as amortizações da dívida externa Crise econômica

    46. Crise econômica Incentivar o latifundio : “exportar é o que importa” incentivos fiscais: isenção de impostos Mão de obra barata: “boias-frias” agricultura Destruição da pequena propriedade que produzia alimentos para o mercado interno: êxodo rural Aumento do preço dos alimentos Importação de alimentos: aumento da dívida Começa a faltar dinheiro para o Estado Isenção de impostos para exportação industria Políticas sociais são afetadas

    47. Crise econômica Fabricar dinheiro : inflação Cigarro. Energia eletrica Imposto de renda Aumento de imposto da classe media : solução Letras do tesouro e ORNT para os ricos comprarem. O rico só compra com juros altos : aumenta a dívida interna Temos que pagar a divida externa e a divida interna Emprestar mais para pagar juros da dívida externa solução Jogar mais letras no mercado Circulo financeiro da especulação

    48. Crise política Movimentos de reivindicação Comunidades eclesiais de base 1970 Movimento custo de vida Organização da sociedade civil Renascimento do movimento estudantil Sindicatos:ABC – novas lideranças Movimento dos camponeses ABI Táticas do governo OAB Foros políticos de debates SBPC 77 – Pacote de Abril 76 - Lei Falcão Igreja

    49. Crise política A repressão se empenha para desarticular a guerrilha urbana, prendendo, matando e torturando. 1971 Golpe Militar no Chile: Pinochet 1973 Derrota da Guerrilha do Araguaia Eleição de senadores de oposição 1974 1975 Morre Vladimir Herzog 1976 Terrorismo de direita Intensificam-se os movimentos da sociedade civil contra a ditadura 1977

    50. 1979- 1984 -Abertura e transição