slide1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Atualidades em Imagem da Mama Glenda Downing Fanstone PowerPoint Presentation
Download Presentation
Atualidades em Imagem da Mama Glenda Downing Fanstone

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 33

Atualidades em Imagem da Mama Glenda Downing Fanstone - PowerPoint PPT Presentation


  • 108 Views
  • Uploaded on

Atualidades em Imagem da Mama Glenda Downing Fanstone. Tópicos. Tomossíntese x Mamografia na detecção de lesões não calcificadas Screening por US em Patientes com “ mamas densas ” relatadas na mamografia. Câncer de mama não diagnosticado pela RM – análise de causas.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

Atualidades em Imagem da Mama Glenda Downing Fanstone


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Atualidades em Imagem da Mama GlendaDowningFanstone

  2. Tópicos • Tomossíntese x Mamografia na detecção de lesões não calcificadas • Screening por US em Patientes com “mamas densas” relatadas na mamografia. • Câncer de mama não diagnosticado pela RM – análise de causas. • Impacto da Mamografia no curso da doença (Ca de mama) em mulheres de 40- 49 anos

  3. TOMOSSÍNTESE EVOLUÇÃO TECNOLÓGICA DA MAMOGRAFIA Maior detalhe da estrutura mamária Grande promessa como substituta ou complemento da mamografia 2 D (planar)

  4. Oslo Tomosynthesis Screening Trial (OTST) Preliminary results -35% increase in cancer detection with tomo -3.500 mulheres de 20.000) -Skaane, RSNA 2011 Sueden -(inicio 2010 até 2013) Preliminary results -15 % increase in cancer detection with tomo (7.000 de 15.000) -Anderson, ECR, 2012 Italia (inicio 2011-6 meses) Preliminary results -33,3 % increase in cancer detection with tomo (3.575 mulheres ) –Ciatto, ECR, 2012

  5. Digital Breast Tomosynthesis versus Supplemental Diagnostic Mammographic Views for Evaluation of Noncalcified Breast Lesions Radiology 120552; Published online November 9, 2012, doi:10.1148/radiol.12120552 Conclusão: A Tomosíntese mostrou ser melhor na acurácia de lesões nao calcificadas comparadas ao estudo complementar mamográfico.

  6. HOSPITAL SÍRIO LIBANÊS 835 MULHERES RASTREAMENTO ( 9 meses) TRABALHO PROSPECTIVO RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO COM 2 D + TOMO (2 INCID) 40-69 anos = 709 casos (85%) TABELA 1: cânceres detectados na mamografia 2 D e mamografia 3 D ( tomossíntese), segundo o aspecto mamográfico AUMENTO NA DETECÇÃO DO CÂNCER EM 33% COM A TOMOSSÍNTESE

  7. Screening US in Patients with Mammographically Dense Breasts: Initial Experience with Connecticut Public Act 09-41 Radiology October 2012 265:1 59-69; Published online June 21, 2012, doi:10.1148/radiol.12120621 AN ACT REQUIRING COMMUNICATION OF MAMMOGRAPHIC BREAST DENSITY INFORMATION TO PATIENTS. Após 01 de outubro de 2009, cada relatório de mamografia fornecido a um paciente deve incluir informações sobre a densidade da mama, com base no relatório de imagem mamária e sistema de dados estabelecidos pelo Colégio Americano de Radiologia. Quando aplicável, tal relatório deve incluir o seguinte aviso: "Se a sua mamografia demonstra que você tem tecido mamário denso, que pode obscurecer pequenas anormalidades, você pode se beneficiar de testes de triagem complementares, incluindo o ultra-som da mama ou um exame de ressonância magnética da mama, ou ambos, dependendo dos fatores de risco individuais. Um relatório do resultado da mamografia, que contém informações sobre a sua densidade mamária, foi enviada para o escritório de seu médico e você deve contacta-lo se tiver quaisquer dúvida ou preocupação sobre este relatório.”

  8. Screening US in Patients with Mammographically Dense Breasts: Initial Experience with Connecticut Public Act 09-41 935 MULHERES 65.7% BAIXO RISCO 15.9% RISCO INTEMEDIÁRIO 9.3% ALTO RICO PARA CÂNCER DE MAMA 75.0% BI-RADS 1 ou 2 20.0% BI-RADS 3 5.0% BI-RADS 4. 63 biópsias e punções ---> 3 lesões eram malignas (todas BI-RADS 4); < que 1,0 cm, em pacientes pos-menopausadas; e eram lesões sólidas. 44 das pacientes examinadas foram falso negativo – 4.1 % PPV de 6.5 % biópsias em pacientes com BI-RADS 4 Screening com US a detecção é de 3.2 canceres para 1000 mulheres

  9. Câncer de mama oculto na mamografia, detectado pela ecografia. Paciente de 77 anos com história de Doença de Huntington; mostra uma lesão de 9 mm correspondendo a um Carcinoma Ductal Infiltrante na mama direita.

  10. Paciente de 60 anos com Carcinoma Ductal Infiltrante de 4 mm na mama direita.

  11. Paciente de 63anos com CDIS de 5 mm na mama direita

  12. Falso-negativoempaciente de 51 anos com acompanhamentosemestral.

  13. RM mamária é modalidade de imagem que possui maior sensibilidade na detecção do Câncer de Mama. • Indicações atuais incluem: • Avaliação da extensão da doença, em pacientes recentemente diagnosticados • Triagem dos pacientes de Alto Risco • Avalição de lesões primárias ocultas nos pacietnes com linfoadenopatias axilares • RM pré-operatória pode acessar a extensão da doença, avaliar invasão do músculo peitoral e envolvimento da parede torácica • Impacto do uso da RM no índice de mastectomias • Status atual da RM no planejamento terapêutico cirúrgico

  14. Emory Winship Cancer Institute • Em uma meta-análise com 2.610 pacientes com diagnóstico recente de Ca de mama que foram submetidas a uma RM pré-operatória, outras lesões não suspeitas foram identificadas: • na mama ipsilateral em 16% das pacientes • na mama contralateral em 3-5% das pacientes

  15. Emory Winship Cancer Institute O estudo avaliou 163 pacientes com câncer de mama a partir da Emory Winship Cancer Institute 2000-2005 para servir como grupo de controle antes do uso de ressonância magnética para detecção de câncer de mama. Eles foram comparados com um grupo de pacientes de 2006-2009 que havia recebido exames de mama pré-operatórios de ressonância magnética.

  16. Emory Winship Cancer Institute • A diferença na taxa de mastectomia para as populações pré e pós-RM não foi estatisticamente significativa, de acordo com os investigadores. • A diferença foi significativa para reexcisão: mulheres na era pré-RM tem 4,33 vezes mais chances de sofrer reexcisão do que pacientes no período pós-RM.

  17. Undiagnosed Breast Cancer at MR Imaging: Analysis of Causes Radiology July 2012 264:1 40-50; Published online April 20, 2012, doi:10.1148/radiol.12111917 Uma revisão retrospectiva de falsos-negativos na RM mamária em pacientes que desenvolveram câncer de mama, diagnosticados em exames de “folow-up” no interesse de avaliar as possíveis causas desses falsos negativos. A principal causa de “má interpretação” foi margens indefinidas da massa, estabilidade do tamanho da massa e a localização de uma lesão “não-massa” em sítio de manuseio cirúrgico prévio. Outro detalhe foi a falta de correlação dos achados ecográficos e os da RM. Conclusão: Erro do observador em 47% dos casos.

  18. Paciente menopausada com história de Ca na mama esquerda tratada com mastectomia T2-weighted turbo spin-echo T1-weighted GRE com contrate e subtração; Pequena massa em contato com vasos RM após 2 anos mostra massa espiculada de 8 mm correspondendo a um Carcinoma Ductal Invasivo grau 2.

  19. Paciente de 64 anos, menopausada T1-weighted GRE substração RM mostra foco em plano profundo. T1-weighted GRE substração RM de controle em 6 meses; caracterizou o achado como benigno pela estabilidade. T1-weighted GRE substração depois de 2 anos mostrou massa espiculada de 20 mm; Carcinoma Ductal grau 2.

  20. Paciente de 55 anos menopausada com mutação BRCA2 e historia de câncer de mama direita tratada com mastectomia e radioterapia T1-weighted GRE subtração com contraste após 1 ano: Aumento das dimensões da massa e um discreto realce ductal. Biópsia orientada pelo US ---> CDIS sem componente invasivo. T1-weighted GRE subtração e pós-contraste mostrou massa ovalada de margens regulares com septos internos sem realce pelo meio de contraste.

  21. Paciente de 48 anos com história de CA de mama a esquerda tratada com cirurgia e radioterapia ( sendo a última há 10 meses). Necrosegordurosa com realceanelar e realcenãomassa focal.

  22. Paciente de 48 anos com história de CA de mama a esquerda tratada com cirurgia e radioterapia ( sendo a última há 10 meses). Controle semestral mostrou realce não-massa que foi considerado benigno pela história pós-terapêutica e estudo retrospectivo. Controle de 1 ano mostrou realce do tipo não-massa de dimensões aumentadas . Bipósia orientada pela RM revelou CDIS.

  23. Impact of Mammography Detection on the Course of Breast Cancer in Women Aged 40–49 Years March 2012 Radiology, 262, 797-806. Estudo longitudinal prospectivo em mulheres de 40-49 anos que tiveram câncer de mama primário durante 1990-2008 (n= 1977) Um aumento significativo na porcentagem de câncer da mama ao longo do tempo diagnosticado pela mamografia (28% -58%) e uma diminuição concomitante no diagnóstico feito pelo paciente ou pelo seu médico foram observadas ao longo de tempo de 1990 a 2008, com um aumento global da detecção da doença no estágio inicial.

  24. Impact of Mammography Detection on the Course of Breast Cancer in Women Aged 40–49 Years • Pacientes com câncer de mama detectados pela mamografia: • São mais propensos a sofrer mastectomia. • Menos propensos a sofrer mastectomia radical modificada. • 13% das pacientes com câncer de mama diagnosticados pela mamografia passaram • por cirurgia e quimioterapia contra 22% diagnosticados pelo exame clínico. • 31% dos pacientes com câncer de mama diagnosticados pela mamografia foram submetidos a cirurgia, radioterapia e quimioterapia contra 59 % diagnosticados pelo exame clínico. • Analisando cânceres invasivos a sobrevida livre de recidiva em 5 anos em pacientes com câncer de mama diagnosticados pela mamografia foi de 92% contra 88% dos diagnosticados pelo exame clínico.

  25. Take Home Messages • A Tomossíntese mostrou ser melhor na acurácia de lesões não calcificadas comparadas ao estudo complementar mamográfico. • Screening com US a detecção é de 3.2 canceres para 1.000 mulheres • A principal causa de “má interpretação” das lesões na RM foi margens indefinidas da massa, estabilidade do tamanho da massa e a localização de uma lesão “não-massa” em sítio de manuseio cirúrgico prévio. Outro detalhe foi a falta de correlação dos achados ecográficos e os da RM. • O aumentoda mamografia detectou o câncer de mama ao longo do tempo e isso coincidiu com o diagnóstico precoce e em estágio inicial da doença, resultando em tratamento reduzido e menores taxas de recorrência, acrescentando fatores a considerar ao avaliar os benefícios da mamografia de mulheres com idade entre 40-49 anos.

  26. Molecular Breast Image

  27. Imagem Molecular da Mama mais eficaz do que a mamografia na detecção de câncer em mulheres de alto risco, com mamas densas

  28. Mamografia com contraste

  29. Obrigada Glenda D. Fanstone glendafanstone@hotmail.com (61) 8123 9990