fisiologia renal n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Fisiologia Renal PowerPoint Presentation
Download Presentation
Fisiologia Renal

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 13

Fisiologia Renal - PowerPoint PPT Presentation


  • 762 Views
  • Uploaded on

Fisiologia Renal. Função renal: excreção, controle do volume e composição dos líquidos corporais. Composto por um par de rins, um par de ureteres, pela bexiga urinária e pela uretra. Os rins situam-se na parte dorsal do abdome e é formado por tecido conjuntivo e por milhares de néfrons.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Fisiologia Renal' - cai


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
fisiologia renal
Fisiologia Renal
  • Função renal: excreção, controle do volume e composição dos líquidos corporais.
  • Composto por um par de rins, um par de ureteres, pela bexiga urinária e pela uretra.
  • Os rins situam-se na parte dorsal do abdome e é formado por tecido conjuntivo e por milhares de néfrons.
slide2

Anatomia dos rins – hilo (por onde passa as aa, veias, vasos linfáticos, suprimento nervoso e ureter), córtex (região externa), medula (região interna), pirâmides renais, papila, cálices principais, pequenos cálices e pelve renal.

  • Fluxo sanguíneo - 21% do débito cardíaco.
  • Artérias renais - A. segmentares - A. interlobares - A. arqueadas - A. interlobulares - arteríolas aferentes - capilares glomerulares - arteríolas eferentes - capilares peritubulares.
  • As arteríolas eferentes regulam a pressão hidrostática elevada nos capilares glomerulares.
l quidos corporais
Líquidos corporais
  • Ingestão diária - 2100ml/dia (líquidos e água dos alimentos) + 200ml/dia (oxidação de carboidratos - metabolismo) = 2300ml/dia.
  • Perda diária - 700ml (perda por difusão através da pele e dos pulmões) + 100ml (suor) +100ml (fezes) + 1400ml (urina) = 2300ml/dia
  • Compartimento dos líquidos corporais (60% do peso do corpo é líquido). Líquido extracelular (LEC - 20%) - líquido intersticial e plasma (cerca de 3 litros). Líquido intracelular (LIC - 40%).
  • A composição do LEC é controlada pelos rins. O LIC é separado do LEC por uma membrana celular seletivamente permeável a água. O LIC contém pequenas quantidades de íons sódio, cloreto e cálcio e grandes quantidades de íons magnésio e sulfato.
forma o da urina pelos rins
Formação da urina pelos rins

Néfron- unidade funcional do rim, cada rim possui cerca de 1 milhão de néfrons que não podem ser regenerados.

  • Glomérulo - rede de capilares onde ocorre a filtração. Passagem livre de substâncias do plasma formando o filtrado glomerular (composição idêntica do plasma menos as proteínas).
  • Túbulo - reabsorção de água e solutos específicos para o sangue ou secreção de substâncias dos capilares peritubulares para os túbulos.
processamento renal
Processamento renal:
  • Substâncias que não são reabsorvidas, nem secretadas. Ex: creatinina.
  • Substâncias que são parcialmente reabsorvidas. Ex: eletrólitos.
  • Substâncias que são totalmente reabsorvidas. Ex: nutrientes como aminoácidos e glicose.
  • Substâncias que não são reabsorvidas e são secretadas.
  • Excreção = filtrado - reabsorvido + secreção
slide6
Filtração - fração de filtração (20% do plasma)
  • pressão (70 mmHg)
  • Permeabilidade dos capilares glomerulares (100x mais permeável)

Membrana dos capilares glomerulares

  • endotélio - fenestras
  • membrana basal - impede a passagem de proteínas
  • células epiteliais (podócitos – poros em fenda)
  • OBS: O SNS diminui a FG pela constrição das arteríolas renais – diminuindo o fluxo sanguíneo.
slide7
Sangue arterial conduzido sob alta pressão nos capilares do glomérulo (70 a 80 mmHg) - filtração - parte do plasma (sem proteínas e sem células) passa para a cápsula de Bowmann (filtrado glomerular) - reabsorção ativa de Na+, K+, glicose, aminoácidos e passiva de Cl-  e água ao longo dos túbulos do néfron.
  • Túbulo contorcido proximal (células adaptadas ao transporte ativo) - reabsorção ativa de sódio / remoção passiva de cloro - líquido tubular torna-se hipotônico em relação ao plasma dos capilares - absorção de água por osmose para os capilares na porção descendente da alça de Henle - porção ascendente da alça de Henle impermeável - água e adaptada ao transporte ativo de sais - remoção ativa de sódio - líquido tubular hipotônico - reabsorção de água por osmose no túbulo contorcido distal.
  • OBS: Ocorre, também, ao longo dos túbulos renais, reabsorção ativa de aminoácidos e glicose. Desse modo, no final do túbulo distal essas substâncias já não são mais encontradas.
slide8

Isotônico

Isotônico

Hipotônico

Hipertônico

Hipotônico

Hipertônico

Hipertônico

  • Motivos para o interstício medular renal ser hiperosmótico: transporte ativo de íons sódio, co-transporte de K, Cl e outros íons, difusão passiva de grandes quantidades de uréia, difusão de pouca quantidade de água.
regula o da fun o renal
Regulação da função renal
  • HORMÔNIO ANTIDIURÉTICO (ADH): principal agente fisiológico regulador do equilíbrio hídrico, produzido no hipotálamo e armazenado na hipófise.

Aumento na concentração do plasma (pouca água) - receptores osmóticos localizados no hipotálamo - produção de ADH - sangue - túbulos distal e coletor do néfron - células mais permeáveis à água - reabsorção de água - urina mais concentrada.

Concentração do plasma baixa (muita água) e álcool - inibição de ADH - menor absorção de água nos túbulos distal e coletor - urina mais diluída.

slide10
ALDOSTERONA: produzida nas glândulas supra-renais, aumenta a absorção ativa de sódio e a secreção ativa de potássio nos túbulos distal e coletor.
  • Portanto: Elevação na concentração de íons potássio e redução de sódio no plasma sangüíneo - rins - renina (enzima) - angiotensinogênio (inativo) à angitensina (ativa) - córtex da supra-renal - aumenta taxa de secreção da aldosterona - sangue - rins (túbulos distal e coletor) - aumento da excreção de potássio /  reabsorção de sódio e água.
slide11
Natriurese da pressão arterial:
  • O peptídeo natriurético atrial (secretado pelas células específicas dos átrios cardíacos quando distendidas em conseqüência da expansão do volume plasmático) inibe a reabsorção de sódio e água pelos túbulos renais.
  • O aumento da pressão diminui a liberação de renina e a formação de angiotensina II e aldosterona. Diminui a reabsorção tubular de sódio e aumenta a excreção de sódio e água.
  • A diminuição do volume sanguíneo ativa o sistema nervoso simpático resultando na reabsorção tubular.
  • A reabsorção de água pelo túbulo distal é dependente de ADH. A liberação de ADH também é controlada por reflexos cardiovasculares em resposta a diminuição da pressão arterial e os reflexos cardiovasculares em resposta a diminuição da diminuição da pressão arterial e/ou volume sanguíneo.
slide12
Depuração renal - volume de plasma totalmente depurado da substância pelos rins por unidade de tempo. Quantifica a eficácia do rim.
  • Cs = Us x V onde:
  • P
  • Cs = Intensidade da depuração,
  • Us = concentração urinária da subst.
  • V= fluxo urinário,
  • P = concentração plasmática da substância.
  • Medida da intensidade da filtração glomerular:
  • Se a substância for completamente depurada a quantidade filtrada (QF) será igual a quantidade excretada (QE).
  • FG x P = U x V
  • Se QF > QE - parte da substância foi reabsorvida.
  • Se QF < QE - parte da substância foi secretada
slide13
Estímulo da sede

Aumento da osmolaridade do líquido extracelular, diminuição do volume de líquidos, diminuição da pressão, aumento da angiotensina - centro da sede - ressecamento da boca - desejo consciente de beber água.

  • Micção

Transporte de urina dos rins pelos ureteres para a bexiga: urina flui dos ductos coletores - estiramento dos cálices renais - aumenta a atividade de contração - contrações peristálticas da pelve renal - contrações peristálticas do ureter - urina flui para bexiga. O aumento do tônus do músculo detrusor comprime o ureter impedindo o fluxo retrógado da urina. A bexiga é inervada por fibras sensoriais, motoras parassimpáticas e fibras motoras esqueléticas. O enchimento da bexiga ocorre até uma determinada tensão, quando o reflexo se torna intenso demais, ocorre o reflexo da micção. Centros facilitadores e inibidores estão localizados no tronco cerebral.