Conheça o ESPIRITISMO , UMA NOVA ERA PARA A HUMANIDADE - PowerPoint PPT Presentation

slide1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Conheça o ESPIRITISMO , UMA NOVA ERA PARA A HUMANIDADE PowerPoint Presentation
Download Presentation
Conheça o ESPIRITISMO , UMA NOVA ERA PARA A HUMANIDADE

play fullscreen
1 / 89
Conheça o ESPIRITISMO , UMA NOVA ERA PARA A HUMANIDADE
112 Views
Download Presentation
shayna
Download Presentation

Conheça o ESPIRITISMO , UMA NOVA ERA PARA A HUMANIDADE

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Conheça o ESPIRITISMO, UMA NOVA ERA PARA A HUMANIDADE Fonte:FEDERAÇAO ESPIRITA BRASILEIRA

  2. DEUS,INTELIGÊNCIA SUPREMA,CAUSA PRIMEIRA DE TODAS AS COISAS

  3. JESUS,O GUIA E MODELO

  4. KARDEC, A BASE FUNDAMENTAL

  5. Espiritismo Cristão?

  6. O espiritismo, de um modo geral, fundamenta-se nos seguintes pontos: o homem é um espírito temporariamente ligado a um corpo; a alma é o espírito enquanto se encontra ligado ao corpo; o espírito, compreendido como individualidade inteligente da Criação, é imortal; a reencarnação é o processo natural de aperfeiçoamento dos espíritos;

  7. os espíritos encarnados ("vivos") e os espíritos desencarnados ("mortos") podem se comunicar entre si através da mediunidade; • Pluralidade dos Mundos Habitados, a Terra não é o único planeta com vida inteligente. • Lei de Causa-Efeito, ligada à reencarnação, esta lei define que recebemos na medida do que demos (bom e mau) em existências passadas ou nesta existência.

  8. História • A Doutrina Espírita é uma corrente de pensamento - nascida em meados do século XIX - que se estruturou a partir de diálogos estabelecidos entre o pedagogo francês Hippolyte Léon Denizard Rivail e o que ele e muitos pesquisadores da época concluíram tratarem-se de espíritos de pessoas falecidas (desencarnados), a manifestar-se através de diversos médiuns.

  9. Allan Kardec • (1804-1869), o codificador da Doutrina Espírita.

  10. LITERATURA BÁSICA

  11. O Livro dos Espíritos (Le Livre desEsprits) é o primeiro livro sobre a doutrina espírita publicado pelo educador francês DenizardRivail, em 18 de abril de 1857, sob o pseudônimo Allan Kardec. É uma obra básica do espiritismo, e foi lançado por Kardec após seus estudos sobre os fenômenos, segundo muitos pesquisadores da época, de origem mediúnica, que se difundiram por toda a Europa durante o século XIX.

  12. Apresenta-se na forma de perguntas, dirigidas ao que Kardec defendia serem espíritos, e respostas, totalizando 1.019 tópicos. Foi o primeiro de uma série de cinco livros editados pelo pedagodo sobre o mesmo tema. • A 1 de maio de 1864 a Igreja Romana coloca a obra no Index - o catálogo das obras cuja leitura é vedada aos seus fiéis

  13. 1. Que é Deus? “Deus é a inteligência suprema, causa primária de todas as coisas.”1 (Vide Nota Especial nº 1, da Editora (FEB), à pág. 604.) • 2. Que se deve entender por infinito? “O que não tem começo nem fim: o desconhecido; tudo o que é desconhecido é infinito.”

  14. 50. A espécie humana começou por um único homem? “Não; aquele a quem chamais Adão não foi o primeiro, nem o único a povoar a Terra.”

  15. 55. São habitados todos os globos que se movem no espaço? “Sim e o homem terreno está longe de ser, como supõe, o primeiro em inteligência, em bondade e em perfeição. Entretanto, há homens que se têm por espíritos muito fortes e que imaginam pertencer a este pequenino globo o privilégio de conter seres racionais. Orgulho e vaidade! Julgam que só para eles criou Deus o Universo.”

  16. O "Kardec Brasileiro" • Expoente do Espiritismo no Brasil, Adolfo Bezerra de Menezes Cavalcanti nasceu em Riacho do Sangue (atual Solonópole), Ceará, Brasil, em 29 de agosto de 1831, e morreu a 11 de abril de 1900, no Rio de Janeiro

  17. As Várias Divisões Do Espiritismo No Brasil • A) Espiritismo Comum: Caracteriza-se pela utilização de práticas “sociais”, sem os elementos comuns às sessões mediunicas ou de terreiros. Algumas das sua divisões são: • 1 - Astrologia: “arte ou ciência” de predizer o futuro humano pôr meio dos astros. Sua maior criação é o popularissimo horóscopo. • 2 - Cartomancia: adivinhação pelas cartas de jogar. • 3 - Quiromancia: adivinhação pelo estudo das linhas da mão • 4 - Quiromancia: adivinhação por intermédio da água.

  18. B) Baixo Espiritismo: Teve suas origens nas crenças trazidas da África pelos escravos associados às crenças indígenas, católicas-romanas e kardecistas. Caracteriza-se pelos rituais compostos de músicas e danças, uso de amuletos e bebidas além de sacrifícios de animais. Segue algumas divisões:

  19. 1 - Vodu: culto praticado na Antilhas, ilhas do Pacífico, principalmente no Haiti. • 2 - Candomblé: Este culto de origem africana tem como suas principais divindades, Oxum, Iemanjá e Ogum. • 3 - Quimbanda: Conhecida também como magia negra. Nada mais é do que uma variante da umbanda. É a linha que mais trabalhas com os exus. A quimbanda pode ser entendida como o inverso da umbanda. • 4 - Umbanda: É tradicionalmente brasileira, pois não é totalmente africana, nem européia, sendo um produto sincrético. • 5 - Catimbó: Ele corresponde à pajelança amazônica mas é diferente dos candomblés da Bahia e da umbanda do Rio de Janeiro. • 6 - Cultura Racional: Nasceu dentro de um centro de Umbanda no Rio de Janeiro tentando dar um lado cientifico para a umbanda.

  20. C) Espiritismo Cientifico: Também chamado de “Espiritualismo” , divide-se em vários ramos, apresentando-se como “sociedade” ou “entidades” beneficente, cientificas, filosóficas, que apelam ora para o intelectual ora para o espiritual. Entre outras destacamos as seguintes:

  21. L.B.V: Legião da Boa Vontade, voltada para assistência social, mantém atualmente creches, asilos, orfanatos, escolas, programas de TV e rádio. • Rosa-Cruz: Sociedade secreta semelhante a maçonaria. • Maçonaria: Sociedade secreta baseada na cabala, astrologia, numerologia etc. • Teosofia: Conjunto de doutrinas religioso-filosóficas, cujo lema principal é a união do homem com a divindade. • Movimento Cristão Gnóstico Universal: Movimento baseado no conhecimento espiritual e filosófico que procura elevar o homem a divindade.

  22. 6 - Esoterismo: Doutrina ou atitude de espírito que frisa que o ensinamento da verdade deve reservar-se aos iniciados, escolhidos por sua inteligência e valor moral.. • 7 - Pró-Vida: Movimento responsável pela maior divulgação das idéias da Nova Era no Brasil. • 8 - Eubiose: Movimento baseado no conhecimento filosófico-religioso que também procura elevar o homem a sua divindade.

  23. D) Espiritismo Kardecista: Esta baseado nas revelações de Alan Kardec. É a classe de espiritismo que mais cresce no nosso país. Também conhecido como “Alto Espiritismo”. Movimento baseado nas doutrinas principais que são: reencarnação, comunicação com os mortos e salvação pelas boas obras. O Kardecismo também está dividido em várias tendências:

  24. 1 - Tendência ortodoxa: É o Kardecismo mais puro, exclusivo que não permite ulterior desenvolvimento, nem tolera a presença de outro espiritismo. • 2 - Tendência Rusteinista: João Batista Roustaing discípulo de Alan Kardec que recebeu uma mensagem assinada pôr “Mateus, Marcos, Lucas e João, assistidos pelos”, na qual os quatro evangelistas se prontificavam a dar a “Revelação da Revelação”, que deu origem a sua famosa obra “Os Quatro Evangelhos.

  25. 3 - Tendência Ubaldista: Pietro Ubaldi desde muito cedo começou a ouvir uma voz. Esta misteriosa “voz” lhe ditou os seguintes livros: “A Grande Síntese”, “As Noúres”, “Ascese Mística”, “História de um Homem”, “A Nova Civilização do Terceiro Milênio”, “Deus e o Universo” etc. • 4 - Racionalismo Cristão: A reação mais violenta dentro do Espiritismo Kardecista surgiu em 1910 com o Sr. Luiz de Mattos que deu um lado cientifico e racional das comunicações com o “mundo astral”.

  26. Por que O Espiritismo Se Expande Tanto No Brasil • a) “Você é um médium: precisa desenvolver sua mediunidade”. • b) A Saudade dos parentes falecidos. • c) Fachada cristã. • d) Religião mais cômoda. • f) As promessas de cura. • g) Curiosidade. • h) Propaganda espírita.

  27. EXISTEM 20 MILHOES DE ESPIRÍTAS NO BRASIL, FORA OS QUE TÊM O ESPIRITISMO COMO 2a. RELIGIÀO.

  28. OS ESPIRÍTAS TEM RENDA FAMILIAR 150% SUPERIOR A MEDIA NACIONAL

  29. 77% DOS ESPIRÍTAS TÊM ENTRE OITO E 15 ANOS DE ESTUDO, EM MÉDIA DEZ ANOS A MAIS QUE OS CATÓLICOS.

  30. ORKUT – 366 COMUNIDADES 183.546 MEMBROS

  31. MÍDIA • GHOST • ALMA GÊMEA • O PROFETA • LINHA DIRETA • A VIAGEM

  32. CLÉO PIRES, FABIO JUNIOR GUGA, NILTON PETRONE(FILÉ) RAICA ( TOP MODEL)

  33. O espiritismo fala em “evangelizar”, em “consciência cristã”, em “espiritismo cristão”. Para sabermos se o espiritismo é ou não cristão, nada melhor do que fazermos o confronto de suas doutrinas com as do cristianismo.

  34. A Divindade de JesusO que ensina o cristianismo: • “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. O Verbo se fez carne, e habitou entre nós” • (Jo 1.1,14). • “Quem me vê a mim, vê o Pai” (Jo 14.9; cf. Jo 8.19). • “Eu e o Pai somos um. Sendo homem, te fazes Deus a ti mesmo” (Jo 10.30-33).

  35. A Divindade de Jesus • “Em verdade, em verdade eu vos digo: Antes que Abraão existisse, Eu Sou” (Jo 8.58). • “E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo” (Mt 16.16; cf Mt 14.33; Lc 1.35; Jo 1.49).

  36. A Divindade de Jesus • O título `O Filho de Deus´, não recusado por Jesus, designa uma relação eterna entre o Filho e o Pai na Deidade. O Verbo, isto é, o Filho, estava com Deus no princípio e era Deus. “Ele é considerado `Filho´, não porque em certo tempo começou a derivar ser do Pai (em tal caso, Ele não poderia ser coeterno com o Pai), mas porque Ele é e sempre foi a expressão do que o Pai é (cf. Jo 14.9).

  37. As palavras em Hebreus 1.3: `O qual [Jesus], sendo o resplendor da sua glória [de Deus], e a expressa imagem da sua pessoa [de Deus], são definições do que significa Filho de Deus” (Notes on Galatians, de Hogg e Vine, pp.99,100, citado pelo Dicionário VINE).

  38. O que ensina o espiritismo: “Esta passagem dos Evangelhos [Jo 1.1,14] é a única que, à primeira vista, parece encerrar implicitamente uma idéia de identificação entre Deus e a pessoa de Jesus. Não exprimem senão uma opinião pessoal [de João]. Jesus pode, pois, estar encarregado de transmitir a palavra de Deus sem ser Deus” (Obras Póstumas, Alan Kardec, 1993, 1a edição, p. 145 e 146).

  39. A Ressurreição de JesusO que ensina o cristianismo: • “Mas, depois de eu ressuscitar, irei adiante de vós para a Galiléia” (Mt 26.32; Mc 14.28 = Jesus). • “E o entregarão [o Filho do homem] aos gentios para que dele escarneçam, e o açoitem, e crucifiquem, e ao terceiro dia ressuscitará” (Mt 20.19 = Jesus).

  40. “Derribai este templo, e em três dias o levantarei” (Jo 2.19 = Jesus). • “Quando, pois, ressuscitou dos mortos, os seus discípulos lembraram-se de que lhes dissera isso” (Jo 2.22

  41. A Ressurreição de Jesus • “Desde então, começou Jesus a mostrar aos seus discípulos que convinha ir a Jerusalém, e padecer muito dos anciãos, e dos principais dos sacerdotes, e dos escribas, e ser morto, e ressuscitar ao terceiro dia” (Mt 16.21). • “Ele não está aqui, porque já ressuscitou, como tinha dito. Vinde e vede o lugar onde o Senhor jazia. Ide, pois, imediatamente, e dizei aos seus discípulos que já ressuscitou dos mortos” (Mt 28.6-7).

  42. “Porque foi para isto que morreu Cristo, e ressurgiu, e tornou a viver, para ser Senhor, tanto dos mortos, como dos vivos” (Rm 14.9).

  43. A Ressurreição de Jesus • Vejam o que o Apóstolo diz: “E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras” (1 Co 15.4); “Depois foi visto, uma vez, por mais de quinhentos irmãos...por Tiago, por todos os apóstolos, por mim” (vv.6,7,8). Em tom de repreensão, prossegue: “Ora, se se prega que Cristo ressuscitou dentre os mortos, como dizem alguns dentre vós que não há ressurreição de mortos? ...

  44. E, se Cristo não ressuscitou, logo é vã a nossa pregação, e também vã a nossa fé...mas de fato Cristo ressuscitou entre os mortos e foi feito primícias dos que dormem” (vv.12-20). O significado de ressuscitar: “Fazer voltar à vida. Tornar a viver, após ter morrido” (Mini Dicionário Aurélio).

  45. O que ensina o espiritismo: • “A reencarnação fazia parte dos dogmas dos judeus, sob o nome de ressurreição.... Designavam pelo termo ressurreição o que o Espiritismo, mais judiciosamente, chama de reencarnação. A ressurreição dá idéia de voltar à vida o corpo que já está morto, o que a Ciência demonstra ser materialmente impossível, sobretudo quando os elementos desse corpo já se acham desde muito tempo dispersos e absorvidos” (O Evangelho Segundo o Espiritismo (E.S.E.), Allan Kardec, cap. IV, item 4).

  46. As Aparições de JesusO que ensina o cristianismo: “E eles, espantados e atemorizados, pensavam que viam algum espírito. E Jesus lhes disse: Por que estais perturbados e por que sobem tais pensamentos aos vossos corações? Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo. Apalpai-me e vede, pois um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho. Tendes aqui alguma coisa que comer?

  47. Então eles apresentaram-lhe parte de um peixe assado, e um favo de mel. O que Ele tomou, e comeu diante deles” (Lc 24.37-43). “Jesus disse a Tomé: Põe aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos; e chega a tua mão, e põe-na no meu lado; e não sejas incrédulo, mas crente” (Jo 20.27).

  48. O que ensina o espiritismo: • “As aparições de Jesus depois de sua morte são narradas por todos os evangelistas com detalhes circunstanciados que não permitem duvidar da realidade do fato. Aliás, elas se explicam perfeitamente pelas leis fluídicas e pelas propriedades do perispírito, e nada apresentam de anômalo... Reconhece-se nelas [nas aparições] todos os caracteres de um ser fluídico. Aparece inopinadamente e desaparece da mesma forma; é visto por uns e por outros sob aparência, que não o fazem reconhecido, nem mesmo por seus discípulos.

  49. Sua linguagem não tem a vivacidade de um ser corporal; tem o tom breve e sentencioso... Jesus mostrou-se, pois, com seu corpo perispiritual, o que explica não ter sido visto por aqueles a quem desejava mostrar-se; se estivesse em seu corpo carnal, teria sido visto por todos, como quando era vivo” (A Gênese, Allan Kardec, 14a edição, 1985, cap XV-61, p. 300/301).