direito econ mico n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
DIREITO ECONÔMICO PowerPoint Presentation
Download Presentation
DIREITO ECONÔMICO

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 20

DIREITO ECONÔMICO - PowerPoint PPT Presentation


  • 69 Views
  • Uploaded on

DIREITO ECONÔMICO. IRAPUÃ BELTRÃO.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'DIREITO ECONÔMICO' - suchin


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
direito econ mico

DIREITO ECONÔMICO

IRAPUÃ BELTRÃO

slide2

Livre Iniciativa e Livre Concorrência: asseguram aos agente econômicos a liberdade de entrar no mercado, nele oferecer os seus bens ou serviços e dele se retirar sem restrições artificiais, e disputar a preferência dos consumidores com base na sua maior eficiência na produção de bens ou serviços (oferta de produtos de melhor qualidade e/ou a menor preço)

Direito Econômico - Irapuã Beltrão

oferta e demanda
Oferta e Demanda

Lei da demanda: Tudo o mais mantido constante (coeteris paribus) a quantidade de um bem demanda pelos consumidoresaumentaquando o preço do bem diminui.

Quanto menor o preço de determinado bem, mais quantidades desse bens serão demandadas pelos consumidores, mais quantidades desse bem serão comercializadas

Direito Econômico - Irapuã Beltrão

oferta e demanda1
Oferta e Demanda

Lei da oferta: Tudo o mais mantido constante a quantidade de um bem oferecida pelos produtoresaumentaquando o preço do bem aumenta.

Quanto maior o preço que os consumidores estejam dispostos a pagar por determinado bem, maior será a quantidade desse bem ofertada pelos produtores

Direito Econômico - Irapuã Beltrão

oferta e demanda pre o de equil brio
Oferta e Demanda – Preço de equilíbrio

Preço de equilíbrio: a quantidade do bem que os compradores desejam e podem comprar é exatamente igual à quantidade que os produtores desejam e podem vender.

As ações dos compradores e vendedores levam naturalmente o mercado ao equilíbrio.

O mercado em equilíbrio pressupõe a alocação mais eficiente dos recursos da economia (mesmo que cada comprador e cada vendedor só esteja preocupado com o próprio bem-estar, eles são conduzidos por uma mão invisível para um equilíbrio que maximiza os benefícios totais para compradores e vendedores).

Direito Econômico - Irapuã Beltrão

estruturas de mercado
Estruturas de Mercado

Estruturas de mercados são modelos que captam aspectos inerentes de como os mercados estão organizados, destacando aspectos essenciais da interação entre oferta e demanda, que resulta no preço e na quantidade de equilíbrio em determinado mercado.

A estrutura de um mercado pode variar em função de: características do produto; condições tecnológicas; acesso , informação, tributação, regulamentação, participantes etc.

Direito Econômico - Irapuã Beltrão

estruturas de mercado1
Estruturas de Mercado

(1) Concorrência perfeita;

(2) Monopólio;

(3) Oligopólio;

(4) Concorrência monopolística.

Direito Econômico - Irapuã Beltrão

estruturas de mercado concorr ncia perfeita
Estruturas de Mercado – Concorrência perfeita

As hipóteses do modelo de concorrência perfeita são:

  • existência um grande número de compradores e vendedores (mercado atomizado);
  • os produtos são homogêneos, i.e. são substitutos perfeitos entre si (não há, portanto, diferença de preços entre os produtos);
  • existe informação completa sobre o preço e qualidade do produto e sobre a estrutura de custos de todas as firmas, inexistindo qualquer assimetria de informação (transparência do mercado); e
  • não há barreiras à entrada de qualquer ordem, qualquer firma pode entrar e sair do mercado sem nenhum custo, todas as empresas têm acesso a todos os fatores de produção ao mesmo custo (livre mobilidade)

Direito Econômico - Irapuã Beltrão

estruturas de mercado concorr ncia perfeita1
Estruturas de Mercado – Concorrência perfeita

Em um mercado em concorrência perfeita nem os compradores nem vendedores podem influenciar o preço de equilíbrio.

O preço é uma variável exógena. As firmas são tomadoras de preço, e venderão toda a produção a um preço dado.

A curva da demanda agregada em um mercado em concorrência perfeita é horizontal (perfeitamente elástica)

A elasticidade-preço da demanda informa a redução da quantidade demandada pelos consumidores em função do aumento de preços do produto e vice-versa.

Direito Econômico - Irapuã Beltrão

elasticidade pre o da demanda
Elasticidade-preço da demanda

A demanda será elástica quando um aumento no preço provoca uma redução proporcionalmente maior na quantidade demandada (demanda perfeitamente elástica: qualquer aumento de preço reduz a quantidade demandada a zero)

A demanda será inelástica quando um aumento no preço provoca uma redução proporcionalmente menor na quantidade demandada (demanda perfeitamente inelástica: qualquer aumento de preço não altera a quantidade demandada)

Direito Econômico - Irapuã Beltrão

estruturas de mercado monop lio
Estruturas de Mercado – Monopólio

As hipóteses do monopólio são:

  • existência de apenas uma única firma;
  • A firma produz um produto para o qual não existe substituto próximo;
  • existe concorrência entre os consumidores; e
  • não existe curva de oferta agregada.

Direito Econômico - Irapuã Beltrão

estruturas de mercado monop lio1
Estruturas de Mercado – Monopólio

As causas do monopólio podem ser:

  • propriedade exclusiva de matérias-primas ou técnicas de produção;
  • patentes sobre produtos ou processos de produção;
  • barreiras legais (monopólio governamental) ou comerciais (protecionismo); ou
  • monopólio natural, quando em função de substanciais economias de escala e/ou de escopo o mercado só admite uma empresa com operação eficiente.

Direito Econômico - Irapuã Beltrão

estruturas de mercado monop lio2
Estruturas de Mercado – Monopólio

Não há curva de oferta em um monopólio porque o o monopolista controla a quantidade do produto que colocará no mercado.

Em decorrência de controlar a oferta, regulará o preço pelo qual o produto será oferecido no mercado. O preço do produto será o preço relativo à quantidade que o monopolista decidir produzir.

Direito Econômico - Irapuã Beltrão

decis o de produ o concorr ncia perfeita
Decisão de produção - concorrência perfeita

Uma empresa em concorrência perfeita tem o preço de seu produto como um dado.

A decisão acerca do número de quantidades a ser produzida, por uma empresa em concorrência perfeita e por um monopólio, irá considerar o custo marginal e a receita marginal.

Para uma empresa em concorrência perfeita, a receita marginal (a receita gerada pela produção de uma unidade adicional) será, sempre, o preço de equilíbriodo produto no mercado.

Direito Econômico - Irapuã Beltrão

decis o de produ o em concorr ncia perfeita
Decisão de produção em concorrência perfeita

Uma empresa em concorrência perfeita irá aumentar a produção até a quantidade na qual o custo marginal (o custo para aumentar a produção em uma unidade) é igual a receita marginal.

A curva do custo marginal será sempre ascendente. A partir de certo ponto o custo marginal sobe com o aumento da produção.

Direito Econômico - Irapuã Beltrão

decis o de produ o em monop lio
Decisão de produção em monopólio

Uma empresa atuando em monopólio tem poder de influenciar o preço de seu produto, mediante controle de oferta. Diverso do que ocorre em um mercado em concorrência perfeita, o preço do produto não é um dado para o monopólio, como é para a empresa em concorrência perfeita, ainda que a decisão acerca do número de quantidades a ser produzida por uma empresa em monopólio considera os mesmos elementos da empresa em concorrência perfeita: o custo marginal e receita marginal.

Direito Econômico - Irapuã Beltrão

inefici ncias decorrentes de poder de monop lio
Ineficiências decorrentes de poder de monopólio
  • Ineficiência alocativa

Surge diretamente do exercício do poder de monopólio, do fato de o preço ser superior ao custo marginal

  • Ineficiência produtiva

Refere-se à perda de motivação por parte da firma que desfruta de lucros elevados, refletindo-se em pequeno esforço gerencial e administrativo

  • Ineficiência dinâmica

Sem concorrência o estímulo à atividade inovativa vê-se diminuído

Direito Econômico - Irapuã Beltrão

estruturas de mercado oligop lio
Estruturas de Mercado – Oligopólio

Caracteriza-se pela existência de reduzido número de produtores fabricando bens que são substitutos próximos entre si.

As decisões sobre produção e preço em um oligopólio são interdependentes. A decisão de produção de uma firma afetará as decisões das demais firmas e vice-versa.

Empresas atuando em mercados oligopolizados tem incentivos para manter os preços acima de níveis competitivos

Direito Econômico - Irapuã Beltrão

estruturas de mercado oligop lio1
Estruturas de Mercado – Oligopólio

Mercados em oligopólio são mais suscetíveis a formação de cartéis e permitem condutas concertadas, mesmo sem acordos formais, em especial em função da diferenciação do produto e da sofisticação tecnológica dos mercados.

A análise dos efeitos das estruturas de mercado oligopolizadas tem relevância tanto para o controle de condutas, como para a aprovação de alterações estruturais.

Direito Econômico - Irapuã Beltrão

estruturas de mercado concorr ncia monopol stica
Estruturas de Mercado – Concorrência Monopolística

Combina elementos de monopólio e concorrência perfeita. Caracteriza-se pelo fato de que as empresas produzem produtos diferenciados, embora substitutos próximos.

Cada empresa tem o poder na fixação de preços, embora a existência de substitutos próximos forneça alternativas para os consumidores, de forma que a curva de demanda é bastante elástica.

Os produtos são diferenciados em função de: especificações técnicas, desempenho ou confiabilidade, durabilidade, ergonomia e design, estética, custo de utilização do produto, imagem e marca, formas de comercalização etc.

Direito Econômico - Irapuã Beltrão