Professora: Sandra Mara Tenchena - PowerPoint PPT Presentation

professora sandra mara tenchena n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Professora: Sandra Mara Tenchena PowerPoint Presentation
Download Presentation
Professora: Sandra Mara Tenchena

play fullscreen
1 / 24
Professora: Sandra Mara Tenchena
168 Views
Download Presentation
mulan
Download Presentation

Professora: Sandra Mara Tenchena

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Professora: Sandra Mara Tenchena Disciplina: Teoria Geral da Administração

  2. Caso Na 3N quem dá as ordens é o cliente Pág: 224 A 3M – sigla da Minnesota Minning and Manufacturing Co. – foi eleita uma das melhores empresas do ano pela revista Exame. Ela é uma empresa multiprodutos com mais de 25.000 produtos. A 3M passou por um processo de reestruturação para se tornar mais competitiva. O projeto Transformação busca colocar o foco no cliente e modificar seus processos internos. Antes, as áreas de negócios eram divididas por produtos. O cliente que comprasse dois produtos diferentes teria que falar com diferentes vendedores e receber várias encomendas. Agora, os grandes clientes (responsáveis por 90% do faturamento) são atendidos por um único grupo de vendedores. E os pequenos e médios clientes passaram a comprar de distribuidores. Além disso, a 3M se organizou por setores de mercado (automotivo, saúde, telecomunicações, etc.) para identificar necessidades e antecipar soluções. Ou seja, criar oportunidades de negócios em vez de desenvolver idéias e depois ir atrás de alguém para comprá-las. O trabalho em equipe foi estimulado e a comunicação também. A empresa avaliava seu desempenho por índices internos. Agora o importante é que o cliente receba a mercadoria como e quando quiser. Todos os funcionários – do chão-de-fábrica aos executivos – receberam treinamento para saber como sua função afeta os resultados da empresa. A criatividade foi estimulada. A 3M é uma das empresas mais inovadoras do mundo: um produto novo e diferente a cada três dias, em média.

  3. Administração Por Objetivos • As Origens da APO. • As Características da APO. • A Fixação de Objetivos. • A Estratégia Organizacional. • O Ciclo da APO. • Apreciação Crítica da APO.

  4. Características da APO • Estabelecimento conjunto de objetivos entre gerente e subordinado. • Estabelecimento de objetivos para cada departamento ou posição. • Interligação entre os vários objetivos departamentais. • Ênfase na mensuração e no controle de resultados. • Contínua avaliação, revisão e reciclagem dos planos. • Participação atuante das gerências e dos subordinados. • Apoio intensivo do staff.

  5. Figura 10.1. O processo participativo e democrático da APO Ação Individual do Gerente: Proporcionar apoio, direção e recursos Gerente Avaliação conjunta do alcance dos objetivos e reciclagem do processo de APO Formulação Conjunta de Objetivos de Desempenho Ação Individual do Subordinado: Desempenhar as tarefas e alcançar objetivos Subordinado

  6. Figura 10.3. O ciclo contínuo da APO Fixação dos Objetivos Globais da empresa Elaboração do Planejamento Estratégico Fixação dos Objetivos Departamentais Avaliação dos Resultados Elaboração do Plano tático do Departamento Revisão dos Planos Desdobramento do Plano Tático em Planos Operacionais Execução dos Planos

  7. Fixação de Objetivos • A importância dos objetivos: • Proporcionam uma diretriz ou finalidade comum. • Permitem o trabalho em equipe e eliminam tendências egocêntricas. • Servem de base para avaliar planos e evitam erros. • Melhoram as possibilidades de previsão do futuro. • Quando os recursos são escassos, ajudam a orientar e prever sua • distribuição criteriosa. • 1. Critérios para escolha dos objetivos: • Atividades com maior impacto sobre os resultados. • Objetivo deve ser específico, mensurável e basear-se em dados concretos. • Focar objetivos na atividade e não na pessoa. • Detalhar cada objetivo com metas subsidiárias. • Usar linguagem compreensível e clara. • Devem concentrar-se em alvos do negócio e não dispersar atividades. • Devem indicar resultados a atingir sem limitar a liberdade de escolha dos meios. • 2. Hierarquia de objetivos: • Objetivos estratégicos: objetivos organizacionais e globais. • Objetivos táticos: objetivos departamentais. • Objetivos operacionais: objetivos de cada atividade.

  8. Figura 10.4. A hierarquia de objetivos Retorno sobre o Investimento Empresarial Aumento do Redução do Retorno Investimento Objetivos Organizacionais Objetivos Departamentais Objetivos Operacionais Aumento do Redução de Faturamento Custos Utilização Eficiente dos Atuais Recursos Aquisição de Recursos Adicionais • Manutenção dos • Equipamentos • Melhoria dos • Equipamentos • Aquisição de novos equipamentos • Programas de captação de recursos • Recrutamento e seleção de novos empregados

  9. Quadro 10.2. Comparação entre estratégia e tática. • Estratégia: • Envolve a organização como uma totalidade • É um meio para alcançar objetivos organizacionais • É orientada para o longo prazo • É decidida no nível institucional da organização • Tática: • Refere-se a cada departamento ou unidade • É um meio para alcançar objetivos departamentais • É orientada para o médio ou curto prazo • É definida no nível intermediário pelo gerente

  10. Planejamento Estratégico • Estágio da formulação de objetivos organizacionais. • Estágio da auditoria externa – o ambiente. • Estágio da auditoria interna – a organização. • Estágio da formulação estratégica. • Estágio de desenvolvimento de planos táticos. • Operacionalização da estratégia.

  11. Figura 10.5. O modelo de planejamento estratégico de Steiner

  12. Figura 10.6. As bases do planejamento estratégico Formulação dos Objetivos Organizacionais Análise Interna da Empresa Análise Externa do Ambiente O que temos na empresa? O que há no Ambiente? Condições externas, Oportunidades, ameaças, Desafios e restrições Pontos fortes e pontos fracos, Recursos disponíveis, Habilidades e competências Formulação de Alternativas Estratégicas O que fazer?

  13. Análise SWOT Pontos Fortes da Organização Pontos Fracos da Organização (Strenghts) (Weakness) ________________________ ________________________ ________________________ ________________________ ________________________ ________________________ ________________________ ________________________ ________________________ ________________________ ________________________ ________________________ ________________________ ________________________ ________________________ ________________________ Oportunidades Ambientais Ameaças Ambientais (Opportunities) (Threatness) ________________________ ________________________ ________________________ ________________________ ________________________ ________________________ ________________________ ________________________ ________________________ ________________________ ________________________ ________________________ ________________________ ________________________ ________________________ ________________________

  14. Figura 10.7. Matriz de análise interna x análise externa (SWOT)

  15. Exercício: Os objetivos do Banco Martins & Botelho • A diretoria do Banco M&B estabelecera vários objetivos • organizacionais a serem atingidos nos próximos dois anos: • Aumento de 15% no volume de pequenos clientes. • Aumento de 10% no volume de clientes corporativos. • 12% no volume de depósitos. • 14% no volume de empréstimos pessoais. • Alcance do 14o lugar no ranking dos bancos comerciais. • Para atingir tais objetivos estratégicos, o banco formulou objetivos táticos: • Expansão do banco virtual. • Expansão da intranet. • 12 novas agências tipo premium para clientes de classe alta. • Lançamento de novos produtos (linhas de crédito e de atendimento). • Para cada área do banco foram formulados objetivos operacionais. • Todavia, não houve a preocupação de fazer uma análise interna e • externa para a formulação dos objetivos. • O que você faria se estivesse na diretoria do banco?

  16. Figura 10.8. Desenvolvimento de Planos Táticos Planos Táticos Planos Operacionais Planejamento de Novos Produtos Planejamento e Desenvolvimento Produto/Mercado Planejamento e Desenvolvimento de Recursos Planejamento de Novos Processos Planos Detalhados de Operações Objetivos Departamentais de cada Gerente Planejamento Estratégico

  17. Figura 10.9. Esquema típico de planos táticos e operacionais

  18. Figura 10.10. Modelo de APO de Humble Planos Estratégicos da Empresa Planos Táticos da Empresa Avaliação e Controle dos Resultados Planos de cada Departamento da Empresa Resultados de cada Departamento

  19. Figura 10.11. Modelo de APO de Odiorne Superior e subordinado estabelecem objetivos Subordinado propõe objetivos e medidas para seu trabalho Revisão da Estrutura da Organização Objetivos da Organização e Medidas de Desempenho Acordo comum sobre objetivos do subordinado Abandono de objetivos Inadequados Avaliação do Desempenho da Organização Retroação de Resultados periódicos sobre Prazos intermediários Avaliação periódica dos Resultados Novos Dados

  20. Caso Introdutório: A Motor Car Pág: 243 • Uma segunda alternativa que Paula Montenegro está • considerando seria atacar pontos problemáticos para • alcançar simultaneamente os três objetivos, como: • Fazer modificações nos produtos para reduzir custos. • Aumentar a produtividade do pessoal. • Encurtar o ciclo produtivo. • Como você poderia assessorá-la nesse aspecto?

  21. Apreciação Crítica da Administração Estratégica e da APO • A estratégia organizacional é uma faca de dois gumes. • Premissas equivocadas da escola do planejamento estratégico. • Os pecados capitais do planejamento estratégico neoclássico. • A crítica de Levinson. • A crítica de Lodi. • Aplicação incompleta e superficial da APO. • Os exageros da APO.

  22. Quadro 10.4. Benefícios e Problemas com a APO • Alguns benefícios da APO: • Aclaramento de objetivos. • Melhoria do planejamento. • Padrões claros para controle. • Aumento da motivação das pessoas. • Avaliação mais objetiva dos resultados. • Melhoria do moral. • Alguns problemas com a APO: • Coerção sobre os subordinados. • Aprovação de objetivos incompatíveis. • Papelório em excesso. • Focalização sobre resultados mais • facilmente mensuráveis do que sobre • resultados mais importantes. • Perseguição rígida de objetivos que • poderiam ser abandonados.

  23. Quadro 10.5. A transição do estilo administrativo com a APO • Pré-APO: • Administração do cotidiano. • Visualização para dentro da empresa. • Orientação para os produtos. • Orientação para a organização. • Orientação para as atividades. • Administração da rotina. • Ênfase no “como”. • Foco no dinheiro, máquinas e materiais. • Controle centralizado, funcional. • Estilo autoritário. • Individualismo. • Pós-APO: • Focalização no futuro. • Visualização para fora da empresa. • Orientação para as pessoas. • Orientação para os clientes. • Orientação para os resultados. • Criação de inovações. • Ênfase no “para que”. • Foco nas pessoas, mentalidade e tempo. • Iniciativa descentralizada nos subords. • Estilo participativo. • Trabalho em equipe.

  24. CHIAVENATO, Idalberto