aquisi o de estruturas para uma melhor adapta o dos seres vivos a vida terrestre n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
AQUISIÇÃO DE ESTRUTURAS PARA UMA MELHOR ADAPTAÇÃO DOS SERES VIVOS A VIDA TERRESTRE PowerPoint Presentation
Download Presentation
AQUISIÇÃO DE ESTRUTURAS PARA UMA MELHOR ADAPTAÇÃO DOS SERES VIVOS A VIDA TERRESTRE

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 34

AQUISIÇÃO DE ESTRUTURAS PARA UMA MELHOR ADAPTAÇÃO DOS SERES VIVOS A VIDA TERRESTRE - PowerPoint PPT Presentation


  • 92 Views
  • Uploaded on

AQUISIÇÃO DE ESTRUTURAS PARA UMA MELHOR ADAPTAÇÃO DOS SERES VIVOS A VIDA TERRESTRE. Antonio José de Figueiredo. REINO PLANTAE. As plantas resultam da evolução das algas verdes ( Clorófitas ); Briófitas: ausência de diferenciação tecidual e de vasos condutores de seiva;

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'AQUISIÇÃO DE ESTRUTURAS PARA UMA MELHOR ADAPTAÇÃO DOS SERES VIVOS A VIDA TERRESTRE' - ownah


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
aquisi o de estruturas para uma melhor adapta o dos seres vivos a vida terrestre

AQUISIÇÃO DE ESTRUTURAS PARA UMA MELHOR ADAPTAÇÃO DOS SERES VIVOS A VIDA TERRESTRE

Antonio José de Figueiredo

reino plantae
REINO PLANTAE
  • As plantas resultam da evolução das algas verdes (Clorófitas);
  • Briófitas: ausência de diferenciação tecidual e de vasos condutores de seiva;
  • A evolução das plantas e seus passos:

- Aquisição de vasos vasculares

- Aquisição de semente

- Aquisição de flor

a adapta o das plantas ao meio terrestre
A ADAPTAÇÃO DAS PLANTAS AO MEIO TERRESTRE
  • Aquisição de um sistema de tecidos condutores (feixes vasculares – Xilema e Floema), que lhes permitiu uma maior absorção de água e sais minerais e o seu transporte até aos locais onde eram necessários.

- Pteridófitas, Gimnospermas e Angiospermas.

a adapta o das plantas ao meio terrestre1
A ADAPTAÇÃO DAS PLANTAS AO MEIO TERRESTRE
  • Aquisição de tecidos de suporte a envolver os tecidos condutores: o que permitiu maior eficiência no transporte de seivas.
a adapta o das plantas ao meio terrestre2
A ADAPTAÇÃO DAS PLANTAS AO MEIO TERRESTRE
  • Aquisição de uma camada impermeabilizante de cutina nas folhas e caules, que lhes evitou a perda de água por transpiração.
a adapta o das plantas ao meio terrestre3
A ADAPTAÇÃO DAS PLANTAS AO MEIO TERRESTRE
  • Aquisição de estômatos nas folhas, o que lhes permitiu um controle das trocas gasosas entre a planta e o meio e controlar a perda de água pela transpiração.
a adapta o das plantas ao meio terrestre4
A ADAPTAÇÃO DAS PLANTAS AO MEIO TERRESTRE
  • Aquisição de pêlos (tricomas) e acúleos: anexos da epiderme que protegem a planta contra perda excessiva de água por transpiração.
a adapta o das plantas ao meio terrestre5
A ADAPTAÇÃO DAS PLANTAS AO MEIO TERRESTRE
  • Modificação de folhas e caules a espinhos:diminui a área superficial, diminuindo a transpiração
a adapta o das plantas ao meio terrestre6
A ADAPTAÇÃO DAS PLANTAS AO MEIO TERRESTRE
  • Aquisição de sementes, que com os seus constituintes protegem o embrião da dessecação e o nutrem.
a adapta o das plantas ao meio terrestre7
A ADAPTAÇÃO DAS PLANTAS AO MEIO TERRESTRE
  • Aquisição de flor, que permitiu uma polinização cruzada, introduzindo uma maior variabilidade genética.
a adapta o das plantas ao meio terrestre8
A ADAPTAÇÃO DAS PLANTAS AO MEIO TERRESTRE

Evolução da fase esporofítica em relação a gametofítica

slide14

A conquista do ambiente terrestre foi acompanhada por adaptações que se tornaram soluções de problemas da sobrevivência.

conquista do ambiente terrestre pelos animais
CONQUISTA DO AMBIENTE TERRESTRE PELOS ANIMAIS
  • Exoesqueleto de Quitina –impedir a desidratação. Artrópodes como insetos e aracnídeos.

Quais as condições que foram cumpridas pelos insetos, aracnídeos, répteis, aves e mamíferos que os possibilitou conquistar o ambiente terrestre?

conquista do ambiente terrestre pelos animais insetos
CONQUISTA DO AMBIENTE TERRESTRE PELOS ANIMAISINSETOS
  • EXOEQUELETO DE QUITINA;
  • EXCREÇÃO DE ÁCIDO ÚRICO;
conquista do ambiente terrestre pelos animais1
CONQUISTA DO AMBIENTE TERRESTRE PELOS ANIMAIS

ANFÍBIOS

  • Desenvolvimento de patas;
  • Surgimento de pulmões;
  • A conquista não foi definitiva:
  • Pele fina, úmida e permeável aos gases;
  • Reprodução no meio aquático;
  • Ausência de âmnion, córion e alantóide.
conquista do ambiente terrestre pelos animais r pteis
CONQUISTA DO AMBIENTE TERRESTRE PELOS ANIMAISRÉPTEIS
  • TETRÁPODES;
  • AMNIOTAS, ALANTOIDIANOS;
  • PELE SECA (sem glândulas) e RICA EM QUERATINA;
  • FECUNDAÇÃO INTERNA;
  • OVO COM CASCA CALCÁREA;
  • RESPIRAÇÃO PULMONAR;
  • EXCREÇÃO DE ÁCIDO ÚRICO;
conquista do ambiente terrestre pelos animais aves
CONQUISTA DO AMBIENTE TERRESTRE PELOS ANIMAISAVES

TETRÁPODES;

AMNIOTAS, ALANTOIDIANOS;

PELE RICA EM QUERATINA;

FECUNDAÇÃO INTERNA;

OVO COM CASCA CALCÁREA;

RESPIRAÇÃO PULMONAR;

EXCREÇÃO DE ÁCIDO ÚRICO;

conquista do ambiente terrestre pelos animais2
CONQUISTA DO AMBIENTE TERRESTRE PELOS ANIMAIS

MAMÍFEROS

  • TETRÁPODES;
  • AMNIOTAS, ALANTOIDIANOS;
  • PELE RICA EM QUERATINA;
  • FECUNDAÇÃO INTERNA;
  • RESPIRAÇÃO PULMONAR;
  • GLÂNDULAS SUDORÍPARAS;
  • PÊLOS
  • PLACENTA
mimetismo
MIMETISMO

O mimetismo (mimesis = imitação) é uma adaptação evolutiva em que um organismo tenta imitar outro.

camuflagem
CAMUFLAGEM

HOMOTIPIA

HOMOCROMIA

slide29

DE OLHO NO

A conquista do ambiente terrestre pelos vertebrados envolveu algumas importantes modificações adaptativas morfológicas e fisiológicas. Em relação a esse processo,

a) cite duas características comuns aos répteis, às aves e aos mamíferos, que possibilitaram a conquista definitiva do ambiente terrestre;

b) apresente duas razões pelas quais os anfíbios adultos, embora possam se locomover em terra, ainda não possuem total independência do meio aquático.

slide30

DE OLHO NO

Animais e plantas revelam, em sua morfologia e fisiologia, atributos que refletem adaptações ao ambiente em que vivem. Nos vertebrados terrestres, podem ser encontradas características comuns no revestimento externo do corpo, no esqueleto, nos órgãos que trocam gases, na excreção e na reprodução.

Apenas uma das alternativas abaixo contém a relação correta entre uma característica e o conjunto de todos os vertebrados que a exibem. Assinale-a:

A) Pele impermeabilizada por queratina — répteis e aves.

B) Reduzido número de glândulas na pele — répteis, aves e mamíferos.

C) Urina concentrada, com máxima economia de água — répteis, aves e mamíferos.

D) Pulmões com grande superfície de trocas — répteis, aves e mamíferos.

E) Fecundação interna — anfíbios, répteis, aves e mamíferos.

slide31
Os seres vivos desenvolveram, ao longo da evolução, características tanto em

sua forma como no funcionamento de seus corpos, que os permite explorar e

se perpetuar no ambiente. Sobre o assunto, marque a alternativa incorreta:

a) Dentro de um ambiente úmido, animais e plantas possuem com características uma pele muito fina.

b) Em lugares secos, os seres vivos possuem uma camada mais grossa e seca de revestimento para evitar a perda d’água pelo excesso de evaporação.

c) Muitas estratégias são utilizadas para se defender de um possível predador no ambiente. As glândulas de veneno desse sapo, por exemplo, provocam uma intoxicação sendo utilizada como proteção.

d) A semelhança entre o bicho-pau e os galhos de uma planta é chamada de

camuflagem. Além de se confundir com pedaços de galhos, o bicho-pau tem com defesa um odor desagradável para espantar os inimigos.

e) Todos os vertebrados adaptados a vida terrestre devem apresentar ovo com casca calcárea para fornecer nutrientes e proteger o embrião.

slide32

Na Região Amazônica, diversas espécies de aves se alimentam da ucuúba (Virola sebifera), uma árvore que produz frutos com polpa carnosa, vermelha e nutritiva. Em locais onde essas árvores são abundantes, as aves se alternam no consumo dos frutos maduros, ao passo que em locais onde elas são escassas, tucanos-de-papo-branco (Ramphastus tucanos cuvieri) permanecem forrageando nas árvores por mais tempo. Por serem de grande porte, os tucanos-de-papo-branco não permitem a aproximação de aves menores, nem mesmo de outras espécies de tucanos.

Entretanto, um tucano de porte menor (Ramphastus vitellinus Ariel), ao longo de milhares de anos, apresentou modificação da cor do seu papo, do amarelo para o branco, de maneira que se tornou semelhante ao seu parente maior. Isso permite que o tucano menor compartilhe as ucuúbas com a espécie maior sem ser expulso por ela ou sofrer as agressões normalmente observadas nas áreas onde a espécie apresenta o papo amarelo.

PAULINO NETO, H. F. Um tucano ‘disfarçado’. Ciência Hoje, v. 252, p. 67-69, set. 2008. (com adaptações).

slide33

O fenômeno que envolve as duas espécies de tucano constitui um caso de:

(A) mutualismo, pois as duas espécies compartilham os mesmos recursos.

(B) parasitismo, pois a espécie menor consegue se alimentar das ucuúbas.

(C) relação intraespecífica, pois ambas as espécies apresentam semelhanças físicas.

(D) sucessão ecológica, pois a espécie menor está ocupando o espaço da espécie maior.

(E) mimetismo, pois uma espécie está fazendo uso de uma semelhança física em benefício próprio.