slide1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
SISTEMA BRASILEIRO DE TELEVISÃO DIGITAL SBTVD PowerPoint Presentation
Download Presentation
SISTEMA BRASILEIRO DE TELEVISÃO DIGITAL SBTVD

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 30

SISTEMA BRASILEIRO DE TELEVISÃO DIGITAL SBTVD - PowerPoint PPT Presentation


  • 73 Views
  • Uploaded on

SISTEMA BRASILEIRO DE TELEVISÃO DIGITAL SBTVD Projeto de implantação da TV digital terrestre no Brasil. O que é tv digital ?.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'SISTEMA BRASILEIRO DE TELEVISÃO DIGITAL SBTVD' - zared


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide1

SISTEMA BRASILEIRO DE TELEVISÃO DIGITAL

SBTVD

Projeto de implantação da TV digital terrestre no Brasil

slide3
A digitalização da televisão representa muito mais que uma melhoria de imagem, a alta definição. Ela representa um novo meio de comunicação de massa, uma tecnologia que permite a convergência da TV com outras mídias.
slide4
O QUE ESPERAR DA TV DIGITAL:

Melhor Qualidade de Imagem e Som

Otimização do espectro

Interatividade  Novos Serviços

Governo Eletrônico

Comércio Eletrônico

Educação

Saúde

Entretenimentos interativos (jogos, ...)

Mobilidade e Portabilidade

Convergência de Mídias

Inclusão Social

slide6

Passado

Meio de transmissão

Analógico

Analógico

Analógico

Analógico

Analógico

Estúdio

slide7

Atual

Meio de transmissão

Analógico

Analógico

Analógico

Analógico

Analógico

Digital

Analógico

Digital

Estúdio

slide8

Analógico

Analógico

Analógico

Digital

Digital

Analógico

Estúdio

Transição

Meios de transmissão

Analógico

Analógico

Digital

Set-top-box: unidade receptora decodificadora — URD

slide9

Futuro

Meio de transmissão

Analógico

Analógico

Digital

Digital

Set-top-box: unidade receptora decodificadora — URD

monitor integrado

Digital

Estúdio

O que é a TV Digital?

slide10

DESAFIO

Meio de transmissão

Analógico

Analógico

Digital

Digital

CANAL DE RETORNO

(INTERATIVIDADE)

Digital

Estúdio

Tv Interativa

slide13
ATSC

DVB-T

ISDB-T

slide14

Transmissão

Multiplexação

e

transporte

de

sinais

Vídeo

Codificação do

sinal de vídeo

Codificação

de canal

e modulação /

transmissão

dos sinais

Áudio

Codificação do

sinal de áudio

Novos serviços

e aplicações

interativas

Inserção de dados

Recepção

Canal de

retorno

Demultiplex.

de

sinais

Decodificação do

sinal de vídeo

Decodificação

de canal

e

demodulação

dos sinais

Vídeo

Decodificação do

sinal de áudio

Áudio

Novos serviços

e aplicações

interativas

Inserção de dados

Componentes de um sistema de TV Digital

slide20

(19 M)

HDTV

HDTV

LD

TV

(17 M)

(2 M)

HDTV

SD

TV

Plataforma de Transmissão

Plataforma de Transmissão

(15 M)

(4 M)

EDTV 1

EDTV 2

(9M cada)

Plataforma de Transmissão

EDTV 1

EDTV 2

EDTV 3

(6M cada)

Plataforma de Transmissão

S1

S2

S3

S4

(4M cada)

Plataforma de Transmissão

S1

S2

S3

L1

L2

Plataforma de Transmissão

Plataforma de Transmissão

  • Alternativas de uso  canalização

Possibilidades de ocupação da capacidade de transporte de um canal de 6 MHz

  • É possível adotar qualquer combinação até o limite de carga do sistema (18-19 Mb/s).
  • Pode haver alternância de formatos conforme o horário.
slide23
NÃO É SOMENTE UMA ESCOLHA DE TECNOLOGIAS!

IMPACTOS DA TV DIGITAL:

Tipos de serviços

Produção de conteúdo

Especificidades regionais

Custos

Inserção na sociedade de informação

Capacitação C&T

Negociação de direitos de propriedade intelectual (royalties)

Política Industrial

Inserção no panorama mundial (“player”)

slide24

% de domicílios no Brasil com:

A TV pode ser usada para a inclusão digital?

  • Fogões: 98%
  • Aparelhos deTV : 90%
  • Refrigerador: 87%
  • Esgoto: 66%
  • Telefone: 62%
  • Microcomputador: 14%
  • Accesso à Internet : 10%
fases do projeto para o sistema brasileiro de tv digital
REQUISITOS:

Universalização;

Interoperabilidade;

Usabilidade;

Uso social: Inclusão Digital  Inclusão Social

Fase I: Apoio à Decisão

Fase II: Desenvolvimento

Fase III: Implantação

Fases do projeto para o Sistema Brasileiro de TV Digital
objetivos da fase i
Uma missão determinada pelo Decreto 4.901 / 2003

Modelo de Referência para a TV digital no Brasil

Estudos de viabilidade técnico-econômicas das tecnologias e soluções consideradas.

Subsidiar o Governo Federalna decisão sobre o modelo a ser adotado para a TVD terrestre.

Disponibilizar o conhecimento gerado para os diversos agentes envolvidos: Governo, emissoras, indústrias, empresas de software e de serviços.

Objetivos da Fase I
objetivos do modelo de refer ncia
Objetivos do Modelo de Referência
  • Modelos de exploraçãode serviços e de tecnologias que darão suporte à plataforma de TV Digital no país.
  • Modelos de implantação, incluindo o plano de transição da TV Analógica para a Digital.
  • Apoio à decisão.
aspectos a considerar no modelo de refer ncia
Aspectos a considerar no Modelo de Referência
  • Aspectos Tecnológicos : Especificações Técnicas do Sistema de TVD Terrestre, Serviços e Aplicações
  • Aspectos Econômicos: Cadeia de Valor, Modelos de Negócio...
  • Aspectos Sociais: Cultura Digital, fruição dos serviços interativos, necessidades de formação de recursos...
  • Aspectos Regulatórios: Leis, Decretos, Política de outorgas e modelo de transição, regulamentos, canalização...
  • Aspectos Industriais: Custos, prazos, impactos, roteiros de implementação...
modelo de refer ncia metodologia de an lise

Resultado entregável

Modelo de Referência: metodologia de análise

Visão de Longo Prazo da Economia

Visão de Longo Prazo Economia

Análise de riscos

Modelos de Negócio

Socioeconômica

Alternativas de modelos (exploração e implantação)

Mapeamento do uso

Pesquisa de Mercado (demanda)

Análise de Viabilidade

Análise da CV atual

Cenários da CV

Caracterização da CV (oferta)

Tecnológica

Proposta de Modelo de Referência

Cadeia de Valor

Levantamento de modelos de TVD

Levantamento de tecnologias TVD

Análise Panorama Atual

Diretrizes regulatórias

Legenda:

Visão de Longo Prazo e Cadeia de Valor

Político-regulatória

Políticas Industriais atuais

Diretrizes políticas