usinagem n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
USINAGEM PowerPoint Presentation
Download Presentation
USINAGEM

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 31

USINAGEM - PowerPoint PPT Presentation


  • 132 Views
  • Uploaded on

USINAGEM. Fluidos de usinagem; Usinagem a seco; MQF – Mínima Quantidade de Fluido. Fluido de Usinagem. Conceito. Fluidos de corte são aqueles líquidos e gases aplicados na ferramenta e no material que está sendo usinado, a fim de facilitar a operação de corte.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'USINAGEM' - candice


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
usinagem

USINAGEM

  • Fluidos de usinagem;
  • Usinagem a seco;
  • MQF – Mínima Quantidade de Fluido.
conceito
Conceito

Fluidos de corte são aqueles líquidos e gases aplicados na ferramenta e no material que está sendo usinado, a fim de facilitar a operação de corte

fluido de usinagem como refrigerante
Fluido de usinagem como Refrigerante

Efeitos da temperatura no processo de usinagem.

fluido de usinagem como refrigerante1
Fluido de usinagem como Refrigerante

Para que o fluido de usinagem reduza o calor de

forma eficiente, ele deve possuir:

  • Baixa Viscosidade
  • “Molhabilidade”
  • Alto calor específico e baixa condutividade térmica
fluido de usinagem como refrigerante2
Fluido de usinagem como Refrigerante

Como refrigerante ele atua:

  • Sobre a ferramenta e evita que ela atinja temperaturas muito altas e perca suas características de corte.
  • Sobre a peça, evitando deformações causadas pelo calor.
  • Sobre o cavaco , reduzindo a força necessária para que seja cortado.
fluido de usinagem como lubrificante
Fluido de usinagem como Lubrificante
  • Fluido de usinagem como Lubrificante:
  • Atua reduzindo o atrito melhorando o rendimento da máquina pois facilita o deslizamento dos cavacos sobre a ferramenta
  • Redução de esforços
fluido de usinagem como lubrificante1
Fluido de usinagem como Lubrificante

Características de um bom lubrificante:

  • Resistir a altas pressões e temperaturas
  • Possuir boas propriedades antifricção e antisoldantes
  • Possuir viscosidade adequada -baixa o suficiente- para que o fluido chegue a zona a ser lubrificada e alta o bastante para permitir boa aderência
fluido de usinagem como protetor contra oxida o
Fluido de usinagem como protetor contra oxidação
  • Protege a peça, a ferramenta e o cavaco, contribuindo para o bom acabamento e aspecto final do trabalho.
fluido de usinagem como a o de limpeza
Fluido de usinagem comoação de limpeza
  • A ação de limpeza ocorre como conseqüência da aplicação do fluido de corte em forma de jato, cuja pressão afasta as aparas deixando limpa a zona de corte e facilitando o controle visual da qualidade do trabalho
classifica o dos fluidos de usinagem
Classificação dos fluidos de usinagem

I) Fluidos integrais, isentos de água:

Podem ser:

  • mineral(óleos de petróleo de base parafínica ou naftênica);
  • sintética(ésteres, diésteres);
  • vegetal(canola)ou ainda
  • mistos misturados para dar maior compatibilidade aos aditivos
classifica o dos fluidos de usinagem1
Classificação dos fluidos de usinagem

I) Fluidos integrais, isentos de água:

Vantagens:

  • Não são corrosivos
  • Longa duração se mantido limpos
classifica o dos fluidos de usinagem2
Classificação dos fluidos de usinagem

II) Fluidos à base de água: emulsões e soluções:

a)Emulsões de óleo em água:

  • Basicamente compostos de água e óleo. A quantidade de óleo varia com o tipo de fluido necessário
classifica o dos fluidos de usinagem3
Classificação dos fluidos de usinagem

II) Fluidos à base de água: emulsões e soluções:

a)Emulsões de óleo em água:

Características:

  • Alto poder refrigerante
  • Alto poder umectante comparando com a água
  • Menor ação corrosiva
  • Melhor ação lubrificante
  • Fluidos utilizados em operações de alta velocidade
classifica o dos fluidos de usinagem4
Classificação dos fluidos de usinagem

II) Fluidos à base de água: emulsões e soluções:

b)Soluções químicas verdadeiras-Soluções

Características;

  • não absorver os óleos contaminantes que vazam das máquinas (são insolúveis)
  • possuir excepcional resistência biológica
aditivos dos fluidos de usinagem e suas fun es
Aditivos dos fluidos de usinagem e suas funções

FUNÇÃO DOS ADITIVOS:

  • Antioxidantes :proteger os fluidos de usinagem frente à ação agressiva da atmosfera
  • Emulsionantes: estabilizar a emulsão
  • Inibidores da corrosão: proteger a peça e a ferramenta
  • Biocidas: impedir o desenvolvimento de microorganismos no fluido
aditivos dos fluidos de usinagem e suas fun es1
Aditivos dos fluidos de usinagem e suas funções

FUNÇÃO DOS ADITIVOS:

  • Aditivos de extrema pressão: Formar uma capa intermediária entre duas superfícies metálicas, melhorando a lubrificação e evitando o desgaste
  • Umectantes ou estabilizantes: Estabilizar o concentrado
aditivos dos fluidos de usinagem e suas fun es2
Aditivos dos fluidos de usinagem e suas funções

FUNÇÃO DOS ADITIVOS:

  • Antiespumantes: Evitar a formação de espuma
  • Complexantes: Eliminar e prevenir a formação de incrustações
fluidos integrais esgotados
Fluidos Integrais Esgotados

Ao serem submetidos a altas temperaturas nas operações de usinagem, sofrem reações de oxidação e polimerização, formando uma mistura complexa de compostos orgânicos e outros elementos contaminantes resultantes do desgaste dos metais.

fluidos integrais esgotados1
Fluidos Integrais Esgotados

Contaminantes comuns:

  • água
  • restos de aditivos como fenóis, compostos de zinco, cloro e fósforo, ácidos orgânicos ou inorgânicos
  • bem como qualquer outro composto que por qualquer motivo fique misturado com estes óleos
emuls es e solu es esgotadas
Emulsões e soluções esgotadas
  • Perda da qualidade é agravada pela presença de microorganismos no fluido que causam uma mudança na sua estrutura química.
  • Presença de sólidos aumenta ainda mais a proliferação destes microorganismos
  • Podem ser combatidos com bactericidas e fungicidas
principais problemas do uso de fluido de usinagem
Principais problemas do uso de fluido de usinagem
  • Corrosão de peças e/ou da máquina:A presença de água nas soluções e emulsões pode acelerar um processo de corrosão
  • Infectação por bactérias:Causa odores ofensivos, manchas nas peças e máquinas, problemas com filtros e clarificadores e redução da vida do fluido de corte
  • Sujeiras e impurezas:Impurezas podem tanto prejudicar as peças, ferramentas e máquinas quanto reduzir a vida do fluido de corte.
principais problemas do uso de fluido de usinagem2
Principais problemas do uso de fluido de usinagem
  • Risco de incêndio: Fluidos integrais podem entrar em combustão
  • Ataque à saúde: Névoas de óleo podem irritar a pele e as vias respiratórias
  • Poluição do Meio-Ambiente: Um litro de óleo pode tornar impróprio para o uso um milhão de litros de água potável
tipos
Tipos

Alguns tipos de fluidos são:

  • FLUIDO QUIMATIC Nº 1 - ECOLÓGICO
  • FLUIDO QUIMATIC Nº 2
  • FLUIDO QUIMATIC Nº 3 – ECOLÓGICO
  • FLUIDO QUIMATIC Nº 11
  • AQUATIC
usinagem a seco
Usinagem a seco
  • Melhor alternativa para resolver os problemas causados pelos fluidos de corte, porém exige uma adaptação compatível de todos os fatores influentes neste processo
usinagem a seco1
Usinagem a seco

Método de usinagem a seco:

  • Pistola Automática de Ar produz um jato constante de ar para a ferramenta de corte que afasta os cavacos durante a usinagem a seco.
usinagem a seco2
Usinagem a seco

Desvantagens:

  • Redução da vida útil da ferramenta
  • Redução de parâmetros de corte
  • A maior conseqüência dessas desvantagens é uma menor produtividade
slide29
MQF
  • A MQF ( Mínima Quantidade de Fluido) seria uma solução intermediária e a curto prazo, entre a usinagem a seco e a usinagem com fluido cortante
slide30
MQF
  • Minimização da quantidade de fluido
  • Fluido aplicado em gotas ou pulverizado com o ar
  • Direcionado contra áreas de atrito
slide31
MQF
  • Desvantagens da MQF :
  • custos adicionais para pressurizar o ar e suportes tecnológicos;
  • Fumaça de óleo gerados ( apesar de ser menor do que no fluido cortante).