Download
fundamenta o te rica e refer ncias bibliogr ficas ana l cia magalh es n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA E REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Ana Lúcia Magalhães PowerPoint Presentation
Download Presentation
FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA E REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Ana Lúcia Magalhães

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA E REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Ana Lúcia Magalhães

267 Views Download Presentation
Download Presentation

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA E REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Ana Lúcia Magalhães

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA E REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Ana Lúcia Magalhães

  2. Erros mais comuns nos projetos • Proposição de desenvolvimentos muito difíceis, possivelmente por falta de conhecimento da quantidade de trabalho necessária. Por exemplo, sistema de data mining, utilizado com grandes massas de dados, sem explicar: • por que grandes massas • quais os dados • como os dados serão colocados no sistema. Ana Lúcia Magalhães

  3. Erros mais comuns nos projetos • Metodologia com os seguintes problemas: • grande parte dos itens dedicados a pesquisa bibliográfica (basta um item) • falta de detalhe onde ele é importante (desenvolvimento do sistema) – é necessário mostrar como o sistema será desenvolvido! • desconhecimento do assunto Exemplo: sistema de inteligência artificial, com ênfase em um detalhe (análise de similaridade) sem abordar pontos básicos, como construção da base de conhecimento. Ana Lúcia Magalhães

  4. Fundamentação Teórica • Para escrever qualquer trabalho, é preciso teorizar, ou seja, saber do que se trata. • A Fundamentação teórica faz parte do trabalho, mas não é todo o trabalho. • Para o Projeto de TCC, é necessário mostrar algum conhecimento do assunto, • No próprio TCC, a fundamentação teórica é estendida. Ana Lúcia Magalhães

  5. Fundamentação Teórica • Solicitar ao orientador uma bibliografia para o projeto de TCC. • Proceder às resenhas, segundo as técnicas que serão mostradas a seguir. • Apresentar as resenhas, que, se não estiverem satisfatórias, terão de ser repetidas. • Feitas as resenhas, montar uma estrutura para a fundamentação teórica . • Escrever a fundamentação teórica. 5 Ana Lúcia Magalhães

  6. Pesquisa Bibliográfica - Internet • A INTERNET tem muito informação, qual é a mais segura? • Buscar sítios que possam ser confiáveis. • Palavras chave ajudam na busca. • Diferenciar artigos opinativos de artigos acadêmicos. • Se você não conhece nada sobre o assunto vai ser difícil achar algo útil e confiável na INTERNET. Ana Lúcia Magalhães

  7. Pesquisa Bibliográfica - Internet • Banco de dados das Universidades • USP (www.usp.br/sibi) • UNICAMP (http://libdigi.unicamp.br/) • UFSC (http://www.periodicos.ufsc.br/) ; (http://www.bu.ufsc.br/) ; (http://teses.eps.ufsc.br/) Ana Lúcia Magalhães

  8. Pesquisa Bibliográfica - Internet • Revistas eletrônicas • RAE Publicações (http://www.rae.com.br/) • Gestão e Produção (http://www.dep.ufscar.br/revista/) • Gestão Industrial (http://www.pg.cefetpr.br/ppgep/revista/) • SCIELO (http://www.scielo.org/php/index.php) Ana Lúcia Magalhães

  9. Referências Bibliográficas As maneiras de efetuar referências bibliográficas seguem apresentadas a seguir por meio de exemplos e eventuais notas explicativas. 1. Livros de Autores • DAMIÃO, R. T.; HENRIQUES, A. Curso de direito jurídico. São Paulo: Atlas, 1995. • SETZER, W. W. Bancos de Dados: Conceitos, Modelos, Gerenciadores, Projeto Lógico e Projeto Físico. S. Paulo, Edgar Blücher, 1986. • FERREIRA, L. P. (Org.). O fonoaudiólogo e a escola. São Paulo: Summus, 1991. • ANTÔNIO, S. Educação e transdisciplinaridade: crise e reencantamento da aprendiza-gem. Rio de Janeiro: Lucerna, 2002(a). • _____. A utopia da palavra: linguagem, poesia e educação: algumas travessias. Rio de Janeiro: Lucerna, 2002(b). Ana Lúcia Magalhães

  10. Referências Bibliográficas • PASTRO, C. Arte sacra: espaço sagrado hoje. São Paulo: Loyola, 1993. 343p. • CHEVALIER, J.; GHEERBRANT, A. Dicionário de símbolos. Tradução Vera da Costa e Silva et al. 3 ed. rev. e aum. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1990. • RODRIGUES, N. Teatro completo. Organização geral e prefácio SábatoMagaldi. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994. 1134 p. (Biblioteca luso-brasileira. Série brasileira). • KRIEGER, G.; NOVAES, L. A.; FARIA, T. Todos os sócios do presidente. 3 ed. [S.l.]: S-critta, 1992. 195 p. FRANCO, I. Discursos: de outubro de 1992 a maio de 1993. Brasília, DF: [s.n.], 1993 107 p. Ana Lúcia Magalhães

  11. Referências Bibliográficas - Notas a) Caso haja mais de três autores, indica-se apenas o primeiro e se acrescenta a expressão latina et al., que quer dizer e outros(as); b) Em caso de autoria repetida, pode-se substituir o nome do autor por um travessão equivalente a cinco caracteres; c) Obras do mesmo autor no mesmo ano devem ser distinguidas pelo acréscimo de letra minúscula sequencial após a data e não devem aparecer entre parênteses no corpo do trabalho, mas apenas nas referências bibliográficas; d) Coletâneas devem ser colocadas como de autoria do organizador, assim designado por (Org.); Ana Lúcia Magalhães

  12. Referências Bibliográficas - Notas e) Casos de inclusão de elementos complementares: • Quando uma determinada edição de um livro apresenta modificações importantes sobre as outras, isso deve ser apontado; • Pode-se mencionar o nº de páginas de uma obra; • Quando se tratar de obra traduzida, o tradutor deve ser mencionado; • Quando o prefácio é importante, deve ser mencionado o autor; • Quando não se pode determinar o local da edição, deve-se colocar [S.l.] entre colchetes, que significa sine loco (sem lugar). • Do mesmo modo, deve-se escrever [s.d.] quando não se tem a data exata. Outras possibilidades de dúvida com relação a datas: •  [1981 ou 1982] um ano ou outro; •  [1995?] data provável; •  [1995] data certa não indicada na obra; •  [entre 1990 e 1998] use intervalos menores de 20 anos; •  [ca.1978] data aproximada. Ana Lúcia Magalhães

  13. Referências Bibliográficas 2. Livros, Revistas, Catálogos e Anais Editados por Instituições • UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Catálogo de teses da Universidade de São Paulo, 1992. São Paulo, 1993. • CONGRESSO BRASILEIRO DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO, 10. 1979, Curitiba. Anais... Curitiba: Associação Bibliotecária do Paraná, 1979. 3 v. SÃO PAULO (Estado). • Secretaria do Meio Ambiente. Diretrizes para a política ambiental do Estado de São Paulo. São Paulo, 1993. BRASIL. Ministério da Justiça. Relatório de atividades. Brasília, DF, 1993. • REVISTA BRASILEIRA DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO. São Paulo: FEBAB, 1973-1992. . Ana Lúcia Magalhães

  14. Referências Bibliográficas 3. Partes de Obras • PÁDUA, E. M. M. de. O trabalho monográfico como iniciação à pesquisa científica. In: CARVALHO, M. C. M. de (Org.). Construindo o saber: metodologia científica; fundamentos e técnicas. 6 ed. Campinas: Papirus, 1997. p. 147-175. • PRESS, W. H et alii Numerical Recipes in FORTRAN – The Art of Scientific Computing. 2nd ed. New York, 1992. Cap. 9, p. 340-376. 11 • MOURA, A. S. de. Direito de habitação às classes de baixa renda. Ciência & Trópico, Reci-fe, v. 11, n., p. 71-78, jan./jun. 1983. CASERTA, J. Clickstream Data Mart. Data Warehouse Designer, New York, v. 3, p. 15-18, feb. 2009. Ana Lúcia Magalhães

  15. Referências Bibliográficas 4. Artigos em Periódicos • MOURA, A. S. de. Direito de habitação às classes de baixa renda. Ciência & Trópico, Recife, v. 11, n., p. 71-78, jan./jun. 1983. • CASERTA, J. Clickstream Data Mart. Data Warehouse Designer, New York, v. 3, p. 15-18, feb. 2009. 5. Jornais • FERREIRA, A. Plano Collor acelera o processo de fusões e compras de empresas. Folha de S.Paulo, 04 jun. 1990. • BIBLIOTECA climatiza seu acervo. O Globo, Rio de Janeiro, 04 mar. 1985. p. 11. Ana Lúcia Magalhães

  16. Referências Bibliográficas 6. Entrevistas, relatórios e atas • FERREIRA, J. I. A carta de Vitória. Veja, São Paulo, n. 1586, 24 fev. 1999. p. 11-13. Entrevista concedida a Consuelo Dieguez. • MOURA, M. F.; EVANGELISTA, S. R. M.; TERNES, S. Manutenção de software. Campinas: UNICAMP-FEE-DCA, 1989. 90 p. • Relatório técnico. COMPANHIA VALE DO RIO DOCE. Relatório Anual 1996. Rio de Janeiro, 1997. • UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. Conselho de Ensino e Pesquisa, Curitiba. • Ata da sessão realizada no dia 19 jun. 1990. Livro 29, p. 10 verso. Ana Lúcia Magalhães

  17. Referências Bibliográficas 7. Documentos em Meio Eletrônico • CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA. Divulgação e serviços da instituição. Disponível em: <http://www.centropaulasouza.com.br>. Acesso em: 05 ago. 2002. CIVITAS. Coordenação de Simão Pedro P. Marinho. Desenvolvido pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, 1995-1998. Apresenta textos sobre urbanismo e desenvolvimento de cidades. Disponível em:<http://www.gcsnet.com.br/oamis/civitas>. Acesso em: 27 nov. 1998. • FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS. Normas para apresentação de monografia. 3. ed. Escola de Administração de Empresas de São Paulo, Biblioteca Karl A. Boedecker. São Paulo: FGV-EAESP, 2003. 95 p. (normasbib.pdf, 462kb). Disponível em: <www.fgvsp.br/biblioteca>. Acesso em: 23 set. 2004. • FIGUEIRA, S. Remendo nas contas: governo baixa medidas na tentativa de reduzir o roubo de R$ 51 bilhões do Sistema Financeiro de Habitação. Isto É, São Paulo, n. 1409, 01 out. 1996. Disponível em: <http://www.uol.com.br/istoe/economia/140920.htm>. Acesso em: 03 out. 1996. 12 Ana Lúcia Magalhães

  18. Referências Bibliográficas • VILLASCHI FILHO, A. Vantagens do atraso. Gazeta on line, Vitória, 03 out. 1996. Disponí-vel em: <http://www.redegazeta.com.br/homepage/opi/03op1.htm>. Acesso em: 03 out. 1996. • SUPREMO dos EUA julga Internet. Correio Braziliense, Brasília, DF, 20 mar. 1997. C. Mundo. Disponível em: <http://www.correiobraziliense.com.br/atual/editora/mundo/mundo3a.htm>. Acesso em: mar. 1997. • LISTSERVER de Bibliotecas Virtuais. Disponível em: <listeserver@ibict.br>. Acesso em: 15 dez. 1996. RESMER, M. J. Citação de documentos eletrônicos. [mensagem de trabalho]. Mensagem recebida por: <marilaid@lepus.celepar.br> em: 21 out. 1996. • KRAMER, L. L. B. Apostila.doc. Curitiba, 13 maio 1995. Arquivo (605 bytes), disquete 3 ½ pol. Word for Windows 6.0. MICROSOFT CORPORATION. Microsoft Project for Windows XP. Version 4.1: project planning software. Redmond, Wa, 2002. conjunto de software 1 CD 8 GB, 3 folhetos e 5 manuais. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS. Catálogo da produção intelectual da UFScar. Ed. Preliminar. São Carlos, 1996. 1 CD-ROM. Ana Lúcia Magalhães

  19. CITAÇÕES Exemplos extraídos de TCC da área de Gestão Empresarial SILVA, L.Q. A adaptação tecnológica e cultural de produtos para inserção no mercado internacional. FATEC, 2007. 62p. Monografia, Faculdade de Tecnologia de Ourinhos. p. 17; 27-28. Exemplos de Paráfrase e citação direta (com mais de 4 linhas) Exemplos de Paráfrases Ana Lúcia Magalhães

  20. McCarthy (1982, p.55) elucida que o produto, o qual pode ser físico e/ou serviço, precisa ser desenvolvido de acordo com o mercado-alvo, ou seja, deve satisfazer às necessidades de um determinado mercado. • Carnier aprofunda essa análise argumentando que: • Deve-se considerar que o produto não é concebido ou avaliado por todos os consumidores pelo mesmo ponto de vista. Para os intermediário, por exemplo, é considerado um meio para alcançar o seu objetivo, ou seja, a geração de lucros. Já o consumidor final o analisa como o meio necessário para outro objetivo que é o de atingir o nível de satisfação pretendido, gerado pelo consumo do produto que lhe é oferecido. (CARNIER, 2004, p. 101) Ana Lúcia Magalhães

  21. Helsen e Kotabe (2000, p. 305) esclarecem que as diferenças de ambientes culturais e físicos dos países exigem uma estratégia de adaptação dual. Em tais circunstâncias, a adaptação da estratégia de produto e de comunicação da empresa é a opção mais viável para a expansão internacional. Keegan e Green (1999, p.339) concordam que a estratégia de dupla adaptação deve ser garantida por condições de mercado, preferências, função ou receptividade. Durante anos na Europa o amaciante de roupas da Unilever foi vendido em 10 países, sob sete marcas, com frascos e estratégias de marketing diferentes. Ana Lúcia Magalhães

  22. CITAÇÕES Exemplos extraídos de TCC da área de Informática, ênfase BANCO DE DADOS SILVA, B. D.; AZEVEDO NETO, J.da S. Java Persistence API (JPA): uma ferramenta crescente no mundo do desenvolvedor Java. Americana, 2008. 116p. Monografia, Faculdade de Tecnologia de Americana. p. 21-23. Exemplos de Paráfrase e Citação direta (com menos de 4 linhas) Exemplo de Ilustração Ana Lúcia Magalhães

  23. Sylvia Campos, Henrique Borges e Paulo Borba, em seu artigo publicado pela Universidade Federal de Pernambuco, especificam que o Java Development Kit (JDK) é um kit de desenvolvimento fornecido livremente pela Sun. (CAMPOS; BORGES; BORBA, 2005, p.1) Para Indrusiak (1996, p. 4), “ao ser interpretado, um programa Java gera um código intermediário, que não é um programa fonte, nem um executável. Este código intermediário – chamado de byte code – é que será interpretado pela JVM”. Como a execução do byte code depende apenas da JVM, qualquer sistema operacional que tenha uma JVM pode interpretá-lo sem precisar ser reescrito. Por isso, Java é considerado multi-plataforma. O processo de interpretação pode ser entendido na figura 4 (OU na figura a seguir) [não utilizar “na figura acima ou abaixo”]: Ana Lúcia Magalhães

  24. Figura 4 – Esquema básico de programação, interpretação e execução de um programa Java Fonte: FECCHIO (2006, p. 10) Ana Lúcia Magalhães

  25. CITAÇÕES Exemplos extraídos de TCC da área INTERDISCIPLINAR SANTOS, Simone A. TCC – Trabalho de Conclusão de Curso: Uma proposta para a produção científica com autoria, criticidade e criatividade? Guaratinguetá, 2007. 69p. Monografia, Faculdade de Tecnologia de Guaratinguetá. p. 14;18. Exemplos de Citação direta (com mais e com menos de 4 linhas) Exemplo de Citação de citação Ana Lúcia Magalhães

  26. No seu sentido amplo, o saber se configura, para Japiassu (1977, apud KRAMER, 2003, p.15), como um conjunto de conhecimentos metodicamente adquiridos, mais ou menos sistematicamente organizados e suscetíveis de veiculação/transmissão através de um processo de educação qualquer. Ana Lúcia Magalhães

  27. (...) E partindo da pesquisa bibliográfica, é possível contar com o auxílio desta definição sobre a sua importância: • Entende-se que a pesquisa bibliográfica merece tratamento destacado. Primeiro, porque estará presente em qualquer processo de pesquisa. Com efeito, a respeito de quase tudo que se deseje pesquisar, algo já foi pesquisado de forma mais básica, ou idêntica ou correlata. (PARRA FILHO; SANTOS, 2002, p. 29) • Então, ao se efetuar uma pesquisa bibliográfica, em um trabalho de monografia, quer dizer que o autor está apenas lendo e relendo o que já foi pesquisado? • Parra Filho e Santos respondem que não, pois, segundo eles: “Organizar uma bibliografia significa buscar aquilo cuja existência ainda se ignora”. (Op. cit., p.45) Ana Lúcia Magalhães

  28. Tabelas • As tabelas são numeradas sequencialmente , apresentam um título e a fonte de onde foram extraídas. O título das tabelas deve ser colocado antes delas: • Tabela 4: Comparativo de softwares estudados e suas características • Fonte: MICHAEL, P. (2008, p. 55) • Se a tabela for desenvolvida pelo autor, colocar: • Fonte: o(s) autor(es) Ana Lúcia Magalhães

  29. Figuras As figuras são numeradas sequencialmente e apresentam a fonte de onde foram extraídas: Figura 1: Quadro geométrico Fonte: MONDRIAN (1932, p. 33) Se a figura for desenvolvida pelo autor, colocar: Fonte: o(s) autor(es)