slide1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
TROMBOSE VENOSA PROFUNDA ARMANDO MANSILHA FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO PowerPoint Presentation
Download Presentation
TROMBOSE VENOSA PROFUNDA ARMANDO MANSILHA FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 39

TROMBOSE VENOSA PROFUNDA ARMANDO MANSILHA FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO - PowerPoint PPT Presentation


  • 590 Views
  • Uploaded on

TROMBOSE VENOSA PROFUNDA ARMANDO MANSILHA FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO. IMPORTÂNCIA DA DOENÇA. < 5 casos / 100.000 / ano < 15 anos 500 casos / 100.000 / ano 80 anos Maior incidência nas raças caucasiana e negra Condição idiopática: 25% - 50% dos casos

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'TROMBOSE VENOSA PROFUNDA ARMANDO MANSILHA FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO' - soleil


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide1

TROMBOSE VENOSA PROFUNDA

ARMANDO MANSILHA

FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO

slide2

IMPORTÂNCIA DA DOENÇA

  • < 5 casos / 100.000 / ano < 15 anos
  • 500 casos / 100.000 / ano 80 anos
  • Maior incidência nas raças caucasiana e negra
  • Condição idiopática: 25% - 50% dos casos
  • TVP proximal sintomática e risco de EP
slide3

IMPORTÂNCIA DA DOENÇA

  • Natureza dinâmica do TEP
  • Mortalidade: 10% na EP sintomática
  • Anticoagulação e recorrência: 10% aos 6 meses
  • Síndrome pós-trombótico grave: 10% aos 5 anos
diagn stico
DIAGNÓSTICO

Sinais e sintomas:

  • dor
  • edema
  • sensação de peso
  • impotência funcional
  • hipersensibilidade local
  • aumento da temperatura local
  • circulação colateral venosa superficial
trombose venosa profunda2
TROMBOSE VENOSA PROFUNDA
  • Mais frequente nas veias distais, particularmente nas veias gemelares;
  • Habitualmente inicio a nível das válvulas;
  • TVP distal sem propagação proximal em 80% dos casos;
  • TVP com propagação proximal nos restantes 20%; embolia pulmonar em 10-20% destes;
  • TVP mais frequente no MIE (Síndrome May-Thurner);
  • TVP(membro superior) < 5% da totalidade.
evolu o
EVOLUÇÃO

TVP distal assintomática

TVP distal sintomática

TVP femoro-poplítea

TVP ilio-femoral

Phlegmasia alba dolens

Phlegmasia cerulea dolens

Gangrena Venosa

diagn stico1
DIAGNÓSTICO

Suspeita clinica de TVP

Eco-Doppler

positivo duvidoso negativo

TratamentoFlebografiaInvestigar

outras causas

positiva negativa

diagn stico diferencial
DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL
  • Rotura muscular com hematoma
  • Hemorragia espontânea ou hematoma
  • Artrite, sinovite, miosite
  • Erisipela, celulite, linfangite
  • Rotura cistos de Baker
  • TVS / IVC
  • Linfedema
  • Lipedema
  • Compressão venosa extrínseca
  • Edema sistémico / Gravidez
complica es
COMPLICAÇÕES

Aguda:Embolia pulmonar

Gangrena venosa

Tardia:Síndrome pós-trombótico

embolia pulmonar
Sinais e sintomas

Dispneia

Hemoptises

Dor pleuritica

Taquicardia

TVP

Meios auxiliares

Gasimetria

Rx

ECG

Scanning perfusão

Scanning ventilação

Angiografia pulmonar

Pressão AP e VD

EMBOLIA PULMONAR
slide25

ETIOPATOGENIA DA TVP

  • Tríade de Virchow: lesão endotelial

estase

hipercoagulabilidade

  • Virchow, Abhandlungen wissenschaftliche Medicin 1856
  • Tendência trombótica familiar

Briggs, John Hoppkins Hosp 1905

  • Mecanismos pró-coagulantes e anticoagulantes
slide26

FACTORES DE RISCO

ADQUIRIDOS

Idade

Neoplasia

História prévia TEP

Anticorpos antifosfolipídeos

slide27

FACTORES DE RISCO

TRANSITÓRIOS

Cirurgia recente

Traumatismo

Gravidez e puerpério

Contracepção oral

Substituição hormonal

Imobilização prolongada

slide28

FACTORES DE RISCO

HEREDITÁRIOS

Défice de antitrombina

Egeberg, Thromb Diath Haemorrh 1965; 13: 516-530

Défice de proteína C

Griffin et al, J Clin Invest 1981; 68: 1370-1373

Défice de proteína S

Schwartz et al, Blood 1984; 64: 1297-1300

slide29

MUTAÇÃO FV R506Q

  • Resistência à Proteína C Activada (RPCA)
  • Dahlback et al, Proc Natl Acad Sci 1993; 90: 1004-1008
  • Mutação R506Q do gene do Factor V de Leiden
  • Bertina et al, Nature 1994; 369: 64-67
slide30

MUTAÇÃO FII G20210A

  • Mutação G20210A do gene da Protrombina
  • Poort et al, Blood 1996; 88: 3698-3703
  • FII G20210A e aumento dos níveis plasmáticos de protrombina
  • Poort et al, Blood 1996; 88: 3698-3703
  • Franco et al, Br J Haematol 1998; 104: 50-54
slide31

MUTAÇÃO MTHFR C677T

  • Hiperhomocisteinemia e “Doença Vascular”
  • McCully, Am J Pathol 1969; 56: 111-128
  • Hiperhomocisteinemia e TEP
  • Falcon et al, Arterioscler Thromb 1994; 14: 1080-1083
  • Key & McGlennen, Arch Pathol Lab 2002; 126: 1367-1375
  • Mutação C677T do gene da 5,10-Metileno TetraHidroFolato Reductase
  • Gallagher et al, Circulation 1996; 94: 2154-2158
slide32

CONCEITO DE TROMBOFILIA

HEREDITÁRIA

Episódio inexplicado de TVP

Idade jovem

História familiar positiva

Carácter recorrente

Localização atípica

slide33

CONTROVÉRSIAS

  • quais os doentes a estudar por suspeita de trombofilia hereditária?
  • quais os testes a efectuar?
  • quando devem ser efectuados?
  • os resultados dos testes poderão afectar a forma e duração de tratamento?
  • quando examinar e testar familiares?
tratamento objectivos
TRATAMENTO - Objectivos
  • Limitar extensão
  • Evitar recorrência
  • Evitar embolia pulmonar
  • Preservar função valvular
  • Restaurar patência
  • Evitar/reduzir síndrome pós-trombótico
tratamento fase aguda
TRATAMENTO - Fase aguda
  • Tratamento anticoagulante

Heparina não fraccionada

Heparina de baixo peso molecular

  • Cuidados posturais

Repouso absoluto no leito

Drenagem postural

tratamento fase aguda1
TRATAMENTO - Fase aguda
  • Tratamento cirúrgico

Trombectomia venosa

Interrupção VCI

  • Tratamento fibrinolítico
tratamento fase tardia
TRATAMENTO - Fase tardia
  • Anticoagulantes orais

Tempo: 3 - 6 meses

Controlo analítico: INR (2 - 3)

S. Sangue

Varfarina

  • Compressão elástica
profilaxia
PROFILAXIA
  • HBPM
  • Cuidados posturais
  • Compressão elástica