quiz 1 2011 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
QUIZ 1 2011 PowerPoint Presentation
Download Presentation
QUIZ 1 2011

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 18

QUIZ 1 2011 - PowerPoint PPT Presentation


  • 51 Views
  • Uploaded on

QUIZ 1 2011. Figura 1. Homem , idoso , diarréia há meses , perda de muito peso, hipoalbuminemia . Colonoscopia normal. Imagem do duodeno descendente . Histopatologia mostrou uma doença infecciosa facilmente tratável . Qual a doença ?. Figura 2.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'QUIZ 1 2011' - taite


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
figura 1
Figura 1
  • Homem, idoso, diarréiahámeses, perda de muito peso, hipoalbuminemia. Colonoscopia normal.
  • Imagem do duodenodescendente.
  • Histopatologiamostrouumadoençainfecciosafacilmentetratável.
  • Qual a doença?
slide3

Figura 2

  • Homem, meia idade, veio para EDA com anemia leve, sem outros sintomas.
  • Esta é uma imagem da incisura.
  • Qual o seu diagnóstico?
figura 3
Figura 3
  • Homen idoso com anemia súbita e fraqueza.
  • Sem outros sintomas
  • Imagem do corpo gástrico distal
  • O que é isto?
figura 4
Figura 4
  • Homem idoso com constipação crônica em uso de Agiolax.
  • Desenvolveu grave anemia ferropriva
  • Imagem do ceco
  • Além de um tumor há outra doença evidente.
  • Qual é esta doença?
figura 5
Figura 5
  • Mulher de meia idade, veio para EDA por sintomas dispepticos
  • Este é um achado no corpo gástrico
  • Foram realizadas várias biópsias
  • Qual o seu diagnóstico?
figura 1 doen a de whipple
Figura 1 – Doença de Whipple
  • Infecçãobacterianararaatingindo o intestinodelgado
  • CausadapelabactériaTropherimawhipplei.
  • Podeafeteroutrosórgãoscomo s. nervoso, olhos e coração
  • Sintomastípicos: diarréia, dorepigástrica, malabsorção (perda de peso, anemia, hipoalbuminemia)
  • Emoutrosórgãos: dorarticularsimulando a. reumatóide, tossecrônica, dortorácica, insuf. Cardíaca, febre, fadiga, alteraçõesvisuais, dor de cabeça, perda de memória, confusão e demência.
  • Os sintomas se desenvolvem lentamente emmesesouanos
doen a de whipple
Doença de Whipple
  • Descritainicialmentepeloamericano Georg Hoyt Whipple (1878-1976), em 1907
  • Denominadainicilmentelipodistrofia intestinal
  • Ganhou o prênio Nobel em 1934 pelosseusestudos com anemia perniciosa
  • Demorou-se quase 100 anospara a identificação e cultivodaTropherymawhipplei
  • Não se sabeaindabem o mecanismo de transmissão
  • Nãoestádocumentadopassagempessoa a pessoa
doen a de whipple1
Doença de Whipple
  • Biopsiasduodenaisdão o dignóstico: macrófagoscontendo a bactéria, facilmentecoradapor PAS
  • Pode ser feito PCR
  • Podemhaverportadoressãosdestabactéria
  • O tratamento com Tetraciclina é muitoefetivo
  • O tratamentodeve ser prolongado: 1 a 2 anosparaevitarrecorrência
  • Noscasos graves a via venosapor 2 semanas é recomendada
  • Umaalternativa é o Trimetroprim+Sulfametoxazol
  • A resposta é rápida, empoucassemanas
  • A recuperação é ótima se nãohásintomasneurológicos graves
  • É umadoençarara – 1:1 milhão
figura 2 c ncer g strico precoce
Figura 2- Câncer gástrico precoce
  • Câncer gástrico precoce são os limitados à mucosa e sub-mucosa
  • Os limitados à mucosa são classificados em M1, M2, M3
  • Os limitados à sub-mucosa são classificados em SM1, SM2, SM3
  • Podem ser do tipo intestinal ou difuso
c ncer g strico precoce
Câncer gástrico precoce
  • Os do tipo intestinal são mais comuns nos idosos
  • Os do tipo difuso são mais comuns nos mais jóvens
figura 3 gist
Figura 3 - GIST
  • É um tipo de sarcoma (tumor de tecido conectivo)
  • É raro – 1 a 3% dos tumores malígnos do TGI
  • 2/3 ocorrem no estômago; 1/5 no delgado; e 1/10 no esôfago
  • São frequentemente benignos
  • Os grandes podem causar metástases hepáticas e peritoneais
slide13

Sangramento e anemia são os sintomas principais

  • Outros sintomas podem ser náuseas, vômitos e perda de peso
  • O diagnóstico é frequentemente por endoscopia e biopsias
  • A cirurgia é curativa se não há metástases
  • Respondem favoravelmente ao Imatinib (Glivec)
figura 4 melanose coli
Figura 4 – Melanose coli
  • Os antracóides são laxativos muito populares para constipação
  • Efetivos, aparente baixa toxicidade, fama de naturais, facilmente acessíveis, sem necessidade de prescrição
  • Os senosóides, principais metabólitos ativos da Sena, mostraram baixa toxicidade em ratos e genotoxicidade em cepas bacterianas
slide15

O efeito tóxico e mutagênico do extrato bruto da Sena não está caracterizado

  • Não há evidências convincentes de que o uso crônico traga consequencias estruturais ou funcionais do sistema nervoso entérico, ou da musculatura lisa intestinal
  • Não há relações entre uso prolongado e aparecimento de tumores gastrointestinais em ratos
slide16

As evidências atuais não mostram efeito genotóxico dos laxantes contendo Sena ou senosóides

  • O pigmento depositado no epitélio é a lipofucsina e não a melanina
figura 5 p lipos de gl ndulas f ndicas
Figura 5 – Pólipos de glândulas fúndicas
  • São pólipos hiperplásicos
  • São tembém denominados pólipos de Elster (descritos em 1977)
  • Não estão associados à síndromes polipóides familiares
  • Não são considerados pré-malignos
  • Alguns autores sugerem associação com câncer colorretal e sugerem rastreamento
p lipos de gl ndulas f ndicas
Pólipos de glândulas fúndicas
  • 75% são mulheres
  • Pico de prevalência na quinta e sexta décadas de idade
  • São frequentemente múltiplos
  • Apenas ocorrem na mucosa oxíntica do estômago