slide1 l.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
REDE BIBLIODATA PowerPoint Presentation
Download Presentation
REDE BIBLIODATA

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 74

REDE BIBLIODATA - PowerPoint PPT Presentation


  • 225 Views
  • Uploaded on

FGV / DITI. REDE BIBLIODATA. Redes, parcerias e processos cooperativos Maria do Socorro Gomes de Almeida socorrom@fgv.br I Congresso Internacional em Biblioteconomia do Rio de Janeiro.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'REDE BIBLIODATA' - nhi


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide1

FGV / DITI

REDE BIBLIODATA

  • Redes, parcerias e
  • processos cooperativos
  • Maria do Socorro Gomes de Almeida
  • socorrom@fgv.br
    • I Congresso Internacional em
  • Biblioteconomia do Rio de Janeiro
slide2
Redes - “esquemas institucionais de caráter cooperativo que são criados com a finalidade de organizar e facilitar o acesso e o uso da informação a um custo menor do que se alcançaria de forma isolada”(CEPAL, 1986).
slide3
Cooperação

bibliotecária

“boa parte da literatura publicada a partir da década de 60 trata a cooperação bibliotecária a partir do surgimento das redes de bibliotecas, redes de informação e da automação de bibliotecas” (Carvalho, 1999)

slide4
Redes

Começaram a tomar forma no início

dos anos 80, impulsionadas por três

forças principais:

- restrições de orçamento

- possibilidades tecnológicas das

telecomunicações

- consciência do profissional da

cooperação

slide5
Tipos de

Redes

Redes de unidades de informação (BIREME) - tema definido, muita informação

Redes de produtos de informação (CLAD) - não há tema definido, pouca informação

Redes de intercâmbio de informação (CLACSO) - pouca informação, como solução opta-se pelo intercâmbio de informação

slide6
Primeiras redes

na América

Latina

Redes regionais

temáticas

Organizações

que cooperam

com as redes

BIREME (saúde)

REPIDISCA (engenharia sanitária)

BIBLIODATA (cat.cooperativa)

REDUC (educação)

CLACSO (ciências sociais)

REBIE (energia)

CEPAL - UNESCO - FAO - OMS - FID/CLA - CNEM/CIN

slide7
Redes de Redes de informação - associação de redes documentais geralmente especializadas que se completam entre si.
  • RECIARIA - quer constituir-se em um “projeto integrador” de esforços realizados pelas redes de informação argentinas. Como modelo de organização foi seguido o da OCLC.
slide9
1967 - BIREME é um Centro Especializado da OPAS (Organização Pan-Americana de Saúde)
  • O Sistema Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde (Sistema Regional) e a BIREME, ao longo de 30 anos, desenvolveram com êxito a capacidade dos países da Região de criar e operar sistemas nacionais de informação científico-técnica.
slide10
1997 - Esgotamento do modelo atual. A direção da OPAS reconhece a importância da BIREME e recomenda o seu fortalecimento na promoção da cooperação técnica.

A proposta de criação e desenvolvimento da Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), sob a liderança da BIREME, significa a adoção de um novo paradigma organizacional e de tratamento da informação que responde às recomendações da Comissão da OPAS e à nova demanda de cooperação técnica.

slide11
Biblioteca Virtual em Saúde - BVS

- constitui uma renovação no modelo atual de cooperação técnica em informação em saúde.

- responde a demanda dos países da Região de produzir e operar fontes de informação distribuídas na Internet.

pretende ser um espaço virtual com ampla coleção das mais variadas e relevantes fontes de informação científico-técnica.

a coleção da BVS se distingue do conjunto de recursos de informações da Internet por obedecer a controles de qualidade e metodologias comuns.

slide12
A literatura em ciências da saúde gerada nos países da Região é publicada em formato eletrônico utilizando a metodologia comum SciELO - Scientific Electronic Library Online.

O LIS - Localizador de Informação em Saúde é o conjunto de ferramentas para a organização e operação dos catálogos de fontes de informação da BVS.

A literatura científico-técnicaem saúde, registrada em bases de dados nacionais, regionais e especializadas do sistema LILACS, é disponibilizada pela interface comum de busca da BVS.

O DeCS - Descritores em Ciências da Saúde é a base de dados multilíngue da terminologia da área da saúde.

slide14
CLAD

Centro Latinoamericano de Administración para el Desarrollo

slide15
1972 - iniciativa dos governos do México, Perú e Venezuela
  • órgão público internacional, de caráter inter-governamental
  • sua criação foi recomendada pela Assembléia Geral das Nações Unidas.
slide16
A CLAD tem privilegiado o desenvolvimento de redes institucionais quanto a administração, gestão e políticas públicas, como um meio eficaz para o intercâmbio de informação.
  • Com esta experiência, se realizam contínuos avanços para explorar as vantagens propiciadas pela rede CLAD, principalmente os meios eletrônicos para se comunicar e intercambiar estudos, legislação, documento e atividades realizadas pelas instituições.
slide18
CLACSO Consejo Latinoamericano

de Ciencias Sociales

slide19
1967 - instituição internacional não-governamental e sem fins lucrativos, dedicada a promover a pesquisa, discussão e difusão acadêmica em diversos campos das ciências sociais.
  • 135 centros de pesquisa em 19 países da América Latina e do Caribe.
slide20
Há 23 Grupos de Trabalho que desenvolvem atividades temáticas, tais como:
      • Comunicação e Cultura
      • Desenvolvimento e Políticas Sociais
      • Economia e Desenvolvimento
      • Educação, Ciência e Tecnologia
      • Filantropia e Cooperação
      • Nação, Integração e Globalização
      • População
      • Política e Estado
      • Teoria e Metodologia da Ciência
      • Trabalho
slide21
Compete ao CLACSO

- Assegurar o acesso dos pesquisadores latino-americanos e do Caribe a fontes bibliográficas, bancos de dados estatísticos e outros acervos de informação.

- Manter a instituição em dia com as tecnologias de ponta em comunicações e informática e colocá-las ao serviço dos centros-membros, das comissões e outros programas e projetos do CLACSO.

slide22
Consultas:
  • Sala de leitura com textos completos de mais de 4.000 livros e artigos em ciências sociais
  • base de dados com referências bibliográficas de publicações recentes dos centros membros da CLACSO
  • base de dados com descrição das pesquisas que foram realizadas nos centros membros da CLACSO
  • base de dados de pesquisadores que trabalham nos centros membros da CLACSO
slide24
CLACSO - CENTROS MEMBROS - BRASIL
  • Centro de Ciências Sociais (CCS-UERJ)
  • Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (CEBRAP)
  • Centro de Estudos de Cultura Contemporânea (CEDEC)
  • Centro de Pesquisa e Pós-Graduação Sobre as Américas (CEPPAC-UnB)
  • Curso de Pos Graduação em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade
  • Centro de Recursos Humanos (CRH-UFBA) Universidade Federal da Bahia,
  • Faculdade de Educação (ESE/UFF) Universidade Federal Fluminense
  • Fundação do Desenvolvimento Administrativo (FUNDAP)
  • Instituto de Filosofia e Ciência Humanas. Pós-Graduação de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) Universidade Estadual de Campinas
  • Instituto de Pesquisas Sociais (INPSO/FUNDAJ)
  • Instituto de Relaciones Internacionais (IRI/PUC)
  • Instituto Universitário de Pesquisa de Rio de Janeiro (IUPERJ)
  • Laboratório de Políticas Públicas (LPP/UERJ)
  • Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – Campus de Marília
slide25
REPIDISCA

Red Panamericana de

Información en Salud Ambiental

slide26
1982 tem como objetivo difundir a informação disponível sobre:

Saúde Ambiental Epidemiologia Ambiental ToxicologiaEngenharia Sanitária e Ambiental Abastecimento de águaÁguas residuais Resíduos sólidos Resíduos perigosos Contaminação do arSaúde dos trabalhadores

  • 352 Centros Cooperantes em 23 países de América Latina e do Caribe
slide27
Ao CEPIS Centro Panamericano de Ingeniería Sanitaria y Ciencias del Ambiente cabe a missão coordenadora em nível regional e consolidar a informação em bases de dados.
  • REPIDISCA tem contatos com outros sistemas de informação mundiais, estabelecendo atividades conjuntas. Além de ter sua base de dados compatível com o LILACS .
slide31
REDUC

Red Latinoamericana de Información y Documentación en

Educación

slide32
1977 - REDUC foi criada com o propósito de funcionar como um sistema voltado à preservação da memória da produção latino-americana em educação.
  • Centro Coordenador o CIDE - Centro de Investigación y Desarollo Educativo, situado em Santiago do Chile.
  • Conta, atualmente, com 22 centros filiados em 19 países, incluindo-se a maior parte dos países da América Latina, os Estados Unidos e o Canadá.
  • 1994, firmou-se convênio com o Banco Interamericano de Desenvolvimento - BID, com o objetivo de dinamizar as políticas educacionais.
slide33
Principais produtos e serviços

Base de Dados de RAEs: Base de dados com 17.777 Resumos Analíticos (RAEs) de pesquisas e estudos sobre Educação na América Latina Textos Completos:Base de dados com 730 documentos em texto completo, selecionados da base de dados de RAEs Diretório de Especialistas:Dados pessoais de profissionais vinculados a educação latino-americana.Recortes de jornais:Base de dados com noticias especializadas em educação da imprensa chilena. De 1998 até 2001.

slide35
REDUC NO BRASIL
  • INEP - elaboração de Estados da Arte,estudos sobre os assuntos de maior relevância na área
  • 1994, a Fundação Carlos Chagas assumiu a coordenação do projeto de expansão da rede. Para atingir mais rapidamente seu intento firmou convênios com 15 Programas de Pós-Graduação em Educação de várias Universidades e uma Fundação ligada à Secretaria da Educação de São Paulo dedicada ao aperfeiçoamento de docentes.
slide37
REBIE

Rede Brasileira de Informação

em Energia

slide38
Rede Brasileira de Informação em Energia. Congrega instituições que queiram registrar, nas bases INIS e ENERGY, sua produção ou a produção científica brasileira da área especializada em que atuam.

A CNEN/CIN dá treinamento e fornece suporte técnico sobre construção de base de dados às equipes das cooperantes.

slide39
A Rede está formada até o presente momento pelas seguintes instituições:

CEPEL (Eletrobrás),

Informam (Universidade Federal do Pará),

IEE (Universidade de São Paulo)

CIN/CNEN – Centro de Informações Nucleares da Comissão Nacional de Energia Nuclear (coordenação).

slide40
O produto mais importante das atividades da Rede é a formação da contribuição brasileira à base de dados ENERGY.
  • ENERGY é uma base de dados bibliográficos cobrindo a literatura mundial sobre energia, produzida pelo ETDE – Energy Technology Data Exchange, da IEA – International Energy Agency, órgão da OCDE.
  • O Sistema ETDE está composto pelos seguintes países-membros: Bélgica, Brasil, Canadá, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Estados Unidos, Inglaterra, Itália, Japão, Coréia, México, Holanda, Noruega, Polônia, Espanha, Suécia e Suíça.
  • Em paralelo a contribuição ao ETDE, a REBIE forma a base de dados brasileira em energia – a ENERGIA-Brasil.
slide42
RECIARIA

Redes Argentinas de Informacion

slide43
1996 a idéia de uma Reunião geral de Redes surgiu em uma reunião de coordenadores da UNIRED (Red de Redes de Información Económica y Social) .

Recebe também o apoio da UNESCO.

1999 os coordenadores da UNIRED analisaram o projeto e organizaram uma reunião geral com o propósito de conhecer e difundir as atividades das redes.

RECIARIA grupa 24 Redes de Bibliotecas e Unidades de Informação e Documentação de alcance Nacional. Integrada por 400 instituições públicas e privadas.

slide44
AGRIS (Información Agropecuaria)

AMICUS (Universidades Privadas)

ASFIS/REDIPES(Ciencias Acuáticas y Pesqueras)

BIBLIOMED (Biomedicina)

BIPAT (Red de Bibliotecas Patagónicas)

CAICYT (Información CientÌfica y Tecnológica)

CLACSO (Regional sobre Ciencias Sociales)

Consorcio Bibliotecas Unidesarrollo

Consorcio Nacional de Información Educativa - Ministerio de Educación (Educación)

INIS (Internacional de Información Nuclear)

JURIRED (Derecho y Ciencias Jurídicas)

REMOS (Trabajadores y Movimientos Sociales)

Red Provincial de Bibliotecas Pedagógicas

REDAR (Archivos de Arquitectura)

RENDIAP (Administración Pública)

RENICS (Ciencias de la Salud)

REPIDISCA (Salud Ambiental)

REDINFOR (Información Forestal)

RIA (Red Interactiva de Arte)

RISEL (Información Sector Eléctrico)

RRIAN (Regional Area Nuclear)

SIBI (Multidisciplinaria)

SIDINTA (TecnologÌa Agropecuaria)

SISBI (Bibliotecas Universidad Buenos Aires)

SIU (Distintas disciplinas abordadas en las universidades nacionales)

UNIRED (Información Económico y Social)

VITRUVI O (Arquitectura, Arte, Diseño y Urbanismo)

slide46
OCLC

rede que reúne vários sistemas isolados e redes regionais como AMIGOS, NELINET (Nes England Library Information Network), SOLINET (Southeastern Library Network), SUNY, BCR e OHIONET

slide47
Serviços da OCLC

WorldCat

FirstSearch

Conversão retrospectiva

Empréstimo entre bibliotecas

Softwares

Seleção e aquisição

slide49
A Rede Bibliodata tem por finalidade desenvolver a cooperação entre bibliotecas no intuito de compartilhar seus meios técnicos, humanos e de informação visando a execução de serviços
slide50

servir como um Catálogo Coletivo dos acervos das bibliotecas,

- facilitar o acesso da informação aos usuários,

  • viabilizar o intercâmbio de registros Bibliográficos dentro e fora do país,
  • desenvolver produtos e serviços que explorem os recursos compartilhados,
  • desenvolver novas tecnologias,

Criada em

1980 com os

objetivos de:

slide51

Características

Técnicas

  • formato para o registro de informações - MARC 21,
  • descrição bibliográfica - Regras de AACR2, nível 2
  • software compatíveis com dados da Rede: Microisis, ALEPH, VTLS, Pergamum, Thesaurus, Sophia, etc
  • listas de autoridades - os conceitos contidos nos documentos seguem a LCSH, e os nomes são estabelecidos de acordo com as regras do AACR2R
slide52

- redução de custo: 3 a 4 vezes

menor do que a catalogação

original,

- qualidade: MARC 21,

- assuntos e autores normalizados,

- forma: On line, via Internet,

ou off line, através de CD-ROM,

- visão ampla do acervo da biblioteca

- 70 a 80% do acervo já está catalogado

Catalogação cooperativa

(copy cataloguing)

slide53

Catálogo Coletivo

Bibliodata

  • Serviços que oferece
    • Servir como fonte de catalogação
    • Servir como fonte de pesquisa bibliográfica
    • Conversão retrospectiva (RECON)
    • Compartilhamento de acervos, através do Empréstimo Entre Bibliotecas
slide54
Capacitação

programas de treinamento em automação de bibliotecas visando ao desenvolvimento de bibliotecários,

seminários,

palestras,

cursos presenciais e não presenciais (EAD)

slide55

Principais características:

    • interface Web
    • consulta ao MARC 21
    • consulta integrada com autoridades
    • cópia/edição para inserção no catálogo local
    • integrado com CatBib (editor MARC)
    • transferência para atualização imediata do Catálogo Coletivo

Novo Sistema

slide66
Vantagens/

Resultados

do trabalho

em Rede

recursos bibliográficos compartilhados

capacitação

assistência técnica

troca de experiências

desenvolvimento de tecnologias de informática

descentralização da informação

acesso a base de dados

slide67
Desvantagens

do trabalho em Rede

diferenças de nível de desenvolvimento das bibliotecas

instabilidade econômica

necessidade de ampliar a troca de experiências entre as bibliotecas

pouca interatividade entre as diversas Redes

slide68
Parcerias

“a parceria é uma arte; construí-la

envolve habilidades e talento... Construir parcerias e alianças estratégicas requer habilidade, despreendimento e o desejo, ao somar forças e recursos, poder mais” (Barreira, 2003)

slide69
Biblioteca Virtual do

Rio Grande do Sul

FEE – IRGA – EMATER/RS - CIENTEC

(exemplo)

integrar as bibliotecas

disponibilizar a consulta on line

permitir o intercâmbio dos registros bibliográficos

mapear a situação das bibliotecas destas instituições

slide70
Biblioteca

Virtual do

Rio Grande do

Sul

FEE – IRGA – EMATER/RS - CIENTEC

(fases)

viabilidade do projeto

elaboração do projeto

avaliação , aprovação

entrega na FAPERGS (Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande do Sul)

reuniões técnicas para definição de prioridades

desenvolvimento e implantação

diagnóstico das bibliotecas

adequação das bases bibliográficas ao padrão

interface para consulta WEB

slide71
agências de fomento à pesquisa.

CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) - www.cnpq.br

PETROBRÁS - www2.petrobras.com.br/portal/patrocínios.htm

FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos) - www.finep.gov.br

FUST (Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações - www.socinfo.org.br