introdu o taxonomia microbiana conceitos n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
INTRODUÇÃO À TAXONOMIA MICROBIANA: CONCEITOS PowerPoint Presentation
Download Presentation
INTRODUÇÃO À TAXONOMIA MICROBIANA: CONCEITOS

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 19

INTRODUÇÃO À TAXONOMIA MICROBIANA: CONCEITOS - PowerPoint PPT Presentation


  • 517 Views
  • Uploaded on

INTRODUÇÃO À TAXONOMIA MICROBIANA: CONCEITOS. Os seres vivos são classificados por meio de critérios preestabelecidos, isto é, usamos regras de classificação de acordo com a necessidade e com o sistema de classificação adotado.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'INTRODUÇÃO À TAXONOMIA MICROBIANA: CONCEITOS' - cornelius


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide2
Os seres vivos são classificados por meio de critérios preestabelecidos, isto é, usamos regras de classificação de acordo com a necessidade e com o sistema de classificação adotado.

A área da Biologia que estuda a classificação dos seres vivos é denominada taxonomia.

hist rico
HISTÓRICO

A primeira tentativa de classificação foi feita pelo filósofo grego Aristóteles (384 - 322 a.C.).

Na metade do século XVII, o inglês John Ray (1627-1705) tentou catalogar e dispor sistematicamente todos os organismos do mundo. Foi também o primeiro a usar o termo espécie para designar um certo tipo de organismo.

hist rico1
HISTÓRICO

SISTEMAS ARTIFICIAIS - Sistemas de classificação que utilizam um único critério para separar os organismos em grupos. Neste caso uso era apenas dos caracteres macroscópicos.

hist rico2
HISTÓRICO

SISTEMA NATURAL - Entretanto, a partir do século XVIII, os sistemas de classificação tornaram-se naturais, usando critérios objetivos com dados fornecidos pela morfologia, fisiologia, ecologia e embriologia.

hist rico3
HISTÓRICO

Carlos Linnaeus, ou simplesmente Lineu (1707 – 1778), foi um dos primeiros pesquisadores a propor um sistema de classificação natural. Em 1758, no seu Systema Naturae, dividiu os animais conhecidos em mamíferos, aves, anfíbios (incluíram os répteis), peixes, insetos e vermes (que incluíam todos os outros invertebrados), subdividindo cada grupo até as espécies. Propôs também regras para a nomenclatura dos seres vivos com o uso de palavraslatinas.

slide7
A história evolutiva dos organismos que apareceram após o período Pré-Cambriano pode ser estudada através da análise de fósseis.
  • Os microrganismos existiram antes deste período. Foram descobertos em rochas sedimentárias, fósseis microbianos com aproximadamente 3,5 bilhões de anos.
  • Análises moleculares podem fornecer evidências sobre o curso evolutivo dos microrganismos.
slide9

A FILOGENIA MOLECULAR REVELOU NÃO CINCO

REINOS MAS TRÊS DOMINIOS, DOIS DELES

EXCLUSIVAMENTE MICROBIANOS.

a taxonomia abrange tr s reas interrelacionadas
A taxonomia abrange três áreas interrelacionadas:
  • Classificação
    • Arranjo ordenado dos organismos com caracteres similares e separados daqueles dissimilares em grupos denominados de “taxa” (no singular, “taxon”).
slide11

Taxa

  • O sistema de classificação biológica está baseado na chamada hierarquia taxonômica, que permite o ordenamento dos grupos de organismos em categorias ou posições a saber:
slide12
Nomenclatura
    • Designa nomes aos grupos taxonômicos, de acordo com preceitos estabelecidos em regras internacionais. O objetivo primordial da indicação de nomes aos “taxa” é possibilitar uma forma de referência simples e sem ambiguidades, evitando a necessidade de descrição das características dos organismos.
regras de nomenclatura
REGRAS DE NOMENCLATURA

a) Na designação científica, os nomes devem ser latinos de origem ou, então, latinizados.

b) Em obras impressas, todo nome científico deve ser escrito em itálico (tipo de letra fina e inclinada), diferente do corpo tipográfico usado no texto corrido. Em trabalhos manuscritos, esses nomes devem ser grifados.

c) Cada organismo deve ser reconhecido por uma designação binominal, onde o primeiro termo identifica o seu gênero e o segundo, sua espécie.

d) O nome relativo ao gênero deve ser um substantivo simples ou composto, escrito com inicialmaiúscula.

e) O nome relativo à espécie deve ser um adjetivo escrito com inicial minúscula.

regras de nomenclatura1

REGRAS DE NOMENCLATURA

f) Em seguida ao nome do organismo é facultado colocar, por extenso ou abreviadamente, o nome do autor que primeiro o descreveu e denominou, sem qualquer pontuação intermediária, seguindo-se depois uma vírgula e a data em que foi publicado pela primeira vez.

g) Não confundir o nome do autor, mencionado após a espécie, com subespécie, uma vez que esta última é grafada com inicial minúscula e é escrita com o tipo itálico, enquanto o nome do autor tem sempre inicial maiúscula e não é grafado em itálico.

h) o subgênero aparece entre o gênero e a espécie entre parêntese e iniciando em letra maiúscula.

i) Em Zoologia, o nome da família é dado pela adição do sufixo - idaeao radical correspondente ao nome do gênero-tipo. Para subfamília, o sufixo usado é – inae. As plantas levam a terminação - aceae.

slide15
Identificação
    • Consiste na comparação dos organismos em estudo com aqueles conhecidos, visando determinar sua identidade ou nome. Portanto, trata-se de verificar se um dado organismo pertence a um grupo taxonômico estabelecido.
conceito de esp cie
Conceito de espécie
  • Grupo de organismos capazes de cruzamento genético fértil com membros do mesmo grupo, sendo distinto de outros indivíduos de grupos similares.
  • Microrganismos: maioria haplóide, reprodução assexuada e morfologia pouco diferenciada.

Como fica o conceito de espécie ?

slide17
Conceito de espécie em microbiologia

Populações clonais que apresentam alto grau de similaridade fenotípica e genotípica, juntamente com dissimilaridade com outros grupos relacionados.

Espécie microbiana representa um grupo de biotipos semelhantes à estirpe padrão e diferente de outras. Para cada espécie é designada uma estirpe padrão ou type strain, que é mantida em coleções especializadas.

slide18

CARACTERIZAÇÃO E IDENTIFICAÇÃO FENOTÍPICA - MÉTODOS TRADICIONAIS

DESVANTAGENS:

- Procedimentos podem ser longos

- Ambíguos;

- Afetados pelas condições do meio;

- Espécies filogeneticamente distintas;

- Problemas técnicos que dificultam a interpretação dos resultados (crescimento não é suficiente para degradar o substrato que se está testando, algumas características são instáveis – meios de cultura utilizado)

- Culturas mistas não permitem a diferenciação de espécies

slide19

CARACTERIZAÇÃO E IDENTIFICAÇÃO GENOTÍPICA

MÉTODOS GENOTÍPICOS IDENTIFICAM ATRAVÉS DO GENOMA, AO CONTRÁRIO DOS MÉTODOS BIOLÓGICOS E IMUNOLÓGICOS (FENOTÍPICOS) QUE DETECTAM OS PRODUTOS CODIFICADOS PELO GENOMA.

Ácidos nucléicos são universais em biologia celular, e a seqüência de bases de nucleotídeos das moléculas não são influenciadas pelas condições de cultivo. Análises dos ácidos nucléicos deste modo, provem a base dos métodos de identificação e possuem a vantagem da reprodutibilidade. Métodos genéticos são mais promissores para uma rápida e acurada identificação.