slide1
Download
Skip this Video
Download Presentation
Materialização CAP. 10 Preparação de Experiências Cap. 12 2012-8-1 Rosana De Rosa

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 30

Materialização CAP. 10 Preparação de Experiências Cap. 12 2012-8-1 Rosana De Rosa - PowerPoint PPT Presentation


  • 110 Views
  • Uploaded on

Materialização CAP. 10 Preparação de Experiências Cap. 12 2012-8-1 Rosana De Rosa. MATERIALIZAÇÃO. Os amigos espirituais chegaram antes para o preparo que exige muito devido a falta de preparo moral dos integrantes.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Materialização CAP. 10 Preparação de Experiências Cap. 12 2012-8-1 Rosana De Rosa' - aloha


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide1
Materialização CAP. 10

Preparação de Experiências Cap. 12

2012-8-1

Rosana De Rosa

materializa o
MATERIALIZAÇÃO
  • Os amigos espirituais chegaram antes para o preparo que exige muitodevido a falta de preparo moral dos integrantes.
  • A reunião é feita com grandes riscos e requer um número enorme de servidores desencarnados.
  • André observou que não haviam filas de espíritos sofredores para serem atendidos.
prepara o
Preparação
  • Eles tem que ter o máximo de cuidado para que os princípios mentais de origem inferior não afetem a saúde física dos colaboradores encarnados, (larvas) nem a pureza do material indispensável aos processos da materialização.
prepara o1
Preparação
  • Por isso criam fronteiras vibratórias no exterior do recinto.
  • Porém não conseguem impedir a entrada das entidades inferiores, absolutamente integradas com os membros do grupo.
  • Há obsediados que sentem-se tão bem na companhia do obsessor tal mãe e filho.
  • Quando alguns membros ingressam na reunião nesta condição é uma ameaça verdadeiramente inquietante.
prepara o2
Preparação
  • André observa 20 entidades de hierarquia nobre fazendo gestos rítmicos, como sacerdotes antigos executando operações magnéticas de santificação do recinto.
  • DEVIDO AO PREPARO DEVEMOS ENTRAR NA SALA DO EDM, MEDIUNICA, COM ALEGRIA E RESPEITO AO PREPARO, EVITANDO BRINCADEIRAS E CONVERSAS DESNECESSÁRIAS QUE POSSAM COMPROMETER ESTE TRABALHO FEITO PELOS AMIGOS.
prepara o3
Preparação
  • Alexandre explica que são colaboradores esclarecidos que preparam o ambiente, levando a efeito a ionização da atmosfera, combinando recursos para efeitos elétricos e magnéticos.
  • Na materialização precisam de processo acelerado para que o efeitos se realizem.
  • Chegam novos companheiros com aparelhos de grande potencial elétrico em virtude dos raios que movimentam em todas as direções.
prepara o4
Preparação
  • Eles são encarregados de operar a condensação do oxigênio em toda a casa.
  • O ambiente para a materialização aos olhos dos encarnados, requer elevado teor de ozônio e, além disso, é indispensável para que todas as larvas e expressões microscópicas de atividade inferior sejam exterminadas.
  • A ozonização é como um trabalho bactericida.
prepara o5
Preparação
  • O ectoplasma, ou força nervosa, que será abundantemente extraído do médium, não pode sofrer, sem prejuízos fatais, a intromissão de certos elementos microbianos.
  • Mais companheiros chegavam trazendo material luminoso. São recursos da natureza, elementos das plantas e das águas, que eles recolhem para o serviço.
prepara o6
Preparação
  • Chegam os membros da reunião e a jovem médium acompanhada de diversas entidades de elevada condição.
  • Alencar ligado a ela através de tênues fios de natureza magnética, exercendo um considerável controle sobre a moça.
  • Alencar é seu orientador para as atividades de materialização.
prepara o7
Preparação
  • Como parte do trabalho incentivam os processos digestivos da moça para que funcione sem obstáculos.
  • Colocaram as mãos em forma de coroa em sua cabeça formando vigoroso fluxo energético projetado sobre estomago e fígado, pâncreas, os órgãos acusaram imediatamente um novo ritmo de vibrações, acelerando o processo químico.
prepara o8
Preparação
  • Em poucos minutos o estomago permanecia inteiramente livre.
  • Após isso ela foi preparada para a saída da força pelo sistema nervoso: vários amigos cuidavam de uma parte dos nervos cervicais, dorsais, lombares e sacros ( os chacras).
  • André observava os resíduos escuros que lhes eram arrancados dos centros vitais nesta limpeza.
prepara o9
Preparação
  • Ela recebi do cérebro de Alexandre um brilho singular, como se fora espelho cristalino.
  • Todas as glândulas mais importantes resplandeciam, as células orgânicas pareciam restaurar o equilibrio elétrico.
  • O aparelho mediúnico foi submetido a operações magnéticas destinadas a socorrer-lhe o organismo nos processos de nutrição, circulação, metabolismo e ações protoplásticas, para seu equilibrio fisiológico seja mantida acima de qualquer surpresa desagradável.
prepara o10
Preparação
  • Após este preparo eles aplicam passes magnéticos para o desdobramento necessário.
  • Um auxiliar no serviço comunica que um dos participantes havia ingerido álcool e o responsável avisa que ele terá que ser neutralizado sua influenciação.
  • Ele não parecia exteriormente embriagado, mas exterioriza pelas narinas , boca e poros princípios etílicos nocivos aos delicados elementos de formação plástica prejudicais ao trabalho.
materializa o1
MATERIALIZAÇÃO
  • O participante foi cercado por vários servidores e neutralizado pela influenciação deles.
  • Improvisaram a garganta ectoplasmatica. A força nervosa do médium é matéria plástica e profundamente sensível às nossas criações mentais.
  • Alexandre tomou pequena quantidade daqueles eflúvios leitosos, que se exteriorizavam particularmente através da boca, narinas e ouvidos do aparelho mediúnico, e, como se guardasse nas mãos reduzida quantidade de gesso fluido, começou a manipulá-lo.
materializa o2
MATERIALIZAÇÃO
  • Alexandre experimentava emitir alguns sons nas cordas vocais que se formavam. Agora todos encarnados podiam ouvir a voz de Alexandre.
  • Alencar começava a tomar forma diante de todos através das energias passivas da médium e das energias ativas do mentor da reunião Calimério.
materializa o3
MATERIALIZAÇÃO
  • Todos possuímos esta possibilidade, porém o domínio exige evolução moral.
  • Foram materializados flores e mãos.
prepara o11
Preparação
  • Um amigo de Alexandre o procura para ajuda na reencarnação de Sugismundo.
  • Ele desviou Raquel e assassinou Adelino e agora volta como filho, porém Adelino não aceita recebe-lo.
  • Eles partem para colônia do Planejamento de reencarnações para obterem maiores informações.
planejamento
Planejamento
  • André indaga se todos os núcleos de espiritualidade superior mantêm círculos de trabalho da reencarnação?
  • Sim todas as colônias de expressão elevada tem o auxílio à reencarnação de companheiros nossos.
  • E os que regressam à Crosta, partindo das regiões mais baixas, terão o mesmo generoso auxilio?
planejamento1
Planejamento
  • Se for ele criatura de razão esclarecida, embora não iluminada, não deve ter voltado à sem o trabalho “intercessório” e forte ajuda de corações bem-amados de nosso plano.
  • Nesse caso, terá recebido a cooperação de benfeitores, situados em posições mais altas, que lhe terão endossado as promessas no serviço regenerador.
planejamento2
Planejamento
  • Se ele foi, porém, criatura em esforço puramente evolutivo, circunstância essa na qual não teria regressado em condições amargurosas, contou ele naturalmente com o abençoado concurso dos trabalhadores espirituais que velam, na Crosta, pela execução dos trabalhos reencarnacionistas, em processos naturais.
modelos educativos
Modelos Educativos
  • André passa a observar modelos masculinos e femininos, estruturados em substâncias luminosas , como fio de luz das regiões da musculatura em geral. Os órgãos vibrando em obediência para demonstrações educativas.
  • No modelo feminino o sistema endócrino, disposto à maneira de constelação. Desde a epífise com a coloração de um sol azulado, mantendo em seu campo magnético todas as demais glândulas até os núcleos procriadores, pareciam astros de vida.
  • Os centros genitais emanavam auras brilhantes, semelhando-se a minúsculo santuário cheio de luz.
pavilh o de desenho
Pavilhão de Desenho
  • André foi ao pavilhão de desenho, onde numerosos cooperadores traçavam planos para reencarnações.
  • Uma entidade que trabalha no setor de auxílio se aproxima e pergunta a Manassésuns dos instrutores se seu modelo biológico está pronto? e ele diz que já foi observar o gráfico inicial e lhe deu parabéns por haver aceito a sugestão dos amigos sobre o defeito da perna.
  • – Sim, preciso defender-me contra certas tentações de minha natureza inferior e a perna doente me auxiliará, ministrando-me boas preocupações. Vai ser um antídoto à vaidade, uma sentinela contra a devastação do amor-próprio excessivo.
  • Quanto tempo terá em média a minha forma física? – 70 anos no mínimo.
completista
Completista
  • Todos te aguardaremos como um “completista”.
  • O “completista”, na qualidade de trabalhador leal e produtivo, pode escolher, à vontade, o corpo futuro, quando lhe apraz o regresso à Crosta em missões de amor e iluminação, ou recebe veículo enobrecido para o prosseguimento de suas tarefas, a caminho de círculos mais elevados de trabalho.
pavilh o de desenho1
Pavilhão de Desenho
  • No serviço de desenho, pequenas telas demonstrando peças do organismo humano, estavam em todo recinto.
  • Espalhavam-se desenhos de membros, tecidos, glândulas, fibras, órgãos de todos os feitios e para todos os gostos.
  • Trabalhamaqui centenas de técnicos em questões de Embriologia e Biologia em geral, arquitetando o porvir de muitos companheiros, no sentido de orientar as experiências individuais do futuro de quantos irmãos se ligam a nós no esforço coletivo.
modelo biol gico
Modelo Biológico
  • Os homens ainda selvagens ou semi- selvagens, embora utilizando os recursos sempre sagrados da Natureza, edificam suas habitações em moldes mais simples e rudimentares; todavia, o homem que já atingiu certo padrão de ideal, desenvolvendo faculdades superiores, constrói o lar, organizando plantas prévias.
modelo biol gico1
Modelo Biológico
  • São interrompidos pela chegada de uma senhora que pede uma interferência no seu planejamento.
  • Abrindo o seu mapa onde se via desenhado um organismo de mulher, ela diz: Veja o meu projeto para o sistema endócrino? Sei que planejaram com harmonia, mas desejo retificar.
  • Fui orientada por benfeitores a não me apresentar com formas tão impecáveis, então estimaria que a tireoide e as paratireoides não estivessem tão perfeitamente delineadas.
  • Minha tarefa não será fácil, preciso fugir de qualquer possibilidade de queda, e a perfeita harmonia física me perturbaria as atividades.
  • Manassés concordou que a sedução carnal é de imenso perigo, não só para quem emite como para quem recebe. Ele prometeu ajuda-la.
programa o
Programação
  • Manassés finaliza explicando que todos os órgãos são subordinados à ascendência moral.
  • Ele conta do planejamento de um amigo que terá uma ulcera por escolha própria.
  • A mais de cem anos assassinou alguém, que pelo ódio mutuo se ligou a ele e fora da carne vem fazendo ataques sistemáticos pelo pensamento mortífero.
programa o1
Programação
  • A justiça se cumpre sempre, mas logo que se disponha o Espírito à transformação, atenua-se o rigorismo do processo redentor.
  • A vida é uma sinfonia perfeita, quando procuramos desafiná-la somos compelidos a estacionar em pesado serviço de recomposição da harmonia quebrada.
slide30
2012-8-8

Rosana De Rosa

ad