o modelo de heckscher ohlin samuelson n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
O Modelo de Heckscher-Ohlin-Samuelson PowerPoint Presentation
Download Presentation
O Modelo de Heckscher-Ohlin-Samuelson

Loading in 2 Seconds...

  share
play fullscreen
1 / 27
Download Presentation

O Modelo de Heckscher-Ohlin-Samuelson - PowerPoint PPT Presentation

zack
365 Views
Download Presentation

O Modelo de Heckscher-Ohlin-Samuelson

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. O Modelo de Heckscher-Ohlin-Samuelson Formalização

  2. Hipóteses Básicas • Modelo 2 X 2 X 2: Dois países, dois fatores de produção (T e L) e dois bens (Tecido e Alimento); • L: Oferta de Mão-de-obra (em horas de trabalho) que recebe salário (w); T: Oferta de Terra (em alqueires) que recebe renda da terra (r); • aTA e aLA: insumos de Terra (T) e Trabalho (L) utilizados na produção de uma unidade de Alimento; • aTT e aLT: insumos de Terra (T) e Trabalho (L) utilizados na produção de uma unidade de Tecido.

  3. Proporções Fixas e Variáveis • Proporções Fixas: a razão T/L em cada processo produtivo (Tecido ou Alimento) é fixa. Os insumos por unidade de produção são dados e exógenos ao modelo. • Proporções variáveis: a razão T/L em cada processo produtivo é endógena. Esta razão varia em função de w/r (custos relativos dos fatores). Um aumento na renda da Terra reduz a demanda por T, substituída por L.

  4. Figure 4-1 Input Possibilities in Food Production

  5. Proporções Variáveis • Além da leitura do Apêndice 4, existe disponível um programa em Excel (workbook) mostrando como as ofertas disponíveis dos fatores de produção são designadas para a produção dos dois bens, Alimentos e Tecidos, produzidos com funções de produção do tipo Cobb-Douglas, conforme variam os preços dos fatores, derivando-se as curvas Fronteiras de Possibilidades Produção. • http://www.economics.heacademy.ac.uk/cheer/ch13_2/ch13_2p04.htm • http://csob.berry.edu/faculty/economics/InternationalEcon.shtml

  6. Proporções Variáveis • A Figura 4.2 mostra que é possível deduzir relações lineares (AA e TT) entre as razões w/r e T/L na produção de Alimento (Terra-intensiva) e Tecido (Trabalho-intensiva). Isto significa que para uma dada razão w/r, a produção de Alimento utiliza uma razão T/L mais alta: AA é menos inclinada do que TT no Gráfico.

  7. Figure 4-2 Factor Prices and Input Choices

  8. Teorema de Stolper-Samuelson • Há uma relação unívoca entre os Preços dos Bens (PT/PA) e os Preços dos Fatores (w/r) (Figura 4.3): • PT/PA aumenta (há um crescimento no preço relativo do Tecido, a mercadoria intensiva em Trabalho) quando aumenta o retorno real do fator Trabalho (w), usado intensivamente na produção desta mercadoria (logo, w/r aumenta): quanto mais alto o custo relativo do Trabalho (w/r), mais caro o preço relativo de Tecido (PT/PA).

  9. Preços dos Fatores e Preços dos Bens: Teorema de Stolper-Samuelson na Figura 4.3

  10. Teorema de Stolper-Samuelson • Juntando-se as Figuras 4.2 e 4.3 na Figura 4.4, mostra-se o elo entre preços relativos (PT/PA),a escolha da proporção T/L na produção de cada um dos bens e a distribuição da renda (w/r): • Como efeito de uma elevação de PT/PA - o preço relativo do Tecido (bem intensivo em Trabalho que utiliza uma relação T/L menor do que Alimento para cada w/r) - aumentam as proporções T/L e w/r em ambos os setores: mudanças nos preços relativos têm efeitos intensos na designação dos recursos e na distribuição de renda.

  11. Preço dos Fatores, Preços dos Bens e escolha de razão T/L em cada Setor - Figura 4.4

  12. Preço dos Fatores, Preços dos Bens e escolha de razão T/L em cada Setor • Lição mais importante deste diagrama: • Um aumento no preço relativo do Tecido (bem intensivo em Trabalho), aumenta a renda relativa dos Trabalhadores. • Livre comércio, num país abundante em Trabalho, muda a distribuição da renda em favor dos Trabalhadores.

  13. Designação dos Recursos Diagrama de Caixa • O Diagrama de Caixa na Figura 4.5 fornece a relação entre preços dos bens, oferta de fatores de produção e mix de produção dos bens: • Duas origens para designar L e T: OTe OA; • Largura da “caixa”: L; altura: T; • PT/PA é dado: determina razões w/r e T/L em cada setor: TT/LT e TA/LA; • Como são designados os fatores de produção L e T entre os dois setores (quanto produzir de Alimento e Tecido)?

  14. Designação dos Recursos Diagrama de Caixa • Por meio de um artifício gráfico: a partir das origens traçamos duas retas com inclinação TT/LT e TA/LA. • Onde as duas retas se encontram: Ponto 1: designa recursos L e T para a produção de Alimento e Tecido.

  15. Designação de Recursos - Diagrama de Caixa - Figura 4.5

  16. Teorema de Rybczynski • Há uma expansão mais do que proporcional na produção de Alimento se aumenta a oferta de Terra (Alimento é o bem T-intensivo); • Diagrama de Caixa: um aumento na oferta de T torna a “caixa” mais alta (figura 4.6); • Novo equilíbrio: Ponto 2: TT eLT diminuem e TA e LA aumentam: há expansão na produção de Alimento (intensiva em T) e contração na de Tecido (intensiva em L).

  17. Figure 4-6 An Increase in the Supply of Land

  18. Teorema de Rybczynski • Na Figura 4.7, comprova-se o caso mais geral: um aumento da oferta de Terra desloca a Fronteira de Possibilidades de Produção da economia para fora, mas faz isso de uma maneira mais do que proporcional na direção da produção de Alimento (bem intensivo em Terra). A produção de Tecido declina quando os preços relativos (PT/PA) permanecem constantes.

  19. Figure 4-7 Resources and Production Possibilities

  20. Teorema de Rybczynski • Uma economia tende a ser relativamenteeficaz na produção de bens que são intensivos no fator de produção abundante nesta economia.

  21. Abertura ao Comércio • Única diferença entre os dois países está nas dotações iniciais dos fatores de produção L e T; • L/T > L*/T* por hipótese (Home é abundante em Trabalho); • Tecido é intensivo em L e Alimento é intensivo em T: as duas curvas nacionais de FPP (ver Figura 4.7) são diferentes (vamos supor que o eixo das ordenadas representa a produção de Alimento e o eixo das abcissas representa Tecido e lembremos que a tangente às curvas é PT/PA ).

  22. Abertura ao Comércio • Comércio leva a uma convergência dos preços relativos praticados nos dois países; • Demanda relativa - RD - é a mesma para os dois países; • Ofertas relativas: RS na Figura 4.8 está à direita de RS*: para qualquer relação dada entre PT/PA, a economia doméstica (abundante em Trabalho) produz mais Tecido do que a economia estrangeira.

  23. Figure 4-8 Trade Leads to a Convergence of Relative Prices

  24. Abertura ao Comércio • Na ausência de comércio, Home produz no Ponto 1 e Foreign produz no Ponto 3. • Com comércio, verifica-se uma convergência para um ponto intermediário, por exemplo, o Ponto 2 , onde o preço de equilíbrio é PT2/PA2. • PT3/PA3 < PT2/PA2 e PT2/PA2 > PT1/PA1 (com o comércio, os preços relativos de Tecido sobem em Home. Em Foreign, são os preços relativos de Alimento que sobem).

  25. Abertura ao Comércio • Na economia doméstica: o aumento do preço relativo do Tecido leva a um aumento na produção de Tecido e à redução na produção de Alimento. Há maior especialização: torna-se exportadora de Tecido e importadora de Alimento. • Na economia estrangeira: há uma maior especialização no sentido inverso.

  26. Teorema de Heckscher-Ohlin: • Um país exportará o produto que usa de forma intensiva o fator que é relativamente abundante domesticamente: o país abundante em Terra exporta o bem intensivo em Terra; o país abundante em Trabalho exporta o bem intensivo em Trabalho.