slide1 l.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Divulgação científica e dimensões sociais e culturais das tecnologias Lena Vania Ribeiro Pinheiro, IBICT/CanalCiência PowerPoint Presentation
Download Presentation
Divulgação científica e dimensões sociais e culturais das tecnologias Lena Vania Ribeiro Pinheiro, IBICT/CanalCiência

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 30

Divulgação científica e dimensões sociais e culturais das tecnologias Lena Vania Ribeiro Pinheiro, IBICT/CanalCiência - PowerPoint PPT Presentation


  • 152 Views
  • Uploaded on

IBICT 2º. SEMINÁRIO SOBRE INFORMAÇÃO NA INTERNET PAINEL 2: DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA E CONTRIBUIÇÃO DA INTERNET PARA DIMINUIR DISTÂNCIAS ENTRE CIÊNCIA E SOCIEDADE . Divulgação científica e dimensões sociais e culturais das tecnologias Lena Vania Ribeiro Pinheiro, IBICT/CanalCiência

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Divulgação científica e dimensões sociais e culturais das tecnologias Lena Vania Ribeiro Pinheiro, IBICT/CanalCiência ' - paul


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide1

IBICT2º. SEMINÁRIO SOBRE INFORMAÇÃO NA INTERNETPAINEL 2: DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA E CONTRIBUIÇÃO DA INTERNET PARA DIMINUIR DISTÂNCIAS ENTRE CIÊNCIA E SOCIEDADE

Divulgação científica e dimensões sociais e culturais das tecnologias

Lena Vania Ribeiro Pinheiro, IBICT/CanalCiência

lenavania@ibict.br

Brasília, 28 de julho de 2008

o ibict e a divulga o cient fica da teoria pr tica
O IBICT E A DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA: da teoria à prática
  • PROGRAMA DE PÓS –GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 1970
  • COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA
  • Projeto SACI para "Socialização da informação: desenvolvimento de metodologias para a sua efetivação; estudo aplicado às áreas de Ciência da Informação e da Saúde", no caso, hanseníase (1995-1999). O Projeto deu origem à primeira tese de doutorado sobre divulgação científica, de Leite (1999)
  • Dissertação de Reis (2000): “A comunicação da informação em hanseníase e a questão do estigma sob o ponto de vista do discurso da mídia”.
  • DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA
  • CANALCIÊNCIA
slide3

COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA

“Todo espectro de atividades associadas com a produção, disseminação e uso da informação, desde a busca de uma idéia para pesquisa, até a aceitação da informação sobre os resultados dessa pesquisa como componente doconhecimento científico”

Garvey, William D., 1979

transfer ncia da informa o
TRANSFERÊNCIA DA INFORMAÇÃO
  • A transferência da informação, por sua vez, não assegura o conhecimento e depende do "conjunto de ações sociais como os grupos e as instituições organizam e implementam a comunicação da informação através de processos seletivos que regulam sua geração, distribuição e uso“.
  • González de Gómez, 1993.
comunica o cient fica e divulga o cient fica
COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA E DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA
  • “A literatura sobre um determinado assunto, não compreende apenas os artigos científicos, mas todos aqueles que o discutiram, interna ou externamente à produção acadêmica, incluindo os artigos de divulgação científica”.
  • Ramos, 1992
galileu galilei 1564 1642 einstein albert 1879 1955
GALILEU GALILEI, 1564-1642EINSTEIN, ALBERT, 1879-1955
  • Sofistas
  • Galileu: reconhecimento da barreira da língua, vontade de falar e escrever em italiano, e não em latim, para divulgar suas idéias às pessoas em geral. Objetivos de ensinar Ciência e estimular a reflexão e o pensar, raciocinar.
  • A ciência deveria ser falada em todos os lugares, inclusive nos mercados, pelo povo.
  • Pinheiro, 2007
  • EINSTEIN: teria sido convencido a descrever sua teoria da relatividade, de forma simples, para ser compreendida pelo povo.
  • Massarani e Moreira,2001
divulga o cient fica
DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA
  • DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA “...É A VEICULAÇÃO EM TERMOS SIMPLES DA CIÊNCIA COMO PROCESSO, DOS PRINCÍPIOS NELA ESTABELECIDOS, DAS METODOLOGIAS QUE EMPREGA”.
  • “Reis (Reis e Gonçalves, 2000, p. 36)
  • “PRESSUPÕE A TRANSPOSIÇÃO DE UMA LINGUAGEM ESPECIALIZADA PARA UMA LINGUAGEM NÃO ESPECIALIZADA, COM O OBJETIVO DE TORNAR O CONTEÚDO ACESSÍVEL A UMA VASTA AUDIÊNCIA”
  • Bueno, 1995
  • DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA ( Brasil)
  • POPULARIZAÇÃO DA CIÊNCIA ( Brasil e demais países da América Latina)
  • VULGARIZAÇÃO DA CIÊNCIA ( França)
natureza da divulga o cient fica
Política

Ideológica

Educativa

Econômica

Adaptado de:

Kreinz, 1998, para jornalismo científico.

Comunicativa

Informativa

Social

Cultural

NATUREZA DA DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA
sociedade da informa o
SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO
  • Globalização
  • Tecnologias de informação e comunicação – TIC’s
  • O que aconteceu foi a mudança do papel do conhecimento, para os indivíduos, organizações e cultura.
  • "Esta mudança é revolucionária e tem pelo menos duas dimensões, filosófica e tecnológica”.
alerta
ALERTA!
  • O importante é o quanto cada sociedade se apropria socialmente da tecnologia para o exercício da cidadania.
  • Neste processo, a educação exerce papel central.
virtual e virtualidade
VIRTUAL E VIRTUALIDADE
  • Comunidade virtual
  • “Seus membros estão reunidos pelos mesmos núcleos de interesses (...) Ela vive sem lugar de referência estável: em toda a parte onde se encontram seus membros móveis ... ou em parte alguma...”
  • Pierre Lévy
  • Desterritorialização e “não-presença”
science popularization through open access
SCIENCE POPULARIZATION THROUGH OPEN ACCESS
  • “A popularização da ciência na sua forma eletrônica está estreitamente relacionada com o surgimento e o desenvolvimento da Web nos anos 1990...a popularização da ciência tornou- se mais e mais envolvida com a sociedade baseada na Web. Conseqüentemente, a Web se tornou um importante suporte técnico para a popularização da ciência”.
  • Alireza NORUZI, editor
  • Webology, v5, n.1, March 2008
escrevendo nos c us skywriting
ESCREVENDO NOS CÉUS (“SKYWRITING”)*
  • Filosofia aberta
  • Acesso livre / aberto à informação científica
  • “Acessibilidade ampla e irrestrita a conteúdos disponíveis em formato digital”. Costa, 2006
  • *HARNAD, 1991
benef cios m tuos
BENEFÍCIOS MÚTUOS
  • Ciência e popularização da ciência.
  • Aumenta a acessibilidade, visibilidade e popularidade da ciência e da pesquisa científica.
  • Como conseqüência, também aumenta as citações e impactos da pesquisa ou impactos educacionais de um periódico de divulgação ou um paper científico.
  • Alireza NORUZI, 2008.
informa o conhecimento e consci ncia
INFORMAÇÃO, CONHECIMENTO E CONSCIÊNCIA
  • O ciberespaço expõe a possibilidade do conhecimento através do conteúdo digital que disponibiliza.
  • “Caminho de aprendizado e busca de expansão da possibilidade de conhecer”.
  • Informação: “[...] o processo que promove a ampliação da consciência acerca da possibilidade de conhecer e agir”.
  • SILVA, Rubens R. G. da , 2002 (tese).
potencialidades tecnol gicas
POTENCIALIDADES TECNOLÓGICAS
  • Rapidez, conexões, interatividade, hipertexto, hipermídia.
  • Amplo acesso, universalização do acesso, embora haja necessidade de condições mínimas de infra-estrutura tecnológica: microcomputador, telefone, conexão em rede.
  • Confluência dos meios de comunicação e recursos de informação se intensifica, diminuindo e praticamente eliminando as fronteiras antes existentes
  • Facilidade de reprodução da imagem e possibilidade de acesso a obras de grandes acervos de museus e de particulares, coleções fotográficas, obras de artistas plásticos, o que, para muitas pessoas, é impossível de forma presencial.
  • Representação da imagem em todas as suas dimensões (tridimensional) , mais próxima do real, pois a reprodução em papel, em livro, fica aquém de sua representação potencial.
  • Estímulo a estudos, curiosidade, conhecimento. O que não exclui consulta a documentos impressos, visitas presenciais.
sites de divulga o cient fica
SITES DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA
  • Agência de Notícias Prometeu - notícias atualizadas diariamente sobre saúde, comportamento, sociedade e ciência: www.prometeu.com.br;
  • Comunicação para a Saúde - artigos, bibliografias, conceitos, glossário e links: www.comtexto.com.br/telacomunicasaude.htm;
  • Dol-dor on line - editado pelo farmacologista e divulgador prof. Sérgio H.Ferreira, da UFMRP/USP; divulga pesquisas da área, em linguagem para leigos: www.dol.inf.br;
  • Fiocruz Assessoria de Imprensa - da coordenadoria de comunicação social da Fiocruz, com notícias e glossário de doenças: www.fiocruz.br/ccs/;
  • NutriWeb - revista eletrônica de divulgação científica em nutrição: www.epub.org.br/nutriweb; e
  • EurekAlert! Public Contents - serviço oferecido pela Association for the Advancement of Science; traz informações diárias sobre os últimos avanços da ciência, medicina e tecnologia: www.eurekalert.org. Valério, 2005
canalci ncia ibict 2002
CANALCIÊNCIA , IBICT (2002)
  • O objetivo principal é a divulgação das pesquisas científicas brasileiras relevantes, desenvolvidas no âmbito das universidades, centros e instituições de pesquisa, em áreas prioritárias de Ciência, Tecnologia & Inovação.
  • A linguagem especializada, transformada em linguagem de fácil compreensão, dirigida a um público não-especialista: educadores, estudantes, jornalistas e demais públicos interessados.
estrutura
ESTRUTURA
  • BANCO DE PESQUISAS
  • DIRETÓRIO DE LINKS
  • SAIBA MAIS
  • QUEM SOMOS (HISTÓRICO, EQUIPE ETC)
  • NOTÁVEIS DA C&T (GALERIA)
  • ACERVO HISTÓRICO (MEMÓRIA DA CIÊNCIA)
imagem som e movimento
IMAGEM, SOM E MOVIMENTO
  • NOTÁVEIS DA CIÊNCIA &TECNOLOGIA DO BRASIL
  • Galeria de cientistas notáveis pela contribuição ao desenvolvimento científico nacional ( com fotografias)
  • MEMÓRIA DA CIÊNCIA:
  • Pela primeira vez na Internet, entrevistas do acervo histórico dos programas de rádio TOME CIÊNCIA e ENCONTRO COM A CIÊNCIA, produzidos entre 1984 e 1989, pelo convênio SBPC / RádioUSP / Rádio Cultura / CNPq.
  • Multimídia e vídeos
banco de pesquisas
BANCO DE PESQUISAS
  • Os textos-resumo das pesquisas são avaliados pelos pesquisadores responsáveis e por colaboradores do CanalCiência. Esses textos respondem a 3 questões principais: o que é a pesquisa (faz a apresentação geral da pesquisa); como é feita a pesquisa (descreve a metodologia utilizada, para que o processo de fazer ciência seja explicado com clareza aos usuários); e qual a importância da pesquisa (relata os principais resultados, possibilitando a apropriação social do conhecimento científico ao cotidiano da sociedade brasileira).
  • Outros campos importantes.
contribui es poss veis do canalci ncia
CONTRIBUIÇÕES POSSÍVEIS DO CANALCIÊNCIA
  • COM ESTA FERRAMENTA, A SERVIÇO DA CIDADANIA, O IBICT ESPERA CONTRIBUIR PARA A DIMINUIÇÃO DE BARREIRAS E LACUNAS EXISTENTES ENTRE A MINORIA PRIVILEGIADA, RICA EM INFORMAÇÃO E CONHECIMENTO, E A MAIORIA EXCLUÍDA TECNOLÓGICA, SOCIAL E CULTURALMENTE.
  • Experiência no CanalCiência:
  • - Meninos de Quissamã, na Semana de 2006
  • - SBPC da Baixada, Feira de Ciência
  • - Cartas
web divulga o cient fica e dissemina o da informa o
WEB, DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA E DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO
  • “A Web é um meio poderoso que pode ser usado para popularizar a ciência... Pode ser usada para a educação pública e circulação da informação científica, então, a Web desempenha o principal papel na popularização da ciência e na disseminação da informação”.
  • Alireza NORUZI, 2008.
questionamento e reflex o
QUESTIONAMENTO E REFLEXÃO
  • A REDE É INSTRUMENTO DE SOLIDARIEDADE, DEMOCRACIA E FRATERNIDADE ?
  • “NOVA CULTURA”: CARACTERÍSTICAS DE COMPARTILHAMENTO OU SOLIDARIEDADE, O COMPROMISSO, A CONTINUIDADE, PLURALISMO E INFORMAÇÃO TRANSFORMADA EM AÇÃO.
  • PIMIENTA E LIENDO
  • LIBERTÉ, ÉGALITÉ, INTERNETÉ
questionamento e reflex o27
QUESTIONAMENTO E REFLEXÃO
  • A DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA É COMPONENTE INDISPENSÁVEL PARA INCLUSÃO SOCIAL?
  • A INTERNET É UM DOS RECURSOS FUNDAMENTAIS NESTE PROCESSO?
leonardo da vinci
LEONARDO DA VINCI
  • SUA OBRA JÁ FOI INTERDISCIPLINAR (TRANSFERÊNCIA DE MÉTODOS DE UMA DISCIPLINA A OUTRA : “OSTINATO RIGOR”.
  • “OBSTINADO RIGOR PARA COMPREENDER FAZENDO (O DESENHO) E FAZER COMPREENDENDO (O ENGENHO)”.
  • “METODOLOGICAMENTE, É IMPRESCINDÍVEL QUE SE ARTICULEM E CONVIRJAM OS PONTOS DE VISTA OBJETIVO E SUBJETIVO, A EXPLICAÇÃO E A COMPREENSÃO, O RIGOR DA
  • DEMONSTRAÇÃO E A ARTE DO DIAGNÓSTICO”.
  • JAPIASSU, 2006
comunica o informa o e cria o
COMUNICAÇÃO, INFORMAÇÃO E CRIAÇÃO
  • “QUANDO O HOMEM PRÉ-HISTÓRICO DEIXOU A MARCA DE SUA PRESENÇA NO MUNDO, NAS CAVERNAS, ATRAVÉS DA PINTURA E NO PRÓPRIO REGISTRO OU IMPRESSÃO DE SUA MÃO, ESSES GESTOS, IMPREGNADOS DE MAGIA, MUITO ANTES DAQUILO QUE VIRIA A SER DENOMINADO ARTE, PODEM SER SINTETIZADOS (OU AMPLIADOS?) EM DUAS PALAVRAS: COMUNICAÇÃO (PROCESSO) E INFORMAÇÃO (PRODUTO). OU MAIS AMPLA E PLENAMENTE - CRIAÇÃO.
  • ESSES MARCOS E MARCAS DO HOMEM, NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE, TÊM SIDO IMPULSIONADOS PELAS MAIS DIFERENTES MOTIVAÇÕES: MÁGICAS, RELIGIOSAS, PSICOLÓGICAS GUERREIRAS E IDEOLÓGICAS E FORAM SOFRENDO MUTAÇÕES NO TEMPO, EM RAZÃO DAS TÉCNICAS E TECNOLOGIAS DISPONÍVEIS: DOS TAMBORES DAS TRIBOS INDÍGENAS RESSOANDO MENSAGENS, À IMPRENSA DE GUTEMBERG E À CONTEMPORANEIDADE DOS COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES.
  • DAS CAVERNAS AOS DIAS DE HOJE, INFORMAÇÕES FORAM SENDO GERADAS PELA SOCIEDADE E REPRESENTAM O ACERVO CULTURAL DA HUMANIDADE (PAIDEIA).”
  • Pinheiro, Lena Vania R. 1997
comunica o informa o e cria o30
“As manifestações do homem pré-histórico expressam, sobretudo, a necessidade inerente à condição humana, o gesto social, político, histórico e cultural de transmitir a outro ser humano idéias, pensamentos, sentimentos, medos e conquistas. São registros e inscrições de sua permanência e sobrevivência no tempo - informação.”

Pinheiro, Lena Vania R.1997

COMUNICAÇÃO, INFORMAÇÃO E CRIAÇÃO