Miss es populares 2006 2007 diocese de rondon polis equipe diocesana das miss es populares
Download
1 / 55

- PowerPoint PPT Presentation


  • 437 Views
  • Uploaded on

MISSÕES POPULARES 2006 – 2007 DIOCESE DE RONDONÓPOLIS Equipe Diocesana das Missões Populares. Oração das Missões Populares Senhor que disseste: “Vinde e vede” e mandaste “Ide e anunciai”, derrama o teu Espírito sobre a diocese de Rondonópolis, neste tempo de missões populares.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about '' - Rita


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
Miss es populares 2006 2007 diocese de rondon polis equipe diocesana das miss es populares l.jpg
MISSÕES POPULARES2006 – 2007DIOCESE DE RONDONÓPOLISEquipe Diocesana das Missões Populares


Slide2 l.jpg

Oração das Missões Populares

Senhor que disseste: “Vinde e vede”

e mandaste “Ide e anunciai”,

derrama o teu Espírito sobre a diocese de Rondonópolis, neste tempo de missões populares.

Ensina-nos os teus caminhos,

para sermos Igreja evangelizadora,

servidora e acolhedora,

anunciadora, aberta ao diálogo,

ministerial e solidária.

Que juntos possamos construir comunidades de irmãos e irmãs, a serviço do Reino de Deus.

Amém.


Diocese de rondon polis em tempo de miss es populares l.jpg
DIOCESE DE RONDONÓPOLIS EM TEMPO DE MISSÕES POPULARES

  • MISSÕES POPULARES É A MESMA MISSÃO DE JESUS VIVENCIADA E ATUALIZADA NO MUNDO DE HOJE

  • VINDE, VEDE E ANUNCIAI!


Slide5 l.jpg

INTRODUÇÃO

Nos últimos anos a diocese centrou esforços de evangelização sobre duas frentes:

Reanimar a

Comunidade e

Renovar a Missão


Em 2004 e 2005 muito esfor o foi feito no sentido de reanimar a comunidade l.jpg
EM 2004 E 2005 MUITO ESFORÇO FOI FEITO NO SENTIDO DE Reanimar a comunidade

O que foi feito?

  • Conselhos

  • Assembléias,

  • Liturgia

  • Catequese

  • Pastoral social

  • Encontro de CEBs...


O que projetamos para os anos de 2006 2007 l.jpg
O QUE PROJETAMOS PARA OS ANOS DE 2006 – 2007?

  • Somos um povo em missão;

  • Agora temos que dar um passo a mais: “Renovar a Missão”;

  • Realizar as Missões Populares em toda a diocese.


Santas miss es populares o que l.jpg
SANTAS MISSÕES POPULARES:O QUE É?

  • É um grande retiro espiritual popular. Um grande mutirão de evangelização.

  • SANTAS porque é a mesma missão de Jesus. Porque é um tempo de Graça.


Slide9 l.jpg

  • MISSÕES porque é um tempo de andar, de visitar as famílias, doentes, necessitados... Tempo das pessoas se reencontrarem consigo mesmas e rever a própria vida;

  • Tempo de testemunhar a experiência pessoal e filial de Deus;

  • Tempo de cultivar a solidariedade, a ética, a cidadania tão necessárias à sociedade.


Slide10 l.jpg

  • POPULARES porque elas acontecem no meio do povo, com o povo e a partir dos anseios do povo.


Tarefa evangelizadora da diocese de rondon polis l.jpg
TAREFA EVANGELIZADORA DA DIOCESE DE RONDONÓPOLIS

  • ASPECTOS SOCIAIS

  • A população de Rondonópolis é uma mistura de grupos migrantes;

  • A desigualdade social é muito acentuada;

  • Há carência de serviços essenciais e sociais;


Slide12 l.jpg


Slide13 l.jpg

ASPECTOS RELIGIOSOS religiosos

  • Vivemos numa terra de missão;

  • Nossa religiosidade tem característica tradicional;

  • Há um grupo de cristãos que são indiferentes;

  • Outros querem uma Igreja mais sacramental e preocupada com as práticas de caridade;

  • Outros assumem o jeito de ser Igreja do Concílio Vaticano II;


Slide14 l.jpg

ASPECTOS PASTORAIS religiosos

  • Na pastoral destacam-se os esforços na catequese sacramental, liturgia, nas tarefas assistenciais;

  • Na linha da formação os estudos bíblicos, Escola de Teologia, Curso Teológico Catequético e Escola de Cidadania;

  • Está quase ausente a dimensão ecumênica e do diálogo inter-religioso;


Slide15 l.jpg

  • A dimensão sócio-transformadora está concentrada sobre algumas pastorais específicas;

  • Os empreendimentos numa linha mais libertadora e conscientizadora estão mais ausentes e até questionados por alguns segmentos da Igreja e da sociedade;

  • A dimensão mais visível é a sua vida interna e institucional.

  • Modelo de Igreja marcado pelo pároco.


Sentido b blico teol gico da miss o l.jpg
SENTIDO BÍBLICO – TEOLÓGICO DA MISSÃO algumas pastorais específicas;

  • Deus criou o ser humano, homem e mulher, à sua imagem e semelhança (cf. Gn 1, 26). Deus cria por amor;

  • Como resposta, a pessoa humana haverá de imitá-lo nas suas atitudes de serviço e carinho por todas as criaturas;

  • Deus não é um ser isolado, mas uma comunidade de amor total.


Slide17 l.jpg

DEUS ENVIA JESUS algumas pastorais específicas;

  • A Trindade se torna missão. “Deus amou de tal forma o mundo, que entregou o seu Filho único, para que todo o que nele acredita não morra, mas tenha a vida eterna” (Jo 3, 16).


Slide18 l.jpg

JESUS ENVIA EM MISSÃO algumas pastorais específicas;

  • Como o Pai me enviou, eu também envio vocês.... recebam o Espírito Santo.

  • Nós somos herdeiros da mesma missão da Trindade.


Slide19 l.jpg

MISSÃO É GRATUIDADE algumas pastorais específicas;

  • A missão é movida pelo amor. A gratuidade lança à missão, sem pôr condições. “Quando vocês tiverem cumprido tudo o que lhes mandaram fazer... fizemos o que deveríamos fazer”...


Slide20 l.jpg


Slide21 l.jpg

  • A tarefa da Igreja é anunciar o Reino de Deus; céu (Lc 10, 20);

  • Deus plantou no coração da humanidade o gérmem do Reino;

  • Banquete, festa de casamento, bodas, sementeira, pérola preciosa, tesouro;

  • A tarefa da Igreja é ser sinal e instrumento do Reino;

  • Uma Igreja fiel ao Reino não pode nem deve amarrar essa graça.


Como deve ser a igreja para ser fiel a jesus cristo l.jpg
COMO DEVE SER A IGREJA PARA SER FIEL A JESUS CRISTO céu (Lc 10, 20);

Não adotar os esquemas do mundo corrupto. Pessoa não é mercadoria. Evangelizar não é vender um produto.

Obediente à Trindade, torna-se livre, corajosa e Profética...


Slide23 l.jpg

  • Uma comunidade de céu (Lc 10, 20);irmãos e irmãs

  • Uma comunidade ministerial

  • Uma Comunidade discípulaemissionária

  • Uma comunidade evangelizadae evangelizadora

  • Uma comunidade celebrativa

  • Uma comunidade aberta ao diálogo

  • Uma comunidade servidora.


O que miss o l.jpg
O QUE É MISSÃO céu (Lc 10, 20);

  • Anunciar o evangelho. Ir ao encontro dos homens e mulheres, Ir ao encontro dos que se desencantaram da vida, da fé. Acolher, visitar, escutar.

  • Vida Comunitária. Experiência de fé. Não basta fazer arder o coração, é preciso fazer a experiência do discipulado, do seguimento, da partilha, da comunidade.


Slide25 l.jpg

A COMUNIDADE céu (Lc 10, 20);

  • É na comunidade que o cristão aprofunda a fé, faz a experiência de pertença, assume os compromissos, celebra e se fortifica na caminhada cristã.

  • Da evangelização à catequese, esse é o objetivo da missão


A miss o da igreja evangelizar l.jpg
A MISSÃO DA IGREJA É EVANGELIZAR céu (Lc 10, 20);

  • É o chamado que ela recebeu de Jesus e a fonte da sua alegria.

  • Evangelizar é continuar a missão de Jesus.

  • Exige que a Igreja seja discípula do Mestre, que ponha em prática o evangelho, assuma o agir de Jesus.

  • Jesus é fonte e modelo de missão.


Conquistas do conc lio vaticano ii l.jpg
CONQUISTAS DO CONCÍLIO VATICANO II céu (Lc 10, 20);

Orientações que deram nova figura à vida e à missão da Igreja:

  • A Igreja é Povo de Deus, comunidade de irmãos;

  • Os leigos têm nela lugar e missão específica;

  • O Reino de Deus é o centro da pregação e da atuação de Jesus;

  • A bíblia é a fonte fundamental;

  • A liturgia é o centro e a fonte da vida cristã;


Slide28 l.jpg

  • A missão da Igreja é iluminar com a luz do Evangelho as realidades terrestres;

  • A Igreja para evangelizar tem que ser evangelizada;

  • Evangelizar consiste no anúncio de Jesus Cristo, morto e ressuscitado;

  • Não haverá evangelização verdadeira se o nome, a doutrina, a vida, o Reino, o mistério de Jesus de Nazaré, não forem anunciados.


Evangeliza o inculturada l.jpg
EVANGELIZAÇÃO INCULTURADA realidades terrestres;

Exigências:

  • Serviço e solidariedade

  • Diálogo

  • Anúncio

  • Testemunho


Miss es populares e o projeto queremos ver jesus l.jpg
MISSÕES POPULARES E O PROJETO QUEREMOS VER JESUS realidades terrestres;

  • Está em Sintonia com Projeto Nacional de Evangelização “Queremos Ver Jesus, Caminho, Verdade e Vida”

  • Nos apontará novos rumos a partir de 2007.


As metas da miss o e do projeto qvjcvv l.jpg
AS METAS DA MISSÃO E DO PROJETO QVJCVV realidades terrestres;

  • Promover a dignidade da pessoa humana

  • Renovar a comunidade

  • Construir uma sociedade solidária


Santas miss es populares l.jpg
SANTAS MISSÕES POPULARES realidades terrestres;

Lema:

VINDE,

VEDE

E ANUNCIAI!


Slide33 l.jpg

VINDE E VEDE realidades terrestres;

É um convite para ir ao encontro, buscar, interessar-se, sair do comodismo e se pôr a caminho.

É um convite de Jesus que chama para uma experiência de estar com Ele.


Slide34 l.jpg

ANUNCIAI realidades terrestres;

Ser cristão é descobrir a missão. Missão que recebemos pelo batismo. Todos somos chamados à missão.

canto


Objetivos l.jpg
OBJETIVOS realidades terrestres;

1º Experimentara presença de Deus na vida;

2º Convidar as pessoas a serem seguidoras de Jesus Cristo;

3º Renovara vida da comunidade, aproximando os que estão afastados;


Slide36 l.jpg

realidades terrestres;Despertarnas pessoas o gosto pelo testemunho e anúncio da Boa Nova de Jesus que liberta, educa, transforma as estruturas e traz felicidade;

5º Testemunhara solidariedade, procurando servir aos que necessitam;

6º Mobilizaro povo para um mutirão em defesa da dignidade de todos, comprometendo-se com os movi-mentos populares.


Miss es populares como realizar l.jpg
MISSÕES POPULARES: COMO REALIZAR? realidades terrestres;


Metodologia das miss es populares l.jpg
METODOLOGIA DAS MISSÕES POPULARES realidades terrestres;

  • Celebrá-la com criatividade.

  • Realizá-las conforme a necessidade, objetivos, recursos, na docilidade ao Espírito Santo.

  • Ter uma coordenação paroquial das missões.

  • Elaborar um planejamento.


Destinat rios das miss es poulares l.jpg
DESTINATÁRIOS DAS MISSÕES POULARES realidades terrestres;

  • As Missões se dirigem a todo o povo.

  • Atenção especial aos católicos afastados.

  • Chegar às pessoas através de visitas, das comunidades cristãs espalhadas pelo território da paróquia.

  • A finalidade é animar a Paróquia e transformá-la numa comunhão de comunidades.


Dura o das miss es populares l.jpg
DURAÇÃO DAS MISSÕES POPULARES realidades terrestres;

  • Ano de 2006 – preparação.

  • Ano de 2007 – realização.

  • Primeira etapa:

    a) anúncio, convocação e primeira formação dos missionários (junho a novembro de 2006)

    b) Pré-Missão, tempo de acordar (Páscoa e Pentecostes de 2007). Retiro e envio dos missionários.


Slide41 l.jpg

Segunda etapa: realidades terrestres;

  • Tempo de saborear (meses que vão de Pentecostes à Festa de Cristo Rei de 2007). Tempo forte das missões.

    Terceira etapa:

  • Tempo de aprofundar, organizar e articular. Pós-missão.


Mission rios l.jpg
MISSIONÁRIOS realidades terrestres;

  • Aqueles/as que realizaram um encontro com Cristo vivo e se empolgaram em pregar a Boa Nova.

  • A grande maioria é da caminhada das comunidades, pastorais, movimentos.

  • Assumem com gosto o testemunho e o anúncio do Evangelho de Jesus.


Crit rios para escolha dos mission rios l.jpg
CRITÉRIOS PARA ESCOLHA DOS MISSIONÁRIOS realidades terrestres;

  • Ser pessoa engajada na comunidade;

  • Participar das etapas de formação, execução e avaliação da missão;

  • Fazer o trabalho em espírito de equipe;

  • Testemunhar a Palavra de Deus e anunciar a Boa Nova de Jesus Cristo;

  • Realizar o trabalho gratuitamente;

  • Respeitar o diferente, ter atitude de diálogo.


Gestos e s mbolos das miss es l.jpg
GESTOS E SÍMBOLOS DAS MISSÕES realidades terrestres;

  • Qual o gesto, o símbolo que mais poderia transmitir a mensagem?

  • A cruz, a vela e a bíblia são os símbolos mais queridos da nossa fé.

  • Confeccionar duas bandeiras:

  • Uma brancacom a escrita: Santas Missões Populares com a data, nome da paróquia, comunidade, setor.

  • Outra bandeira vermelhacom símbolo do Espírito Santo e com a escrita: Vinde, Vede e Anunciai!


Prepara o dos evangelizadores l.jpg
PREPARAÇÃO DOS EVANGELIZADORES realidades terrestres;

Primeiro encontro:

  • sentido bíblico, teológico e pastoral das missões;

  • O ministério da visitação.

    Segundo encontro:

  • Espiritualidade da missão e do missionário.


Semana mission ria l.jpg
SEMANA MISSIONÁRIA realidades terrestres;

  • É o momento mais intenso da missão. Não é único;

  • É um retiro espiritual;

  • É vivência da fraternidade, da partilha;

  • É uma experiência de vida eclesial;

  • É um tempo especial de escuta e de conversão;


Liturgias e sacramentos na semana mission ria l.jpg
LITURGIAS E SACRAMENTOS NA SEMANA MISSIONÁRIA realidades terrestres;

  • As celebrações nas missões são momentos marcantes;

  • Que as celebrações sejam bem preparadas e criativas;

  • Determinar lugar, horário, responsáveis;

  • Nas visitas, convidar as pessoas;

  • Que as celebrações estejam ligadas às mensagens das missões;


Visitas mission rias l.jpg
VISITAS MISSIONÁRIAS realidades terrestres;

  • Objetivos das visitas

  • Quem deve fazer as visitas missionárias?

  • Qualidades essenciais dos visitadores

  • Postura dos visitadores

  • O que e a quem devemos visitar?

  • Lembrança da visita

  • Avaliação e partilha pós-visita

  • Bênçãos e Orações para as Santas Missões


Cronograma das miss es populares 2006 2007 l.jpg
CRONOGRAMA DAS MISSÕES POPULARES – 2006 – 2007 realidades terrestres;

  • Maio e junho 2006 nas paróquias:

  • Delimitar área de abrangência da missão popular (comunidades, setores, região).

  • No Conselho de Pastoral Paroquial escolher uma equipe para coordenar as missões populares na paróquia.

  • Indicar um final de semana para o primeiro encontro de formação dos missionários.


Slide50 l.jpg

  • Julho de 2006 realidades terrestres;

  • Estudo do subsídio – sensibilização no CPC, CPP, nos pequenos grupos de reflexão e nas equipes de pastorais e movimentos.

  • Distribuição de manual com orientações de como encaminhar as missões populares para as equipes paroquiais responsáveis.

  • De julho a novembro de 2006

  • Período da primeira formação dos missionários nas paróquias e setores. A data desta formação deve ser sugerida por cada paróquia.


Slide51 l.jpg

  • Outubro de 2006 realidades terrestres;

  • Distribuição ampla de material informativo sobre as missões populares. Tempo para as equipes paroquiais realizarem uma experiência piloto de missões populares.

  • Após Páscoa de 2007

  • Realizar o segundo encontro dos missionários – retiro preparatório para o envio.


Slide52 l.jpg

  • Pentecostes de 2007 realidades terrestres;

  • Celebração de abertura e envio dos missionários na diocese e ou na paróquia e início das missões populares com visitas gratuitas às famílias (mais demoradas). Nessa visita falar de sua experiência de Deus, do seu encontro com Cristo, da sua experiência de fé na comunidade. Deixar uma oração, abençoar a casa e, se for oportuno rezar com a família...


Slide53 l.jpg

  • Julho de 2007 realidades terrestres;

  • Segunda visita (rápida), deixar convite com a programação das semanas missionárias dos meses temáticos de agosto, setembro e outubro: tempo forte das missões.

  • Festa de Cristo Rei 2007

  • SUGESTÕES:

  • Encerramento das missões populares com a realização da 16ª Romaria dos Mártires, ou com eventos por Setor, ou no mesmo dia em cada paróquia.


Slide54 l.jpg

Quem encontrou o Cristo, se converte em testemunha e missionário. Quem aceitou ou entendeu o convite de Jesus:

“VINDE E VEDE”, NÃO FICA DE BRAÇOS CRUZADOS, SAI CORRENDO PARA ANUNCIAR.

Ser missionário é receber o convite de Jesus. Ele chama para a missão!


Slide55 l.jpg

  • Agora é tempo de ser Igreja, caminhar juntos participar missionário. Quem aceitou ou entendeu o convite de Jesus: (bis)

  • Somos povo em missão, já é tempo de partir. É o senhor que nos envia em seu nome a servir.

  • Somos povo a caminho, construindo em mutirão. Nova Terra, novo Reino de fraterna comunhão.


ad