5 confer ncia brasileira de arranjos produtivos locais 5 cb apl l.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
5ª. Conferência Brasileira de Arranjos Produtivos Locais – 5ª. CB APL PowerPoint Presentation
Download Presentation
5ª. Conferência Brasileira de Arranjos Produtivos Locais – 5ª. CB APL

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 24

5ª. Conferência Brasileira de Arranjos Produtivos Locais – 5ª. CB APL - PowerPoint PPT Presentation


  • 154 Views
  • Uploaded on

5ª. Conferência Brasileira de Arranjos Produtivos Locais – 5ª. CB APL. GRANDES, MÉDIAS E PEQUENAS EMPRESAS EM APLs : O TAMANHO DA FIRMA IMPORTA? GABRIEL ALVES MACIEL PhD, Pesquisador do IPA/AD Diper . A FRUTICULTURA NO VALE DO SÃO FRANCISCO. A região apresenta as seguintes características :

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about '5ª. Conferência Brasileira de Arranjos Produtivos Locais – 5ª. CB APL' - chick


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
5 confer ncia brasileira de arranjos produtivos locais 5 cb apl

5ª. Conferência Brasileira de Arranjos Produtivos Locais – 5ª. CB APL

GRANDES, MÉDIAS E PEQUENAS EMPRESAS EM APLs: O TAMANHO DA FIRMA IMPORTA?

GABRIEL ALVES MACIEL

PhD, Pesquisador do IPA/AD Diper

a fruticultura no vale do s o francisco

A FRUTICULTURA NO VALE DO SÃO FRANCISCO

A região apresenta as seguintes características:

Altitude média de 365 metros.

Temperatura média de 26 ºC.

Umidade relativa média de 50 %.

Precipitação média anual: 450 mm

Insolação de 3.000 horas/ano, com 300 dias de sol/ano.

Evaporação ao redor de 2.080 mm/ano.

Hidrologia apoiada no rio São Francisco.

Vazão jusante a barragem do Sobradinho de 2.500 m3/s.

Lago a montante com 4.214 Km2 contendo aproximadamente

34 bilhões de m3.

Predominância de ventos sudeste com velocidade

média de 4 metros por segundo.

gera o de empregos na fruticultura irrigada do vale do s o francisco

GERAÇÃO DE EMPREGOS NA FRUTICULTURA IRRIGADA DO VALE DO SÃO FRANCISCO

A atividade de fruticultura da região do Sub-médio do São Francisco apresenta-se como uma grande geradora de empregos. Estima-se que são gerados em média 2,0 empregos por hectare irrigado, portanto, totalizando cerca de 240.000 empregos diretos e 960.000 empregos indiretos.

a fruticultura no vale do s o francisco4

A FRUTICULTURA NO VALE DO SÃO FRANCISCO

As principais culturas frutícolas do Vale do São Francisco são: uva, manga, banana, coco verde, goiaba, melão, acerola, limão, maracujá, papaia e pinha entre outras frutas de menor expressão, perfazendo um volume aproximado de produção de frutas de 1 milhão de toneladas/ano.

vantagens comparativas da fruticultura irrigada do vale do s o francisco

VANTAGENS COMPARATIVAS DA FRUTICULTURA IRRIGADA DO VALE DO SÃO FRANCISCO

Mais de duas safras/ano/planta;

Baixa incidência de doenças;

Proximidade dos mercados;

Abundância de mão-de-obra;

Disponibilidade de água;

Clima altamente favorável.

Trata-se, portanto do Único Semi-Árido Tropical do Mundo para a Produção da Fruticultura Irrigada

a fruticultura no vale do s o francisco13
A FRUTICULTURA NO VALE DO SÃO FRANCISCO

PROJETOS EM ESTUDO:

  • Canal do Sertão Pernambucano (BA/PE)- 33.000 ha
  • Canal de Xingó (SE)- 16.500 ha
  • Jequitaí MG)- 35.000 ha
  • TOTAL – 84.500 ha
projetos em implanta o
PROJETOS EM IMPLANTAÇÃO
  • Jaíba I, II, III e IV (MG) – 65.021 ha
  • Baixo do Irecê (BA)- 59.375 ha
  • Marituba(AL)- 4.200 ha
  • Jacaré- Curituba (SE)- 3.105 ha
  • Salitre (BA)- 31.305 ha
  • Pontal (PE)- 7.717 ha
  • TOTAL – 170.723 ha
projetos em produ o
PROJETOS EM PRODUÇÃO
  • Barreiras Norte (BA) – 2.093 ha - 35% Lotes Familiares.
  • Bebedouro (PE)- 2.432 ha - 42% Lotes Familiares.
  • Betume (SE)- 2.865 ha - 99% Lotes Familiares.
  • Boacica (AL)- 3.334 ha – 99% Lotes Familiares.
  • Ceraíma (BA)- 408 ha – 100% Lotes Familiares.
  • Cotiguiba/ Pindoba (SE)- 2.237 ha - 86% Lotes Familiares.
projetos em produ o16
PROJETOS EM PRODUÇÃO
  • Curacá (BA)- 4.345 ha - 45% Lotes Familiares.
  • Estreito (BA)- 7.983 ha - 34% Lotes Familiares.
  • Piloto Formoso (BA)- 528 ha - 85% Lotes Familiares.
  • Formoso (BA)- 11.151 ha - 40% Lotes Familiares.
  • Gorutuba (MG)- 5.286 ha - 57% Lotes Familiares.
  • Itiúba (AL)- 894 ha - 97% Lotes Familiares.
projetos em produ o17
PROJETOS EM PRODUÇÃO
  • Jaíba (MG)- 44.021 ha - 21% Lotes Familiares.
  • Lagoa Grande (MG)- 1.538 ha - 5% Lotes Familiares.
  • Mandacaru (BA)- 419 ha - 88% Lotes Familiares.
  • Maniçoba (BA)- 5.006 ha - 38% Lotes Familiares.
  • Mirorós (BA)- 2.095 ha - 51% Lotes Familiares.
  • Nupeba/ Riacho Grande(BA) 4.947 ha -23% Lotes Familiares.
projetos em produ o18
PROJETOS EM PRODUÇÃO
  • Piropora (MG)- 1.236 ha - 0% Lotes Familiares.
  • Propiá (SE) – 1.177 ha - 100% Lotes Familiares.
  • São Desidério/ Barreiras Sul (BA)- 2.238 ha - 78 % Lotes Familiares.
  • Senador Nilo Coelho (PE)- 18.858 ha - 66 % Lotes Familiares.
  • Tourão (BA)- 13.662 ha - 1% Lotes Familiares.
  • TOTAL – 138.753 ha – 54,6% Familiares
observa es gerais
OBSERVAÇÕES GERAIS

Nos perímetros irrigados, cerca de:

  • 80% da produção- Pequenos e Médios Produtores.
  • 30% da exportação é feita por Pequenos e Médios Produtores.
considera es finais grandes m dias e pequenas empresas em apls o tamanho da firma importa
CONSIDERAÇÕES FINAISGRANDES, MÉDIAS E PEQUENAS EMPRESAS EM APLs: O TAMANHO DA FIRMA IMPORTA?
  • O tamanho da firma importa em qualquer atividade, mas não é decisivo para a sua consolidação e/ou sustentabilidade.

Exemplo 1: Contribuição da Agricultura Familiar

  • Participa com 10% do PIB Brasileiro (5% a 25% nos Estados)
  • Responsável em média por 70% da produção de alimentos.
  • Mandioca- 82%
  • Milho- 43%
  • Feijão- 59%
  • Arroz- 41%
  • Leite- 54%
considera es finais grandes m dias e pequenas empresas em apls o tamanho da firma importa21
CONSIDERAÇÕES FINAISGRANDES, MÉDIAS E PEQUENAS EMPRESAS EM APLs: O TAMANHO DA FIRMA IMPORTA?

Exemplo 2: Agronegócio Patronal.

  • Responsável por 27 % do PIB Brasileiro
  • Responsável por 40% das exportações
  • Gera 40% dos empregos diretos.
considera es finais grandes m dias e pequenas empresas em apls o tamanho da firma importa22
CONSIDERAÇÕES FINAISGRANDES, MÉDIAS E PEQUENAS EMPRESAS EM APLs: O TAMANHO DA FIRMA IMPORTA?

2. Pequenos e Médios APLs:

  • Crédito Subsidiado – PRONAF e Microcrédito.
  • Organização Social dos Produtores/Empreendedores e da Produção/Produtos:
  • Associativismo.
  • Cooperativismo.
considera es finais grandes m dias e pequenas empresas em apls o tamanho da firma importa23
CONSIDERAÇÕES FINAISGRANDES, MÉDIAS E PEQUENAS EMPRESAS EM APLs: O TAMANHO DA FIRMA IMPORTA?

3. Não existe o pequeno produtor/ investidor desde que tenha uma atuação profissional, utilize a inovação, agregação de valor ao seu produto, redução do custo de produção e competitividade (preço x qualidade) - MUDAR A VIDA DAS PESSOAS

slide24

Gabriel Alves Maciel

gabriel@addiper.pe.gov.br

gabrielmaciel@globo.com

(81) 31817369

(81) 88796591

(81)94882867