O principezinho l.jpg
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 47

“O Principezinho” PowerPoint PPT Presentation


  • 380 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

“O Principezinho”. Uma vez, um menino de 6 anos que gostava muito de ler, viu uma imagem magnífica num livro sobre a “Floresta Virgem”…. A gravura do livro mostrava uma jibóia a engolir uma fera….

Download Presentation

“O Principezinho”

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


O principezinho l.jpg

“O Principezinho”


Slide2 l.jpg

Uma vez, um menino de 6 anos que gostava muito de ler, viu uma imagem magnífica num livro sobre a “Floresta Virgem”…

A gravura do livro mostrava uma jibóia a engolir uma fera…

O livro dizia que quando a jibóia engole a presa inteira, sem mastigar ela não se pode mexer e passa 6 meses de digestão a dormir…


Slide3 l.jpg

Como não sabia escrever, lembrou-se de desenhar! E este foi o primeiro desenho que ele fez…

Curioso, o menino da nossa história começou logo a imaginar histórias de animais e aventuras na selva.

Lembrou-se de o mostrar às pessoas crescidas e perguntou-lhes se o seu desenho lhes metia medo…


Slide4 l.jpg

Mas o desenho não era um CHAPÉU!!!

As pessoas crescidas perguntaram: “ Porque é que um chapéu havia de meter medo?”

… era uma jibóia a fazer a digestão!


Slide5 l.jpg

As pessoas crescidas não entenderam o menino e disseram-lhe que ele devia mas era dedicar-se

… à Geografia, à História, à Matemática e à Gramática!


Slide6 l.jpg

… e assim, muito triste e sozinho, o menino deixou de desenhar porque os adultos não compreendiam os seus desenhos!


Slide7 l.jpg

“As pessoas crescidas nunca entendem nada sozinhas e uma criança acaba por se cansar de lhes estar sempre a explicar tudo.”, pensou o menino.


Slide8 l.jpg

O menino cresceu…

…tornou-se num piloto de aviões, viajava por todo o mundo e conhecia muitas pessoas.

…mas nunca encontrou nenhum adulto que compreendesse os seus desenhos...


Slide9 l.jpg

Pois bem, numa das suas viagens, o motor do avião teve uma avaria em pleno deserto do Sahara…

O nosso piloto teve que aterrar e resolver o problema.

O problema era sério! Era uma questão de vida ou de morte - a água só chegava para 8 dias! E ele estava perdido no deserto…

Chegou a noite e o piloto adormeceu…


Slide10 l.jpg

No dia seguinte, logo pela manhã, o piloto foi acordado pela voz muito fininha, de um menino que lhe pediu…

“- Se faz favor… desenha-me uma ovelha!”


Slide11 l.jpg

O piloto, ainda meio atordoado, deu um salto, esfregou os olhos e, muito espantado, perguntou-lhe de onde vinha.

O menino era espantoso e não tinha aspecto de andar por ali perdido, de estar morto de medo ou de fome ou estar abandonado.

O menino não lhe respondeu e voltou a pedir ao piloto que este lhe desenhasse uma ovelha.


Slide12 l.jpg

O Piloto disse-lhe que não sabia desenhar ovelhas então… desenhou-lhe a única coisa que sabia desenhar…


Slide13 l.jpg

“- As jibóias são perigosas e os elefantes incomodativos! Eu quero é uma ovelha!”

“- Para que é que eu quero um elefante dentro de uma jibóia?”

FINALMENTE ALGUÉM COMPREENDIA OS SEUS DESENHOS!

“- O sítio de onde eu venho é muito pequenino…”


Slide14 l.jpg

E então o piloto desenhou uma ovelha…

“- Não, não! Esta está doente! Quero outra!Arranja-a!”

E o piloto obedeceu e desenhou outra…

“- Ainda não está bem! Vê lá se percebes, isto não é uma ovelha, é um carneiro, tem cornos!”


Slide15 l.jpg

…com muita paciência, ainda desenhou outra ovelha…

“- Esta já é velha! Eu quero uma que viva muito tempo!

Então, já sem paciência e com pressa de arranjar o motor do avião, o piloto desenhou o seguinte:


Slide16 l.jpg

“- Era precisamente esta que eu queria!”

“- Isto é uma caixa.

Dentro dela está a tua ovelha!”

…e foi assim que o piloto conheceu o Principezinho!


Slide17 l.jpg

O Principezinho passava o tempo todo a fazer perguntas e a poucas respondia às do piloto… queria saber tudo sobre tudo!...

Até que após algum tempo, o piloto acabou por concluir que ele vinha mesmo de outro mundo, mais concretamente do:

ASTERÓIDE B-612


Slide18 l.jpg

O ASTERÓIDE B-612, planeta de origem do Principezinho, era pouco maior que uma casa. O Principezinho vivia só e triste pois lá não tinha amigos…


Slide19 l.jpg

Informação!!!!

Quando os astrónomos descobrem novos planetas (tão pequenos que às vezes mal se veêm) dão-lhes o nome de Asteróide e atribuem-lhes um número.

O ASTERÓIDE 612 deve ter sido descoberto em 1909 por um astrónomo turco. Ninguém o levou a sério por causa das roupas que usava!

Em 1920 o mesmo astrónomo vestiu-se de outra maneira e os adultos agora já aceitaram este facto!

Os adultos são mesmo assim!


Slide20 l.jpg

Todos os dias o piloto ficava a saber mais coisas sobre o seu amigo.

Por exemplo, ficou a saber que o menino queria uma ovelha para ajudar a combater o crescimento de umas árvores gigantescas que ameaçavam o seu pequeno planeta- eram os embondeiros

Agora voltamos à nossa história…

As ovelhas podiam comer os embondeiros antes destes crescerem!


Slide21 l.jpg

Se os embondeiros crescessem… nem uma manada de elefantes empilhados uns nos outros conseguiriam derrubá-los!


Slide22 l.jpg

Todos os dias o menino tinha de limpar e arranjar o seu planeta.

Era necessário arrancar regularmente os pés dos embondeiros para conservar o planeta!.

Era uma medida de urgência!!!!!


Slide23 l.jpg

Ao quarto dia, o piloto e o principezinho estavam cada vez mais amigos…

Como não tinha amigos, o principezinho gostava muito de ver o pôr-do-sol!

O pôr-do-sol fazia-o feliz, principalmente quando estava triste.


Slide24 l.jpg

…e os dias iam passando…

…quando estava a olhar para uma das ovelhas que o piloto fez, viu uma rosa e começou a questionar-se se a ovelha gostaria de rosas…

… e lembrou-se das flores do seu planeta – eram muito simples e apenas tinham uma fiada de pétalas…

…até que um dia, vinda do nada, nasceu uma nova planta que era diferente de todas as outras e o principezinho logo cuidou dela dia e noite…


Slide25 l.jpg

Assim que despontou, a flor mostrou ser tão vaidosa e caprichosa que o nosso principezinho ao fim de algum tempo desesperou e fugiu!


Slide26 l.jpg

A flor não gostava de correntes de ar …

… o principezinho arranjou um biombo para a proteger …

A flor achava que por ter 4 espinhos era mais forte que um tigre!…(a convencida!)

À noite queria ser coberta por uma redoma porque tinha frio!...


Slide27 l.jpg

Apesar de toda a boa vontade e amor, o principezinho começou a andar muito infeliz …

“- Nunca lhe devia ter dado ouvidos!”

“- Nunca se deve dar ouvidos às flores! Deve-se olhar para elas e cheirá-las!


Slide28 l.jpg

…mas quando ficou longe da flor ficou ainda mais triste! …

“- Não fui capaz de entender nada!”

“- Devia tê-la avaliado pelos seus actos e não pelas suas palavras!”

“- Ela dava-me luz e perfumava-me!”


Slide29 l.jpg

…então, não aguentando mais a tristeza, aproveitou uma migração de pássaros selvagens e fugiu do seu planeta.


Slide30 l.jpg

Mas antes quis deixar tudo em ordem, varreu cuidadosamente os vulcões em actividade e apanhou os últimos rebentos de embondeiro.


Slide31 l.jpg

ASTERÓIDE 325

“- Cá temos um súbdito!”

Era muito pequeno, habitado por um rei instalado num trono majestoso

O rei só queria ser obedecido, não tolerava desobediências, era um monarca absoluto mas era bom.

38


Slide32 l.jpg

ASTERÓIDE 326

Era habitado por um vaidoso!

“- Cá temos um admirador!”

Os vaidosos só ouvem os elogios!

42


Slide33 l.jpg

ASTERÓIDE 327

Era habitado por um bêbado muito triste!

“- Estou a beber para me esquecer que tenho vergonha de beber!”

“Não há dúvida que as pessoas crescidas são mesmo muitíssimo esquisitas!”


Slide34 l.jpg

ASTERÓIDE 328

“- Três e dois, cinco! Cinco e sete, doze. Doze e três, quinze. Bom dia! Quinze e sete, vinte e dois. ”

Era habitado por um homem de negócios muito atarefado!

Passava a vida a contar estrelas e a dizer que era um homem sério! Mas as coisas sérias para o principezinho eram muito diferentes!


Slide35 l.jpg

ASTERÓIDE 329

“- Tenho uma profissão terrível! ”

Era muito curioso. Era o menor de todos.

Nele vivia um acendedor de candeeiros e um candeeiro. Os dias nesse planeta duram um minuto, então o acendedor passa a vida a acender e apagar candeeiros.


Slide36 l.jpg

ASTERÓIDE 330

“- Cá temos um explorador! ”

Era dez vezes maior que o outro. Era habitado por um senhor de idade que escrevia livros muito grossos- era um geógrafo.

Este geógrafo não conhecia o próprio planeta; nunca tinha saído do gabinete! Então pediu ao principezinho que descrevesse o seu planeta. No fim aconselhou-o a visitar o planeta Terra.


Slide37 l.jpg

Quando chegou à Terra o principezinho ficou admirado por não ver ninguém, já estava a pensar que se tinha enganado no planeta, quando viu um anel da cor da lua a mexer na areia.

“- Boa noite! Em que planeta caí eu?”

“- E na Terra não há ninguém? ”

“- Na Terra, em África”

“- Aqui é o deserto. Nos desertos não há ninguém.”


Slide38 l.jpg

O principezinho atravessou o deserto à procura dos homens. Pelo caminho encontrou:

Uma flor

O eco no cimo da montanha

Um jardim cheio de rosas


Slide39 l.jpg

Descobriu que a sua rosa não era a única rosa do universo

E começou a chorar, deitado na relva.


Slide40 l.jpg

Foi então que apareceu uma raposa…

“- Boa dia! Estou aqui!”

– Vem brincar comigo – propôs o principezinho. – Estou tão triste...

– Eu não posso brincar contigo – disse a raposa. – Não me cativaram ainda.


Slide41 l.jpg

– Procuro os homens – disse o pequeno príncipe.

- Os homens – disse a raposa – têm fuzis e caçam. É assustador!

– Não – disse o príncipe. – Eu procuro amigos


Slide42 l.jpg

“Se tu queres um amigo, cativa-me!”

– Que é preciso fazer? – perguntou o pequeno príncipe.

– É preciso ser paciente – respondeu a raposa

– Tu te sentarás primeiro um pouco longe de mim, assim, na relva. Eu te olharei com o canto do olho e tu não dirás nada. A linguagem é uma fonte de mal-entendidos. Mas cada dia, te sentarás um pouco mais perto...

“…só se vê bem com o coração.

O essencial é invisível aos olhos.”

O príncipe despediu-se da raposa e partiu.


Slide43 l.jpg

E enquanto contava todas estas aventuras ao piloto, os dois acabaram por perceber que o tempo estava a passar e que realmente precisavam de água.

A noite veio e o principezinho acabou por adormecer. O piloto pegou nele ao colo e durante a noite procurou um poço de água.

Acabaram por descobrir um poço ao romper da madrugada.


Slide44 l.jpg

Ao lado do poço havia umas ruínas de pedra, as ruínas de um muro velho.

O principezinho sentou-se lá em cima e começou a falar sozinho…

Quando o piloto deu a volta descobriu uma serpente venenosa!

O piloto acabou por matar a serpente.


Slide45 l.jpg

Foi então que o principezinho comunicou ao piloto que o avião afinal já estava arranjado e que chegara a hora dele partir para o seu planeta!

A estrela que o trouxera encontrava-se no céu e vinha buscá-lo!


Slide46 l.jpg

No fim de tudo, o piloto voltou para junto dos seus amigos, muito triste.

… e o principezinho voltou para o seu planeta!


O principezinho47 l.jpg

“O Principezinho”


  • Login