slide1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Farmácia e nanobiotecnologia PowerPoint Presentation
Download Presentation
Farmácia e nanobiotecnologia

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 58

Farmácia e nanobiotecnologia - PowerPoint PPT Presentation


  • 103 Views
  • Uploaded on

Farmácia e nanobiotecnologia. Gustavo Bacelar 06/19752 Mayta Moreira 07/ Rayanne Veloso 07/51685. Nanotecnologia é a ciência que pesquisa materiais que tem pelo menos uma de suas dimensões nanométricas.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Farmácia e nanobiotecnologia' - miriam-stone


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide1

Farmácia e nanobiotecnologia

Gustavo Bacelar 06/19752

Mayta Moreira 07/

Rayanne Veloso 07/51685

slide2

Nanotecnologia é a ciência que pesquisa materiais que tem pelo menos uma de suas dimensões nanométricas.

Nanobiotecnologia é a aplicação da nanotecnologia nas ciências da vida, e envolve diferentes aspectos multidiciplinares e pode contribuir muito para o avanço da saúde humana.

slide6

Nanomedicamentos – Fármaco nanoestruturado. Partículas de até mil nanômetros.(normalmente 5-250 nm)

Depende das propriedades anatômicas e fisiológicas

slide7

Nanofármacos

  • Baixo peso molecular.
  • Específico.
  • Hidrofílico (solúvel em meio aquoso).
  • Lipofílico (atravessa a membrana plasmática).
  • Biocompatível e Biodegradável.
  • Dimensões comparáveis à de vírus (20 a 450 nm),diproteínas(5 a 50 nm) e até de um gene(2 nm)
slide8

PRINCIPAIS NANOPARTÍCULAS

  • Nanopartículas magnéticas
  • Lipossomas
  • Nanocápsulas
  • Nanoesferas
  • Nanotubos de carbono
  • Fulerenos
  • dendrímeros
slide11

Nanobiotecnologia

Profa Elisabete P. Santos

slide12

Vantagens

  • Conforto para o paciente.
  • Aspectos econômicos.
  • Específico.
  • Podem atravessar barreiras.
  • Podem ser fagocitadas pelas células alvo.
  • Tratamento de doenças neurodegenerativas(Parkinson,Alzheimer, epilepsia)
  • A proteção do fármaco no sistema terapêutico contra possíveis instabilidades no organismo, promovendo manutenção de níveis plasmáticos em concentração constante;
slide13

NANOPARTÍCULAS COMO SISTEMAS DE ENTREGAS DE FÁRMACOS

  • Devem ser inertes e biocompatíveis.
  • Passagem através de certas barreiras biológicas.
  • Podem ser modificadas / funcionalizadas :
  • LIGANTES: para atingir alvo específico (ex: tumor), poupando tecidos saudáveis.
  • PEGUILACÃO: recobertas com polietilenoglicol (PEG) para não ser captadas por células fagocíticas do fígado, permanecendo mais tempo na circulação.
slide14

Desvantagens

  • Possível toxidez dos polímeros e seus produtos.
  • Elevado custo.
  • Dificuldade de interromper a ação farmacológica no caso de intoxicações ou intolerância.
  • Ausência de biocompatibilidade dos materiais utilizados
slide15

O termo nanopartículas aplicado à liberação controlada de fármacos é amplo e refere-se a dois tipos de estruturas diferentes :

  • Nanoesferas : aqueles sistemas em que o fármaco encontra-se homogeneamente disperso ou solubilizado no interior da matriz polimérica. Desta forma obtém-se um sistema monolítico, onde não é possível identificar um núcleo diferenciado.
  • Nanocápsulas: constituem os chamados sistemas do tipo reservatórios, onde é possível se identificar um núcleo diferenciado, que pode ser sólido ou líquido. Neste caso, a substância encontra-se envolvida por uma membrana, geralmente polimérica, isolando o núcleo do meio externo.
slide17

NANOPARTÍCULAS MAGNÉTICAS (NPMs)

Fonte: Dobrovolskaia e McNeil, 2007

slide18

NPMs

    • Núcleos de ferro(magnetita ou maghemita)
    • Melhor direcionamento de drogas
    • Terapia gênica
    • Aumenta contraste nos exames por ressonánciasmagnética
    • Indução de hipertermia(magnetohipertermia)
    • Separação magnética
  • Superfície hidrofílica
    • ↓ reconhecimento pelas células fagocíticas
  • Carga de superfície negativa
    • ↓ reações inflamatórias
slide19

MAGNETOHIPERTERMIA NO AUXILÍO À TERAPIAS CONVENCIONAIS

    • ↑ temperatura;
    • ↑ circulação sanguínea;
    • ↑ oxigênio;
    • Formação de espécies reativas de oxigênio;
    • Maior quantidade de quimioterápico no tumor.
slide22

NPMs X CÂNCER

    • Tratamentos convencionais:
      • Quimioterapia;
      • Radioterapia;
      • Cirurgias.
    • Uso de NPMs:
      • Tratamento e diagnóstico do câncer;
      • Direcionamento para o tumor;
      • ↓ dose
      • ↓ efeitos colaterais;
      • ↑ eficácia dos tratamentos convencionais;
      • Diagnóstico precoce.
slide28

Entrada na Celula

  • Endocitose
      • Fagocitose – Receptor especifico.
      • Pinocitose
      • Potocytosis (caveolae)
slide31

Transcitose

  • Permite a passagem de macromoleculas.
slide32

Biodistribuição e Penetração das Nanopartículas

  • Biodisponibilidade – A fração de um dado fármaco que atinge a circulação sem ser alterado e ser torna disponível para distribuição.
slide33

Partículas hidrofóbicas são rapidamente reconhecidas por opsoninas

  • Hidrofílicas tempo de permanencia no organismo
  • As partículas podem se acumular em diversas partes: baço, fígado, medula óssea, cérebro e linfonódos.
  • Nanoparticulas de oxido de ferro foram encontrados no linfonodos.

O endotélio varia dentro dos diferentes tecidos.

  • Tem implicações toxicológicas.
slide34

Implicações para a Nanotoxicologia dos Medicamentos

  • Para minimizar efeitos adversos e tóxicos: Eram feitos de materiais biodegradáveis e biocompatíveis.

Revestimento de superfície que evitam acumulação no baço e no fígado.

NP(não magnéticas) revestidas por albumina reconhecidas pelo organismo

associadas ao Placlitaxel no tratamento de câncer de mama

slide35

A toxicologia determinada pelas características da superfície.

    • Danos: Liberação de radicais livres.
    • Acúmulo nos lisossomos (quando não é biodegradável).
    • Lesões no fígado e endotélio.
dendr meros
Dendrímeros

Moléculas ramificadas, simétricas e de estrutura bem definida

Alta densidade funcional na superfície com um pequeno volume molecular

Esféricas e com núcleos

slide37
Controle das propriedades químicas e estruturais

natureza do material

número e tipo de unidades repetitivas

grupo funcional terminal

  • Podem encapsular fármacos
slide38
Podem ter também aplicações diretas

Antivirais

  • Antivirais
  • Vacinas
  • Terapia oncológica
  • Antibacterianos
  • Terapia gênica

Terapia gênica

slide39
Citotoxicidade

Catiônico > Aniônico

Ácidos graxos como grupos terminais

A toxicidade aumenta com o número de gerações

fulerenos
Fulerenos

Moléculas compostas por carbono

Ligações sp2 (grafite)

Lâminas de anéis hexagonais empilhadas

Absorção de radicais livres (vitamina C60)

Transporte de drogas

nanotubos de carbono
Nanotubos de Carbono

São fulerenos

Estruturas cilíndricas

Pequeno diâmetro e grande comprimento

Rigidez, tenacidade, condutividade, densidade

Transporte de drogas

ligadas à superfície

ou à extremidade

depositadas no

interior do nanotubo

slide43

Antes é bom saber:

  • DISTRIBUIÇÃO E DESTINO DAS NANOPARTÍCULAS:
  • Vias:
  • Parenteral
  • Cutânea
  • Oral
  • Oftálmica
  • Cerebral
  • Pulmonar
slide44

Primeiro nanofármaco Brasileiro Incrementha

  • É um anestésico de uso tópico para uso em pequenas cirurgias na pele, desenvolvido em parceria com as pesquisadoras Silvia Guterres e Adriana Pohlmann, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).
  • A inovação está em uma nanocápsula biodegradável que transporta o medicamento para regiões específicas. Com o veículo nanotecnológico, o anestésico penetra e se concentra apenas nas terminações nervosas da pele, evitando ser absorvido pela circulação sangüínea e diminuindo as chances dos efeitos colaterais. A nanotecnologia está no controle da absorção e da liberação do princípio ativo”, disse Henry Suzuki, diretor técnico da Incrementha, empresa responsável pelo produto.
slide45

Nanotecnologia no Tratamento da Malária

  • Desenvolvimento de formulações lipossômicas contendo artemeter, uma substância semi-sintética, derivada de artemisinina, efetivo contra os estágios eritrocíticos de P. falciparum resistente à cloroquina e à mefloquina.
  • Ensaios em coelhoes machos, aplicações via oral e intravenosa:
  • Formulação selecionada: dipalmitoilfosfatidilcolina (DPPC), diberenoilfosfatidilcolina (DBPC), colesterol e artemeter na proporção de 1:1:2:1;
slide46

Os resultados mostraram aumento significativo da biodisponibilidade do fármaco, quando administrado em lipossomas por via oral (97,91%), comparado com os 31,83% quando administrado sob a forma de suspensão oral.

  • O artemeter em lipossomas administrados por via intravenosa resultou em aumento no tempo de meia-vida, quando comparado com aqueles de outros derivados da artemisinina, como a própria artemisinina e o artemeter.
  • O antimalárico artemeter foi encapsulado em lipossomas compostos de fosfatidilcolina de ovo e colesterol . Uma eficiência de encapsulamento próxima a 100% foi observada com o fármaco localizado na bicamada lipídica e estabilidade de três meses, quando estocados a 4 °C. A formulação demonstrou ainda eficácia terapêutica de 100% de cura após 22 dias de infecção (Chimanuka et al., 2002).
slide47

Esses resultados indicam que é possível direcionar fármacos incorporados nesse tipo de lipossomas para o combate as formas do parasita no interior dos hepatócitos.

slide48

Vacina contra malária

Técnicas de nanotecnologia farmacêutica também foram utilizadas para a encapsulação do antígeno recombinante R32NSI em lipossomas, no desenvolvimento de vacina para a malária pelo Instituto de Pesquisa Walter Reed do Exército Americano.

Neste projeto, o lipídio monofosforila A foi incluído na bicamada lipídica como adjuvante. O estudo clínico de fase I em voluntários humanos demonstrou indução promissora de anticorpos antimalária em níveis elevados.

slide49

Nanopartículas no tratamento da Leishmaniose

  • Laboratório de Imunofarmacologia, do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IBCCF/UFRJ).
  • Desenvolvimento de ferramentas nanotecnológicas específicas para cada via de administração.
  • Usa a chalcona (ativa no tratamento da leishmaniose cutânea em camundongos) como substância a ser associada às nanopartículas testadas:
slide50

Para administração oral: chalcona + nanopartículas de quitosana, que potencializariam sua captação no intestino. (Leishmaniose visceral)

  • Para aplicação tópica:nanopartículas de dendrímeros-podem carrear a chalcona através do estrato córneo e da epiderme.( Leishmaniose tegumentar)
  • Vantagens:
  • diminui o custo do tratamento;
  • diminui a incidência tóxica provocada pelo principio ativo da substância;
  • evitariam seus efeitos colaterais.
slide51

Abraxane é uma versão nanotecnológica de Taxol –o fármaco

anticâncer derivado da curtiça da árvore do Tejo, patentiado

pela Bristol-Meyers Squibb. Quando a patente do Taxol

expirou em 2000, uma versão genérica, o Paclitaxel, foi posto

a disposição do público por US $150 cada dose.

Abraxane é diferente porque está formulado na nanoescala

e encapsulado numa coberta de albumina. Como as coberturas

de albumina são proteína natural, os pacientes tem poucas

reações alérgicas, o que não sucede com o Paclitaxel

(ou Taxol), que produz terríveis efeitos secundários.

A empresa cobra US $4.200 por dose de Abraxane, 28 vezes

mais caro que o Taxol genérico. Não esta ainda definido o

lançamento no Brasil.

abraxane
ABRAXANE

Taxol em nanopartículas de albumina - Administração sem veículo oleoso que provoca reações alérgicas

Dispensa a administração de corticóides e anti-histamínicos.

Tempo de administração reduzido de 3 h para 30 min.

Aplicação – Câncer de mama

rapamune
RAPAMUNE

Nanocristais de rapamicina – solubilidade aumentada pelo tamanho das partículas.

Indicação – Imunossupressor (transplantados)

vivagel
VIVAGEL

Dendrímero – Gel vaginal para prevenção de DSTs, incluindo HIV e Herpes

Em teste clínico de fase I

slide55
Tabela – Amostra de produtos pesquisados, local da pesquisa e objetivo relacionado à indústria farmacêutica

Produto pesquisado

Local

Objetivo ligado à indústria farmacêutica

Nanotubos de carbono

UFMG

Marcadores fluorescentes para imagens biológicas - biosenssores

Nanopartículas lipídicas sólidas

UFMG

Tratamento de acne

Compostos bioativos em sistemas microorganizados

FFCLRP-USP

fotoquimioterapia

Polissacarídeos como revestimentos funcionais

IQUSP

Revestimento de medicamentos

Dendrímeros fotoisomerizáveis

IQUSP

Encapsulamento de drogas e materiais luminescentes

Titânio com nanotopografia

FORP - USP

Reparo e regeneração de tecidos

Sistemas nanoestruturados

IQUSP

Liberação suportada de fármacos

Nanopartículas de Ouro passivadas com β-ciclodextrina tiolada

IQM- UNICAMP

Substrato para fármacos antitumorais, antivirais, antibacterianos e antiparasitários - Liberação de drogas

Cristais coloidais

IQM - UNICAMP

Sistemas poliméricos nanoporosos

IQUSP

Liberação controlada de fármacos

Interação doador-receptor de 1,2 diclorobenzeno com nanotubos de carbono

IQM - UNICAMP

Liberação controlada de fármacos

Sílicas mesoporosas ordenadas

IQUSP

Adjuvantes biológicos (aumenta eficiência do sistema imune)

Ferrofluidos

IFUSP

Vetores de droga (em tratameno de tumores)

Nanopartículas de ferridrita sintetizadas em nanoreatores

IQUSP

Agente de contraste de imagem médica – Carreador de fármacos

Nanopartículas de níquel encaixadas em sílica amorfa

IFUSP

Diagnóstico médico

Lipossomas com incorporação de paromicina

UFMG

Tratamento de leishmaniose cutânea

slide56
Uso de Nanocosméticos

Partículas metálicas para aumento de brilho em maquiagens;

Nanoemulsões para cabelos mais hidratantes;

Proteção de ativos contra a degradação, (encapsulamento da vitamina C) ;

Liberação em camadas mais profundas da pele de ativos anti-rugas;

Melhoria da textura do creme e formação de um filme mais eficiente de protetores solar, (nanopartículas de dióxido de zinco).

NANOCOSMÉTICA