slide1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
O que é o Projeto Tempo de Ser? É a organização de uma proposta educacional. PowerPoint Presentation
Download Presentation
O que é o Projeto Tempo de Ser? É a organização de uma proposta educacional.

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 25
socrates-flavian

O que é o Projeto Tempo de Ser? É a organização de uma proposta educacional. - PowerPoint PPT Presentation

65 Views
Download Presentation
O que é o Projeto Tempo de Ser? É a organização de uma proposta educacional.
An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author. While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. O que é o Projeto Tempo de Ser? • É a organização de uma proposta educacional. • Que proposta é esta? A quem queremos educar? • O INDIVÍDUO - EU

  2. Este Projeto e a sua proposta de Educação de Essencialidades, nasce da sensibilização experimentada ante o sofrimento humano. Durante anos, nas lides do trabalho social espírita, víamos as faces daqueles que nos buscavam, marcadas pelo sofrimento. A fome, a miséria, o subjugo e a exclusão social, entre tantos outros males que atingiam diretamente aquelas almas, nos inconformava. Desta maneira, nos colocávamos ao trabalho, buscávamos fazer algo de bom e de útil, na grande esperança de vermos essas feridas sociais curadas, naqueles que encontrávamos.

  3. Longos foram os anos, árduos foram os trabalhos, grandes foram as disposições. Porém houve um momento em que tivemos de nos render à realidade de que, embora todas as disposições, nossa eficiência era mínima. E por quê? Quais as razões que nos afastavam de nosso intento?

  4. Concluimos que era a direção que estávamos apontando. Estávamos a trabalhar nos efeitos, enquanto as causas continuavam reproduzir os mesmos efeitos. Mas o grande fator motivador, aquele que realmente nos inseriu na busca da realidade que hora construímos, o Projeto, certamente, foi encontrar com o nosso próprio sofrimento.

  5. Após tantos anos, tivemos de concluir: muito fizemos, porém ainda não conseguimos olhar para nós mesmos. Queríamos extirpar o sofrimento do mundo, sem tê-lo enxergado dentro de nós. O sofrimento humano existe por retroalimentação, pois na busca de escapar dele, acabamos por produzi-lo.

  6. Sendo assim, amigos, depois de muito pensar, depois de sérios debates, alguns muito difíceis, concluímos que a efetivação de tão sonhada mudança, só poderiam vir por um caminho: o da Educação.

  7. OBJETIVOS DA PROPOSTA EDUCACIONAL

  8. Porém, quando falamos em educação, estamos a usar um termo amplamente empregado no meio social, que já possui suas instituições e se desenvolve em seus processos. Então, qual seria o caráter da educação que pretendemos?

  9. É o caráter de considerar o ser humano, antes de tudo, um ser psíquico. A dimensão espiritual sempre foi buscada pelo indivíduo humano, desde o mais remoto tempo. Resguardada pelas diversas religiões, é hoje assunto da mais alta importância.

  10. Somos seres imortais? O nascimento e a morte são o limite? O que há além daquilo que chamamos de existência? Estas e muitas outras, são as dúvidas que pairam sobre a mente daquele que algum dia, quis conhecer razões mais profundas.

  11. Há vários motivos para crermos que o ser essencial, ou seja, a área psíquica dos seres humanos, possui uma natureza que extrapola os limites do “visível”. Está aí o foco de interesse do Projeto Tempo de Ser –-Educação de Essencialidades.

  12. Queremos pesquisar, organizar, conhecer, aprofundar, sistematizar assuntos relacionados à dimensão psíquica, com suas raízes no comportamento humano e manifestações no corpo fisiológico. A propósito, a figuração da árvore pode nos dar um exemplo, onde os frutos seriam as atitudes exteriores dos seres, os galhos, o tronco e as raízes os aspectos psicológicos, comportamentais, sendo que a seiva que alimenta este organismo é o ser psíquico, ou essencial.

  13. Podemos questionar: as ciências psíquicas, como a psiquiatria, a psicologia e outras, já não nos dão estes dados? Em parte sim, mas estas se movem nos efeitos, são terapêuticas. Nosso intento está nas causas, que antecedem os fenômenos patológicos, que são os frutos. E a partir deste conhecimento, haveremos de organizar métodos educacionais que estimularão os seres psíquicos a olharem o seu próprio psiquismo.

  14. Resumindo: queremos tocar nossa natureza essencial, identificar os padrões internos (como sentimentos, emoções, aspectos inconscientes etc.) e formar educadores que possam nortear os futuros caminheiros de si mesmos, desde a sua infância, até a sua senectude e morte.

  15. O Ser em sua Essencialidade

  16. Podemos questionar: isso será realmente possível? Não estaremos a sonhar demais e esquecer a realidade de como as coisas são? Não estaremos a teorizar exageradamente, quando o que se precisa hoje, são de ações concretas?

  17. Um sábio da antiguidade nos disse: pelos frutos, conhecereis a árvore. Os frutos que colhemos em nossa sociedade têm diversos sabores, mas aqueles que predominam são os amargos.

  18. Nós saímos a campo, sorvemos os amargos frutos de uma sociedade voltada para valores efêmeros, e a partir daí, decidimos construir o futuro. E é para lá que caminharemos, um sociedade que valoriza o que é essencial, ou seja, valoriza o Ser em sua Essencialidade, e não pelos rótulos e modelos padronizados que não o explicam.

  19. Admitimos que o trabalho será árduo, mas não o tememos, pois ele será o nobre ônus de uma obra grandiosa, que é a de trabalhar pelos seres e pela sua melhor qualidade de vida, neste caso, a psíquica. Priorizaremos sempre o Ser em sua Essencialidade, para que ele se conheça e se reconheça, e partir daí, viva responsavelmente a sua autonomia.

  20. Repetimos: pelos frutos conhecereis a árvore. O Projeto, em seus princípios e propósitos, foi lançado em julho de 2010 em Presidente Prudente, e estabelecemos um prazo de dois anos, quer dizer, julho de 2012, para a sua construção e efetivação.

  21. Até lá, muito trabalho, depois, continuidade. Acompanhem a sequência para terem uma visão global de nossas propostas. • Na julgue superficialmente, não traia a sua natureza inteligente: conheça para avaliar. No mais, queremos dizer em conjunto: Bem-vindo a si mesmo, ser essencial.