slide1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
"Formação da Diplomacia Econômica no Brasil” PowerPoint Presentation
Download Presentation
"Formação da Diplomacia Econômica no Brasil”

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 36

"Formação da Diplomacia Econômica no Brasil” - PowerPoint PPT Presentation


  • 97 Views
  • Uploaded on

"Formação da Diplomacia Econômica no Brasil” - As Relações Econômicas Internacionais no Império - autor: Paulo Roberto de Almeida. Introdução. OBJETIVO: Mostrar como atuou a diplomacia brasileira, ao longo do século XIX, nos assuntos referentes: Ao Tráfico Negreiro A Escravidão

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about '"Formação da Diplomacia Econômica no Brasil”' - naida


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide1

"Formação da Diplomacia

Econômica no Brasil”

- As Relações Econômicas Internacionais no Império -

autor: Paulo Roberto de Almeida

introdu o
Introdução

OBJETIVO:

Mostrar como atuou a diplomacia brasileira, ao longo do século XIX, nos assuntos referentes:

  • Ao Tráfico Negreiro
  • A Escravidão

3) A Imigração

introdu o1
Introdução

TESE :

A) Em relação ao tráfico negreiro, a diplomacia brasileira teve uma postura reativa;

B) Em relação ao trabalho escravo e à imigração, uma postura (quase) omissa

introdu o2
Introdução

QUESTÕES :

A) Como é possível defender uma política de imigração, com uma mão de obra escrava no país?

plano
Plano

Introdução

  • Parte: Diplomacia do Tráfico Negreiro e da Escravidão
  • Parte: Diplomacia da Imigração

Conclusão

slide6

Parte:

A) Diplomacia do Tráfico Negreiro

[…]

Ontem a Serra Leoa, A guerra, a caça ao leão, O sono dormido à toa Sob as tendas d'amplidão! Hoje... o porão negro, fundo, Infecto, apertado, imundo, Tendo a peste por jaguar... E o sono sempre cortado Pelo arranco de um finado, E o baque de um corpo ao mar... 

[…]

O Navio Negreiro, Castro Alves.

slide7

Como reagiu a diplomacia brasileira em relação às pressões externas em favor da supressão do tráfico negreiro e a abolição da escravatura na primeira metade do século XIX?

  • Parte:

A) Diplomacia do Tráfico Negreiro

Questão:

slide8

Parte:

A) Diplomacia do Tráfico Negreiro

  • Atrair mão-de-obra livre;
  • X
  • - Conter a pressão externa
  • TRÁFICO:

-Imigração – Atividade Custosa;

-Escravidão – Atividade Lucrativa;

  • AMBIGUIDADE NA ATUAÇÃO;
argumetos da elite nacional
ARGUMETOS DA ELITE NACIONAL:
  • Parte:

Fonte: Brasil, IBGE. Séries Estatísticas Retrospectivas, vol 3, 1987, p.3 p.320

  • BRAÇOS PARA A LAVOURA;
  • Grande base territorial;
  • Baixo número de habitantes

População brasileira, 1808-1900

a press o externa
A PRESSÃO EXTERNA
  • Parte:
  • Desde a vinda da família real;

- Tratado de Aliança e Amizade;

  • Eric Williams – Novas Formas de Capitalismo;
  • Moderna Historiografia - Humanismo Iluminista; Opinião Pública;
  • Razões comerciais.
slide14

II) Parte: Diplomacia da Imigração

  • Imigração de não-lusos e não-Africanos:

Início em 1808 com a Abertura dos Portos;

Chineses de Macau;

Suíços e alemães (a partir de 1818).

  • Escravidão x Imigração
slide15

II) Parte: Diplomacia da Imigração

  • Obstáculos estruturais à imigração
  • Empecilhos para a imigração:
  • As condições gerais para a ocupação de terras
  • “É uma grande desgraça para o Brasil estarem extensões enormes de território nas mãos de proprietários que não possuem bastante fortuna, nem mesmo para poderem cultivar a centésima parte delas, e que, não obstante, se agarram tenazmente à sua propriedade na esperança de que, ao continuo desenvolvimento do país, a mesma se valoriza dia mais.”
  • (Descrição da concentração de terras em 1820 por um inglês)
slide16

II) Parte: Diplomacia da Imigração

  • 2. As condições gerais para a naturalização dos imigrantes já estabelecidos.
  • Set/1830 - lei “sobre o aluguel de serviços prestados pelos estrangeiros,[que] pretendia favorecer a agricultura nacional, mas estabelecia grande desigualdade entre as obrigações dos trabalhadores e dos proprietários, não era feita para melhorar o estado de espírito dos colonos”.
  • Out/1832 - lei sobre a naturalização dos estrangeiros aos 4 anos de residência condicionava sua obtenção à propriedade de terras ou ao exercício da profissão útil.
  • “Entretanto, como se exigia apresentação de prova de idade, de residência, de propriedade, e, depois, de uma declaração perante o Conselho Municipal, o pagamento, enfim, de uma taxa, as naturalizações foram raras.”
slide17

II) Parte: Diplomacia da Imigração

Outros problemas para a imigração:

  • A falta de uma lei de terra
  • A continuidade do regime do tráfico e da própria escravidão.

(...) a salvação do Brasil repousa na imigração unicamente espontânea de agricultores livres europeus, e são suas condições essenciais a extinção do trafico de escravos africanos e o estabelecimento de sólidos sistema de distribuição das terras a colonizar , juntamente com a generalização do imposto territorial e as devidas garantias legais.

slide18

II) Parte: Diplomacia da Imigração

Imigrantes desembarcados no Brasil entre 1820 e 1859

Evolução do fluxo imigratório

1820 - 1829 9.105

1830 – 1839 2.569

1840 – 1849 4.992

1850 – 1859 108.045

Lei da terra

Evidencia do numero alto de escravos no conjunto da popul. brasileira.

População livre e escrava entre 1819 e 1872

slide19

II) Parte: Diplomacia da Imigração

E o papel da diplomacia brasileira??

slide20

II) Parte: Diplomacia da Imigração

"Que coisa entendeis por uma nação, Senhor Ministro?é a massa dos infelizes?Plantamos e ceifamos o trigo, mas nunca provamos pão branco.Cultivamos a videira, mas não bebemos o vinho.Criamos animais, mas não comemos a carne.Apesar disso, vós nos aconselhais a não abandonarmos a nossa pátria?Mas é uma pátria a terra em que não se consegue viver do próprio trabalho?"

(resposta de um italiano a um Ministro de Estado de seu país, a propósito das razões que estavam ditando a emigração em massa)

slide21

Imigrantes chegando de trem à

Hospedaria dos Imigrantes

(São Paulo-SP)

slide23

II) Parte: Diplomacia da Imigração

  • Distribuição de terras no Brasil: Capitanias hereditárias e sesmarias;
  • Questão de terras no Brasil, um grande obstáculo à imigração, deveria ter sido resolvida na Constituição de 1824, quando foi suprimida a lei das sesmarias;
  • “Era algo a ser resolvido, mas continuamente postergado” .
slide24

II) Parte: Diplomacia da Imigração

  • Ministro barão de Cairu:

“O Governo Imperial tem procurado com os meios de seu alcance remediar a falta que se encontra de uma lei que regule a concessão de terras, marque as condições e determine as vantagens que porventura seja possível facultar-se àqueles que, com o fito de melhorarem de sorte, deixam sua pátria [...] Sem essa lei de importância vital para o país, difícil será haver esperança de que nele se consolide e torne perene tão poderoso e eficaz elemento de prosperidade nacional”.

slide25

II) Parte: Diplomacia da Imigração

  • Soluções apontadas:
  • Sistema Wakefield (não chegou a ser empregado);
  • Método de Parceria: utilizado pelo senador Vergueiro em 1847 (problemas posteriores que acabaram por dificultar a emigração de europeus de certos países) .
slide26

II) Parte: Diplomacia da Imigração

  • Anos 1840:

“trafico escravo chegando a seus limites políticos e diplomáticos”

Começa a ser implementada a “diplomacia da imigração”

  • Lei de terras: discussão sobre o regime

de terras opunha liberais e conservadores

slide27

II) Parte: Diplomacia da Imigração

  • Projeto de 1842 (apresentado pelo governo à Câmara dos Deputados em 1843): marcado pelo debate acerca dos custos da importação de mão-de-obra, principalmente no que diz respeito aos impostos e à perda da propriedade dos maus pagadores.
  • 3 de setembro de 1850: aprovada a Lei de Terras:

Eliminados o imposto territorial, a perda da propriedade.

Aquisição de terras somente através da compra (exceto na faixa fronteiriça)

slide29

concorrência de outros países em expansão: EUA, Grã-Bretanha e França ofereciam passagens e dinheiro adiantado. Países como Peru, Bolívia e Estado Oriental do Uruguai ofereciam até mesmo terras gratuitas. Mais tarde, entra a Argentina na deisputa.

  • “ O Brasil não tinha condições de competir com os outro países, sobretudo com os Estado Unidos”
slide30

Estados Unidos:

Facilidade de aquisição de terras

Maior desenvolvimento de transportes

Melhor qualidade das terras à venda

Ausência de escravidão nas áreas de colonização

Legislação liberal e liberdade religiosa

  • Brasil:

Problemas com a Inglaterra e com a França

slide31

Cafeicultura no planalto paulista: decisiva para encorajar a vinda dos imigrantes

  • Parlamento sempre pressionou a diplomacia brasileira nas tomadas de decisão sobre o tráfico negreiro, a escravidão e a imigração européia
  • No que diz respeito à escravidão e ao tráfico negreiro, “ela [a diplomacia] mais reagiu do que antecipou-se aos problemas colocados na frente externa por uma agressiva política abolicionista inglesa.
slide33

“Em relação ao problemas da imigração e do regime de trabalho escravo, a diplomacia brasileira foi bastante discreta em sua atuação, para não dizer completamente omissa na segunda questão”

  • Um ano após a abolição, em sua última fala do trono imperial, D. Pedro I congratula-se como incremento da imigração: 131 mil imigrantes em 1888 e mais ainda no começo daquele ano.
slide34

Após a queda do regime monarca, a província de São Paulo, por uma política ativa de subsídios, intensificou o volume do número de imigrantes

slide36

Grupo:

Allan Batista Gabriel

Camilla Grinover

Tamar Dias

Ícaro de Oliveira Rosa

Ana Luiza Narvaez

(MA 4)