vanguardas rupturas e transforma o l.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Vanguardas – rupturas e transformação PowerPoint Presentation
Download Presentation
Vanguardas – rupturas e transformação

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 33

Vanguardas – rupturas e transformação - PowerPoint PPT Presentation


  • 148 Views
  • Uploaded on

Vanguardas – rupturas e transformação. Flávia Guerra Pinto Coelho Völker. Contexto. Problemas de natureza política e conflitos

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Vanguardas – rupturas e transformação' - reya


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
vanguardas rupturas e transforma o

Vanguardas – rupturas e transformação

Flávia Guerra Pinto Coelho Völker

contexto
Contexto
  • Problemas de natureza política e conflitos
  • Impacto das novas descobertas científicas e tecnológicas: vírus, bactérias, teoria da relatividade, surgimento da psicanálise – o inconsciente humano - , eletricidade, telefone, telégrafo sem fio, cinema, automóvel, raio X, avião
  • Dimensões da vida e do pensamento não podiam mais ser orientadas pelas referências herdadas do passado
um novo olhar
Um novo olhar
  • As vanguardas questionaram a herança cultural do século XIX.
  • Os velhos padrões de uma arte conservadora e cristalizada eram coisa do passado: necessidade de novas referências estéticas.
  • Artistas e filósofos reúnem-se para avaliar o impacto das inovações tecnológicas e científicas.
  • Necessidade de uma nova linguagem capaz de capturas as inovações e transformações.
  • Ruptura, choque – novas formas de interpretar e expressar a realidade
  • Surgimento dos manifestos – espírito agressivo das vanguardas X reação horrorizada do público
cubismo
Cubismo
  • 1907 – “As senhoritas de Avignon”.
  • Modo revolucionário de representar a realidade, rompendo com os conceitos tradicionais de harmonia, proporção, beleza e perspectiva.
  • Pablo Picasso, Georges Braque e Juan Gris
arte cubista
Arte cubista
  • Questionamento da descrição clássica.
  • Relações e formas não acabadas.
  • Diferentes pontos de vista de observação.
  • Sobreposição de diferentes planos.
  • Decomposição da figura em detalhes que serão estudados em si, não na visão total de volume.
  • Formas geométricas invadem as composições, as formas observadas na natureza são retratadas de forma simplificada, em cilindros, cubos ou esferas.
  • Cores austeras: do branco ao negro, passando pelo cinza, ocre apagado ou castanho suave.
fases
Fases
  • Cubismo Analítico: caracterizado pela decomposição das figuras e formas em diversas partes geométricas, é o cubismo em sua forma mais pura e de mais difícil interpretação.
  • Cubismo Sintético: é a livre reconstituição da imagem do objeto decomposto, assim, esse objeto não é desmontado em várias partes, mas sua fisionomia essencial é resumida. Algo muito importante nesta etapa é a introdução da técnica de colagem, que introduz no quadro elementos da vida cotidiana (telas, papéis e objetos variados).
a literatura cubista
A literatura cubista
  • Ganha forma na poesia.
  • Explora a associação entre ilogismo, simultaneidade, instantaneísmo e humor.
  • Afirma-se a necessidade de manter as coisas em permanente relação.
  • Desloca-se o olhar para diversos aspectos da realidade ao mesmo tempo.
  • Surgem poemas telegráficos.
  • Os versos sugerem fragmentação.
  • Utilizam-se imagens visuais e elementos-surpresa: camera-eye
slide10

Hípica

Oswald de Andrade

Saltos records

Cavalos da Penha

Correm jóqueis de Higienópolis

Os magnatas

As meninas

E a orquestra toca

Chá

Na sala de cocktails

. Sobreposição de imagens que deslocam o olhar do leitor da pista para a orquestra e o público.

. Imagem multifacetada, composta de fragmentos de diferentes planos

futurismo 1909
Futurismo - 1909
  • Reivindicava-se uma ruptura com o passado, buscando novas formas, assuntos e estilo, que melhor representariam a modernidade, era das máquinas, aeroplanos, fábricas e da velocidade.
  • O lema central era "liberdade para a palavra" e, neste sentido, afirmava o manifesto: "destruir a sintaxe". Pretendiam defender o uso do verbo no infinito e abolir advérbios e adjetivos, assim, acompanhar cada substantivo de outro com função de adjetivo. Pretendiam buscar analogia cada vez mais simples e suprimir a pontuação.
poesia futurista
Poesia futurista

Metalúrgica

1300° à sombra dos telheiros retos

12000 cavalos invisíveis pensando

40 000 toneladas de níquel amarelo

Para sair do nível das águas esponjosas

E uma estrada de ferro nascendo do solo

Os fornos entroncados

Dão o gusa e a escória

A refinação planta barras

E lá embaixo os operários

Forjam as primeiras lascas de aço

Oswald de Andrade

arte futurista
Arte futurista
  • Dinamismo da forma
  • Simultaneidade e desintegração das formas
  • Uso de elementos geométricos
  • Expressão do movimento, da velocidade, tal como descrito no espaço
  • Integração do espectro cromático
expressionismo 1910
Expressionismo - 1910
  • Reação à estética impressionista de valorização sensorial.
  • A realidade não deve ser percebida em planos distintos (físico, psíquico), mas sim ser transformada em expressão.
  • Cores vibrantes, fundidas ou separadas.
  • Pasta grossa, áspera.
  • Técnica violenta: o pincel ou espátula vai e vem, provocando explosões, deformações.
  • Exploração do patético e do trágico.
literatura expressionista
Literatura expressionista

Programa

WilhelmKleim(1915)

Não queremos poesia,

Queremos mágicas, artifícios,

Procuramos tapar na existência fatais vazios

E apesar de imenso esforço, uma atrofia.

Mas o que sabem vocês outros da secreta elevação,

Dos sagrados e histéricos soluços da garganta a chorar,

Quando, consumidos pelo haxixe da alma em imersão,

Beijamos o primeiro degrau, para além de cujo limiar

Os deuses moram?

caracter sticas da literatura expressionista
Características da literatura expressionista
  • Denúncia de um universo em crise, sensação de impotência do homem preso em um mundo sem alma.
  • Caráter negativista, fazendo com que a representação do mundo se faça de forma grotesca e deformada.
  • Subjetividade.
  • Linguagem fragmentada, elíptica, frases nominais.

“A luz delirava, apressada a um vago aviso de tarde. Era tal e tanta que embaçava de ouro a amplidão. Se via tudo de longe num halo que divinizava e afastava as coisas mais. No quiriri tecido de ruidinhos abafados, a cidade se movia pesada, lerda. O mar parara azul.”

Mário de Andrade – Amar, verbo intransitivo

dada smo 1916
Dadaísmo - 1916
  • A mais radical e menos compreensível de todas as vanguardas.
  • Vem abolir de vez a lógica, a organização, o olhar racional, dando à arte um caráter de espontaneidade total.
  • “A obra de arte não vem ser a beleza em si mesma, porque a beleza está morta.” (Tzara)
  • É impossível explicar o ser humano.
  • Dadá não significa nada.
  • Atitude anárquica, que busca escandalizar.
arte dada sta
Arte dadaísta
  • Incorporação de materiais diversos e inusitados.
  • Inscrições humorísticas.
  • Expressões ridículas e burlescas
  • Sátira à arte, rompendo com o emprego de objetos tradicionais.
  • Questionamento das realidades aceitas
literatura dada sta
Literatura dadaísta
  • Improviso.
  • Irreverência.
  • Deboche.
  • Ilogismo.
  • Livre associação de palavras.
  • Espontaneidade.

MATURIDADE

O Sr. E a Sra. Amadeu

Participam a V. Exa.

O Feliz nascimento

De sua filha Gilberta

Oswald de Andrade

surrealismo 1921
Surrealismo - 1921
  • “O Surrealismo não é um estilo. É o grito da mente que se volta para si mesma.” (AntonimArtaud)
  • Por meio da valorização da fantasia , do sonho, do interesse pela loucura, procura-se liberar o inconsciente humano, terreno fértil e ainda pouco explorado.
  • Aproxima-se da teoria psicanalítica de Freud, para quem o comportamento consciente é, em grande parte, regido por desejos e impulsos inconscientes que pouco ou nada têm a ver com as leis da lógica e da racionalidade.
  • Exploram-se os limites do real, estudando a loucura, o sonho, os estados alucinatórios e outras manifestações do inconsciente – arte do impacto.
literatura surrealista
Literatura surrealista
  • Escrita automática. (André Breton)
  • Relações lógicas não servem de apoio ao leitor, porque as imagens criadas não encontram equivalente no mundo exterior.
  • Sucessão de imagens não encadeadas.
  • Atmosfera onírica.
  • O inusitado, o absurdo, o ilógico.
slide27

Aproximação do terror

Murilo Mendes

O abismo bate palmas,

A noite aponta o revólver.

Ouço a multidão, o coro do universo,

O trote das estrelas

Já nos subúrbios da caneta:

As rosas perderam a fala.

Entrega-se morte a domicílio.

Dos braços...

Pende a ópera do mundo.