slide1 n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
QUALIDADE DE VIDA EM IDOSOS DE GRUPO DE TERCEIRA IDADE E PRATICANTES DE DANÇA PowerPoint Presentation
Download Presentation
QUALIDADE DE VIDA EM IDOSOS DE GRUPO DE TERCEIRA IDADE E PRATICANTES DE DANÇA

play fullscreen
1 / 31
Download Presentation

QUALIDADE DE VIDA EM IDOSOS DE GRUPO DE TERCEIRA IDADE E PRATICANTES DE DANÇA - PowerPoint PPT Presentation

quilla
92 Views
Download Presentation

QUALIDADE DE VIDA EM IDOSOS DE GRUPO DE TERCEIRA IDADE E PRATICANTES DE DANÇA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. QUALIDADE DE VIDA EM IDOSOS DE GRUPO DE TERCEIRA IDADE E PRATICANTES DE DANÇA

  2. Autores: Zandoná, D. S; Nascimento, D. F; Brilhante, H. C. S; Quadrado, L. B. R Lima, M. C. F. G – Fisioterapia – INESUL – LONDRINA – PR Orientadora: Dal Col, M. L. PAINEL E-mail:maludalcol@gmail.com

  3. Palavras-chaves: terceira idade, atividade física, saúde.

  4. O objetivo deste trabalho é descrever como os idosos praticantes de exercício em grupo de 3ª idade (PG3; N=16) e praticantes de dança (forró; PF; N=16) melhoraram sua qualidade de vida em relação a: doenças, convivência familiar e realização pessoal. Para a coleta de dados utilizamos um questionário criado pelo grupo e avaliado por professoras do INESUL. Resultados: 70% dos idosos estão no grupo há pelo menos um ano. 93,75% dos idosos do grupo PF afirmaram estar felizes às vezes ou a maior parte do tempo, e no grupo PG3 80%. Quanto ao que melhorou: nada (PF=4; PG3=1); dores (PF=4, PG3=0); disposição (PF=4, PG3=7); auto-estima (PF=4; PG3=0); saúde (PF=1; PG3=2); qualidade de vida (PF=1; PG3=2). Fatores como diabetes, hipertensão, artrose, depressão, entre outros foram semelhantes. Outras características dos grupos estão sendo analisadas. Conclusão: A maioria dos idosos apontou ter uma qualidade de vida boa, embora parte apresente problemas de saúde. Foram encontradas poucas diferenças entre os grupos. O próximo passo é a comparação com grupos que fazem atividades não-esportivas em conjunto, e idosos sedentários que não participam de atividade em grupo.