microgera o n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Microgeração PowerPoint Presentation
Download Presentation
Microgeração

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 44

Microgeração - PowerPoint PPT Presentation


  • 79 Views
  • Uploaded on

Microgeração. Conceito Geral. “Produção de eletricidade em pequena escala por intermédio de instalações de pequena potência”.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Microgeração' - toan


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
conceito geral
Conceito Geral
  • “Produção de eletricidade em pequena escala por intermédio de instalações de pequena potência”.
  • “Meio para produção de energia através de instalações de pequena escala, utilizando fontes de energia renováveis ou processos de conversão de elevada eficiência energética”.
  • Mecanismos adotados por países que incentivam a microgeração: feed-in, Net Metering
resolu o 482
Resolução 482
  • Microgeração X Minigeração
  • Sistema de Compensação

Sistema no qual a energia ativa gerada por unidade consumidora com microgeração distribuída ou minigeração distribuída compense o consumo de energia elétrica ativa

Central geradora com potência instalada superior a 100 kW e menor ou igual a 1 MW

Central geradora com potência instalada menor ou igual a 100 kW

resolu o 4821
Resolução 482
  • Medição de energia elétrica
  • Os custos referentes à adequação do sistema de medição, necessário para implantar o sistema de compensação de energia elétrica, são de responsabilidade do interessado.
  • Após a adequação do sistema de medição, a distribuidora será responsável pela sua operação e manutenção, incluindo os custos de eventual substituição ou adequação.
tecnologias dispon veis1
Tecnologias Disponíveis
  • Existem no mercado várias tecnologias, que podem ser usadas individualmente ou em combinação. A solução para esta escolha irá depender de fatores tais como: potencial da região onde se pretende efetuar a instalação, disponibilidade financeira e os resultados que se esperam obter.
  • Dentre as tecnologias disponíveis destacam-se: energia solar (fotovoltaica e térmica), micro-éólicas, mini-hídricas, biomassa.
slide7

Visão Geral do Setor Elétrico

Oferta Interna de Energia Elétrica por Fonte – 2010

impactos no mercado
Impactos no Mercado
  • Diversificação das fontes de energia;
  • Expansão das fontes renováveis;
  • Novo conceito de gestão das redes elétricas adaptado aos requisitos da descentralização;
  • Projeta-se que esses novos sistemas acrescentarão 30 mil MW de capacidade instalada à matriz energética até 2020. Cerca de 10 mil MW desse total serão provenientes da biomassa e 7,5 mil MW de energia solar.\

(Dados: COGEN)

slide9

Mercado por Classe – JULHO 2012

  • Classe rural crescendo em torno de 50% devido ao efeito base (Fortes chuvas em 2011, ao contrário deste ano);
  • Classes residencial e comercial com expansões de 7,9% e 7,2%, respectivamente;
  • Setor industrial avançando abaixo de 1,0%, devido a retração do setor têxtil (-8,8%);
  • Mercado Total apresentando um crescimento de 11,6% tanto no mês, quanto no acumulado do ano).
vantagens
Vantagens
  • Redução nas perdas na rede de distribuição;
  • Redução da dependência dos combustíveis fósseis;
  • Redução da emissão de gases do efeito estufa;
  • Aumento da autonomia e do poder de decisão dos consumidores individuais e das comunidades locais;
  • Criação de oportunidades para a indústria nacional de bens de equipamentos e componentes para o setor elétrico, dentre outras.
desvantagens
Desvantagens
  • Técnicos, tais como problemas a nível de integração na rede, lacunas ao nível de planejamento e carga burocrática associada ao processo de licenciamento;
  • Econômicos, tais como os elevados custos associados ao investimento inicial;
  • Pouca informação, o que leva muitos consumidores a acreditar que o processo é mais complicado do que realmente é, o que causa uma desistência da ideia antes mesmo de realizar qualquer tentativa ou esforço para realizá-la.
microgera o e lica
Microgeração EÓLICA

Também chamada de geração distribuída, vem sendo uma alternativa emergente em vários países tendo em vista a característica renovável da fonte geradora.

Deve ser utilizada como complemento à fonte hidráulica de energia, principal recurso da matriz energética brasileira.

motiva o
Motivação
  • Sustentabilidade;
  • Redução de custos com faturas de energia elétrica;
  • Economia com sistemas de transmissão e distribuição para regiões “isoladas”;
  • Alto potencial a ser aproveitado;
  • Resolução nº482 ANEEL, abril de 2012
mais resolu o 482 aneel
Mais resolução 482 ANEEL
  • Consumidores podem gerar sua própria energia e o que não for utilizado será injetado no sistema elétrico de potência.
  • A quantia excedente resultará em créditos que o consumidor utilizará nos próximos períodos de faturamento, sendo válidos por 36 meses.
  • Órgãos públicos e empresas com filiais poderão utilizar o excedente para atenuar faturas de suas outras unidades.
estudo de caso
Estudo de Caso

Objetivo:

Analisar a viabilidade do uso de uma microgeração eólica em unidade consumidora residencial de baixo consumo, através de estudo comparativo.

fatores que interferem na an lise
Fatores que interferem na análise
  • Despesas com avaliação do potencial eólico do local;
  • Custos de aquisição dos equipamentos;
  • Custos de instalação;
  • Custos com manutenção e operação.
metodologia
Metodologia
  • Considerar uma u.c. residencial com consumo médio em torno de 100kWh/mês, que esteja a uma distância maior que 10km da rede convencional de energia elétrica.
  • Cargas: Uma bomba d’água, dez lâmpadas de 11W, um aparelho de som, um televisor colorido 21”, uma antena parabólica e um refrigerador.
aproveitamento
Aproveitamento
  • Os geradores para essas aplicações são projetados para funcionar em velocidades entre 4 e 30 m/s. Acima desta faixa os componentes entram em sobrecarga e abaixo dela não é viável gerar energia.
  • Levando em consideração as perdas inerentes ao processo, a altitude do relevo de 12m e a velocidade média do vento de 6m/s no local, o gerador utilizado fornecerá de forma contínua apenas 20% da sua potência nominal .
  • Logo: 200W x 720h/mês = 144kWh/mês, que é a produção estimada mensal deste aerogerador.
custo de aquisi o
Custo de aquisição

Fonte: Eólica Rio.

extens o da rede el trica
Extensão da rede elétrica

Custo em dólar da extensão da rede convencional de energia.

Fonte: NAPER, UFPE (2008).

extens o da rede el trica1
Extensão da rede elétrica
  • Para uma única residência a uma distância de 10km, o valor total será de R$ 80.445,19 (Cotação do dólar em 12/10/2008 = R$2,33).
  • Portanto, nesse caso é evidente a viabilidade no uso da microgeração, pois ainda há economia com as faturas mensais.
resid ncia urbana
Residência urbana
  • Para os mesmos dados do caso anterior, porém considerando que a residência agora está na zona urbana, sem necessidade de extensão da rede.
  • Nesse caso, a economia seria apenas em relação a inexistência das faturas mensais de energia.
an lise de simplificada de retorno
Análise de simplificada de retorno
  • Aquisição: R$ 12.090,00;
  • O&M (baterias): desconsiderar;
  • Vida útil: 20 anos;
  • Consumo médio mensal: 100kWh;
  • Tarifa baixa tensão (Coelba ago2012): R$ 0,58;
  • Sem excedentes mensais de geração.
resultado
Resultado
  • 100kWh x R$0,58 x 12 = R$696,00
  • Payback simples: 12090,00/696 = 17,4 anos.
  • Como o tempo de retorno é bem próximo da vida útil dos equipamentos, pode-se considerá-lo extenso.
  • Lembrando que foram desprezados custos com O&M, análise de potencial e instalação.
  • Mesmo que haja excedentes todos meses, não poderiam servir à u.c., a menos que a concessionária pagasse por eles.
conclus es do estudo de caso
Conclusões do estudo de caso
  • O sistema se mostrou viável para consumidores isolados, tendo em vista a economia com o transporte de energia pela concessionária.
  • Para consumidores de consumo relativamente baixo (100kWh), a alternativa não se mostrou viável por apresentar retorno bastante pequeno.
  • Em caso de valores de consumos maiores e empresas com filiais, o sistema de microgeração passa a ser mais interessante, pois o crédito de energia excedente pode ser melhor aproveitado.
microgera o e lica1
Microgeração EÓLICA
  • A energia eólica apresenta-se como uma forma de energia solar.
  • A turbina deve ser instalada em local de vento e persistente.
  • Apresentando o vento um caráter inconstante ao nível da velocidade e direção, torna-se complexo caracterizar o potencial eólico em determinado local. Para tal recorre-se a uma variável aleatória representativa da velocidade do vento, e com recurso a distribuição de probabilidade.
  • O vento apresenta um caráter estatístico.
  • Variações da velocidade do vento.
  • Relevo
  • Presença de obstáculos
  • Altura do terreno.
microgera o e lica2
Microgeração EÓLICA
  • Necessário proceder à análise de mapas topográficos, imagens aéreas e de satélites.
  • Complementar com visitas ao local.
  • Efetuar-se-ão medições com o auxilio de anemômetros e sensores de direção
slide31

A torre faz parte da paisagem, na confluência das ruas Visconde de Mauá e Coronel Alves Teixeira, no Dionísio Torres.

microgera o e lica3
Microgeração EÓLICA
  • A responsável pela implantação das torres de energia eólica na cidade é uma empresa genuinamente cearense, a Satrix, localizada na Estrada do Fio, no vizinho município do Eusébio.
microgera o e lica4
Microgeração EÓLICA
  • A empresa trabalha com três modelos:
  • O SX1100, cujo diâmetro das pás é de 3,2 metros, produz 518 kWh por mês;
  • O SX 1700, diâmetro 3,9 metros, produção de 734 kWh;
  • O SX 3.300, de 5,2 metros de diâmetro, 1.425 kWh.
  • O nível de barulho da turbina é baixíssimo.
microgera o e lica5
Microgeração EÓLICA
  • A vida útil de um equipamento é de 25 anos. O modelo mais simples, de 3,2 metros, custa em torno de R$ 25 mil.
  • Ao invés do ferro, as torres utilizadas para sustentar os aerogeradores - que têm entre 18 e 20 metros de altura - são de concreto e adquirido de uma empresa especializada na fabricação de postes que funciona em Caucaia.
  • Num período que varia entre cinco e seis anos, é possível obter o retorno do investimento só usando o valor que se paga na conta de energia.
  • Como a energia eólica depende sobremaneira da força dos ventos, há períodos em que a produção é muito pequena e outros onde é enorme, daí a importância da rede pública para o armazenamento.
microgera o e lica6
Microgeração EÓLICA
  • A motivação maior é a preocupação com a sustentabilidade.
  • O gerador eólico representa uma relação custo benefício que vai além da economia.
  • Em uma empresa, a geração de energia limpa agrega valor junto com outras pequenas atitudes, como separar o lixo corretamente.
microgera o biomassa

Microgeração - Biomassa

O que é Microgeração

Definição de energia Biomassa

biomassa
Biomassa

Vantagens:

  • Baixo de índice de poluição
  • Segurança Energética
  • Vantagens econômicos
biomassa1
Biomassa

Vantagens:

  • Incentivo a sustentabilidade
  • Fonte de energia renovável e limpa
  • Baixo custo de manutenção
biomassa2
Biomassa

Desvantagens:

  • Baixo Rendimento
  • Maior densidade Energética
  • Impactos ambientais
biomassa no brasil
Biomassa – No Brasil

Usina Termelétrica a Biomassa(Aneel, 2003).

  • 217 Usinas instaladas
  • 2696 MW
biomassa no cear
Biomassa – No Ceará

Potencial de Geração

  • Casca de Arroz
  • Castanha de Caju
  • Dendê
  • Coco-da-baía
  • Fertilizante
  • Resíduos
biomassa4
Biomassa
  • Conclusões

-Adia investimentos de expansão

- Confiabilidade do atendimento

- Diversificação da matriz energética

- Redução de perdas

- Rentabilidade