Lisboa e a Arquitectura
Download
1 / 13

Lisboa e a Arquitectura Pombalina - PowerPoint PPT Presentation


  • 80 Views
  • Uploaded on

Lisboa e a Arquitectura Pombalina!. Lisboa era o orgulho dos Portugueses da época. Logo pela manhã, a cidade despertava com os sinos da cidade de S. Jorge a S. Roque.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Lisboa e a Arquitectura Pombalina' - caitlyn


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

Lisboa era o orgulho dos Portugueses da época. Logo pela manhã, a cidade despertava com os sinos da cidade de S. Jorge a S. Roque.


O Rossio, enchia-se de cocheiros, burgueses, vendedores, pedintes, moças de fretes e cavaleiros impetuosos. As gaivotas voavam indiferentes sobre o Tejo.


Nada fazia prever que naquela inesquecível manhã de 1 de Novembro de 1755, a cidade acordasse em ruínas.Durante seis intermináveis minutos, Lisboa oscilou. Do Terreiro do Paço ao Rossio a destruição foi total.


- Que fazer? Gritava desesperado o rei de Portugal D. José I.- Senhor! respondeu o Marquês de Pombal: - Sepultar os mortos e cuidar dos vivos!


Inicia-se assim a construção de uma nova capital: Lisboa Pombalina. Em vez do antigo e sinuoso traçado das ruas, optaram por ruas largas, rectilíneas e cortadas em ângulo recto, terminando na harmoniosa Praça do Comércio, frente ao Tejo.


As casas s o constru das todas da mesma altura e apresentam fachadas iguais
As casas são construídas todas da mesma altura Pombalina. Em vez do antigo e sinuoso traçado das ruas, optaram por ruas largas, rectilíneas e cortadas em ângulo recto, terminando na harmoniosa Praça do Comércio, frente ao Tejo.e apresentam fachadas iguais.


Os novos edif cios tinham fachadas simples s o ornamentados com varandas e belas mansardas
Os novos edifícios tinham fachadas simples. Pombalina. Em vez do antigo e sinuoso traçado das ruas, optaram por ruas largas, rectilíneas e cortadas em ângulo recto, terminando na harmoniosa Praça do Comércio, frente ao Tejo.São ornamentados com varandas e belas mansardas.


Para homenagear os comerciantes que, com o seu dinheiro, ajudaram o Marquês de Pombal a reconstruir a cidade, foi dada a esta praça o nome de «Praça do Comércio». No centro, ergueu-se a estátua equestre de D. José I.


No local onde existia o antigo pal cio real foi constru do um conjunto de reparti es do estado
No local onde existia o antigo palácio real ajudaram o Marquês de Pombal a reconstruir a cidade, foi dada a esta praça o nome de «Praça do Comércio». No centro, ergueu-se a estátua equestre de D. José I.foi construído um conjunto de repartições do estado.


O nome de Pombal ficou sempre ligado à reconstrução de Lisboa, por ter feito erguer a “Baixa Pombalina”, conjunto arquitectónico que ainda hoje mostra toda a grandeza da concepção.

Marquês de Pombal, foi sem dúvida, o primeiro governante em Portugal a preocupar-se com o necessário e prévio estudo urbanístico e arquitectónico antes das respectivas realizações.

Para o efeito, recorreu apenas a projectistas nacionais, o que mostra o seu interesse em valorizar o trabalho criador dos nossos arquitectos e engenheiros, que deixaram na nova Lisboa a marca de um estilo e de uma capacidade notáveis.

O centro vivo de Lisboa passou a ser o Terreiro do Paço, expressão da cidade burguesa voltada para o Tejo.

O “Estilo Pombalino” ficou a marcar uma época da nossa arquitectura, sendo desejo do ministro que essa forma de construção se implantasse ao nível do reino.


Hist ria e geografia de portugal
História e Geografia de Portugal Lisboa, por ter feito erguer a “Baixa Pombalina”, conjunto arquitectónico que ainda hoje mostra toda a grandeza da concepção.

As autoras deste trabalho:

  • N°4 – Ana Luisa Pereira Lima Lopes

  • N°14 – Francisca Joana Barbosa Barroso

    A professora: Anabela Braga


FIM Lisboa, por ter feito erguer a “Baixa Pombalina”, conjunto arquitectónico que ainda hoje mostra toda a grandeza da concepção.


ad