Capitulo 8 maximiza o de lucros mercados perfeitamente competitivos
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 54

Capitulo 8: Maximização de lucros Mercados perfeitamente competitivos PowerPoint PPT Presentation


  • 44 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Capitulo 8: Maximização de lucros Mercados perfeitamente competitivos. Características dos mercados perfeitamente competitivos 1. Aceitadores de preços 2. Homogeneidade de produtos 3. Livre entrada e saída dos agentes no mercado. Mercados perfeitamente competitivos.

Download Presentation

Capitulo 8: Maximização de lucros Mercados perfeitamente competitivos

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Capitulo 8 maximiza o de lucros mercados perfeitamente competitivos

Capitulo 8: Maximização de lucros Mercados perfeitamente competitivos

  • Características dos mercados perfeitamente competitivos

    1.Aceitadores de preços

    2.Homogeneidade de produtos

    3.Livre entrada e saída dos agentes no mercado


Mercados perfeitamente competitivos

Mercados perfeitamente competitivos

1.Aceitadores de preço

  • Cada empresa, individualmente, oferta uma pequena parte da produção total do mercado e, portanto, não tem influência no preço de mercado.

  • Cada consumidor, individualmente, demanda uma porção muito pequena da produção total do mercado, não tendo qualquer impacto sobre o preço de mercado.


Mercados perfeitamente competitivos1

Mercados perfeitamente competitivos

2.Homogeneidade de produtos

  • Os produtos são homogêneos, ou seja, não são diferenciáveis. Todos os bens possuem substitutos próximos.

    3. Livre entrada e saída dos agentes no mercado (não há barreiras no mercado)

  • Os compradores podem, facilmente, mudar de fornecedor.

  • Os produtores podem, facilmente, entrar ou sair do mercado.


Receita marginal custo marginal e maximiza o de lucros

Receita marginal, custo marginal,e maximização de lucros

  • Determinação do nível de produção que maximiza os lucros

    • Lucro ( ) = Receita total - Custo total

    • Receita total (RT) = P x q

    • Custo total (CT) = C x q

    • Logo:


Receita marginal custo marginal e maximiza o de lucros1

Receita total

R(q)

Receita marginal, custo marginal,e maximização de lucros

Maximização de lucros no curto prazo

Custo,

receita e

lucro

(dólares por ano)

0

Produção (unidades por ano)


Receita marginal custo marginal e maximiza o de lucros2

C(q)

Custo total

Por que o custo é positivo quando q é zero?

Receita marginal, custo marginal,e maximização de lucros

Maximização de lucros no curto prazo

Custo,

receita e

lucro

(dólares por ano)

0

Produção (unidades por ano)


Receita marginal custo marginal e maximiza o de lucros3

Receita marginal, custo marginal,e maximização de lucros

  • Receita marginal é a receita adicional proveniente da produção de uma unidade a mais de produto.

  • Custo marginal é o custo adicional associado à produção de uma unidade a mais de produto.


Receita marginal custo marginal e maximiza o de lucros4

C(q)

R(q)

A

B

q0

q*

Receita marginal, custo marginal,e maximização de lucros

  • Comparando R(q) e C(q)

    • Nível de produção: 0- q0:

      • C(q)> R(q)

        • Lucro negativo

      • CF + CV > R(q)

      • RMg > CMg

        • Indica que o lucro deve aumentar com a expansão da produção

Custo,

receita

e lucro

(dólares por ano)

0

Produção (unidades por ano)


Receita marginal custo marginal e maximiza o de lucros5

Custo,

receita

e lucro

(dólares por ano)

C(q)

R(q)

A

B

q0

q*

0

Produção (unidades por ano)

Receita marginal, custo marginal,e maximização de lucros

  • Comparando R(q) e C(q)

    • Nível de produção: q0-q*

      • R(q)> C(q)

      • RMg > CMg

        • Indica que o lucro deve aumentar com a expansão da produção

        • Lucro é crescente


Receita marginal custo marginal e maximiza o de lucros6

Custo,

receita e

lucro

(dólares por ano)

C(q)

R(q)

A

B

q0

q*

0

Produção (unidades por ano)

Receita marginal, custo marginal,e maximização de lucros

  • Comparando R(q) e C(q)

    • Nível de produção: q*

      • R(q)= C(q)

      • RMg = CMg

      • Nível máximo de lucro


Receita marginal custo marginal e maximiza o de lucros7

Receita marginal, custo marginal,e maximização de lucros


Receita marginal custo marginal e maximiza o de lucros8

Receita marginal, custo marginal,e maximização de lucros


Receita marginal custo marginal e maximiza o de lucros9

Receita marginal, custo marginal,e maximização de lucros

  • Demanda e receita marginal para empresas competitivas

    • Aceitação de preços

    • Produção de mercado (Q) e produção da empresa (q)

    • Demanda de mercado (D) e demanda da empresa (d)

    • R(q) é uma linha reta


Receita marginal custo marginal e maximiza o de lucros10

$4

d

$4

D

Receita marginal, custo marginal,e maximização de lucros

Curva da demanda com a qual se defronta uma empresa competitiva

Preço

(dólares

por

Bushel)

Preço

(dólares

por

Bushel)

Empresa

Setor

Produção

(milhões

de bushels)

Produção

(bushels)

100

200

100


Receita marginal custo marginal e maximiza o de lucros11

Receita marginal, custo marginal,e maximização de lucros

Demanda e receita marginal para empresas competitivas

  • A empresa competitiva

    • A demanda da empresa competitiva

      • O produtor individual vende todas as suas unidades de produto por $4, independente do seu nível de produção.

      • Se o produtor cobrar um preço mais elevado, suas vendas cairão para zero.

      • P = D = RMg = RMe


Receita marginal custo marginal e maximiza o de lucros12

Receita marginal, custo marginal,e maximização de lucros

  • Maximização de lucros por uma empresa competitiva

    • Maximização de lucros

      • CMg(q) = RMg = P

  • Veremos agora de que forma a análise da produção e dos custos, combinada à análise da demanda, nos permite determinar os níveis de produção e rentabilidade.


Escolha do n vel da produ o no curto prazo

CMg

RMe=RMg=P

CTMe

CVMe

q*

Escolha do nível da produção no curto prazo

Uma empresa competitiva

que gera lucro positivo

Preço

(dólares por

unidade)

60

Lucro perdido

quando qq < q*

50

Lucro perdido

quando q2 > q*

A

D

40

C

B

30

q1 : RMg > CMg

q2: CMg > RMg

q0: CMg = RMg

maso CMg é

decrescente

Em q*: RMg = CMg

e P > CTMe

20

10

0

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

Produção

q0

q1

q2


Escolha do n vel da produ o no curto prazo1

CMg

CTMe

C

D

P = RMg

A

CVMe

F

E

q*

Escolha do nível da produção no curto prazo

Uma empresa competitiva

que tem prejuízos

Preço

(dólares por

unidade)

B

Em q*: RMg = CMg

e P < CTMe

Prejuízo =

(P- CMe) x q*

ou ABCD

Esse produtor continuaria a produzir apesar do prejuízo?

Produção


Escolha do n vel da produ o no curto prazo2

Escolha do nível da produção no curto prazo

  • Resumo das decisões de produção

    • O lucro é maximizado quando CMg = RMg

    • Se P > CTMe, a empresa aufere lucros.

    • Se CVMe < P < CTMe, a empresa deve produzir com prejuízo.

    • Se P < CVMe < CTMe, a empresa deve abandonar a indústria.


Curva da oferta da empresa competitiva no curto prazo

A empresa escolhe o nível de

produção onde RMg = CMg,

desde que seja capaz de cobrir

seus custos variáveis de produção.

CMg

CTMe

P2

CVMe

P1

q1

q2

Curva da oferta da empresa competitiva no curto prazo

Curva da oferta no curto prazo para uma empresa competitiva

Preço

(dólares

por unidade)

O que aconteceria

se P < CVMe?

P = CVMe

Produção


Curva da oferta da empresa competitiva no curto prazo1

Curva da oferta da empresa competitiva no curto prazo

Curva da oferta no curto prazo para uma empresa competitiva

Preço

(dólares

por unidade)

S = CMg acima de CVMe

CMg

CMe

P2

CVMe

P1

P = CVMe

Ponto de saída do

mercado

Produção

q1

q2


Curva da oferta da empresa competitiva no curto prazo2

Curva da oferta da empresa competitiva no curto prazo

  • Observações:

    • A curva de oferta é inclinada de forma positiva devido à ocorrência de rendimentos decrescentes.

    • Preços mais elevados compensam a empresa pelos custos mais altos associados ao aumento da produção e elevam o lucro total, pois se aplicam a todas as unidades produzidas.


Curva da oferta da empresa competitiva no curto prazo3

Curva da oferta da empresa competitiva no curto prazo

  • Resposta da empresa à modificação de preço dos insumos

    • Quando o preço de um fator de produção varia, a empresa modifica seu nível de produção, de tal forma que o custo marginal de produção permaneça igual ao preço do produto.


Curva da oferta da empresa competitiva no curto prazo4

Devido ao aumento

no preço do insumo,

CMg se desloca

para CMg2,

e q cai para q2.

CMg2

CMg1

$5

q2

q1

Curva da oferta da empresa competitiva no curto prazo

Resposta da empresa à modificação no preço dos insumos

Preço

(dólares por

unidade)

Economia de custo

associada à redução

da produção

Produção


Curva da oferta de mercado no curto prazo

Curva da oferta de mercado no curto prazo

  • A curva da oferta de mercado no curto prazo representa a quantidade de produto que o setor produzirá no curto prazo para cada preço possível.

  • Suponha um mercado competitivo com apenas três empresas:


Curva da oferta de mercado no curto prazo1

S

A curva de oferta da

indústria no curto prazo

é a soma horizontal

das curvas de oferta das

empresas individuais.

CMg1

CMg2

CMg3

P3

P2

P1

Curva da oferta de mercado no curto prazo

Curva da oferta de um setor no curto prazo

Dólares por

unidade

Pergunta: Qual seria o efeito

sobre a oferta de mercado

de um aumento da produção,

se este aumentasse o

preço dos insumos?

Quantidade

0

2

4

5

7

8

10

15

21


Curva da oferta de mercado no curto prazo2

Curva da oferta de mercado no curto prazo

  • Umacurva de oferta a curto prazo perfeitamente inelástica surge quando todos os equipamentos e plantas produtivas do setor estão sendo plenamente utilizados, de modo que, para aumentar o nível de produção, seria necessária a construção de novas plantas produtivas.

  • Uma curva de oferta a curto prazo perfeitamente elástica surge quando os custos marginais são constantes.


Curva da oferta de mercado no curto prazo3

Curva da oferta de mercado no curto prazo

  • Excedente do produtor no curto prazo

    • As empresas obtém um excedente por cada unidade produzida, exceto a última unidade.

    • O excedente do produtor é a soma das diferenças entre o preço de mercado e o custo marginal de produção de cada unidade produzida.


Curva da oferta de mercado no curto prazo4

Em q*, CMg = RMg.

Entre 0 e q ,

RMg > CMg para todas as unidades.

Excedente

do produtor

CMg

CVMe

B

A

P

Alternativamente, o CVMe de

produzir q* é a soma de todos os

custos marginais até q*,

dada por 0DCq* . Sabemos que

R = P x q* =0ABq*.

Logo:

Excedente do produtor =

R – CV =ABCD.

D

C

q*

Curva da oferta de mercado no curto prazo

Excedente do produtor para uma empresa

Preço

(dólares por

unidade de

produção)

0

Produção


Curva da oferta de mercado no curto prazo5

Curva da oferta de mercado no curto prazo

Excedente do produtor no curto prazo


Curva da oferta de mercado no curto prazo6

Curva da oferta de mercado no curto prazo

Excedente do produtor no curto prazo

  • Observação

    • No curto prazo, quando o custo fixo é positivo:


Escolha do n vel de produ o no longo prazo

S

O excedente do produtor para um

mercado é a diferença entre P*

e S, de 0 a Q*.

P*

Excedente

do produtor

D

Q*

Escolha do nível de produção no longo prazo

Excedente do produtor para um mercado

Preço

(dólares por

unidade

produzida)

Produção


Escolha do n vel de produ o no longo prazo1

Escolha do nível de produção no longo prazo

  • No longo prazo, a empresa pode variar a quantidade usada de todos seus insumos, inclusive o tamanho da empresa.

  • Estamos supondo livre entrada e livre saída no mercado.


Escolha do n vel de produ o no longo prazo2

No longo prazo,o tamanho da empresa

aumenta e a produção se eleva para q3.

O lucro de longo prazo (EFGD) >

lucro de curto prazo (ABCD).

CMgLP

CMeLP

CMgCP

CMeCP

D

A

E

$40

P = RMg

C

B

G

F

$30

No curto prazo,

alguns insumos são fixos.

P = $40 > CTMe.

Lucro é dado por ABCD.

q1

q2

q3

Escolha do nível de produção no longo prazo

Escolha do nível de produção no longo prazo

Preço

(dólares por

unidade

produzida)

Produção


Escolha do n vel de produ o no longo prazo3

Escolha do nível de produção no longo prazo

  • Equilíbrio competitivo no longo prazo

  • Lucro contábil e lucro econômico

    • Lucro contábil = R - wL

    • Lucro Econômico = R - wL - rK

      • wL = custo da mão-de-obra

      • rK = custo de oportunidade do capital


Escolha do n vel de produ o no longo prazo4

Escolha do nível de produção no longo prazo

Equilíbrio competitivo no longo prazo

  • Lucro econômico nulo

    • Se R > wL + rK, o lucro econômico é positivo

    • Se R = wL + rK, o lucro econômico é nulo, mas a empresa aufere uma taxa de retorno normal, o que indica tratar-se de um setor competitivo

    • Se R < wL + rK, a empresa deveria abandonar o setor


Escolha do n vel de produ o no longo prazo5

Escolha do nível de produção no longo prazo

Equilíbrio competitivo no longo prazo

  • Entrada e saída

    • Os lucros de curto prazo resultam em maior produção e lucros no longo prazo.

    • Os lucros no setor atraem novos produtores.

    • O aumento no número de produtores resulta na elevação da oferta do setor e, portanto, na redução do preço de mercado.


Escolha do n vel de produ o no longo prazo6

  • O lucro atrai novas empresas

  • A oferta aumenta até que o lucro = 0

S1

CMgLP

P1

CMeLP

S2

$30

P2

D

Q1

Q2

Escolha do nível de produção no longo prazo

Equilíbrio competitivo no longo prazo

dólares

por unidade

produzida

Empresa

Setor

dólares

por unidade

produzida

$40

q2

Produção

Produção


Escolha do n vel de produ o no longo prazo7

Escolha do nível de produção no longo prazo

Equilíbrio competitivo no longo prazo

1. CMg = RMg

2.P = CMeLP

  • Não há incentivo à entrada ou saída

  • Lucro = 0

    3. Preço de mercado de equilíbrio


Escolha do n vel de produ o no longo prazo8

CMgLP

CMeLP

Escolha do nível de produção no longo prazo

As empresas auferem lucro zero no equilíbrio de longo prazo

Preço do

ingresso

Uma equipe de beisebol

de uma cidade média

vende uma quantidade

de ingressos suficiente

para que o preço seja

igual aos custos

marginal

e médio (lucro = 0).

$7

Vendas de ingressos na temporada (milhões)

1


Curva da oferta do setor no longo prazo

Curva da oferta do setor no longo prazo

  • Na determinação da oferta no longo prazo, supõe-se que:

    • Todas as empresas têm acesso à tecnologia de produção existente.

    • O aumento da produção deve-se ao uso de maior quantidade de insumos, e não a inovações tecnológicas.

    • As condições dos mercados de fatores de produção não variam em decorrência da expansão ou contração do setor.


Curva da oferta do setor no longo prazo1

Q1 aumenta para Q2.

Oferta no longo prazo = SL = CMeLP.

A mudança na produção não afeta

o preço do insumo.

S1

CMg

CMe

C

P2

P2

A

SLP

P1

P1

D1

D2

q1

q2

Q1

Curva da oferta do setor no longo prazo

Oferta no longo prazo em um setor de custo constante

Lucros econômicos atraem novas

empresas. A oferta aumenta para S2

e o mercado retorna ao equilíbrio

de longo prazo.

dólares por

unidade de

produção

dólares por

unidade de

produção

S2

B

Q2

Produção

Produção


Curva da oferta do setor no longo prazo2

Curva da oferta do setor no longo prazo

  • Setor de custo constante

  • Em um setor de custo constante, a oferta no longo prazo é uma reta horizontal, referente a um nível de preço igual ao custo médio mínimo de produção.


Curva da oferta do setor no longo prazo3

Em decorrência do aumento nos preços

dos insumos, o equilíbrio no longo prazo

ocorre a um preço mais elevado.

S1

S2

CMe2

CMg2

SLP

CMg1

P2

CMe1

P2

P3

P3

B

A

P1

P1

D1

D1

q1

q2

Q1

Q2

Q3

Curva da oferta do setor no longo prazo

Oferta no longo prazo em um setor de custo crescente

Dólares por

unidade de

produção

Dólares por

unidade de

produção

Produção

Produção


Curva da oferta do setor no longo prazo4

Curva da oferta do setor no longo prazo

  • Setor de custo crescente

  • Em um setor de custo crescente, a curva de oferta no longo prazo é positivamente inclinada.


Curva da oferta do setor no longo prazo5

Curva da oferta do setor no longo prazo

Setor de custo decrescente

  • Em um setor de custo decrescente, a curva de oferta no longo prazo é negativamente inclinada.


Curva da oferta do setor no longo prazo6

Curva da oferta do setor no longo prazo

  • Efeitos de um imposto

    • Em capítulo anterior, vimos como as empresas reagem a impostos sobre insumos.

    • Agora, veremos como as empresas reagem a impostos sobre a produção.


Curva da oferta do setor no longo prazo7

CMg2 = CMg1 + t

Um imposto de produção

aumenta o custo marginal

da empresa no montante

do imposto.

t

P1

CVMe1 + t

q1

Curva da oferta do setor no longo prazo

Efeito que um imposto sobre a produção provoca no nível de produção de uma empresa competitiva

Dólares por

unidade

produzida

CMg1

A empresa reduzirá a

produção até o ponto

em que o custo marginal

acrescido do imposto

seja igual ao preço.

CVMe1

q2

Produção


Curva da oferta do setor no longo prazo8

S2 = S1 + t

S1

t

P2

O imposto desloca S1para S2

e a produção cai para Q2.

O preço aumenta para P2.

P1

D

Q2

Q1

Curva da oferta do setor no longo prazo

Efeito que um imposto sobre a produção provoca no nível de produção de um setor

Dólares por

unidade

produzida

Produção


Curva da oferta do setor no longo prazo9

Curva da oferta do setor no longo prazo

  • Elasticidade da oferta no longo prazo

    1.Setor de custo constante

    • A oferta no longo prazo é horizontal

    • Pequenas variações no preço induzem variações extremamente grandes na produção


Curva da oferta do setor no longo prazo10

Curva da oferta do setor no longo prazo

Elasticidade da oferta no longo prazo

1.Setor de custo constante

  • A elasticidade no longo prazo da oferta é infinita

  • Supõe-se que haja insumos imediatamente disponíveis para a expansão da oferta


Curva da oferta do setor no longo prazo11

Curva da oferta do setor no longo prazo

Elasticidade da oferta no longo prazo

2.Setor de custo crescente

  • A oferta no longo prazo é positivamente inclinada e a elasticidade é positiva

  • A inclinação (elasticidade) depende da magnitude dos aumentos no custo dos insumos

  • A elasticidade no longo prazo é geralmente maior que a elasticidade no curto prazo


Resumo

Resumo

  • Os administradores de empresas podem atuar de acordo com um conjunto complexo de objetivos e sob diversas restrições.

  • Uma empresa competitiva toma suas decisões de produção sob a hipótese de que a demanda pela sua produção é horizontal.

  • No curto prazo, uma empresa competitiva maximiza seu lucro escolhendo o nível de produção para o qual o preço seja igual ao custo marginal (de curto prazo).

  • A curva de oferta de mercado no curto prazo é a soma horizontal das curvas de oferta das empresas do setor.


Resumo1

Resumo

  • O excedente do produtor para uma empresa é a diferença entre sua receita e o custo mínimo necessário para produzir o nível ótimo de produto.

  • Renda econômica é a diferença entre o pagamento feito por um fator de produção escasso e o valor mínimo necessário para obtê-lo por locação.

  • No longo prazo, as empresas maximizadoras de lucro escolhem o nível de produção para o qual o preço é igual ao custo marginal no longo prazo.

  • A curva de oferta no longo prazo da empresa pode ser horizontal ou apresentar inclinação positiva ou negativa.


  • Login