qual o melhor sabor para o rt linux real time linux
Download
Skip this Video
Download Presentation
Qual o melhor “sabor” para o RT-Linux (Real Time Linux)?

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 17

Qual o melhor “sabor” para o RT-Linux (Real Time Linux)? - PowerPoint PPT Presentation


  • 134 Views
  • Uploaded on

Qual o melhor “sabor” para o RT-Linux (Real Time Linux)?. Ricardo Matias Nº27471 e Vitor Hugo Nº21906 Sistemas de Tempo Real 2006 DETI-UA. Overview. Sistemas operativos de tempo real Soluções para Linux Teste de varias soluções Análise de Resultados. Sistemas Operativos de Tempo Real.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Qual o melhor “sabor” para o RT-Linux (Real Time Linux)?' - chaz


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
qual o melhor sabor para o rt linux real time linux

Qual o melhor “sabor” para o RT-Linux (Real Time Linux)?

Ricardo Matias Nº27471 e Vitor Hugo Nº21906

Sistemas de Tempo Real 2006 DETI-UA

overview
Overview
  • Sistemas operativos de tempo real
  • Soluções para Linux
  • Teste de varias soluções
  • Análise de Resultados
sistemas operativos de tempo real
Sistemas Operativos de Tempo Real
  • Resposta correcta no domínio “Lógico” e “Temporal”
  • (Tem que garantir uma resposta correcta a eventos num período limitado de tempo)
  • Vantagens de usar Linux: Grande flexibilidade no desenvolvimento e muitas ferramentas disponíveis.
  • Problema dos sistemas Linux convencionais:
  • O Kernel monolítico, em grande parte não preemptive.
  • (Grandes variações nos atrasos de preempção, que podem chegar a centenas de ms)
abordagens para adequar o linux para aplica es em sistemas de tempo real
Abordagens para adequar o Linux para aplicações em Sistemas de Tempo Real:
  • Executar o Linux como uma tarefa em tempo livre de um Micro Kernel de Tempo Real (que tem completo controlo das interrupções e do processador). São necessários novos drivers para aplicações nesse Kernel. Perdemos a protecção de memoria do Linux.
  • Modificar o Kernel do Linux internamente, para inserir características de Tempo Real (ex: reserva de recursos).
  • Low latency patches: Inserir pontos de “rescheduling”, diminuindo o tamanho dos bocados de Kernel não preemptive.
  • Kernel preemtability patches:

Executar o Kernel como multi-processo.

É necessário ter em atenção situações de sincronização.

solu es a avaliar
Soluções a avaliar
  • Linux 2.4 (tem vários problemas quando usado em tempo real, usado para comparação base)
  • Linux 2.6 (melhor do que Linux 2.4, com introdução de mecanismos para tempo real. Algoritmo de scheduling mais eficiente em situações de sobrecarga, Kernel preemption patch).
  • Linux 2.4 com RTAI (Real Time Aplication Interface). É um Micro Kernel que corre debaixo de Linux. O Linux executa como tarefa a tempo disponível.
  • Linux 2.4 com LXRT. É uma extensão do RTAI, permite correr tarefas soft e hardreal time em espaço de usuário, usando o RTAI API.
mesurement setup
Mesurement Setup
  • PC, Target hardware e uma ligação de rede entre o PC e o target.
  • Vamos ver os tempos de resposta a um evento gerado periodicamente com o sistema sobrecarregado e sem carga.
descri o dos processos
Descrição dos processos
  • Comms Server e Comms Client: Criar carga de comunicações e processamento no target.
  • Data Acq: Colectar a informação dos atrasos através do timer. Espera pelo sinal que indica o inicio do intervalo de controlo, lê o contador do timer (preemption latency) e depois pede informação do time counter armazenada no driver do interrupt handler. Envia essa informação ao File I/O.
  • File I/O:Recebe informação do Data Acq e organiza a informação em gamas de valores. Termina todo o processo quando atingindo um determinado nº de amostras.
medidas
Medidas

t1=interrupt latency

t2=preemption latency

Figura 1: latência de preempção

Figura 2: componentes da latência

modelo de processos para linux 2 4 e 2 6
Modelo de Processos para Linux 2.4 e 2.6

Figura 4: modelo de processos no Linux 2.4 e Linux 2.6

slide10
Modelo de processos para Linux com RTAI

Figura 5: Linux 2.4 com RTAI

modelo de processos para linux com lxrt
Modelo de Processos para Linux com LXRT

Figura 6: Linux 2.4 com LXRT

lat ncia de interrup o
Latência de Interrupção

Latência de Interrupção sem carga

Latência de Interrupção com carga

Figura 7: Curvas da Latência de Interrupção sem carga

Figura 8: Curvas da Latência de Interrupção com carga

lat ncia de preemp o
Latência de Preempção

Sem carga

Com carga

Figura 9: Curvas da Latência de Preempção sem carga

Figura 10: Curvas da Latência de Preempção sem carga

interrupt latency summary
Interrupt Latency Summary

Tabela 1: Interrupt Latency Summary

preemption latency summary
Preemption Latency Summary

Tabela 2: Preemption Latency Summary

overall
Overall
  • RTAI - mais performance
  • LXRT - ligeiramente menos performance, facilidades do Linux em espaço de usuário.
  • Linux 2.6 é alternativa às duas primeiras.
  • Linux 2.4 normal é desadequado para RT (tempos de resposta pouco determinísticos).
refer ncias
Referências

http://linuxdevices.com/articles/AT3479098230.html

http://www.wikipedia.org

Hard Real-Time Computing Systems (2nd edition)

Springer, Buttazzo

ad