Fundação Universidade Federal do Rio Grande
Download
1 / 23

Slide sem t - PowerPoint PPT Presentation


  • 141 Views
  • Uploaded on

Fundação Universidade Federal do Rio Grande Departamento de Ciências Fisiológicas - Farmacologia. Colinérgicos. Daniela Martí Barros. Agonistas Colinérgicos. Ação Direta ACETILCOLINA Betanecol Carbacol Pilocarpina. Ação Indireta Edrofrônio Neostigmina Fisostigmina

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Slide sem t' - paul


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

Fundação Universidade Federal do Rio Grande

Departamento de Ciências Fisiológicas -

Farmacologia

Colinérgicos

Daniela Martí Barros


Agonistas Colinérgicos

  • Ação Direta

  • ACETILCOLINA

  • Betanecol

  • Carbacol

  • Pilocarpina

  • Ação Indireta

  • Edrofrônio

  • Neostigmina

  • Fisostigmina

  • Piridostigmina


Principais Efeitos dos Agentes Muscarínicos

  • Efeitos Cardiovasculares

    - redução da freqüência cardíaca

    - diminuição do débito cardíaco (redução da força de contração do átrio)

    - vasodilatação generalizada ( mediada pelo NO)

    - queda da pressão arterial

  • Efeitos sobre a musculatura lisa

    -  contração do musc liso do TGI

    - contração da bexiga e dos brônquios


Principais Efeitos dos Agentes Muscarínicos

  • Efeitos oculares -

    - músculo ciliar - ajusta a curvatura do cristalino

    - constritor da pupila - ajusta a pupila em resposta as alterações de luminosidade.


Usos clínicos dos Agentes Muscarínicos

  • Tratamento do glaucoma (pilocarpina)

  • Esvaziamento da bexiga pós operatório e estimulador da motilidade gastrointestinal (betanecol)


Antagonistas Muscarínicos

  • Parassimpaticolíticos

    - ATROPINA (Atropa belladonna)

    - HIOSCINA (Datura stramonium)

    - Ipratrópio

    - Pirenzepina (antagonista M1 seletivo)


Principais efeitos da ATROPINA

  • Inibição das secreções (lacrimais, salivares, brônquicas e sudoríparas), com aumento da temperatura corpórea

  • Efeitos sobre a freqüência cardíaca

    - taquicardia (bloq dos receptores musc cardíacos)

    - doses baixas bradicardia paradoxal (ef central)

    - não há alteração na pressão arterial

  • Efeitos oculares

    - midríase

    - paralisia da acomodação do olho (cicloplegia)

    - pode ocorrer  da pressão intraocular


Principais efeitos dos ATROPINA

  • Efeitos sobre o TGI

    - inibição da motilidade

    - Pirenzepina (seletivo M1) inibe a secreção de ac gástrico

  • Efeito sobre a musculatura lisa

    - relaxamento da musc das vias brônquicas, urinárias e biliares.

  • Efeito sobre o SNC

    - efeitos excitatórios

    -  doses causa inquietação

    -  doses causa agitação e desorientação


Usos clínicos dos Antagonistas Muscarínicos

  • Cardiovascular

    - tratamento da bradicardia sinusal (após o infarto do miocárdio) - atropina iv

  • Oftálmico

    - para dilatar a pupila gotas oftálmicas de tropicamida (ação curta); gotas oftálmicas de ciclopentolato (ação prolongada)

  • Neurológico

    - prevenção da cinetose (hioscina) vo

    - Parkinsonismo; ef extrapiramidais de agentes antipsicóticos


Usos clínicos dos Antagonistas Muscarínicos

  • Respiratório

    - asma - ipratrópio por inalação

    - pré anestésico para ressecar secreções - atropina e hioscina injetáveis.

  • Gastrointestinais

    - antiespasmódico

    - suprimir a secreção de ácido gástrico

    - úlcera péptica - pirenzepina (seletiva M1)


Colinesterases

  • Acetilcolinesterase -

    - principalmente ligada à membrana

    - específica para ACh

    - responsável pela rápida hidrólise da Ach

  • Butirilcolinesterase

    - pseudocolinesterase

    - não seletiva

    - plasma e em muitos tecidos


Anticolinesterásicos

  • Duração da ação

  • - ação curta - edrofônio

  • - ação intermediária - neostigmina, fisiostigmina

  • - irreversíveis - organofosforados

  • Potencializam a transmissão colinérgicas nas sinapses autônomas colinérgicas e na junção neuromuscular.

  • Efeitos no SNC - fisiostigmina e organofosforados (atravessam a BHE)


Anticolinesterásicos

  • Efeitos autônomos

  • - bradicardia

  • - hipotensão

  • - secreções excessivas

  • - broncoconstrição

  • - hipermotilidade gastrointestinal

  • - redução da pressão intra ocular

  • Ação neuromuscular

  • - fasciculação muscular

  • - aumento na tensão da contração espasmódica

  • - bloqueio de despolarização


Aplicações Clínicas dos Anticolinesterásicos

  • Em anestesia - reverte a ação das drogas bloqueadoras neuromusculares - neostigmina iv (atropina como precaução)

  • Tratamento da miastenia grave -

    - neostigmina e piridostigmina vo

    - crise colinérgica com uso excessivo (ef muscarínicos)

    - edrofônio para auxiliar no diagnóstico da miastenia grave


Reativação da colinesterase

  • PRALIDOXIMA

  • Reativa a ACh-E bloqueada

  • Tem alta afinidade pelo P - desloca o organofosforado, desde que administrada antes do envelhecimento da ligação.


Drogas que afetam os gânglios autônomos

  • Estimulantes

  • Nicotina

  • Lobelina

  • Dimetilfenilpiperazínio (DMPP)

Afetam a junção neuromuscular


Efeitos dos estimuladores ganglionares

  • Estimulação dos gânglios simpáticos e parassimpáticos (efeitos complexos) -

  • -taquicardia

  • -  da pressão arterial

  • -  secreções brônquicas, salivares e sudoríparas

  • - sem utilidade terapêutica


Drogas que afetam os gânglios autônomos

  • Mecanismos dos Bloqueadores Ganglionares

  • Interferência na liberação de Ach (tb ocorre na junção neuromuscular) - toxina botulínica e hemicolínio e íon magnésio

  • Desporalização prolongada nicotina

  • Interferência na ação pós-sináptica da Ach - Hexametônio

  • - Trimetafan


Efeitos dos bloqueadores ganglionares

  • Bloqueio dos gânglios autônomos e entéricos

  • -hipotensão

  • - perda dos reflexos cardiovasculares

  • - inibição das secreções

  • - paralisia gastrointestinal

  • - comprometimento da micção

  • - pouca utilidade clínica - exceção ao trimetafan - produz hipotensão controlada na anestesia


Bloqueadores Neuromusculares

  • Agentes bloqueadores não despolarizantes - bloqueiam os receptores de Ach e/ou canal iônico.

  • Agentes bloqueadores despolarizantes

    - são agonistas nos receptores de Ach


Bloqueadores Neuromusculares

  • Agentes não despolarizantes

    - tubocumarina, atracúrio, vecurônio

    - atuam como antagonistas no AchR

    - diferem na duração da ação

  • Agentes despolarizantes

    - suxametônio


Bloqueadores Neuromusculares

  • O bloqueio não despolarizante é reversível por agentes anticolinesterásicos

  • O bloqueio despolarizante produz fasciculações iniciais e, com freqüência, dor muscular pós operatória

  • Tubocumarina - bloqueio ganglionar, liberação de histamina (hipotensão, broncocontrição)

  • Suxametônio - bradicardia, disritmias cardíacas (liberação de K+ particularmente em queimados ou traumatizados), elevação da pressão intra-ocular e hipertermia maligna (rara).


ad