“Se os pais não prepararem seus filhos para o
Download
1 / 39

Se os pais n o prepararem seus filhos para o mundo, o mundo vai preparar os filhos para seus pais. Policial Torquett - PowerPoint PPT Presentation


  • 195 Views
  • Uploaded on

“Se os pais não prepararem seus filhos para o mundo , o mundo vai preparar os filhos para seus pais.” Policial Torquetti Psicólogo - Instrutor Proerd. Conversa com os Pais/Responsáveis Sd Torquetti Instrutor PROERD 10ª Cia Esp. – 5° BPM. Programa Educacional de Resistência às Drogas.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' Se os pais n o prepararem seus filhos para o mundo, o mundo vai preparar os filhos para seus pais. Policial Torquett' - rigg


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

“Se os pais não prepararem seus filhos para o mundo, o mundo vai preparar os filhos para seus pais.” Policial TorquettiPsicólogo - Instrutor Proerd


Conversa com os pais respons veis sd torquetti instrutor proerd 10 cia esp 5 bpm

Conversa com os Pais/Responsáveis

Sd Torquetti

Instrutor PROERD

10ª Cia Esp. – 5° BPM



A Polícia Militar

na Prevenção Primária

  • Nível de intervenção: Universal.

  • Objetivo: Dotar jovens estudantes de informações e habilidades necessárias para viver de maneira saudável, sem drogas e violência.

  • Aplicação: Consiste num esforço cooperativo entre a Polícia Militar, a Escola e a Família, e se destina a evitar que crianças e adolescentes em fase escolar iniciem o uso das diversas drogas preservando sua saúde e seus sonhos.


Currículos Proerd

Política Pública sobre Drogas – ação continuada


O Proerd está em Minas Gerais a partir de 1998

Reconhecido como Centro de Treinamento Internacional pelo DARE desde 2005


  • Consolidado

  • Brasil = 11 milhões

  • Minas Gerais = 1.631.789

  • 400 Municípios

  • 600 Instrutores ativos


Reconhecimento

Conselho Nacional de Políticas sobre Drogas (CONAD), por unanimidade de votos de seus membros, deliberou que o PROERD é seu parceiro estratégico para o desenvolvimento de ações primárias de prevenção ao uso e ao tráfico de drogas, no âmbito do Sistema Nacional de Políticas sobre Drogas (SISNAD).


Proerd: Um Espaço para os Pais

  • Proerd contribui para abrir um espaço para a discussão em casa.

  • Pais ausentes;

  • Pais com medo de abordar o assunto;

  • Pais que acreditam que falta para eles habilidade e conhecimento aprofundado;

  • Pais que não acham que o filho possui idade para discutir a questão.



Hist rico e evolu o do consumo
Histórico e evolução do consumo

Problema vêm se perpetuando ao longo da existência humana, com inúmeras referências ao uso de plantas, cujos efeitos alucinógenos foram registrados pelas literaturas contemporâneas.




Cenário sobre drogas

Cocaína.

Produção de cocaínaem 2007: 711 ton.

Colômbia

81.000ha.

Peru

56.100ha.

Bolívia

30.500ha.

O Brasil registrou em 2007 um total de apreensão de aproximadamente 17 toneladas da substância, equivalente a 2% do total mundial apreendido (323 ton.), distante de países como a Colômbia (com 27 %) e Estados Unidos (com 21%).

Fonte: UNODC, Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime. Relatório mundial sobre drogas 2009.


1

Fronteira com os três maiores países produtores de cocaína do mundo: 7.765 km.

2

Fronteira com um dos maiores produtores mundiais de maconha: 1.339 km.

Fragilidade de fronteiras

Faixa litorânea: 7.367 km.

3

Fonte: IBGE, 2009; UNODC, 2009.


Fragilidade de fronteiras

Minas Gerais.

A malha rodoviária no estado é de 269.545 quilômetros, dos quais apenas 11.396 em rodovias federais e 21.472 em rodovias estaduais e estaduais coincidentes, correspondendo todo o restante a estradas municipais

Fonte: IBGE, 2009.



Exemplo dos pais

Curiosidade

Busca de prazer

Quebrar barreiras sociais

Ser aceito no grupo

Conseguir status

Diminuir a timidez

Pressão da mídia




Conceitua o e aspectos gerais sobre drogas

Conceituação e aspectos gerais sobre drogas

UNIDADE II

Aspectos gerais sobre as drogas


Conceitua o drogas
Conceituação:Drogas

  • Significado – “qualquer substância capaz de modificar a função dos organismos vivos, resultando em mudanças fisiológicas ou de comportamento”.

  • O termo drogas teve origem na palavra “droog” (holandês antigo) que significa folha seca; isso porque antigamente quase todos os medicamentos eram feitos à base de vegetais.

  • Fonte: Observatório Brasileiro de Informações sobre Drogas.


Conceituação:Drogas psicotrópicas ou psicoativas

“substância que têm atração por atuar no nosso cérebro (ou sistema nervoso central), modificando a nossa maneira de sentir, pensar e, muitas vezes, de agir”.

Psicovem do grego Psyché, que significa “alma”, “espírito”, “mente”.

Trópico, por sua vez, deriva do grego tropos e que dizer “atração”.


Padr o de consumo de drogas uso abuso e depend ncia
Padrão de consumo de drogas:Uso, abuso e dependência

Nãouso

Uso experimental

Usorecreativo

Usocontrolado

Uso social

Usonocivo e abuso

Dependênciaquímica

Fonte: Scivoletto e Duarte, 2004.


Classificação quanto a legalidade

Drogas Lícitas: são aquelas legalmente produzidas e comercializadas (ÁLCOOL, TABACO, medicamentos, inalantes, solventes), sendo que a comercialização de alguns medicamentos é controlada, pois há risco de causar dependência física e/ou psíquica.

Drogas Ilícitas: são aquelas substâncias cuja comercialização é proibida por provocar altíssimo risco de causar dependência física e/ou psíquica (COCAÍNA, MACONHA, CRACK, etc).


Classifica o das drogas a o no organismo humano efeito
Classificação das drogas:Ação no organismo humano/efeito

Fonte: Guazzelli, 2004.


Classificação das drogas:Ação no organismo humano/efeitos.

Estimulantes:“são aquelas que estimulam o sistema nervoso central, que passa a funcionar de modo acelerado. Dependendo da potência do estimulante usado, este pode provocar desde de ligeiro estado de alerta até uma sensação de incrível poder, bem-estar e energia. Os estimulantes tendem a diminuir o sono e apetite”.

cafeína (presente no café, refrigerantes tipo cola, e em vários chás);

nicotina (presente no tabaco);

anfetaminas (bolinhas), cocaína (pó, crack e merla);

anorexígenos (remédios que diminuem a fome).


Classificação das drogas:Ação no organismo humano/efeitos.

Perturbadoras: “aquelas que não interferem na velocidade, mas no modo de funcionamento do SNC... provocam uma alteração na percepção do mundo: tempo e espaço passam a ter uma dimensão diferente, estímulos visuais e auditivos podem ser percebidos de modo completamente distinto... podem também “criar”, sons e imagens não existentes (alucinações).”

THC (presentes na folha de maconha/cannabis sativa);

mescalina (presente no cacto mexicano);

psilocibina (encontrada em certos cogumelos);

LSD-25 e o Ecstasy (produzidos em laboratório);

anticolinérgicos (remédios que quando ingeridos em dose muito altas apresentam ação pertubadora, como o produto Artene).


Classificação das drogas:Ação no organismo humano/efeitos.

Depressoras: “têm esse nome porque deprimem a atividade cerebral, fazem com que o cérebro funcione em ritmo lento... provocam uma sensação de “desligamento”, de leveza, narcotizam a dor física e muitas vezes provocam sono.”

remédios para a ansiedade ou tranquilizantes (benzodiazepínicos, calmantes, ansiolíticos);

remédios para induzir sono/calmantes/sedativos (barbitúricos);

opiáceos ou narcóticos (heroína, morfina, ópio);

álcool; Codeína (analgésico, antitussígeno [xarope para tosse]; soníferos ou hiptnóticos;

inalantes ou solventes, produtos domésticos e industriais (cola de sapateiro, benzina, éter, acetona.


Drogas e principais reas do funcionamento mental prejudicadas
Drogas e principais áreas do funcionamento mental prejudicadas

Álcool

Memória, aprendizagem, flexibilidade mental, resolução de problemas, organização visoespacial, problemas psicomotores e tomada de decisões.

Maconha

Atenção, memória e aprendizagem.

Cocaína

Atenção, concentração, memória visual, verbal, aprendizagem, fluência verbal, integração visomotora e tomada de decisões.

Solventes

Atenção/concentração, memória, lentificação psicomotora, funções visoespaciais, aquisição de novas informações, planejamento e destreza manual .

Anfetaminas

Atenção, planejamento, memória operativa e tomada de decisões.

LSD

Abstração, flexibilidade mental, memória, aprendizagem e orientação visoespacial.

Ecstasy (MDMA)

Memória verbal, visual e memória operativa.

Opiáceos

Funções visoespaciais, visomotoras e tomada de decisões.

DROGA

DÉFICITS OU PREJUÍZOS COGNITIVOS



N veis de preven o1
Níveis de prevenção: prejudicadas

Nenhum

Leve

Moderado

Substancial

Pesado

Consumo

Dependência

Problemas

Nenhum

Leve

Em maior número

Grave

  • Primária – prevenir o início ou retardar o consumo de drogas;

  • Secundária – destina-se a evitar a progressão do consumo e eventuais prejuízos;

  • Terciária – focadas no processo de recuperação e reinserção de pessoas em situação de abuso e dependência.

Prevenção primária

Prevenção secundária

Prevenção terciária

Referenciais ação conjunta


1°. problema prejudicadas

(físico, psíquico ou social)

1a. intoxicação

1a. ingestão

Óbito

Ingestão

arriscada

Uso

nocivo

Dependência

Ingestão

sem risco

Prevenção


prejudicadasOs melhores professores? As crianças. “

“As pessoas mais necessárias? Os pais”

Madre Tereza de Calcutá


Fontes pesquisadas
Fontes Pesquisadas prejudicadas

CEBRID: Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas

Sociedade Israelita Albert Einstein

www.antidrogas.com.br

NIDA (National Institute on Drug Abuse)

NIAAA (National Institute on Alcohol Abuse and Alcoholism)


ad