o estatuto do conhecimento cient fico n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
O ESTATUTO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO PowerPoint Presentation
Download Presentation
O ESTATUTO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 36

O ESTATUTO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO - PowerPoint PPT Presentation


  • 115 Views
  • Uploaded on

O ESTATUTO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO. 1ª SESSÃO – 90m. A RELAÇÃO DO CONHECIMENTO. «No conhecimento, há apenas dois pontos a considerar, a saber: Nós que conhecemos e os objectos a conhecer» R. Descartes,Regras para a Direcção do Espírito,XII, p. 66, Editorial Estampa. CONHECE. SUJEITO.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'O ESTATUTO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO' - aman


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide3

A RELAÇÃO DO CONHECIMENTO

«No conhecimento, há apenas dois pontos a considerar, a saber: Nós que conhecemos e os objectos a conhecer»

R. Descartes,Regras para a Direcção do Espírito,XII, p. 66, Editorial Estampa

CONHECE

SUJEITO

OBJECTO

É CONHECIDO

Qual a natureza desta relação ?

Como se estabelece ?

EMPIRIA

RACIONALIDADE

2

slide4

O OBJECTO DO CONHECIMENTO

Segundo Aristóteles o conhecimento éo estudo do ser

enquanto ser, ou seja, tudo o que é, é objecto desse estudo

OBJECTOS

IDEIAIS

FACTUAIS

FICCIONAIS

AFECCIONAIS

VISÍVEIS

INVISÍVEIS

3

slide5

DIFERENÇAS ENTRE CONHECIMENTO

VULGAR

CIENTÍFICO

FILOSÓFICO

Empírico

Teórico-Empírico

Teórico

Acrítico

Crítico

Crítico

Subjectivo

Objectivo

Argumentativo

Sistemático

Sistemático

Não-sistemático

Não-metódico

Metódico

Metódico

Superficial

Aprofundado

Reflexivo

Universal

Universal

Particular

Não-Rigoroso

Rigoroso

Rigoroso

Sujeito a discussão

Não Explicativo

Explicativo

4

slide6

A EPISTEMOLOGIA E A CIÊNCIA

Epistemologia (do grego ἐπιστήμη [episteme], ciência, conhecimento; λόγος logos], discurso) – Ramo da filosofia da ciência que estuda os problemas filosóficos relativos à crença e ao conhecimento.

  • O que é a ciência ?
  • O que separa a ciência das pseudo-ciências ?
  • Como funciona o método científico ?
  • Qual o âmbito da validade das leis científicas ?
  • O que é o conhecimento objectivo ?
  • Qual a relação entre explicar, compreender e prever ?
  • As leis científicas correspondem à realidade ou apenas permitem
  • fazer boas previsões ?
  • O que leva a alterar teorias ?

"Scientia" provém de "Scire" que significa "aprender" ou "conhecer".

5

slide7

AO QUE SE PROPÕE A CIÊNCIA ?

  • Coligir e organizar informação sistematicamente e que permita compreender os factos e os fenómenos.

Coligindo e seleccionando criteriosamente a informação de acordo com o sentido da investigação ou interpretando e integrando as informações resultantes dessa mesma pesquisa num todo coerente e consistente

Como ?

  • Explicar os factos e os fenómenos, como casos particulares, segundo leis e enunciados mais gerais

Lei geral

(toda) a água ferve a 100ºC

A água deste recipiente foi aquecida à

temperatura de 100ºC

Facto particular

Fenómeno a explicar

Logo, esta água evaporou-se

  • Prever factos e fenómenos com base em leis, modelos e teorias

6

slide9

AS LEIS CIENTÍFICAS

Uma lei ou teoria é apenas experimental. (Popper, Conjecturas e Refutações, p. 83)

UMA SIMPLES OBSERVAÇÃO EMPÍRICA

2

+

2

=

4

MAÇÃS

7

slide10

AS LEIS CIENTÍFICAS

Uma lei ou teoria é apenas experimental. (Popper, Conjecturas e Refutações, p. 83)

MUDA-SE A EXPLICAÇÃO

PEÇAS

DE

FRUTA

2

+

2

=

4

7a

slide11

AS LEIS CIENTÍFICAS

Uma lei ou teoria é apenas experimental. (Popper, Conjecturas e Refutações, p. 83)

FORMULA-SE UMA LEI GERAL

Lei científica = uma regra que descreve um fenómeno que ocorre com certa regularidade mas que não determina se um facto deve ou não ocorrer apenas verifica a sua ocorrência, analisando as causas e os efeitos relacionados e que se aplica a todas as diferentes ciências.

?

?

+

=

+

Z

=

X

Y

Texto_1_Ciência

7b

slide12

OS MODELOS CIENTÍFICOS

A TEORIA S/REAL

O MODELO

O OLHO HUMANO

A MÁQUINA FOTOGRÁFICA

O HOMEM

O ROBÔ

Modelo = elemento metodológico (racional ou físico) que constitui uma representação simplificada da realidade, que faz parte de uma teoria e tem como função representar, explicar ou revelar fenómenos ainda não observados

8

slide13

AS TEORIAS CIENTÍFICAS

  • Orientam os objectos da ciência (delimitação do campo de investigação);
  • Oferecem um sistema de conceitos (fornecer concepção, vocabulário científico, relação entre factos estudados, etc);
  • Resumem o conhecimento (sintetizar o que já se sabe sobre o objecto de estudo);
  • Prevêm novos factos e relações.

Teoria= conjunto de conceitos, definições e proposições logicamente relacionados entre si, que apresentam uma visão sistemática dos fenómenos especificando relações entre variáveis e cujo objectivo é explicativo e predictivo

9

slide14

EXERCÍCIO

O simples facto de alguém possuir uma dada informação, significa que se

está logo de posse de conhecimento ? Sim ? Não ? Porquê ?

O facto de alguém possuir informação organizada, significa que

está de posse de conhecimento ? Sim ? Não ? Porquê ?

O facto de alguém acreditar no que presenciou é garantia de objectividade ?

Os dados dos sentidos serão suficientes para fornecer conhecimento fiável ?

Se um fenómeno ou facto ocorrer na presença de duas testemunhas, o seu

relato constituirá só por si prova de conhecimento científico ?

Uma explicação ou uma hipótese científicas serão alteráveis ?

Explicar bioquimicamente o amor é o mesmo que viver esse sentimento ?

Prever que o Sol irá erguer-se no horizonte como sempre sucedeu todas

as manhãs é garantia suficiente de que tal sucederá para sempre ?

10

slide15

A DIVISÃO DAS CIÊNCIAS - I

Idade Média

Arte dos homens

livres

ARTES LIBERAIS

TRIVIUM

QUADRIVIUM

Aritmética

Lógica/Dialéctica

Geometria

Gramática

Música

Retórica

Astronomia

Ciências do discurso

Ciências do cálculo

11

slide16

A DIVISÃO DAS CIÊNCIAS - II

Idade Contemporânea

Ciências

(a priori)

Ciências (a posteriori)

NATURAIS

SOCIAIS/HUMANAS

Dedução

Explicação

Compreensão

12

slide17

O MÉTODO CIENTÍFICO

Método – do grego (μέθοδος) significa caminho para chegar a um fim, i.e., conjunto de regras, procedimentos e de etapas (racionais ou práticas) necessárias à aquisição e demonstração de um conhecimento objectivo.

  • Observação
  • Hipótese

CLÁSSICO

  • Experimentação
  • Algum conhecimento científico ou Lei
  • Baseado em teorias e modelos
  • Crítico-Hipotético-Dedutivo

MODERNO

  • Conjecturas-Refutações

13

slide19

Sir Karl Raimund Popper (1902 - 1994 )

Filósofo austríaco, nascido em Viena e que

dedicou grande parte da sua obra à filosofia

da ciência.

14

slide20

OS DOIS DOGMAS EPISTEMOLÓGICOS QUE POPPER TENTOU COMBATER

1- A ciência deve repousar numa base observacional.

2 - A ciência deve utilizar um método indutivo, por oposição ao método especulativo das pseudociências e da metafísica.

15

slide21

A POSIÇÃO POPPER

QUANTO À OBSERVAÇÃO

  • Da observação não se pode inferir uma teoria. Pelo contrário
  • é a teoria que antecede qualquer observação, pois a observa-
  • ção é selectiva, orientada por interesses e expectativas racionais.

«não é possível inferir uma teoria de enunciados de observação»

K.Popper, Conjecturas e Refutações, p. 83

«Ao construir uma máquina indutiva, nós, os arquitectos dessa máquina, temos de decidir a priori o que é que constitui o seu “mundo”; quais são as coisas que nele devem ser tomadas como semelhantes ou iguais; e que espécie de “leis” pretendemos para nós que a máquina seja capaz de “descobrir” nesse seu “mundo”». IDEM, Op. Cit., p. 75

  • No entanto, a observação pode chegar a refutar uma teoria

«isso não afecta a possibilidade de se refutar uma teoria por meio de enunciados de observação»

IDEM, Op. Cit., p. 83

16

slide22

A POSIÇÃO DE POPPER

FACE AO MÉTODO INDUTIVO

  • A impossibilidade de observar ou verificar todos os casos a partir de enunciados universais
  • A base de partida para o conhecimento não são as observações, mas sim as teorias, conjecturas, hipóteses, expectativas.
  • Não se pode basear a ciência num hábito (psicológico), de base empírica que parte da crença de que existe uma regularidade na Natureza.
  • Não se pode basear a ciência na projecção de que tudo se repete na Natureza.

17

slide23

O MÉTODO CIENTÍFICO- EXPERIMENTAL

CLÁSSICO

  • Observação
  • Hipótese
  • Algum conhecimento
  • científico
  • Experimentação

5. Lei

18

slide24

A NATUREZA DA RELAÇÃO

Quem observa ?

Quem experimenta ?

Quem formula hipóteses?

Quem formula leis ?

EXERCÍCIO

Dinâmica

Problemática

Metódica

Relação de conhecimento

nomeadamente o científico

SUJEITO

R.C.C.

OBJECTO

O sujeito pode incorrer em erros de observação

e em generalizações

abusivas (indução) bem

como sofrer alterações

A Natureza não é

apenas regular ou

uniforme

O método científico clássico

A natureza

sofre transformações

Os sentidos

podem enganar

(Descartes)

?

OBS

EXP

HIP

Conhecimento

Eventualmente

Não é possível

observar todos

os casos

LEI

A parcialidade

do observador

Do futuro

não há experiência

Razões de

ordem ética:

limitação às

experiências

com seres humanos

O futuro é

inobservável

e o passado

pode ser enganador:

estrelas que morreram

são inobserváveis

embora visível a sua

luz

Podem haver

regularidades e

também singularidades

Razões

Instrumentais:

lentes, telescópios,etc.

PUN =Falso(Hume)

Só se pode partir de

Hipóteses/Conjecturas

Conclusão

Lei absoluta

e universal=Falso

19

MAPA CONCEPTUAL EXECUTADO NA AULA COM OS ALUNOS

slide26

O PROBLEMA DA DEMARCAÇÃO

  • Como se demarca a Ciência das pseudo-ciências ?

Resposta tradicional:

a Ciência distingue-se da pseudo-ciência – ou da ‘metafísica’ – pelo

seu método empírico, que é essencialmente indutivo, procedendo

da observação ou da experiência. (Popper,Conjecturas e Refutações, p. 55)

Resposta de Popper:

O critério do estatuto científico de uma teoria é a sua falsificabilidade,ou

refutabilidade, ou testabilidade. (Popper,Conjecturas e Refutações, p. 60)

Texto_II_Popper

20

slide27

P

Q

P

Q

~Q

Q

Logo, ~P

Logo, P

Falácia Ponens

Modus Tollens

O CRITÉRIO DE DEMARCAÇÃO

Critério da Verificabilidade

Critério da Falsificabilidade

Uma hipótese ou teoria é científica se puder ser provada, isto é,

verificada empiricamente

Uma hipótese ou teoria é científica se puder ser falsificada, isto é, se puder ser sujeita a testes e refutada

Hipótese → consequência.

Verificação da consequência.

Logo, a hipótese é válida.

Hipótese → consequência

Não se verifica a consequência.

Logo, a hipótese não é corroborada

21

slide28

A FALSIFICABILIDADE DE UMA TEORIA

Não se trata de mentir ou adulterar…

O que é portanto “falsificar” uma teoria ?

P

Q

Enunciado

geral:

Todos os corvos são brancos

~Q

Modus

Tollens

Um corvo, que não é branco, foi encontrado no espaço x, no tempo y

Enunciado de

observação :

Logo, nem todos os corvos são brancos

~P

22

slide29

MÉTODO DE CONJECTURAS E REFUTAÇÕES

Ou seja, o novo método científico proposto por Popper, consiste em, enunciar:

  • O problema, ou fenómeno a explicar
  • A formulação de uma Hipótese, ou conjectura
  • As tentativas de refutação da teoria científica, através de enunciados de observação deduzidos dela, e que conduzem a testes empíricos

Texto_II_Popper

23

slide30

EXERCÍCIO

A proposição particular existencial “há cisnes brancos” não é falsificável, mas é verificável.

A proposição: “ou faz chuva ou não chove” é falsificável ?

Porquê ?

A proposição universal “todos os cisnes são brancos” não é verificável, mas é falsificável.

Porquê ?

O que é falsificar uma teoria ? (Ex.: Proposição)

Um cisne, que não é branco, foi encontrado no espaço x, no tempo y

O que se segue ?

Logo, nem todos os cisnes são brancos

24

slide32

MÉTODOS CIENTIFICOS

PARTE DE UM ENUNCIADO PARA CHEGAR

A OUTRO ENUNCIADO ATRAVÉS DE UMA

NECESSIDADE LÓGICA

MÉTODO

DEDUTIVO

Todo o Homem é animal

Ex.:

(Lógica/Matemática

Ciências Formais)

Sócrates é Homem

Logo, Sócrates é animal

PARTE DE UM CONJUNTO DE ENUNCIADOS PARTICULARES,

FRUTO DE OBSERVAÇÕES DE FENÓMENOS PARA CHEGAR A

UM ENUNCIADO UNIVERSAL POR GENERALIZAÇÃO

MÉTODO

INDUTIVO

Ex.:

O metal x1 expandiu-se quando aquecido na ocasião t1

O metal x2 expandiu-se quando aquecido na ocasião t2

O metal xn expandiu-se quando aquecido na ocasião tn

(Ciências Empíricas)

Logo, todos os metais se expandem quando aquecidos

PARTE DE HIPÓTESES CIENTÍFICAS E PROCEDE À DEDUÇÃO DAS SUAS CONSEQUÊNCIAS, CONFRONTANDO-AS COM A EXPERIMENTAÇÃO EMPÍRICA.

MÉTODO

HIPOTÉTICO

DEDUTIVO

Hipótese: Todos os répteis são ovíparos;

Ex.:

Teste: Confrontam-se espécies particulares de répteis

numa experimentação orientada pela hipótese inicial;

Resultado: Se as observações estiverem de acordo com

a hipótese, ela diz-se corroborada; caso contrário ela diz-se

refutada.

25

slide33

PROPOSTA DE POPPER DO NOVO MÉTODO CIENTÍFICO

Aproximação

à verdade

HIPÓTESE III

A partir de uma

HIPÓTESE II

Deduz-se

TEORIA (x)

HIPÓTESE I

Teoria (n)

Teoria II

Teoria I

TESTES

Proceder a:

VEROSIMILHANÇA

(VERA+SIMILE)

Corroborada

RESULTADOS

Refutada

P1 → TT → EE → P2

26

slide34

CRITICAS AO FALSIFICACIONISMO

  • Qual o número necessário de enunciados de teste necessários para falsificar uma teoria ? Ex.: ( quando é que se diz de alguém que é calvo ? )
  • Uma teoria pode sempre estar protegida contra falsificações ao deflectir a falsificação para qualquer outra parte da complexa teia de assumpções.
  • Ex.: ( um enunciado pode não ser apropriado para teste )
  • Uma teoria não pode conclusivamente ser falsificada, pois essa possibilidade
  • não pode ser extraída a partir de alguma parte da complexa situação de
  • teste, senão da própria teoria em teste que é responsável por previsões
  • erróneas. Ex.: ( a questão de saber se o que falha é a parte ou o todo ? )
  • O falsificacionismo procura mais o progresso do que demonstrar a verdade ou a sua probabilidade.

27

slide36

AS LEIS CIENTÍFICAS

Uma lei ou teoria é apenas experimental. (Popper, Conjecturas e Refutações, p. 83)

SLIDE ANIMADO

FORMULA-SE UMA LEI GERAL

UMA SIMPLES OBSERVAÇÃO EMPÍRICA

MUDA-SE A EXPLICAÇÃO

Lei científica = uma regra que descreve um fenómeno que ocorre com certa regularidade mas que não determina se um facto deve ou não ocorrer apenas verifica a sua ocorrência, analisando as causas e os efeitos relacionados e que se aplica a todas as diferentes ciências.

PEÇAS

DE

FRUTA

2

?

X

+

2

Y

?

=

4

Z

MAÇÃS

28