Seguran a e sa de no trabalho
Download
1 / 42

- PowerPoint PPT Presentation


  • 179 Views
  • Uploaded on

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. Mária de Araújo Rodrigues Técnica de Segurança do Trabalho E-mail: mariacomacento@hotmail.com. Capítulo 1. 1. EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA SEGURANÇA.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about '' - charla


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
Seguran a e sa de no trabalho
SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

Mária de Araújo Rodrigues

Técnica de Segurança do Trabalho

E-mail: mariacomacento@hotmail.com

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Cap tulo 1
Capítulo 1

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


1 evolu o hist rica da seguran a
1. EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA SEGURANÇA

1700‑ Publicado na Itália o livro "De Morbis ArtificumDiatriba" (As Doenças dos Trabalhadores), de autoria de Bernardino Ramazani. Foram agrupados os sintomas clínicos e relacionados a cinqüenta profissões diversas. Tem início, assim, a descoberta do binômio DOENÇA / TRABALHO.

1760‑ Início da REVOLUÇÃO INDUSTRIAL. Constituída principalmente pela mão‑de‑obra de mulheres e crianças, não existia o limite de horário no trabalho, e menos ainda a higiene das fábricas, resultando um grande número de acidentes e doenças infecto‑contagiosas.

1802‑ Surge na Inglaterra a "Lei de Saúde e Moral dos Aprendizes", limitando a doze horas de jornada de trabalho/dia, proibindo o trabalho noturno e obrigando os empregadores a lavar as paredes das fábricas duas vezes por semana e melhorar a ventilação.

1830‑ Rober Baker recomenda aos empregadores a contratação de um médico que visite as fábricas e verifique a influência do trabalho nas crianças. Surge o primeiro Serviço Médico Industrial.

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Seguran a e sa de no trabalho

1. EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA SEGURANÇA

1834 ‑ "Lei das Fábricas", proíbe o trabalho noturno para menores de 18 anos, restringe o trabalho do menor a 12 horas por dia e 69 horas por semana; exige escola nas fábricas para todos os trabalhadores menores de 13 anos; limita a idade mínima para o trabalho em 9 anos e obriga a apresentação de um atestado médico para comprovar que o desenvolvimento físico das crianças corresponde à sua idade cronológica.

1919‑ Criação da Organização Internacional do Trabalho ‑ OIT, a partir do Tratado de Versalhes é vinculada à Organização das Nações Unidas ‑ ONU. Possui a responsabilidade de estipular parâmetros de legislação trabalhista a serem observados pelos países filiados, inclusive no que diz respeito à Segurança e Medicina do Trabalho.

BRASIL - Início das medidas relativas à proteção dos trabalhadores.

1923‑ Decreto n. 16.027, criando o Conselho Nacional do Trabalho.

1930‑ Criação do Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio.

1943‑ Criação da Consolidação das Leis do Trabalho ‑ CLT.

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Seguran a e sa de no trabalho

O QUE É SEGURANÇA E SAÚDE?

  • Segurança:Visa à prevenção de acidentes e de doenças no ambiente de trabalho.

  • Tem por objetivo de evitar acidentes no ambiente de trabalho. E com isso protege a saúde e a vida do trabalhador.

  • Saúde: Segundo OMS (Organização Mundial de Saúde)

  • É um estado de completo bem-estar físico, mental e social; e não apenas a ausência das doenças ou enfermidade (definição utópica, pois o completo bem – estar é impossível de ser encontrado no mundo de desajustes físicos e psíquicos).

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Seguran a e sa de no trabalho

Segurança e Saúde no Trabalho

Onde se aplica a segurança do trabalho?

Aplicam-se em empresas privadas, públicas, sociedades de economia mistas, órgãos da administração direta e indireta, instituições beneficentes, associações recreativas, cooperativas, trabalhadores autônomos, atividade doméstica, enfim em nosso dia a dia.

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


O que risco
O QUE É RISCO?

  • Risco é a probabilidade de ocorrência de um evento causador de lesões às pessoas e ou danos ao ambiente, suas conseqüências podem ser leves ou graves, temporárias ou permanentes, parciais ou totais.

  • O descumprimento das normas de segurança e a falta de organiza­ção no ambiente de trabalho aumentam o risco de acidentes.

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


O acidente de trabalho
O ACIDENTE DE TRABALHO

  • Conceito Legal

    Art. 19 da Lei n. 8.213/91 ‑ Legislação Previdenciária

    Acidente do trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço

    da empresa ou pelo exercício do trabalho dos segurados especiais,

    provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause a morte

    ou perda ou redução, permanente ou temporária, da capacidade para o

    Trabalho.

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Doen a profissional e doen a do trabalho
DOENÇA PROFISSIONAL E DOENÇA DO TRABALHO

Consideram‑se Acidentes do Trabalho:

Art. 20 da Lei n. 8.213/91 ‑ Legislação Previdenciária

  • Doença Profissional

    É doença produzida ou desencadeada pelo exercício do trabalho

    peculiar a determinada atividade.

    Exemplo: Tendinite em digitadores.

  • Doença do Trabalho

    É a doença adquirida ou desencadeada em função das condições em

    que o trabalho é realizado.

    Exemplo: Surdez em digitadores (a doença não é provocada pela

    atividade, mas pelo ambiente).

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Acidente do trajeto
Acidente do Trajeto

  • Acidente de Trajeto

    Art. 21, inciso IV, da Lei n. 8.213/91

    É o infortúnio possível de acontecer com o trabalhador no percurso de

    sua residência para o local de trabalho ou deste para aquela, antes ou

    após o término da jornada de trabalho, qualquer que seja o meio de

    locomoção, inclusive veículo de sua propriedade, sendo indispensável

    para a sua configuração considerar‑se o itinerário habitual e o tempo

    normalmente gasto pelo trabalhador para seu deslocamento.

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Tipos de acidentes
TIPOS DE ACIDENTES

Acidente com Afastamento

Quando o funcionário não retoma no dia seguinte ao

acidente para exercer suas atividades laborais.

Em caso de acidente do trabalho com afastamento deve ser

emitida, em 24 horas, a CAT ‑ Comunicação de Acidente do

Trabalho, de­vendo ser realizadas pelo SESMT e ou pela

CIPA a investigação e análise do fato ocorrido, constando as

conclusões e principalmente as providências adotadas que

visem a prevenir novos acidentes.

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Tipos de acidentes1
TIPOS DE ACIDENTES

Acidente sem Afastamento

Quando o funcionário retorna no mesmo dia do acidente para

exercer as suas atividades laborais.

Em caso de acidente do trabalho sem afastamento deve ser

emitida, em 24 horas, a CAT ‑ Comunicação de Acidente do

Trabalho, devendo ser realizadas pelo SESMT e ou pela

CIPA a investigação e análise do fato ocorrido, constando as

conclusões e principalmente as providências adotadas

que visem a prevenir novos acidentes.

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Tipos de acidentes2
TIPOS DE ACIDENTES

Acidente sem Vítimas (Incidente)

Quando não ocorre lesão física ou perturbação de ordem funcional

ao trabalhador, denominamos incidente. O fato ocorrido gera danos

materiais, perda de tempo e prejuízos financeiros.

Não é necessário a emissão da CAT‑ Comunicação de Acidente do

Trabalho, mas, também neste caso, o SESMT e/ou a CIPA deverão

proceder à investigação e análise do fato ocorrido, constando as

conclusões e principalmente as providências adotadas que visem a

prevenir novos incidentes e possíveis acidentes, evitando também

prejuízos financeiros à empresa.

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO -SST


Por que os acidentes acontecem
POR QUE OS ACIDENTES ACONTECEM

Ao avaliarmos as circunstâncias envolvidas em um acidente do trabalho, observamos a presença de duas causas determinantes do fato:

1ª Causas Previsíveis Correspondem a 98% dos Acidentes

São os acidentes que poderiam ser evitados pela adoção de medidas preventivas, quer pela empresa quer pelo empregado, e estão diretamente relacionadas às AÇÕES E SITUAÇÕES de risco previsíveis de ocorrência.

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Atos inseguros
Atos Inseguros

  • Atos Inadequados:

  • * Ação de Risco Provocado Pelo Fator Humano

  • São atitudes comportamentais em que o funcionário se expõe ao risco de sofrer ou produzir acidentes, e caracteriza‑se pelo descumprimento das normas de segurança.

  • O fator humano corresponde a aproximadamente 70% das causas dos acidentes nas empresas, e está relacionado direta e indiretamente com a ocorrência de atos inadequados que podem ser assim divididos:

  • a) Fatores físicos e biológicos:

    Incompatibilidade entre o homem e a função, pela idade, sexo, medidas

    antropométricas, visão, etc.;

  • b) Fatores emocionais e psicológicos:

    Instabilidade emocional, problemas pessoais, desajustamento social, etc.;

  • c) Fatores organizacionais:

    Falta de programas e investimento em segurança, seleção de pessoal ineficaz, falta

    de qualificação e treinamento de pessoal, etc.

SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO - SST


Atos inseguros1
Atos Inseguros

Exemplos de Atos Inadequados

  • # Não usar os Equipamentos de Proteção Individual ‑ EPI’s;

  • # Desligar dispositivos de proteção coletiva de máquinas e/ou equipamentos;

  • # Operarem máquinas ou outros equipamentos sem habilitação;

  • # Usar roupas (uniforme) inadequadas para o trabalho;

  • # Distrair‑se ou realizar brincadeiras durante o trabalho;

  • # Utilizar ferramentas inadequadas;

  • # Manusear, misturar ou utilizar produtos químicos sem conhecimento;

  • # Dirigir ou operar veículos de forma imprudente, em alta velocidade ou sem habilitação;

  • # Trabalhar sob o efeito de álcool e/ou outras drogas;

  • # Fumar em locais impróprios e proibidos;

  • # Atravessar a rua sem observar a sinaleira;

  • # Carregar nos bolsos ferramentas cortantes ou pontiagudas;

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Atos inseguros2
Atos Inseguros

  • # Usar ar comprimido para efetuar limpeza em uniforme ou no próprio corpo;

  • # Guardar material de limpeza, remédio, inseticidas, tintas ou combustíveis em lugar de fácil acesso às crianças;

  • # Carregar peso superior ao recomendado ou de modo a dificultar a visão;

  • # Manusear armas de fogo carregadas sem necessidade e na direção de outras pessoas; guardar armas carregadas em local impróprio;

  • # Andar de motocicleta sem capacete;

  • # Nadar em lugar proibido e perigoso.

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Condi es inseguras
Condições Inseguras

  • * Situações de Risco Gerado Pelo Fator Ambiente

    São situações de risco presentes no local de trabalho que

    podem causar acidentes e doenças aos funcionários.

    As condições inadequadas de trabalho representam

    aproximadamente 30% dos acidentes ocorridos nas

    empresas, e estão associados à falta de planejamento,

    prevenção ou omissão de providências relacionadas à

    organização, segurança e higiene no ambiente físico do local

    de trabalho, que podem ser divididos da seguinte forma:

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Condi es inseguras1
Condições Inseguras

  • a) Ambiente:

    Iluminação deficiente, excesso de ruído, temperaturas extremas, etc.

  • b) Edificações:

    Colunas e vigas mal dimensionadas, piso irregular, escadas inadequadas,

    etc.

  • c) Arranjo Físico:

    Equipamentos mal posicionados, falta de sinalização, falta de

    organização, etc.

  • d) Maquinário:

    Falta de proteção em partes móveis, deficiência de manutenção,

    ferramentas defeituosas, etc.

  • e) Proteção dos Funcionários:

    Falta de EPI, falta de treinamento, etc.

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Condi es inseguras2
Condições Inseguras

2ª Causas Imprevisíveis Correspondem a 2% dos Acidentes

São causas de acidentes que não podem ser desconsideradas,

porém sua prevenção é de difícil adoção, haja vista que as

causas imprevisíveis normalmente superam o

dimensionamento e planejamento preventivos.

Os principais exemplos são relacionados a fenômenos naturais,

tais como:

‑ Descarga elétrica de um raio em quantidade superior à

dimensionada pelo dispositivo de pára‑raios da empresa,

provocando choque elétrico em funcionários.

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Condi es inseguras3
Condições Inseguras

‑ Excesso de chuvas, em quantidade superior à capacidade da rede

de esgoto fluvial da empresa, provocando inundação e suas

conseqüências.

‑ Vendaval, quando o telhado não suporta a força do vento, que

lança telhas que acabam atingindo funcionários e clientes.

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Capitulo 2
Capitulo 2

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Conceito
CONCEITO

  • Os Riscos Ambientais estão presentes em todos

    os segmentos empresariais, compreendendo

    situações, condições e substâncias que, conforme a

    natureza do produto, o tempo de exposição, a

    concentração e intensidade do RISCO, possuam

    potencial para provocar danos à saúde, acidentes,

    doenças, limitações, incapacidade e morte

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Classifica o
CLASSIFICAÇÃO

  • Os Riscos Ambientais são classificados de acordo com a sua origem, ou seja, a fonte potencialmente capaz de provocar danos à saúde do funcionário, conforme abaixo ilustrado:

  • RISCOS FISICOS São os riscos gerados por agentes que atuam por transferência de energia sobre o organismo. Quanto maior a quantidade e velocidade desta transmissão, maiores serão os danos à saúde.

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Classifica o1
CLASSIFICAÇÃO

  • Os Riscos Ambientais são classificados de acordo com a sua origem, ou seja, a fonte potencialmente capaz de provocar danos à saúde do funcionário, conforme abaixo ilustrado:

  • O RUÍDO se divide em três situações, conforme a sua freqüência sonora: IMPACTO (explosões), INTERMITENTE (marreta) e CONTÍNUO (motosserra).

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Classifica o2
CLASSIFICAÇÃO

  • A unidade de medida da intensidade sonora é o decibel (dB), cujos equipamentos de medição são decibelímetro, audiosímetro e dosímetro.

  • A exposição a níveis de ruído fora dos Limites de Tolerância pode provocar: surdez, estresse e suas conseqüências (cansaço, irritação, pressão alta, problemas digestivos e impotência).

  • A Norma Regulamentadora - NR-15 estabelece os Limites do Tolerância - LT para os ruídos Contínuo e Intermitente, conforme tabela abaixo:  

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Tabela nr 15
Tabela NR- 15

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Classifica o3
CLASSIFICAÇÃO

  • A quantificação do ruído no ambiente de trabalho deve constar no PPRA - Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, e os funcionários expostos a Ruído deverão realizar periodicamente exame de acuidade auditiva (Audiometria), conforme o previsto pelo Programa de Controlo Médico de Saúde Ocupacional - PCMSO.

  • Em empresas onde exista a presença de várias fontes de ruído, sugere-se à CIPA que elabore e divulgue o Mapa do Ruído da empresa, mencionando o local, a fonte e intensidade do ruído, bem como a obrigatoriedade do uso de Equipamentos de Proteção.

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Mapa de risco
Mapa de Risco

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Risco f sico vibra es
Risco Físico – Vibrações

  • VIBRAÇÕES são observadas principalmente pelo uso de máquinas e equipamentos, em que podemos destacar o martelete pneumático, o Compactador pneumático e a motosserra.

  • Entre as principais conseqüências para a saúde do funcionário, as mais comuns são dores na coluna, problemas renais e circulatórios e comprometimento das articulações. A vibração normalmente vem associada a um outro risco ambiental, o ruído; portanto, somam-se as conseqüências do risco.

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Radia es ionizantes
Radiações Ionizantes

  • RADIAÇÕES IONIZANTES são formas de energia que possuem potencial para provocar alteração em uma célula; suas conseqüências no organismo humano são graves e muitas vezes irreversíveis.

  • Exemplos: mutações genéticas, anemia, leucemia, catarata e

  • Esta forma de energia encontra-se presente nas atividades em que há utilização de raios X, Gama, Beta, Alfa, entre outros. Portanto, são necessários; muita responsabilidade e controle sobre o uso de tais energias.

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Radia es n o ionizantes
Radiações Não Ionizantes

  • RADIAÇÕES NÃO IONIZANTES são formas de energias que não possuem potencial para alterar uma célula. Suas conseqüências no organismo, embora também graves, são mais amenas que na radiação ionizante.

  • Exemplos: dor de cabeça, catarata, câncer de pele e queimaduras

  • Esta forma de energia se encontra presente quando da utilização de:

  • MICROONDAS: ondas de rádio, radares e fornos de microondas.

  • RAIOS INFRAVERMELHOS: luz solar.

  • RAIOS ULTRAVIOLETAS: luz solar, soldas elétricas.

  • RAIOS LASER: trabalhos especiais.

  • TEMPERATURAS EXTREMAS

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Seguran a e sa de no trabalho
Frio

  • FRIO: o organismo humano mantém sua temperatura interna constante em torno de 37º Celsius (homotérmico), e quando exposto a uma temperatura ambiental muito inferior, reage primeiramente por meio de tremores (tiritar) e, depois, através de doenças do frio.

  • Exemplos: resfriados, gripes, dermatites, problemas circulatórios, entre outros.

  • Este tipo de risco está normalmente presente nas empresas de esterilização de alimentos, pescados, frigoríficos e congelados.

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Calor
Calor

  • CALOR: o calor se torna um risco à saúde do trabalhador quando ocorrer uma diferença elevada (positiva) de temperatura ambiente em relação à temperatura corpórea.

  • As principais conseqüências da exposição ao excesso de calor são: a desidratação, cãibras, problemas cardiovasculares e problemas oculares. As conseqüências do excesso de calor somam-se às da radiação conforme a fonte de aquecimento.

  • Exemplos: trabalhos em fundição, trabalhos em siderúrgicas e trabalhos a céu aberto.

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Press es anormais
Pressões Anormais

  • PRESSÕES ANORMAIS: as variações acentuadas da pressão atmosférica podem causar sérios riscos à saúde. O nível de oxigênio presente no ar se altera conforme a pressão atmosférica do ambiente. Como nosso organismo depende de uma quantidade definida e pouco variável de oxigênio, estas mudanças agridem nossas funções vitais; portanto, devem ser adotados sérios e rigorosos procedimentos para a realização de trabalhos em ambientes com pressões atmosféricas anormais para os seres humanos.

  • Pressões atmosféricas elevadas: situação de trabalho comum aos mergulhadores profissionais.

  • Baixas pressões atmosféricas - situação de trabalho comum aos Alpinistas e Aeronautas profissionais.

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Umidade
Umidade

  • UMIDADE: é comum em atividades realizadas em locais alagados ou encharcados, como as efetuadas dentro de esgotos fluviais. Tem como conseqüência expor o trabalhador a microorganismos, de maneira a deixá-lo suscetível a resfriados, gripes, pneumonias e dermatoses.

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Risco qu micos
Risco Químicos

  • RISCOS QUIMICOS São os riscos decorrentes da exposição a substâncias químicas, as quais podem provocar sérios riscos à saúde, inclusive a morte, quando excedem o limite de tolerância de um organismo.

  • AS VIAS DE PENETRAÇÃO DOS PRODUTOS QUÍMICOS NO ORGANISMO HUMANO SÃO:

  • • Via Respiratória (pulmões)

  • • Via Cutânea (pele)

  • • Via Digestiva (estômago)

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Risco qu micos1
Risco Químicos

  • OS PRODUTOS QUÍMICOS, QUANTO AO SEU EFEITO SOBRE O ORGANISMO HUMANO, CLASSIFICAM-SE EM:

  • Produtos Irritantes - possuem ação corrosiva sobre o tecido humano, causando inflamações no organismo.

  • Exemplos: cloro, iodo, ácidos, etc.

  • Produtos Asfixiantes - reduzem a concentração de oxigênio no ar, podendo causar a morte por asfixia.

  • Exemplos: monóxido de carbono, gás sulfídrico, cianureto, etc.

  • Produtos Narcóticos - possuem ação depressora do Sistema Nervoso Central, produzindo efeito anestésico.

  • Exemplos: éter etílico, acetona, etc.

  • Intoxicantes Sistêmicos - atingem vários órgãos vitais do organismo humano, destacando-se o sistema nervoso central e o sistema circulatório.

  • Exemplos: benzeno, tolueno, álcool metílico, mercúrio, etc.

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Para fins de estudo e prote o os produtos qu micos s o divididos em tr s tipos
PARA FINS DE ESTUDO E PROTEÇÃO, OS PRODUTOS QUÍMICOS SÃO DIVIDIDOS EM TRÊS TIPOS:

  • Aerodispersóides

  • São partículas respiráveis, sólidas ou líquidas, dispersas na atmosfera que, devido a seu tamanho bastante reduzido, podem ficar bastante tempo em suspensão no ar, e são divididas em quatro categorias:

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Risco qu mico
Risco Químico DIVIDIDOS

  • POEIRAS: são partículas produzidas pela ruptura mecânica de um sólido.

  • Exemplos: uso de lixadeiras, polimentos, escavações, explosões e colheita.

  • Principais doenças: pneumoconioses (caso da sílica - silicose) e tumores de pulmão (caso amianto - asbestose).

  • NÉVOAS: são partículas produzidas pela ruptura mecânica de líquidos.

  • Exemplos: processos de pulverização.

  • Principais doenças: dermatites e problemas pulmonares.

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Risco qu mico1
Risco Químico DIVIDIDOS

  • FUMOS: são partículas produzidas pela condensação de vapores metálicos.

  • Exemplos: processos de fundição e soldagem de metais.

  • Principais doenças: satumismo (fundições com chumbo).

  • NEBLINAS: São partículas líquidas dispersas no ar, originadas da condensação de gases provenientes de algum processo térmico.

  • Exemplos: cozimento de produtos alimentícios, fenômenos meteorológicos. Principais doenças: irritações dos olhos, pele e vias respiratórias.

  • Obs.: A unidade de medida da granometria dos aerodispersóides é a micra. A dimensão respirável que pode atingir os alvéolos pulmonares é normalmente inferior a 0,5 micra.

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST


Risco qu mico2
Risco Químico DIVIDIDOS

  • Gases

  • São substâncias que, em condições normais de temperatura e pressão atmosférica, apresentam-se no estado gasoso, dividindo-se em:

  • Produzidos pela Natureza: nitrogênio, oxigênio, hidrogênio, ozônio, etc.

  • Produzidos pelas Máquinas: monóxido de carbono, dióxido de enxofre, metano, etc.

  • Vapores

  • São substâncias gasosas que podem retornar ao seu estado normal (líquido ou sólidos), destacando-se os vapores produzidos por solventes, tintas, água e derivados de petróleo em geral.

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST