5 confer ncia brasileira de arranjos produtivos locais 5 cb apl l.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
5ª. Conferência Brasileira de Arranjos Produtivos Locais – 5ª. CB APL PowerPoint Presentation
Download Presentation
5ª. Conferência Brasileira de Arranjos Produtivos Locais – 5ª. CB APL

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 24

5ª. Conferência Brasileira de Arranjos Produtivos Locais – 5ª. CB APL - PowerPoint PPT Presentation


  • 165 Views
  • Uploaded on

5ª. Conferência Brasileira de Arranjos Produtivos Locais – 5ª. CB APL. GRANDES, MÉDIAS E PEQUENAS EMPRESAS EM APLs : O TAMANHO DA FIRMA IMPORTA? GABRIEL ALVES MACIEL PhD, Pesquisador do IPA/AD Diper . A FRUTICULTURA NO VALE DO SÃO FRANCISCO. A região apresenta as seguintes características :

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

5ª. Conferência Brasileira de Arranjos Produtivos Locais – 5ª. CB APL


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
5 confer ncia brasileira de arranjos produtivos locais 5 cb apl

5ª. Conferência Brasileira de Arranjos Produtivos Locais – 5ª. CB APL

GRANDES, MÉDIAS E PEQUENAS EMPRESAS EM APLs: O TAMANHO DA FIRMA IMPORTA?

GABRIEL ALVES MACIEL

PhD, Pesquisador do IPA/AD Diper

a fruticultura no vale do s o francisco

A FRUTICULTURA NO VALE DO SÃO FRANCISCO

A região apresenta as seguintes características:

Altitude média de 365 metros.

Temperatura média de 26 ºC.

Umidade relativa média de 50 %.

Precipitação média anual: 450 mm

Insolação de 3.000 horas/ano, com 300 dias de sol/ano.

Evaporação ao redor de 2.080 mm/ano.

Hidrologia apoiada no rio São Francisco.

Vazão jusante a barragem do Sobradinho de 2.500 m3/s.

Lago a montante com 4.214 Km2 contendo aproximadamente

34 bilhões de m3.

Predominância de ventos sudeste com velocidade

média de 4 metros por segundo.

gera o de empregos na fruticultura irrigada do vale do s o francisco

GERAÇÃO DE EMPREGOS NA FRUTICULTURA IRRIGADA DO VALE DO SÃO FRANCISCO

A atividade de fruticultura da região do Sub-médio do São Francisco apresenta-se como uma grande geradora de empregos. Estima-se que são gerados em média 2,0 empregos por hectare irrigado, portanto, totalizando cerca de 240.000 empregos diretos e 960.000 empregos indiretos.

a fruticultura no vale do s o francisco4

A FRUTICULTURA NO VALE DO SÃO FRANCISCO

As principais culturas frutícolas do Vale do São Francisco são: uva, manga, banana, coco verde, goiaba, melão, acerola, limão, maracujá, papaia e pinha entre outras frutas de menor expressão, perfazendo um volume aproximado de produção de frutas de 1 milhão de toneladas/ano.

vantagens comparativas da fruticultura irrigada do vale do s o francisco

VANTAGENS COMPARATIVAS DA FRUTICULTURA IRRIGADA DO VALE DO SÃO FRANCISCO

Mais de duas safras/ano/planta;

Baixa incidência de doenças;

Proximidade dos mercados;

Abundância de mão-de-obra;

Disponibilidade de água;

Clima altamente favorável.

Trata-se, portanto do Único Semi-Árido Tropical do Mundo para a Produção da Fruticultura Irrigada

a fruticultura no vale do s o francisco13
A FRUTICULTURA NO VALE DO SÃO FRANCISCO

PROJETOS EM ESTUDO:

  • Canal do Sertão Pernambucano (BA/PE)- 33.000 ha
  • Canal de Xingó (SE)- 16.500 ha
  • Jequitaí MG)- 35.000 ha
  • TOTAL – 84.500 ha
projetos em implanta o
PROJETOS EM IMPLANTAÇÃO
  • Jaíba I, II, III e IV (MG) – 65.021 ha
  • Baixo do Irecê (BA)- 59.375 ha
  • Marituba(AL)- 4.200 ha
  • Jacaré- Curituba (SE)- 3.105 ha
  • Salitre (BA)- 31.305 ha
  • Pontal (PE)- 7.717 ha
  • TOTAL – 170.723 ha
projetos em produ o
PROJETOS EM PRODUÇÃO
  • Barreiras Norte (BA) – 2.093 ha - 35% Lotes Familiares.
  • Bebedouro (PE)- 2.432 ha - 42% Lotes Familiares.
  • Betume (SE)- 2.865 ha - 99% Lotes Familiares.
  • Boacica (AL)- 3.334 ha – 99% Lotes Familiares.
  • Ceraíma (BA)- 408 ha – 100% Lotes Familiares.
  • Cotiguiba/ Pindoba (SE)- 2.237 ha - 86% Lotes Familiares.
projetos em produ o16
PROJETOS EM PRODUÇÃO
  • Curacá (BA)- 4.345 ha - 45% Lotes Familiares.
  • Estreito (BA)- 7.983 ha - 34% Lotes Familiares.
  • Piloto Formoso (BA)- 528 ha - 85% Lotes Familiares.
  • Formoso (BA)- 11.151 ha - 40% Lotes Familiares.
  • Gorutuba (MG)- 5.286 ha - 57% Lotes Familiares.
  • Itiúba (AL)- 894 ha - 97% Lotes Familiares.
projetos em produ o17
PROJETOS EM PRODUÇÃO
  • Jaíba (MG)- 44.021 ha - 21% Lotes Familiares.
  • Lagoa Grande (MG)- 1.538 ha - 5% Lotes Familiares.
  • Mandacaru (BA)- 419 ha - 88% Lotes Familiares.
  • Maniçoba (BA)- 5.006 ha - 38% Lotes Familiares.
  • Mirorós (BA)- 2.095 ha - 51% Lotes Familiares.
  • Nupeba/ Riacho Grande(BA) 4.947 ha -23% Lotes Familiares.
projetos em produ o18
PROJETOS EM PRODUÇÃO
  • Piropora (MG)- 1.236 ha - 0% Lotes Familiares.
  • Propiá (SE) – 1.177 ha - 100% Lotes Familiares.
  • São Desidério/ Barreiras Sul (BA)- 2.238 ha - 78 % Lotes Familiares.
  • Senador Nilo Coelho (PE)- 18.858 ha - 66 % Lotes Familiares.
  • Tourão (BA)- 13.662 ha - 1% Lotes Familiares.
  • TOTAL – 138.753 ha – 54,6% Familiares
observa es gerais
OBSERVAÇÕES GERAIS

Nos perímetros irrigados, cerca de:

  • 80% da produção- Pequenos e Médios Produtores.
  • 30% da exportação é feita por Pequenos e Médios Produtores.
considera es finais grandes m dias e pequenas empresas em apls o tamanho da firma importa
CONSIDERAÇÕES FINAISGRANDES, MÉDIAS E PEQUENAS EMPRESAS EM APLs: O TAMANHO DA FIRMA IMPORTA?
  • O tamanho da firma importa em qualquer atividade, mas não é decisivo para a sua consolidação e/ou sustentabilidade.

Exemplo 1: Contribuição da Agricultura Familiar

  • Participa com 10% do PIB Brasileiro (5% a 25% nos Estados)
  • Responsável em média por 70% da produção de alimentos.
  • Mandioca- 82%
  • Milho- 43%
  • Feijão- 59%
  • Arroz- 41%
  • Leite- 54%
considera es finais grandes m dias e pequenas empresas em apls o tamanho da firma importa21
CONSIDERAÇÕES FINAISGRANDES, MÉDIAS E PEQUENAS EMPRESAS EM APLs: O TAMANHO DA FIRMA IMPORTA?

Exemplo 2: Agronegócio Patronal.

  • Responsável por 27 % do PIB Brasileiro
  • Responsável por 40% das exportações
  • Gera 40% dos empregos diretos.
considera es finais grandes m dias e pequenas empresas em apls o tamanho da firma importa22
CONSIDERAÇÕES FINAISGRANDES, MÉDIAS E PEQUENAS EMPRESAS EM APLs: O TAMANHO DA FIRMA IMPORTA?

2. Pequenos e Médios APLs:

  • Crédito Subsidiado – PRONAF e Microcrédito.
  • Organização Social dos Produtores/Empreendedores e da Produção/Produtos:
  • Associativismo.
  • Cooperativismo.
considera es finais grandes m dias e pequenas empresas em apls o tamanho da firma importa23
CONSIDERAÇÕES FINAISGRANDES, MÉDIAS E PEQUENAS EMPRESAS EM APLs: O TAMANHO DA FIRMA IMPORTA?

3. Não existe o pequeno produtor/ investidor desde que tenha uma atuação profissional, utilize a inovação, agregação de valor ao seu produto, redução do custo de produção e competitividade (preço x qualidade) - MUDAR A VIDA DAS PESSOAS

slide24

Gabriel Alves Maciel

gabriel@addiper.pe.gov.br

gabrielmaciel@globo.com

(81) 31817369

(81) 88796591

(81)94882867