lu s de cam es n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Luís de Camões PowerPoint Presentation
Download Presentation
Luís de Camões

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 12

Luís de Camões - PowerPoint PPT Presentation


  • 218 Views
  • Uploaded on

Luís de Camões. Di Hu Ruwei Wu. I ntrodução. Poeta português, filho de Simão Vaz de Camões e de Ana de Sá e Macedo, Luís Vaz de Camões terá nascido por volta de 1524/1525, não se sabe exatamente onde, e morreu a 10 de junho de 1580, em Lisboa. . Cronologia. No combate de Ceuta.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Luís de Camões' - zyta


Download Now An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
lu s de cam es

Luís de Camões

Di Hu Ruwei Wu

i ntrodu o
Introdução
  • Poeta português, filho de Simão Vaz de Camões e de Ana de Sá e Macedo, Luís Vaz de Camões terá nascido por volta de 1524/1525, não se sabe exatamente onde, e morreu a 10 de junho de 1580, em Lisboa.
no combate de ceuta
No combate de Ceuta
  • Atribuem-se-lhe vários desterros, sendo um para Ceuta, onde se bateu como soldado e em combate perdeu o olho direito - perda referida na Canção «Lembrança da Longa Saudade« e outro para Constância, entre 1547 e 1550 - obrigado, diz-se, por ofensas a uma certa dama da corte.
metido na cadeia do tronco
Metido na cadeia do Tronco
  • Foi preso, como consequência de uma rixa com um funcionário da Corte.
  • Saiu no ano seguinte, inteiramente perdoado pelo agredido e pelo rei.
a sua dinamene
A sua "Dinamene"
  • Voltou a Goa, naufragou na viagem na foz do Rio Mecom, mas salvou-se, nadando com um braço e erguendo com o outro, acima das vagas, o manuscrito da imortal epopeia, facto documentado no Canto X, 128. Nesse naufrágio viu morrer a sua “Dinamene”, rapariga chinesa que se lhe tinha afeiçoado.
ah minha dinamene assim deixaste
Ah! minha Dinamene! Assim deixaste

Ah! minha Dinamene! Assim deixasteQuem não deixara nunca de querer-te!Ah! Ninfa minha, já não posso ver-te,Tão asinha esta vida desprezaste!

Como já pera sempre te apartasteDe quem tão longe estava de perder-te?Puderam estas ondas defender-teQue não visses quem tanto magoaste?Nem falar-te somente a dura MorteMe deixou, que tão cedo o negro mantoEm teus olhos deitado consentiste!Oh mar! oh céu! oh minha escura sorte!Que pena sentirei que valha tanto,Que inda tenha por pouco viver triste?

os lu s adas
《Os Lusíadas》
  • Regressado a Lisboa em 1569, três anos mais tarde obteve a publicação da primeira edição de Os Lusíadas, em1572.
  • Recebeu uma tença do Rei renovada pela última vez, em 1582, a favor de sua mãe.
slide9

“Aqui jaz Luís de Camões, príncipe dos poetas do seu tempo. Viveu pobre e miseravelmente, e assim morreu.”

slide10

A tumba de Camões

Mosteiro dos Jerónimos

slide11

“Se pouco sabemos de Camões, biograficamente falando, tudo sabemos da sua persona poética, já que não muitos poetas em qualquer tempo transformaram a sua própria experiência e pensamento numa tal reveladora obra de arte como a poesia de Camões é.”

-- Jorge de Sena