turismo e cultura 1 tc1x4 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
TURISMO E CULTURA 1 (TC1X4) PowerPoint Presentation
Download Presentation
TURISMO E CULTURA 1 (TC1X4)

Loading in 2 Seconds...

  share
play fullscreen
1 / 24
palila

TURISMO E CULTURA 1 (TC1X4) - PowerPoint PPT Presentation

75 Views
Download Presentation
TURISMO E CULTURA 1 (TC1X4)
An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author. While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. TURISMO E CULTURA 1 (TC1X4) Aula 02 – Introdução aos Estudos Culturais

  2. AS CIÊNCIAS SOCIAIS E OS ESTUDOS CULTURAIS • O TURISMO ENQUANTO CIÊNCIA SOCIAL • O Turismo faz parte das chamadas ciências sociais aplicadas. • É um fenômeno sociocultural, antes de ser um fenômeno econômico.

  3. AS CIÊNCIAS SOCIAIS E OS ESTUDOS CULTURAIS • Cultura = Expressão do Conhecimento = crenças pessoais e sociais + filosofia + arte + ciência. • Segundo Marx, o totalidade da cultura envolve as dimensões econômica, jurídica e político-ideológica. • O desafio está em tentar equilibrá-los.

  4. FILOSOFIA DA CULTURA • O que é cultura? • Para que serve? • Quem usufrui da cultura? • Quais as formas de desenvolvimento da cultura? • O que influencia a cultura? • Para onde vai a cultura?

  5. ESTUDOS CULTURAIS IMPORTÂNCIA • A investigação e o ensino da Cultura estão cada vez mais presentes no contexto acadêmico. POR QUE? • Ferramenta de formação humanista e artística. • Ferramenta para conhecimento e compreensão das novas dinâmicas sociais e culturais da contemporaneidade. • Ferramenta para o aproveitamento mercadológico e ideológico da cultura.

  6. ESTUDOS CULTURAISDIMENSÃO • Trata-se de uma área de conhecimento pós-disciplinar. • Um lugar de encontros e partilha de saberes, métodos e experiências de investigadores de diversas áreas. • Se há algum método nos Estudos Culturais ele consiste na contestação dos limites socialmente construídos. • HÁ LIMITES SOCIALMENTE CONSTRUÍDOS NO ÂMBITO DO TURISMO? DÊ EXEMPLO.

  7. ESTUDOS CULTURAISDIMENSÃO • Conhecimento na área se pauta em: • Ser relevante socialmente • Assumir compromisso político-ideológico • Analisar a complexidade (contexto, multidimensões), ressaltando as limitações da objetividade.

  8. ESTUDOS CULTURAISDIMENSÃO • Campo de estudo de atrai pesquisadores de áreas específicas do conhecimento: estudos literários, linguística, sociologia, história, antropologia, comunicação, geografia, estudos audiovisuais, psicologia, educação, filosofia, artes e turismo.

  9. ESTUDOS CULTURAIS ABORDAGENS • 1) Fenômenos de mercantilização da cultura • 2) Fenômenos ligados à noção de Estado nas sociedades capitalistas contemporâneas. • 3) Fenômenos de luta de poder (hegemonia X contra-hegemonia) • 4) Construção de identidades • 5) Globalização (sociedade em rede, choques civilizatórios, crises mundiais). • NO QUE TAIS ASPECTOS SE RELACIONAM COM O TURISMO?

  10. ESTUDOS CULTURAISPRINCIPAIS PENSADORES • CANCLINI – “Culturas Híbridas” • Apresenta perspectiva pós-moderna e latino-americana da cultura, enfatizando como o continente evoluiu no contexto da Globalização. • Propõe a politização do consumo. • As tradições coexistem com a modernidade, a qual ainda não chegou totalmente na América Latina.

  11. ESTUDOS CULTURAISPRINCIPAIS PENSADORES • CANCLINI (CONTINUAÇÃO) • A complexa interação entre tradicional e moderno no continente é, em boa medida, reflexo da falta de uma política cultural consistente. • Procura compreender a hibridação cultural entre o erudito, o popular e o massivo (indústria cultural) na América Latina. • O popular massivo é o que não permanece, não se acumula como experiência nem se enriquece com o adquirido. • Fenômenos modernos: desterritorialização(transnacionalização de produtos simbólicos e migrações) e descolecionamento(recusa da produção de bens culturais colecionáveis, dificultando a distinção entre culto, popular e massivo).

  12. ESTUDOS CULTURAISPRINCIPAIS PENSADORES • CANCLINI (CONTINUAÇÃO) • A valorização da mídia tem substituído as interações coletivas tradicionais (café, clube, centro comunitário) entre as camadas populares. • TAL ASPECTO DIFICULTA A EDUCAÇÃO PARA E PELO LAZER E TURISMO? • Aspectos socioculturais devem ser valorizados ao invés do predomínio economicista. • Governos têm cada vez menos poder e as desigualdades persiste. • Identidade e cultura local são contrapontos a ideia de aldeia global homogênea. • QUAL A RELAÇÃO DO TURISMO COM O ÚLTIMO TÓPICO?

  13. ESTUDOS CULTURAISPRINCIPAIS PENSADORES • CEVASCO – “10 Lições sobre os Estudos Culturais” • Aborda a construção histórica dos estudos culturais. • Nasce da crítica a uma concepção doutrinária do conceito de cultura. • Na medida em que a história se modifica a semântica da palavra cultura também se modifica.

  14. ESTUDOS CULTURAISPRINCIPAIS PENSADORES • CEVASCO (CONTINUAÇÃO) • Estudos Culturais não se baseiam somente no modo de vida, valores, ou “cimento social”. • Estudos Culturais são o mecanismo de criticar a alta cultura e, ao mesmo tempo, compreender e desenvolver uma cultura comum. • Deve estar ligada aos meios de produção e não ser algo pertencente a um pequeno grupo separado da realidade. • É POSSÍVEL FAZER UM PARALELO ENTRE O TURISMO E AS POSTURAS SUPRACITADAS?

  15. ESTUDOS CULTURAISPRINCIPAIS PENSADORES • CEVASCO (CONTINUAÇÃO) • Apontam-se 03 formas de estruturação de significados e valores: dominante, emergente e residual. • A autora nos coloca diante dos desafios dos estudos culturais frente estandardização da cultura e a própria apropriação da disciplina pelo mercado. • Os apontamentos da primeira geração dos estudos culturais traduzem as necessidades de compreensão da cultura enquanto processo e não enquanto um bem naturalizado e inerte como pregam os neoliberais. • EUA: Cultura próxima das práticas sociais, inclusive de consumo.

  16. ESTUDOS CULTURAISPRINCIPAIS PENSADORES • SAID – “Orientalismo” • Analisa a visão ocidental em relação ao mundo oriental (especialmente o universo árabe). O “Oriente” é criação do Ocidente. • Ocidente criou uma visão distorcida do Oriente como o "Outro", numa tentativa de diferenciação que servia os interesses do colonialismo. • O TURISMO PODE SER ENCARADO COMO UMA NOVA MODALIDADE DE COLONIALISMO?

  17. ESTUDOS CULTURAISPRINCIPAIS PENSADORES • SAID (CONTINUAÇÃO) • O que está em jogo é essencialmente uma relação de poder na qual o discurso orientalista constrói e legitima a situação entre dominantes e dominados. • Essa representação do outro ajudou o Ocidente a se definir cultural e ideologicamente. • Defende a noção do Oriente como local autônomo e que, portanto, deve ser respeitado dentro de sua própria lógica.

  18. ESTUDOS CULTURAISPRINCIPAIS PENSADORES • THOMPSON – “Lugares Comuns” • O livro atual recua para o século 18 e estuda a cultura consuetudinária (baseada em costumes) inglesa, ameaçadas pelo avanço do mercado capitalista industrial. • Conflito entre o modo de vida rural e urbano • Complexo de relações sociais, tradições e rituais que exprimiram uma cultura de resistência e, ao mesmo tempo, de acomodação.

  19. ESTUDOS CULTURAISPRINCIPAIS PENSADORES • THOMPSON (CONTINUAÇÃO) • Analisou o fenômeno de classe como uma formação sobretudo cultural (e não econômica), resultado concreto das lutas dos trabalhadores. • Trabalhadores são sujeitos de sua própria história. • Demonstra a existência de uma cultura popular capaz de se auto-regular, distante da lei formal e às vezes até em oposição às normas oficiais • Para Thompson, tanto o paternalismo governamental quanto o liberalismo são utópicos

  20. ESTUDOS CULTURAISPRINCIPAIS PENSADORES • THOMPSON (CONTINUAÇÃO) • A ditadura do relógio se mostra uma nova concepção de lidar com o tempo na sociedade industrial e meio para o capitalismo. • O trabalho passa a ser normatizado por uma regularidade que se choca como o modo de vida pré-industrial camponês. • A BUSCA PELA VALORES RURAIS NO TURISMO É UM SINTOMA DO ESGOTAMENTO DA VISÃO UTILITARISTA E IMEDIATISTA INDUSTRIAL?

  21. ESTUDOS CULTURAISPRINCIPAIS PENSADORES • WILLIANS – “CULTURA E SOCIEDADE” E “PALAVRAS-CHAVE” • Livro nasceu da preocupação com a falsa neutralidade do vocabulário e dos dicionários • Para Williams, é preciso aprender quais foram as opções de sentido derrotadas, quais foram impostas e a serviço do quê para entender e disputar o campo dos sentidos da linguagem. • PRÓXIMA AULA: O SENTIDO DA CULTURA E SUA RELAÇÃO COM O TURISMO

  22. BRASIL – PATRIMÔNIOS MATERIAIS MUNDIAIS • Cidade Histórica de Ouro Preto (MG) – 1980 • Centro Histórico de Olinda (PE) – 1982 • Ruínas de São Miguel das Missões (RS) – 1983 • Centro Histórico de Salvador (BA) – 1985 • Santuário de Bom Jesus de Matosinhos: Congonhas do Campo (MG) - 1985

  23. BRASIL – PATRIMÔNIOS MATERIAIS MUNDIAIS • Parque Nacional da Serra da Capivara (PI) – 1991 • Centro Histórico de São Luís (MA) – 1997 • Centro Histórico de Diamantina (MG) – 1999 • Centro Histórico de Goiás (GO) – 2001 • Praça São Francisco: São Cristovão (SE) – 2010 • Rio de Janeiro (RJ) - 2012

  24. BRASIL – PATRIMÔNIO IMATERIAL MUNDIAL • Samba de Roda do Recôncavo Baiano (BA) – 2008 • Expressões Orais e Artísticas de Wajapi (AM) – 2008 • Frevo (PE) - 2012