Topografia i
Download
1 / 14

TOPOGRAFIA I - PowerPoint PPT Presentation


  • 59 Views
  • Uploaded on

TOPOGRAFIA I. Prof.ª Letícia P. Finamore. Grandezas Angulares: Ângulo Vertical (  ). Ângulo Vertical (  ): É qualquer ângulo medido no plano vertical (plano perpendicular ao plano topográfico, isto é: o plano que contém a vertical que passa pelo ponto topográfico. (Figura 1)

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' TOPOGRAFIA I ' - oprah-cook


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
Topografia i

TOPOGRAFIA I

Prof.ª Letícia P. Finamore


Grandezas angulares ngulo vertical
Grandezas Angulares: Ângulo Vertical ()

Ângulo Vertical (): É qualquer ângulo medido no plano vertical (plano perpendicular ao plano topográfico, isto é: o plano que contém a vertical que passa pelo ponto topográfico. (Figura 1)

O ângulo vertical pode ser:

  • Ângulo Zenital (V ou Z) ou Nadiral(V’ ou Z’): quando a origem de contagem corresponde a vertical do ponto. (Figura 2)

  • Ângulo Vertical: quando a origem do ângulo de inclinação do terreno é no plano horizontal. (Figura 3).

    (Figura 1) (Figura 2) (Figura 3)


Grandezas angulares ngulo vertical continua o
Grandezas Angulares: Ângulo Vertical ()continuação

Conversão dos ângulos zenitais para verticais:

V = 900 - Z.

exercício


Grandezas angulares declina o magn tica
Grandezas Angulares: Declinação Magnética

Declinação Magnética:

A Terra, como qualquer ímã, cria um campo magnético. Com isso, os pólos geográficos (pólos verdadeiros), não coincidem com os pólos magnéticos, há um desvio do meridiano magnético em relação ao geográfico. O ângulo compreendido entre esses meridianos é denominado declinação magnética.



Grandezas angulares declina o magn tica continua o
Grandezas Angulares: Declinação Magnéticacontinuação

Em 2005, o pólo norte magnético estava localizado aproximadamente a 118° a oeste de Greenwich e a 83° acima do equador. Já o pólo sul magnético situava-se, aproximadamente, na longitude 138 ° leste e latitude 64 ° sul.

Tipos de declinação magnética: a posição do norte magnético

pode estar à esquerda, à direita ou mesmo coincidir com a posição do norte

geográfico. Dessa forma, têm-se três tipos de declinação magnética:

Declinação negativa ou ocidental: o norte magnético (NM) está a esquerda do norte verdadeiro (NV), sentido anti-horário.

Declinação positiva ou oriental: o norte magnético (NM) está a direita do norte verdadeiro (NV), sentido horário.

Declinação nula: o norte magnético coincide com o norte verdadeiro, NM = NV.


Grandezas angulares declina o magn tica continua o1
Grandezas Angulares: Declinação Magnéticacontinuação

1. Declinação negativa (-) ou ocidental (do). 2. Declinação positiva (+) ou oriental (de).

3. Declinação nula

OBSERVAÇÃO:

Atualmente, em grande parte do território brasileiro, a direção norte, dada pela agulha imantada,

se encontra à esquerda do norte verdadeiro, ou seja,a declinação é ocidental (“do” ou “-”).


Grandezas angulares declina o magn tica continua o2
Grandezas Angulares: Declinação Magnéticacontinuação

Variação da Declinação Magnética no Planeta

A faixa azul, p. exemplo, indica que a DM varia de 10°W a 20°W (oeste)


Grandezas angulares declina o magn tica continua o3
Grandezas Angulares: Declinação Magnéticacontinuação

Variação da declinação magnética:

a)Posição geográfica e época do ano: a declinação magnética varia com a posição geográfica em que é observada e para cada época do ano.

b) Seculares: são aquelas observadas no decorrer dos séculos. Tem origem no interior da Terra e deve-se ao movimento das cargas elétricas da parte líquida do núcleo terrestre (formado por níquel e ferro), que funciona como um ímã cujo magnetismo dá origem ao campo magnético terrestre. Já foram observados variações de 25º oriental até 25º ocidental.

c) Locais: são perturbações ocasionadas pela presença ou proximidade de algum material metálico, linhas de transmissões de energia etc.

Distâncias mínimas a serem observadas nas operações com bússolas:

 Linha de alta tensão: 140 m;

 Linha telefônica: 40 m;

 Cerca de arame farpado: 10 m.


Grandezas angulares declina o magn tica continua o4
Grandezas Angulares: Declinação Magnéticacontinuação

Atualmente, para atualizar as declinações e suas variações emprega-se “cartas magnéticas digitais” e programas computacionais específicos para tal fim.

a) Cartas magnéticas digitais:

Os pontos da superfície que têm o mesmo valor de declinação magnética num determinado instante, se unidos formam as linhas isogônicas, originando os mapas de isogônicas. E os pontos da superfície que tem a mesma variação anual de declinação são mostrados em mapas denominados mapas isopóricos.

O Observatório Nacional do Rio de Janeiro publica, em seu anuário, um mapa do país com o traçado das isopóricas (lugar geométrico das regiões com mesma variação anual da declinação magnética) e isogônicas (lugar geométrico das regiões com mesma declinação magnética


Grandezas angulares declina o magn tica continua o5
Grandezas Angulares: Declinação Magnéticacontinuação

A declinação magnética em um determinado local, para uma determinada época

“t”, pode ser calculada realizando interpolações na carta magnética

confeccionada para uma época “to” empregando a seguinte Equação:

dt = dto + dtom.(t – to)

em que:

 to = época, para a qual foi confeccionado a carta isogônica (em anos),

 t = época, para a qual se deseja calcular a declinação magnética (em anos),

 dto= declinação magnética, para o local, extraída da carta isogônica (em minutos sexagesimais),

 dtom = variação da declinação, para o local, extraída do mapa (em minutos por ano),

 dt = declinação magnética, para o local, na época t (em minutos).


Grandezas angulares declina o magn tica continua o6
Grandezas Angulares: Declinação Magnéticacontinuação

b) Programas computacionais: Na página http://www.ngdc.noaa.gov/geomagmodels/struts/calcDeclinationé possível determinar diretamente, para qualquer lugar a declinação magnética (Declination, de acordo com o programa computacional).


Grandezas angulares declina o magn tica continua o7
Grandezas Angulares: Declinação Magnéticacontinuação

Correção de rumos e azimutes:

Uma vez que o norte magnético sofre variações até mesmo diárias, uma

planta topográfica deve ser orientada pelo norte Geográfico (Norte

Verdadeiro) e não pelo norte magnético.

No entanto, este, o norte verdadeiro, pode ser determinado a partir

daquele, do norte magnético, se a declinação magnética para uma

época t é conhecida, empregando as seguintes equações:

Rumos: Azimutes:

RV = RM ± declinação magnética AZV = AZM – do

Obs.: O sinal + ou – vai depender do quadrante do AZV = AZM + de

rumo magnético e do tipo de declinação.


Grandezas angulares declina o magn tica continua o8
Grandezas Angulares: Declinação Magnéticacontinuação

Ainda hoje é comum encontrar-se plantas orientadas pelo norte magnético. Porém, se a data de medição do azimute constar na planta, o azimute geográfico, e consequentemente o meridiano geográfico, pode ser resgatado através das Equações citadas acima. A tendência atual é utilizar receptores de sinais de satélites de navegação (GPS) para determinarem coordenadas de dois pontos e a partir destas, obter diretamente o azimute geográfico. Bússolas e declinatórias estão em desuso para fins topográficos.

exercício


ad