slide1
Download
Skip this Video
Download Presentation
FLO International Fairtrade Labelling Organisations Comércio justo Cooperação: DED – GTZ – FLO no Nordeste do Brasil

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 31

FLO International Fairtrade Labelling Organisations Comércio justo Cooperação: DED – GTZ – FLO no Nordeste do Brasil - PowerPoint PPT Presentation


  • 114 Views
  • Uploaded on

FLO International Fairtrade Labelling Organisations Comércio justo Cooperação: DED – GTZ – FLO no Nordeste do Brasil Kurt Damm; Aniceto Queiroz Baseado na apresentação de Beat Grueninger – BSD- 2008. Conteúdo. Porque comércio justo? Como funciona o sistema FLO ? Critérios da FLO

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'FLO International Fairtrade Labelling Organisations Comércio justo Cooperação: DED – GTZ – FLO no Nordeste do Brasil ' - rollin


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide1
FLO International

Fairtrade Labelling Organisations

Comércio justo

Cooperação: DED – GTZ – FLO

no Nordeste do Brasil

Kurt Damm; Aniceto Queiroz

Baseado na apresentação de Beat Grueninger– BSD-

2008

conte do
Conteúdo
  • Porque comércio justo?
  • Comofunciona o sistema FLO?
  • Critérios da FLO
  • Impacto do selo internacional do CJ
  • FLO no Brasil
slide4
Quanto deve custar um banana?Por que uma banana da América Latina custa menos, do que uma maça do próprio quintal europeu?
slide5
Conceito geral de Comércio Justo

“De um lado é uma forma de comprar bananas fresquinhas, com um ótimo sabor, chá, café e chocolate. Do outro lado, é a maneira de ter certeza que produtores do terceiro mundo consigam um preço justo para os seus produtos.”

slide6
“Quem trabalha tem direito

a uma remuneração eqüitativa e satisfatória,

que lhe permita e à sua família

uma existência conforme com a dignidade humana”

Declaração Universal dos Direitos Humanos artigo 23-3

slide7
Proposta de FLO
  • - Preço mínimo
  • - Premio
  • - Pré - financiamento
  • - Compromisso a médio e longo prazo
slide10
Fairtrade:Uma alternativa de comercio viável!
  •  Para produtores
        • Um comércio mais justo no mercado globalizado
        • Uma ferramenta efetiva para o desenvolvimento autônomo através do comércio
  •  Para consumidores
        • Uma seleção diferenciada no ato da compra
        • Uma contribuição para consumo consciente
slide12
FLO e.v.

Iniciativa Nacional

Definiçao doscritérios

Licença

Controle

Marketing

Sensibilização

Apoio

Informação

Facilitação de Negócios

Preço - Premio

Produto

Organização

Produtora

Trader

(Exp. / Imp.)

Licenciado

Consumidor

Inspeção

Critérios FLO

Auditoria Comercial

Critérios Comerciais

Credibilidade

FLO Cert.

slide13
FLO cert.

Fiscalisacao

Associação dos produtores

preço

minimo

premio

10 cts

Selo

5 cts

Consumidores:

pagam prêmio de

USD 0.15/kg

Certificador:

FLO e.v.; Initiativa nacional

slide14
FLO Cert.Funções
  • Segue a norma ISO 65 para órgãos de certificação
  • Funções
  • Inspeção dos produtores
  • conformidade com critérios FT

- prêmio usado para o desenvolvimento econômico e social

  • decisão de certificação : sistema dinâmico
  • Auditoria dos comerciantes
  • cruzar dados relatados de vendas e compras
  • conformidade com os critérios comerciais FT
slide15
Funções das iniciativas nacionais

Objetivo: desenvolver as vendas

Produtores

Traders negociantes

fabricantes

distribuidores

consumidores

Convencer os parceiros econômicos

da cadeia do comércio justo

slide17
Critérios para produtores:
  • Desenvolvimento social: Membros são Pequenos Produtores Democracia, participação, transparência, não discriminação
  • Desenvolvimento econômico: capacidade para exportar, consolidação da situação econômica da organização
  • Proteção do meio ambiente
  • Condições de trabalho: Trabalho Forçado e Trabalho Infantil não deve existir; Liberdade Sindical & Negociação Coletiva, Saúde e Segurança Ocupacional

Produção

Familiar

Trabalho Contratado

Critérios Genéricos

Critérios Específicos

Requisitos Mínimos

Requisitos de Progresso

slide18
Café

Bananas

Suco de Frutas

Frutas frescas e desidratadas

Verduras

Açúcar

Chá

Cacau

Mel

Arroz

Quínoa

Flores

Bolas de futebol

Castanhas

Temperos

Algodão

Vinho, cerveja

Critérios específicos existentes no sistema FLO

Em desenvolvimento:

Óleos, artesanato, soja, pescaria...

crit rios gen ricos
Critérios Genéricos
  • Requerimentos mínimos, que todas as organizações devem cumprir a partir do momento em que se juntam ao Comércio Justo
  • Requerimentos de progresso, que as organizações de produtores devem mostrar melhoria permanente e desenvolver um plano de trabalho
slide21
O comércio justo (FAIRTRADE):

Duas dinâmicas complementares

O selo internacional

Colaborar com os atores econômicos tradicionais

  • 21 paises consumidores
  • 1 milhão de famílias de produtores
  • 508 organizações de 50 paises

As lojas especializadas

Criar uma alternativa ao comércio tradicional

  • 3 000 lojas em Europa

Valor dos produtos com selo do CJ (M€)

slide22
FLO: federação de associações presentes em 21 paises

Prévisions

Criadas desde 1988

1 logotipointernacional et 3 nomes :

Max Havelaar/Fairtrade/Transfair

slide23
Impacto

Um selo para um milhão de produtores e trabalhadores de 51 paises

508 organizações de produtores

50 paises

Produtores

20 iniciativas nacionais

21 paises

Mercado

slide24
As dimensões do FT: mercado certificado vs. não-certificado

FLO 80%

  • Bananas
  • Café
  • Sucos
  • Cacao
  • Frutas

Europa

Outros 20% (artesanato)

FLO70%

Café

Estados Unidos e Canadá

Artesanato

Outros 30%

slide26
Impacto

2004 unidade 2005 Crescimento %

Café 24,222 t 33,992 +40%

Chá 1,965 t 2,614 +33%

Banana 80,641 t 103,877 +29%

Cacau 4,201 t 5,657 +35%

Açúcar 1,960 t 3,613 +84%

Mel 1,239 t 1,331 +7%

Sucos 4,543 4,856 +7%

Arroz 1,384 t 1,706 +23%

Frutas 5,156 t 8,289 +61%

Flores 101,610,850 un. 113,535,910 +12%

Algodão - t 1,402 --

Cerveja 62,934 lit. 123,758 +97%

Futebol55,219 un. 64,144 +16%

Volumes vendidos (MT)Vendas totais 2005:1,151 Mio Euro (+37%)

slide28
Vários termos são utilizados:
  • Para descrever o movimento existem várias traduções:
    • Comércio justo;
    • Comércio ético;
    • Comércio solidário;
    • Comércio ético e solidário.
  • Nós traduzimos aqui o “Fair Trade”, como “comércio justo”, referindo-se à um sistema internacional com critérios definidos, e distinguindo de outros conceitos como por exemplo “economia solidária”.
slide31
www.fairtrade.net

Kurt Damm; Aniceto Queiroz

[email protected]

Tel 074-3611.6476

ad