Download
slide1 n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
DA EMANCIPAÇÃO DA ALMA Emancipar > Tornar(-se) independente; libertar(-se) PowerPoint Presentation
Download Presentation
DA EMANCIPAÇÃO DA ALMA Emancipar > Tornar(-se) independente; libertar(-se)

DA EMANCIPAÇÃO DA ALMA Emancipar > Tornar(-se) independente; libertar(-se)

385 Views Download Presentation
Download Presentation

DA EMANCIPAÇÃO DA ALMA Emancipar > Tornar(-se) independente; libertar(-se)

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. DA EMANCIPAÇÃO DA ALMA Emancipar > Tornar(-se) independente; libertar(-se) em Espiritismo “desprendimento do Espírito encarnado”. 1 - O sono e os sonhos. 2 - Visitas espíritas entre pessoas: ENCARNADAS OU DESENCARNADAS André, em sonho , enquanto conversava com a mãe, tinha perfeita consciência de que havia deixado o veículo inferior – o corpo espiritual – no apartamento e que estava em outro nível de realidade (outra dimensão espiritual).

  2. Antes de estudarmos os tópicos assinalados para os temas, precisamos entender uma questão inerente a todos eles. André, confirma que tinha perfeita consciência de que havia deixado o veículo inferior e que estava em outro nível de realidade . Perguntamos então: O QUE É CONSCIÊNCIA ?

  3. Onde está escrita a lei de Deus?

  4. Onde está escrita a lei de Deus? “Na consciência.” O Livro dos Espíritos, Q.621.

  5. MAS ENTÃO QUE É CONSCIÊNCIA ?

  6. Do latim: hòmo,ìnis 'homem, indivíduo, ser humano‘ único representante vivente do gênero. Homo, da espécie Homosapiens, é caracterizado por ter cérebro volumoso, posição ereta, mãos preênseis, inteligência dotada da faculdade de abstração e generalização, dotado de consciência e capacidades para se comunicar, refletir , pensar, raciocinar.

  7. do ponto de vista espiritualista pode-se investigar e falar do homem em • Liberdade • Moral • Responsabilidade • Dignidade • Individualidade superior • Sentido para a vida humana e para o universo • e...CONSCIÊNCIA

  8. O homem é, pois, ao mesmo tempo: espírito e matéria, alma e corpo.

  9. Espírito e matéria, alma e corpo, talvez, não sejam mais do que simples palavras, exprimindo de maneira imperfeita as duas formas da vida eterna, a qual dormita na matéria bruta, acorda na matéria orgânica, adquire atividade, se expande e se eleva no Espírito. O que caracteriza a alma e a diferencia da matéria é a sua unidade consciente. No Universo só o Espírito representa o elemento uno, simples, indivisível e por conseguinte, indestrutível, imperecível e imortal!

  10. Quem sou eu? CONSCIENTE SUBCONSCIENTE INCONSCIENTE

  11. A PERSONALIDADE INTEGRALA consciência, o “eu”, é o centro do ser, a própria essência da personalidade. O “eu”, possui camadas, zonas internas que pertencem à consciência profunda. O “eu” ordinário, superficial, limitado pelo organismo, não parece ser mais do que um fragmento do “eu” profundo, onde estão registrados fatos, conhecimentos, recordações referentes ao longo passado da alma. No estado de vigília, podem impulsos do “eu” profundo, remontar até às camadas exteriores da personalidade, trazendo intuições, percepções, lampejos bruscos sobre o passado e o futuro do ser, os quais denotam faculdades muito extensas, que não pertencem ao “eu” normal.

  12. PERSONALIDADE E INDIVIDUALIDADE Primeiramente precisamos esclarecer o que é PERSONA. Cada um de nós nasce com uma bagagem própria, tendências e potenciais a serem atualizados em vida nas direções do desenvolvimento e crescimento humano, tanto no geral quanto no particular. Mas, somos forçados a uma adaptação ao meio ambiente natural, familiar e cultural. O contato com o meio estabelece quais potencialidades serão mais estimuladas e efetivamente exercidas. Ou seja, o meio ensina à criança o que é certo e o que é errado; ensina o que deve e o que não deve ser feito, pensado, sentido, observado e assim por diante. Isto cria em todos uma diferenciação entre o que cada um é - o que cada um deseja ou pretende - e o quê de cada um é possível de ser exercido ou expressado na situação familiar e social. Deste confronto de forças surge em cada um a noção de um EU autônomo e, principalmente de uma "simulação" do EU PESSOAL cujo resultado poderíamos chamar de EU PARA OS OUTROS ( O EU PESSOAL menos aquilo que é inaceitável pelas exigências do meio ). A simulação através de um EU PARA OS OUTROS já aparece na criança que precisa diferenciar e discriminar o que ela pretende ou deseja SER daquilo que lhe é PERMITIDO SER.

  13. PERSONALIDADE E INDIVIDUALIDADE É importante ter uma PERSONA eficiente, que cumpra seu papel de EU PARA O MUNDO e que seja, ao mesmo tempo, eficiente "EMBAIXADOR do EU PESSOAL" nas relações com o meio externo, tornando-se "um respeitável integrante de suas estruturadas organizações". Continuando a usar esta analogia (do embaixador) vemos então que esta condição ideal não é tão frequentemente atingida pela maioria de nós; ou seja, o embaixador não representa eficientemente os direitos e interesses do Reino do EU, o centro de governo para o qual também deveria trabalhar. O Reino do EU é a Individualidade, o Espírito Imortal, a soma de todas as experiências adquiridas através da PERSONAS de cada encarnação.

  14. PERSONALIDADE E INDIVIDUALIDADE Sob a personalidade do ser (ego) jaz a realidade profunda (o espírito/a individualidade). A personalidade resulta da experiência de cada etapa, mas a individualidade é a soma de todas as realizações nas sucessivas reencarnações. A personalidade é transitória, está em permanente representatividade dos conteúdos mentais, pelas imposições das leis e costumes de cada época e cultura, representa a aparência para ser conhecida, definidora de experiências nos sexos, na cultura, na inteligência, na arte e no relacionamento pessoal, não raro, em distonia com o eu profundo e real. A individualidade é o ser pleno e potente, imperecível, é o espírito em si mesmo que reúne as demais dimensões e sabe conscientemente o que fazer, quando fazê-lo e como realizá-lo, para ser a pessoa integral, ideal, que supera os condicionamentos e comportamentos pessoais, de consciência livre, é o ser total, como pessoa é transitória, como individualidade é eterna.

  15. AS POTÊNCIAS DA ALMA A CONSCIÊNCIA (O SENTIDO ÍNTIMO) A VONTADE O LIVRE-ARBÍTRIO O PENSAMENTO Dos temas, vamos destacar CONSCIÊNCIA (O SENTIDO INTIMO O AMOR

  16. A CONSCIÊNCIA O SENTIDO ÍNTIMO As Potências da Alma Centro do Ser..Permanente...Indestrutível...Persiste...Continua através de todas as nossas transformações... O percebermo-nos no tempo e no espaço...Sabermos o que somos...É também o sentimento que temos de viver, agir, pensar, querer...Múltipla e ao mesmo tempo uma só...Todas essas sensações vão aumentando e apurando pela própria evolução... Sem limites... Manifestará a vida infinita...O sentimento...O juízo... A faculdade de perceber o mundo invisível...De maneira mais elevada... Sente as verdades morais...Suas causas... suas leis... A Consciência

  17. “Consciência é um pensamento íntimo, que pertence ao homem, como todos os outros pensamentos.” Allan Kardec. Joanna de Ângelis: “É o encontro com outras dimensões da vida e possibilidades extra-físicas de realizações”. “Relação dos conteúdos psíquicos com o ego, na medida em que é percebida pelo ego.” C.G.Jung. “Conhecimento interior, independente de sua atividade mental. É antes de tudo tomada de conhecimento de si, o conhecimento de quem ele é, de onde está, do que sabe e do que não sabe, e assim por diante.” Ouspensky. “É um estado no qual o homem se torna objetivo em relação a si mesmo. Objetiva contato com o mundo real, objetivo, do qual está separado pelos sentidos, sonhos, e pelos estado de sono desperto de consciência.” Ouspensky.

  18. NÍVEISDE CONSCIÊNCIA

  19. NÍVEIS DE CONSCIÊNCIA EVOLUÇÃO = EXPANSÃO DA CONSCIÊNCIA ESPÍRITO MENTE VIDA MATÉRIA

  20. Herculano Pires fala que “isto” é um estado de coisificação da consciência. Vemo-nos como coisas.

  21. CONSCIÊNCIA FÍSICA; DAS SENSAÇÕES; DAS EMOÇÕES e INTELECTIVA "No estado de consciência usual, o indivíduo se experimenta existindo dentro dos limites de seu corpo físico, e sua percepção do meio ambiente é restringida pela extensão, fisicamente determinada, de seus órgãos de percepção externa; tanto a percepção interna quanto a percepção do meio ambiente estão confinadas dentro destes limites” Stanislav GrofPsicólogo Transpessoal

  22. AQUISIÇÃO DE CONSCIÊNCIA É resultado de um processo incessante; o psiquismo se agiganta desde o sono, na força aglutinadora das moléculas, no mineral; à sensibilidade, no vegetal; ao instinto, no animal; e à inteligência, à razão, nohomem.

  23. Estados de consciência “A conquista da consciência abre espaços para o entendimento das leis que regem a vida, facultando o progresso do ser, que se entrega à tarefa de educação pessoal e, por conseqüência, da sociedade na qual se encontra.” Joanna de Ângelis, Momentos de Consciência, cap. 10

  24. Estados de consciência A sobre-excitação dos instintos materiais abafa, por assim dizer, o senso moral, assim como o desenvolvimento do senso moral enfraquece pouco a pouco as faculdades puramente animais. O Livro dos Espíritos, Q. 754,comentário.

  25. Clareza mental: Resulta da educação da vontade, do equilíbrio que se adquire com esforço, alcançando-se uma lucidez lógica, que evita a distração das realidades objetivas e subjetivas que constituem a vida, na qual se move e atua. Rumo às Estrelas, cap. 20

  26. OS CINCO ESTADOS DE CONSCIÊNCIA do inconsciênte ao consciênte • o estado de sono profundo (inconsciência, sem sonhos) • 2) estado de despertar semi-dormindo (sonambúlico) • 3) consciência de vigília (tem momentos de lucidez ) • 4) consciência de si (estado subjetivo – sabe onde está e quem se é) • 5) consciência objetiva (estado de consciência desperta lúcida, mesmo dormindo tem a alma emancipada no mundo espiritual).

  27. OS CINCO ESTADOS DE CONSCIÊNCIA • Estado de consciência coletiva: • a consciência é embrionária e se manifesta através dos vários reinos da natureza pela qual passa o Principio Inteligente; é amorfa, instintiva, sensorial; vive pelos impulsos, mecânica. • 2) sono sem sonhos (estado de sono profundo); • 3) sono com sonhos: (estado sonambúlico, mágico, mitológico, fantasias, o sujeito fantasia a vida); • 4) consciência de vigília: surge com a razão analítica e predominância do ego; aos poucos interroga-se quem se é, porque aqui está e para onde vai. • 5) consciência Objetiva: Desperta; Lúcida, Intuitiva, Transcendental. Sabe que é espírito e vive a espiritualidade.

  28. A consciência de massa (estado de consciência coletiva) A grande maioria da Humanidade vive neste nível biológico-social instintivo. São condicionadas pelos valores vigentes e pela mentalidade comum. As suas identidades são mera extensão das normas, crenças, costumes e tabus da sociedade em que nasceram. Vivem polarizadas na sobrevivência. Vivem vidas inteiras repetindo os mesmos padrões mentais e emocionais, submersos na sua própria subjetividade e incapazes de se verem objetivamente. Nasce, cresce, come, reproduz e morre como nasceu. Não conseguem se desindentificar do grupo (tribo). Na linguagem vulgar são chamados de “Maria vai com as outras”

  29. Estados de consciência Sonolência: (ainda que se encontrem com os olhos abertos, falem e se movam.) • Resulta da falta do hábito da meditação superior, por não fixar a mente em ideias nobres, não estudar, não pensar construtivamente, libertando-se da acanhada situação a que se entrega, vivendo enfraquecido, em contínuo torpor, sem reação de qualquer natureza. Os sentidos da alma, os sentidos psíquicos, dos quais os sentidos do corpo são a manifestação externa e amortecida, entram em ação, despertam nas profundezas do ser; à medida que a alma se desprende e se eleva, a ação desses sentidos torna-se predominante, e os sonhos adquirem uma lucidez, uma nitidez notáveis.

  30. O ser humano é mais do que imagina e do que percebe que é. Ele tem mais capacidades do que acredita que possui. • Damos muita ênfase aos pontos negativos em detrimentos dos positivos! Por que? Estamos acostumados a apontá-los nos outros. • Ao reconhecer nossos pontos negativos, podemos fazer um planejamento e, com disciplina, transformar um por um. • Reconhecendo nossos pontos positivos sentiremos mais confiança em nossa capacidade de conseguir o que desejamos, independente das críticas ou opiniões alheias. Olhando para dentro de si

  31. Uma pergunta jamais deverá deixar de ser o centro de nossas cogitações nas vivências espíritas: em que estou melhorando? • Ter noções claras sobre as conquistas interiores, mesmo que pouco expressivas, é valiosa motivação para a continuidade da empreitada da renovação. • não dar valor aos passos amealhados é permitir o sentimento de impotência e menosprezo aos esforços que já conquistamos. • como adquirir a noção sobre nossa posição espiritual, considerando o tamponamento do cérebro físico? • A única postura que nos assegurará a mínima certeza que estamos realizando algo em favor de nossa melhora espiritual, na carne ou fora dela, é a continuidade que damos aos projetos de renovação que idealizamos.

  32. Não somos seres humanos tendo uma experiência espiritual. Somos seres espirituais tendo uma experiência humana. Pierre Teilhard de Chardin.

  33. Emancipação da Alma Objetivo: Entender o processo do desdobramento natural e ou provocado como grande recurso de renovação moral e auxilio aos trabalhos da Casa Espírita. Durante o sono, a alma repousa como o corpo? LE - Questão 401

  34. O LIVRO DOS ESPÍRITOS DA EMANCIPAÇÃO DA ALMA capítulo 8 407. O sono completo é necessário para a emancipação do Espírito? – Não; o Espírito recobra sua liberdade quando os sentidos se entorpecem. Ele se aproveita, para se emancipar, de todos os momentos de repouso que o corpo lhe concede. Desde que haja debilidade das forças vitais, o Espírito se desprende, e quanto mais fraco estiver o corpo, mais livre ele estará. Nota: É assim que a sonolência, ou um simples entorpecimento dos sentidos, apresenta muitas vezes as mesmas imagens do sono.

  35. Atividade do Espírito durante o sono Enquanto o corpo recupera os elementos que perdeu por efeito da atividade da vigília, o Espírito vai retemperar-se entre os outros Espíritos. Colhe, no que vê, no que ouve e nos conselhos que lhe dão, idéias que, ao despertar, lhe surgem em estado de intuição. ESE: Cap. 28, item 38

  36. Atividade do Espírito durante o sono Os Espíritos mais imperfeitos, em vez de procurar a companhia de Espíritos bons, buscam a de seus iguais. Vão, enquanto dormem em busca de emoções talvez até menos dignas das que alimentam quando em vigília. Assim, por questões de afinidade, entram em contato com outros Espíritos que vivem nos vícios, no erro, na maledicência.

  37. Atividade do Espírito durante o sono Os Espíritos mais evoluídos, vão para junto dos seres que lhes são superiores. Com estes viajam, conversam, se instruem e trabalham. Aproveitam essa liberdade provisória para estudar, para em contato com os Espíritos superiores, receber orientações ...

  38. Objetivos do intercâmbio com o invisível • Perceber a vida na outra dimensão; • Consolo para as nossas lutas; • Buscar orientação; • Estímulo para viver.

  39. Porque não lembramos Durante o sono, o Espírito liberto age e sua memória perispiritual registra os fatos sem que estes cheguem ao cérebro físico; tudo é percebido diretamente pelo Espírito; excepcionalmente, as percepções da alma poderão repercutir no cérebro físico.

  40. DA EMANCIPAÇÃO DA ALMA Emancipar > Tornar(-se) independente; libertar(-se). “O sono liberta parcialmente a alma do corpo. Quando o homem dorme, momentaneamente se encontra no estado em que estará permanentemente após a morte.(...).”

  41. CICLOS DO SONO mas

  42. R E S T R I Ç Ã O D O S O N O

  43. O SONO - A FASE REM (RapidEyeMovement) Durante o sono, ocorrem cinco estágios distintos. Quatro classificados de Não-REM (NREM) e um de REM. Podem ser caracterizados de acordo com a atividade elétrica cortical de cada um. Passa-se da fase 1 para a 2 e desta, para a 3 e 4. Permanece-se neste estágio por algum tempo, até haver um retrocesso chegando novamente a fase 1 e desta, para a REM. Concluída esta fase, repete-se todo o processo. A cada novo estágio, há um aprofundamento maior do sono sendo que o estágio REM possui características diferenciadas.