slide1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO BÁSICA NRE – PONTA GROSSA PowerPoint Presentation
Download Presentation
DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO BÁSICA NRE – PONTA GROSSA

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 29

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO BÁSICA NRE – PONTA GROSSA - PowerPoint PPT Presentation


  • 109 Views
  • Uploaded on

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO BÁSICA NRE – PONTA GROSSA. DIRETRIZES CURRICULARES PARA AS DISCIPLINAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA DO ESTADO DO PARANÁ Profª Ms. India Mara Ap. Dalavia de Souza Holleben CEEP - Setembro, 2009. 1. Teóricos afirmam:. “Fazer reformas significa fazer política”

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO BÁSICA NRE – PONTA GROSSA' - padma


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide1

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO BÁSICA

NRE – PONTA GROSSA

DIRETRIZES CURRICULARES PARA AS DISCIPLINAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA DO ESTADO DO PARANÁ

Profª Ms. India Mara Ap. Dalavia de Souza Holleben

CEEP - Setembro, 2009

1

te ricos afirmam
Teóricos afirmam:

“Fazer reformas significa fazer política”

(GIMENO SACRISTÁN, 1998)

“Para se compreender o real significado da legislação não basta ater-se à letra da lei; é preciso captar o seu espírito. Não é suficiente analisar o texto; é preciso analisar o contexto. Não basta ler as linhas; é preciso ler nas entrelinhas”

(SAVIANI, 1997)

indaga es
Indagações...
  • Como concretamente, pode o conhecimento oficial na escola representar configurações ideológicas de interesses dominantes em uma sociedade?
slide4
Quais significados subjacentes são negociados por detrás do texto formal das reformas educacionais?
  • Qual o sentido social do que fazemos como educadores (as) na implementação das reformas educacionais no cotidiano das escolas?
d cadas de 1960 1970
Décadas de 1960/1970

Lei nº 4.024/61:

Equivalência de cursos de nível médio para efeito de vestibular

Necessidade formar mão de obra e desenvolver ciência e tecnologia

Projeto de sociedade: industrialização e desenvolvimento nacionalista

6

d cadas 1960 1970
Décadas 1960/1970

Lei nº 5.692/71:

Segundo Grau profissionalizante

Formar mão-de-obra para as fábricas e indústrias nascentes;

Projeto de sociedade: industrialização e desenvolvimento dependente

no curr culo
NO CURRÍCULO…

Fim das Disciplinas de História e Geografia no 1º Grau

Criação dos Estudos Sociais e Educação Moral e Cívica

Fim das Disciplinas de Sociologia e Filosofia no 2º Grau

Criação de OSPB

d cada de 1980
Década de 1980

Pedagogia Histórico-Crítica:

Ênfase na escola : como espaço de conhecimento

Alunos com diferentes pontos de partida terem direito ao mesmo ponto de chegada

Escola pública : socializaçao do conhecimento historicamente produzido.

9

d cada de 19801
Década de 1980

No Estado do Paraná - Currículo Básico

Escola: Instrumentalizacao dos trabalhadores com Trabalho, Ciência e Cultura.

O trabalhador ao se apropriar do conhecimento científico, amplia seu universo cultural e sua capacidade de análise crítica

Ênfase nos conteúdos disciplinares

CONSTITUIÇÃO DE 1988

d cada de 1990
Década de 1990

LDB 9.394/96

Publicaçao dos PCN em 1998: política de esvaziamento do conteúdo das disciplinas;

Formação continuada: programas motivacionais e de sensibilização .

11

pol ticas neoliberais
POLÍTICAS NEOLIBERAIS

O EIXO DO CURRÍCULO:

Superação de base Mecanicista- Positivista;

Superação do Currículo Linear;

Superação do formato curricular Tradicional/Cartesiano

supera o da disciplinaridade
SUPERAÇÃO DA DISCIPLINARIDADE

Disciplinaridade é o mal da escola, a causa do seu fracasso como instituição

Propostas de:

multidisciplinaridade

transdisciplinaridade

pluridisciplinaridade

interdisciplinaridade

impactos genericamente te ricos no curr culo
IMPACTOS (genericamente) teóricos NO CURRÍCULO

4 Pilares da Educação

Pedagogia de Projetos

Qualidade Total da Educação

Educação Ambiental

Sustentabilidade

Temas Transversais

Competências e Habilidades

slide15

DIRETRIZES CURRICULARES

  • 2003 – DIAGNÓSTICO – Esvaziamento do objeto de estudo das disciplinas.
  • 2004 – 2005 – Eventos e Encontros descentralizados para discussão coletiva e sistematização do texto.
  • 2006 – discussão coletiva na SEED Reestruturação do texto e Editoração.

15

slide16

DIRETRIZES CURRICULARES

  • 2007 – Leitura Crítica das Diretrizes Curriculares das Disciplinas – Revisão.
  • Reuniões de Trabalho – Equipes e Leitores Críticos para ajustes finais.

16

diretrizes curriculares
DIRETRIZES CURRICULARES

2008 – Leitura crítica de especialistas em

Educação.

  • Reuniões com equipes disciplinares.
  • Ajustes finais nos textos.

2007 e 2008 – DEB Itinerante: definição dos conteúdos básicos junto com os professores da rede.

slide18

DCE - FORMATO

HISTÓRICO DA DISCIPLINA;

FUNDAMENTOS TEÓRICO-METODOLÓGICOS;

CONTEÚDOS ESTRUTURANTES;

ENCAMINHAMENTOS METODOLÓGICOS;

AVALIAÇÃO

18

slide19

DIRETRIZES CURRICULARES

p

Pressuposto

Um currículo que contribua para formação crítica dos alunos, tratando os conhecimentos das disciplinas escolares de uma abordagem histórica, contextualizada e com diálogos interdisciplinares.

slide20

HISTÓRICO

Revisão da História da Disciplina e da ciência de referência

Aponta os campos de estudo que identificam essa disciplina escolar;

Seleciona entre esses campos de estudo os considerados relevantes para compreender o mundo no atual período histórico;

Seleção – é uma escolha política e pedagógica

20

slide21

FUNDAMENTOS TEÓRICO-METODOLÓGICOS

  • Apresentam a linha teórica à qual as Diretrizes estão vinculadas;
  • Fazem relação com o histórico – indicam o por quê essa opção teórica é considerada mais adequada para a formação de um aluno crítico;
  • Vinculam essa teoria a metodologias de ensino afins.

21

slide22

CONTEÚDOS ESTRUTURANTES

Relacionam-se com a retomada da história da disciplina;

São os conteúdos fundamentais que identificam a disciplina como campo do conhecimento;

Podem ser conceitos, práticas ou campos de estudo.

22

slide23

CONTEÚDOS ESTRUTURANTES

  • Estão vinculados à abordagem teórico-metodológica explicitada nas Diretrizes da disciplina;
  • Têm características diferentes nas diversas disciplinas escolares;
  • Inter relacionam-se constantemente, mas de modos diversos em cada disciplina;
  • Fundamentam a abordagem dos conteúdos básicos e específicos.

23

slide24

ENCAMINHAMENTO METODOLÓGICO

  • Sugestões de metodologias de ensino;
  • Discussão sobre os vínculos que tais metodologias estabelecem com os fundamentos teóricos das disciplinas;
  • Em algumas DCE: Sugestões de sequência de conteúdos específicos – Ensino Fundamental e Ensino Médio.

24

slide25

AVALIAÇÃO

  • Breve discussão sobre concepção de avaliação;
  • Especificidades sobre concepção, critérios e instrumentos de avaliação na disciplina;
  • Necessidade de aprofundamento desta discussão.

25

slide26

DCE IMPLEMENTAÇÃO

  • 2007-2008:
    • SEMANAS PEDAGÓGICAS – Proposta Pedagógica Curricular e Plano de Trabalho Docente;
    • REUNIÃO TÉCNICA NRE – Marco e Setembro: DISCUSSÃO SEED/NRE SOBRE DCEs;
    • DEB ITINERANTE: Implementação das DCES
    • VIA- DISCUSSÃO DOS CONTEÚDOS BÁSICOS;
  • 2009 – NRE ITINERANTE – Discussão de práticas e conteúdos específicos.

26

slide27

EQUIPE PEDAGÓGICA

  • Orientar o PTD a partir de alguns princípios:
    • Não é possível padronizar as abordagens pedagógicas das disciplinas;
    • As disciplinas têm especificidades quanto ao modo como os CONTEÚDOS ESTRUTURANTES fundamentam a abordagem e a seriação dos conteúdos básicos e específicos

27

plano de trabalho docente
PLANO DE TRABALHO DOCENTE

1.Tempo: bimestral, trimestral ou semestral

2.Objeto da disciplina – está contemplado no modo como se pretende abordar os conteúdos?

3. Conteúdos: Relacionam-se o(s) conteúdo(s)

estruturante(s) com os básicos e específicos?

4. Objetivos/Justificativa: as intenções educativas referem-se aos fundamentos teóricos da disciplina?

plano de trabalho docente1
PLANO DE TRABALHO DOCENTE

5. Encaminhamentos metodológicos e recursos didáticos/tecnológicos: estão de acordo com os fundamentos teórico-metodológicos ?

6. Apresenta critérios e instrumentos de avaliação e recuperação ?

7. Apresenta referências de embasamento teórico do conteúdo ?