slide1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Respostas das perguntas da última aula: PowerPoint Presentation
Download Presentation
Respostas das perguntas da última aula:

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 47

Respostas das perguntas da última aula: - PowerPoint PPT Presentation


  • 148 Views
  • Uploaded on

Respostas das perguntas da última aula: Exemplo para cada forma de desenvcolvimento: Enterobius vermicularis (direto), Necator americanus com migração, Wuchereria bancrofti (indireto)

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Respostas das perguntas da última aula:' - olinda


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide1

Respostas das perguntas da última aula:

  • Exemplo para cada forma de desenvcolvimento: Enterobius vermicularis (direto), Necator americanus com migração, Wuchereria bancrofti (indireto)
  • Picada de mosquito recém infectado com microfilárias infectante? Não. (larva 1 tem de se desenvolver para larva 3 que demora uns dias)
  • Porque Strongyloides stercoralis tão perigoso para aidéticos? Por causa da desenfreada migração tecidual direta (larva -> intestino -> pulmão -> adulto intestino)
  • Qual larva de Strongyloides stercoralisinfectante? Filariforme (L3)
  • Quais maiores causadores da patologia na infecção com Wuchereria bancrofti? As bacterias endosimbiontes Wolbachia que produzem LPS -> processo inflamatório liberados na morte do verme
slide3

Artrópodes: características gerais

  • Insetos causadores de doenças em humanos
  • Ácaros causadores de doenças em humanos
slide4

Taxonomia: o filo Arthropoda (Barnes, 1977)

Subfilo Trilobita

Fósseis, todos extintos

Subfilo Chelicerata

Classe Merostomata - límulos - carangueijo

Classe Arachnida - escorpiões, aranhas, carrapatos

Ordem Acari

Classe Pynogonida - aranhas marinhas

Subfilo Mandibulata

Classe Crustacea - camarão, lagosta, pitu

Classe Insecta - moscas, mosquitos, pulgas, barbeiro

Ordem Hemiptera

Ordem Diptera

Ordem Anoplura

Ordem Siphonaptera

Classe Chilopoda - centopéia

Classe Diplopoda - milipés

Classe Symphyla - sínfilos de terra vegetal

Classe Pauropoda - paurópodos de húmus

Subfilo Pentastomida - artrópodes vermiformes

slide5

1. Artrópodes: características gerais

  • O filo Arthropoda (grego: “pé articulado”) é o mais bem sucedido e abundante do reino animal.
  • Cerca de 80% das espécies de animais do planeta.
  • Esqueleto externo: exoesqueleto
  • Apêndices articulados
  • Simetria bilateral

Cabeça

Tórax

Abdome

slide6

Morfologiaexterna: exemplo inseto

  • Tórax
  • formado por 3 metâmeros ou segmentos - protórax, mesotórax e metatórax;
  • Abdome
  • formado por 8 a 10 anéis
slide7

Morfologia Externa: insetos

  • Cabeça
  • olhos - maioria possui um par de olhos compostos ou olhos simples ou ocelos;
  • antenas - são duas e apresentam formas e tamanhos variáveis;
  • peças bucais - são muito variáveis em tamanho e forma; função sugadora ou mastigadora;
slide8

Morfologia Externa

Asas - formadas por várias nervuras de sustentação e células

slide9

epicutícula

exocutícula

endocutícula

epiderme

membrana basal

Características gerais: exoesqueleto

  • Proteção, mas crescimento exige mudas
  • Componente fundamental (50%): quitina, um polímero da N-acetilglicosamina
slide10

Ametabolia

exemplo: traça

Ciclo Biológico - Ontogênese

Existem três tipos de desenvolvimento dos insetos:

slide11

Hemiptera: Reduviidae

Hemimetabolia

Insetos passam pelas formas de ovo, ninfa e adulto, e as ninfas são semelhantes aos adultos em termos de ambiente e alimentação. Cada estádio termina com a ecdise

slide12

Diptera - moscas e mosquitos

diferentes estádios larvais

Holometabolia ou

Metamorfose completa

Insetos passam pelas fases de ovo, larva, pupa e adulto (imago) e os habitos alimentares das larvas são diferentes dos adultos

Siphonaptera - pulgas

Importante: diferentes estádios

podem não responder a medidas

de controle!!

slide14

infestação de vertebrados vivos por larvas de dípteros que se alimentam de tecidos ou líquidos corpóreos

Ordem: Diptera

Familia: Muscidae

Mosca berneira:Dermatobia hominis

Doença: miíase (Berne)

slide15

Dermatobia hominis é encontrado em várias áreasúmidas da Américas central e sul

  • A fêmea coloca os ovos na parte abdominal de outrosinsetos (foréticos) que se alimentam de sangue ou secreções (moscas ou pernilongos)
  • Durante o pouso no hospedeiro, os ovos eclodem e a larva de Dermatobiapenetra a pelesã (biontófaga) e evolui, dentro da lesão,até a larva 2. estádio
  • Após 6-12 semanas, a larva três emerge do hospedeiro e cai no solo onde se transforma em pupa
slide16

inseto forético

D. hominis

slide17

O local de infecção fica suscetível a entrada de oportunistas: bactérias

  • A infecção normalmente é benigna (inflamação localizada)

(larva biontófaga)

slide18

Após abandono do hospedeiro  pupa no solo

Emergência da mosca adulta após 4-11 semanas que vive poucos dias, copula e realiza postura (5-12 d)

slide19

Tratamento

  • Remoção da larva com esparadrapo ou técnicas cirúrgicas
  • Eventualmente, aplicação de um antibiotico
slide20

Moscas varejeiras:

Cochliomyia hominivorax (biontófaga)

Cochliomyia macellaria (necrobiontófaga)

Doença: miíase (Bicheira)

slide21

Presente do sul dos EUA até Argentina, em regiões tropicais (ano inteiro) e temperadas (primavera-verão)

  • Fêmeas de Cochliomyia hominivorax depositam 200-300 ovos/dia durante 3-4 dias ao redor de um ferimento recente (biontófaga, oviposição somente em seres vivos)
  • 12-24 horas depois a larvas eclodem e fixam-se e nutrem se dos tecidos
  • durante 6-7 dias há duas ecdises (L1-L3)
  • abandonam o hospedeiro e pupam no solo (6-8 dias)
  • emergem os adultos
  • Cochliomyia macellaria: ovos em tecidos necrosados
slide23

Miíases secundárias

Miíases por necrobiontófagas

(Cochliomyia macellaria)

Patogenia

  • Larvas secretam enzimas proteolíticas
  • Ferimento aumenta de tamanho
  • Decomposição de material no ferimento

Atrai moscas

slide24

Tratamento:

  • Limpar ferimento (com anestesia local)
  • Remoção individual dos vermes (CAVE: fluido corporal tóxico!)
  • Aconselhavel: Aplicação de um antibiótico de largo espectro
  • No caso de miíase cavitária, (ingestão de ovos/larvas de uma variedade de moscas): antihelmínticos
  • Controle:
  • Zoonose: Tratamento também dos animais!
  • Manipulações em gado (castração/descornas) no inverno
  • Tratamento do gado com Ivermectina/Doramectina para diminuir a densidade populacional das moscas
slide25

Miíases - ação terapêutica

  • tratamento pode ser vantajoso no caso de resistência a antibióticos
  • utilização larvas necrobiontófagas
  • úlceras crônicas: pé diabético, estase venosa (forma de terapia milenar)

Lucilia sericata, L. ilustris

Phornia regina

slide26

1 semana

1 ano

  • Remoção de tecidos necróticos
    • secreção de proteases
    • ingestão do tecido liquefeito
  • Atividade antimicrobiana
    • S. aureus, Streptococcus sp.
  • Cicatrização
    • movimento (?)
    • alantoína, uréia, bicarbonato de amônia
slide27
pulga da areia

“bicho do pé” ou “bicho do porco”, hospedeiro usual é o porco (mas ataca gatos, cachorros e seres humanos)

Ordem Siphonaptera:Tunga penetrans

As lesões passam a ser porta de entrada de micróbios como Clostridium tetani (tétano), C. perfringens (gangrena gasosa), Paracoccidioidesbraziliensis(blastomicose)

slide28

Tunga penetrans

  • A fêmea, após fecundação penetra
  • a pele e começa a sugar sangue,
  • os ovos se desenvolvem em 2 dias
  • e são expelidos, o parasita morre

ovos, larva 1 e 2, pupa

Terapia: Remoção do parasita

Prevenção: Aplicação de inseticidas

slide29

Ordem Anoplura: Pediculus capitis, P. humanusePthirus pubis

  • Doenças: Pediculose e Ftiríase
  • Ectoparasitos cosmopolitas exclusivamente de humanos
  • Em todas as classes sócio-econômicas
  • Hemimetábolos (ovo, larva, ninfa, adulto)
  • Todos os estádios hematófagos
slide30

Piolhos: habitats

  • Pediculus capitis : cabeça
  • P. humanus: na roupa, em áreasprotegidas do corpo
  • Pthirus pubis : predominantemente na área pubiana.
  • Os ovos são depositados mediante substância cimentante em fios de cabelo (onde eles são detectados mediante luz UV) ou de roupas
  • Ciclo evolutivo: após 10 dias, a larva eclode do ovo e começa sugar sangue, estádio ninfa, após 14 dias ficam maduros
slide31

Patogenia da Pediculose/Ftiríase

  • Prurido, entrada de oportunistas (bactérias)
  • Phtirus pubis pode ser considerada uma DST (transmissão rara através de roupa)
  • P. humanus é um importante transmissor de Tifo exantemático (Rickettsia prowazekii),o artrópode abandona o hospedeiro que está com febre)
slide32

Tratamento:

P. capitis : Lavar cabeça com “shampoo” que contem

1% permethrina, uso repetido garante 100% sucesso

Usar pente especial para remover as lêndeas do cabelo!

P. humanus e Pthirus pubis : Lavar roupa contaminada

a 50°C por 30 min, ou deixar em lugar seco fechado por

2 semanas

slide34

Filo Artropoda

Classe Arachnida

Subclasse Acari

slide35

Morfologia geral dos ácaros

larvas com 3 pares, ninfas/adultos com 4 pares de patas

(aparelho

bucal e palpos)

(corpo)

slide36

Subordem: Astigmata (Sarcoptiformes)

Sarcoptes scabiei

Doença:

Escabiose ou Sarna

dorsal ventral

  • Cosmopolita, democrático
  • 300 milhões de casos
  • parasita de seres humanos e outros mamíferos (existem variedades com diferentes preferências: S. scabiei canis, S. scabiei cuniculi, S. scabiei ovis etc.)
slide37

Não possuem traquéias, respiram pelo tegumento

  • Macho (0,2 mm) e fêmea (0,4 mm)
  • Infecção ocorre por contato pessoa-pessoa ou objetos contaminados (roupa, pentes etc.)
  • Os ácaros migram na epiderme, depositam ovos, dos quais eclodem larvas (depois 3-4 dias), que se desenvolvem para ninfas que ficam adultos (4 dias).
  • Fêmea: 3-4 ovos/dia (durante até 50 d), ciclo total: 20 d
  • Sítio preferencial de infecção: interdigital, nas pernas
slide38

Patologia

  • A atividade migratória e a deposição de antígenos causa o influx de células T mononucleares e reações alérgicas (hipersensitividade do tipo IV)
  • Prurido, causa ferimentos secundários na pele e infecções bacterianas são frequentes
  • Em aidéticos ou imunossuprimidos, ocorre dermatite generalizada com grandes areas de pele comprometidas, altissimo número de ácaros presentes e o indivíduo é forte transmissor de Scabies
slide40

Diagnóstico:

  • Clínico: Anamnese, pruridos noturnos, localização e aspecto das crostas
  • Parasitológico: Fita gomada sobre crostas ou raspado profundo lâmina microscópio

Tratamento (repetido!):

- Creme com permethrina 5%

ou

- Lindan 1%

(pessoas imunocomprometidos plus 1 dose Ivermectina)

- Tratamento da roupa contaminada: Lavar e secar

por 10 min a 50°C, ou estocagem em recipientes

fechados por 5 dias

slide41

variabilidade genética leva

a ampliação do espectro de hospedeiros (40 ssp de 17 famílias e 7 ordens)

evita especiação

Aspectos epidemiológicos

  • Infestação do homem por variedades S. scabiei de animais:
    • auto-limitante, fugaz
  • Hipótese - origem das variedades:
  • Homem: hospedeiro primário
  • Adaptações a outras espécies de hospedeiros
  • Intercruzamento de cepas de animais e do homem
slide42

Ácaros de vida livre como causador de doença

  • Vivem em poeira domiciliar, grãos armazenados, alimentos processados
  • Família Phyroglyphidae: -Dermatophagoides pteronyssinus
  • - Dermatophagoides farinae
  • - Pyroglyphus africanus
  • - Dermatophagoides deanei
  • - Euroglyphus maynei
  • Família Glycyphagidae:- Blomia tropicalis
  • Família Chortoglyfidae: - Chortoglyphus arcuatus
  • Família Saproglyphidae: - Suidasia pontifica
  • Pessoas suscetíveis (número crescente): alergias respiratórias
  • Alérgeno é o próprio ácaro e/ou seus produtos: dejetos, secreções, fezes que ficam em suspensão em poeira
slide43

Culicíneos

(filaríase)

Flebotomíneos

(leishmaniose)

Triatomíneos

Tripanossomíase

americana

Simulídeos

(oncocercíase)

Ixodídeos

(Riquetsiose, Babesiose)

Anofelinos

(malária)

Sifonápteros

(peste)

Muitos artrópodes são importantes vetores de várias parasitoses, bacterioses e viroses ...

...MAS...

slide44

...a própria saliva destes artrópodes hematófagos pode

também causar fortes alergias em pessoas suscetíveis!

atividade observada produto

slide45

$?

Efeitos da saliva de diferentes carrapatos

slide46

Não esquecer os artrópodos que passivamente transmitem parasitas (ovos, cistos, oocistos, bactérias e virus)

Barata

Formiga do cartao

slide47

Literatura:

L. Rey: Parasitologia, 3 ed., Guanabara Koogan, 2001

Guimarães JH, Papavero N: Myiasis in man and animal in the neotropical region. Bibliographic database, Ed. Plêiade, 1999

Beaty BJ, Marquardt WC: The Biology of Disease vectors. University Press of Colorado, 1996

Muitas imagens foram publicadas na internet no site do Prof. Marcelo Campos Pereira, ICB-USP