MENSAGENS REFLEXIVAS Arte da Imagem, Arte da Música e Arte do Pensamento - PowerPoint PPT Presentation

blue
slide1 n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
MENSAGENS REFLEXIVAS Arte da Imagem, Arte da Música e Arte do Pensamento PowerPoint Presentation
Download Presentation
MENSAGENS REFLEXIVAS Arte da Imagem, Arte da Música e Arte do Pensamento

play fullscreen
1 / 20
Download Presentation
MENSAGENS REFLEXIVAS Arte da Imagem, Arte da Música e Arte do Pensamento
142 Views
Download Presentation

MENSAGENS REFLEXIVAS Arte da Imagem, Arte da Música e Arte do Pensamento

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. MENSAGENS REFLEXIVAS Arte da Imagem, Arte da Música e Arte do Pensamento A ARTE DE MICHAEL E INESSA GARMASH Arte da Imagem: telas de Michael e Inessa Garmash Arte da Música: Ernesto Cortazar Arte do Pensamento: textos de autores diversos

  2. O casal Garmashes vem criando lindas obras de arte, em variados campos – pintura, escultura em cristais, mosaicos e desenhos, que têm sido exibidos em toda a Europa. Michael nasceu em 1969, na Ucrânia; Inessa, em 1972, na Rússia.

  3. Admiremos as obras de arte do casal Garmashes e meditemos sobre os textos, pensamentos de autores diversos, ao som da arte musical de Ernesto Cortazar.

  4. Sofremos demasiado pelo pouco que nos falta e alegramo-nos pouco pelo muito que temos... ( Shakespeare) Sofremos demasiado pelo pouco que nos falta e alegramo-nos pouco pelo muito que temos... ( Shakespeare)

  5. As alegrias que brotam do mundo dos sentidos encerram germes de futuras tristezas; vêm e vão; por isso, ó príncipe, não é nelas que o sábio busca sua felicidade. (Bhagavad Gita) As alegrias que brotam do mundo dos sentidos encerram germes de futuras tristezas; vêm e vão; por isso, ó príncipe, não é nelas que o sábio busca sua felicidade. (Bhagavad Gita)

  6. Não tenho nenhuma religião instituída, mas tenho uma profunda visão religiosa, sagrada, da natureza, das pessoas, do outro. (Lya Luft)

  7. Quando sentimos que a mão da morte nos pousa no ombro, a vida ilumina-se de outra maneira e descobrimos em nós mesmos coisas maravilhosas de que nem sequer suspeitávamos. (isabel Allende) Quando sentimos que a mão da morte nos pousa no ombro, a vida ilumina-se de outra maneira e descobrimos em nós mesmos coisas maravilhosas de que nem sequer suspeitávamos. (isabel Allende)

  8. A vida é maravilhosa, mesmo quando dolorida. (Lya Luft) A vida é maravilhosa, mesmo quando dolorida. (Lya Luft)

  9. O sábio deve contentar-se com aquilo que não dependa senão dele mesmo, e encontrar a felicidade na serenidade da reflexão, do estudo e do progresso intelectual. (Madame de Staël) O sábio deve contentar-se com aquilo que não dependa senão dele mesmo, e encontrar a felicidade na serenidade da reflexão, do estudo e do progresso intelectual. (Madame de Staël)

  10. Quando a sós, vigiemos nossos pensamentos; em família, nosso gênio e em sociedade, nossa língua. (Madame de Staël)

  11. O tempo, na sua marcha, utiliza e destrói o que é temporal. (Simone Weil) O tempo, na sua marcha, utiliza e destrói o que é temporal. (Simone Weil)

  12. A amizade não se busca, não se sonha, não se deseja; ela exerce-se. é uma virtude. (Simone Weil)

  13. Atraímos sobre nós sofrimentos desnecessários quando exageramos a extensão da nossa dor ( Helen Keller)

  14. São os obstáculos com que deparamos e que é preciso superar que fornecem a oportunidade de vencermos a nós mesmos. (Simone Weil)

  15. Quando uma porta de felicidade fecha-se, uma outra se abre; mas muitas vezes, nós olhamos tão demoradamente para a porta fechada que não podemos ver aquela que se abriu diante de nós. (Helen Keller) Quando uma porta de felicidade fecha-se, uma outra se abre; mas muitas vezes, nós olhamos tão demoradamente para a porta fechada que não podemos ver aquela que se abriu diante de nós. (Helen Keller)

  16. Muitos olham para dentro de si e nada encontram e disto concluem que também fora deles nada existe. (Helen Keller)

  17. A solidão não se encontra. Nós é que a fazemos. (Marguerite Duras) A solidão não se encontra. Nós é que a fazemos. (Marguerite Duras)

  18. A borboleta pousada ou é Deus ou é nada. (Adélia Prado)

  19. De vez em quando, Deus me tira a poesia e eu olho pedras e vejo pedras mesmo... (Adélia Prado)

  20. IMAGENS - retiradas da internet e do Google FORMATAÇÃO; J. Meirelles celjm@uol.com.br www.jmeirelles.wordpress.com