Macro i fundamentos de economia i
Download
1 / 34

MACRO I FUNDAMENTOS DE ECONOMIA I - PowerPoint PPT Presentation


  • 128 Views
  • Uploaded on

MACRO I FUNDAMENTOS DE ECONOMIA I. PROF.: CLAUDIO CONSIDERA. MANKIW, CARÍTULO 2 PENSANDO COMO UM ECONOMISTA. ECONOMIA LINGUAGEM PRÓPRIA MODO DE PENSAR METODOLOGIA DA CIÊNCIA ECONÔMICA POLÍTICA ECONÔMICA DIVERGÊNCIAS DAS ANÁLISES. O ECONOMISTA COMO CIENTISTA.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'MACRO I FUNDAMENTOS DE ECONOMIA I' - lotus


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
Macro i fundamentos de economia i

MACRO IFUNDAMENTOS DE ECONOMIA I

PROF.: CLAUDIO CONSIDERA


Mankiw car tulo 2 pensando como um economista
MANKIW, CARÍTULO 2PENSANDO COMO UM ECONOMISTA

  • ECONOMIA

  • LINGUAGEM PRÓPRIA

  • MODO DE PENSAR

  • METODOLOGIA DA CIÊNCIA ECONÔMICA

  • POLÍTICA ECONÔMICA

  • DIVERGÊNCIAS DAS ANÁLISES


O economista como cientista
O ECONOMISTA COMO CIENTISTA

  • O MÉTODO CIENTÍFICO: OBSERVAÇÃO, TEORIA, OBSERVAÇÃO

  • DIFICULDADE DE TESTAR AS TEORIAS NAS CIÊNCIAS SOCIAIS.

  • A NECESSIDADE DE SE USAR A HISTÓRIA PARA OBSERVAR UM FENÔMENO, FATOS ASSOCIADOS A ELE E SUA EVOLUÇÃO.

  • ALGUM DETALHE NÃO CONTEMPLADO NA TEORIA PODE ALTERAR OS RESULTADOS DO PRESENTE


O economista como cientista1
O ECONOMISTA COMO CIENTISTA

  • O PAPEL DAS HIPÓTESES

  • FACILITAM A COMPREENSÃO DO FENÔMENO

  • VARIAM SE ESTAMOS ESTUDANDO O CURTO OU O LONGO PRAZO

  • A ESSÊNCIA DO PENSAMENTO CIENTÍFICO É DECIDIR QUE HIPÓTESES FORMULAR


O economista como cientista2
O ECONOMISTA COMO CIENTISTA

  • MODELOS ECONÔMICOS

  • EM TODAS AS CIÊNCIAS SE UTILIZAM MODELOS

  • OS MODELOS DOS ECONOMISTAS UTILIZAM-SE DE EQUAÇÕES E GRÁFICOS

  • FORMULAM-SE HIPÓTESES PARA A CONSTRUÇÃO DE MODELOS

  • TODOS OS MODELOS SIMPLIFICAM A REALIDADE, RETIRANDO PORMENORES IRRELEVANTES


O economista como cientista3
O ECONOMISTA COMO CIENTISTA

  • PRIMEIRO MODELO: O FLUXO CIRCULAR DE RENDA

  • HIPÓTESE 1: ECONOMIA É FECHADA E SEM GOVERNO. LOGO HÁ APENAS DOIS ATORES, TOMADORES DE DECISÃO, OU AINDA DOIS SETORES INSTITUCIONAIS – FAMÍLIAS E EMPRESAS – INTERAGINDO NA ECONOMIA


O economista como cientista4
O ECONOMISTA COMO CIENTISTA

  • HIPÓTESE 2: TODA A RENDA É GASTA EM CONSUMO; NÃO HÁ POUPANÇA.

  • HIPÓTESE 3: HÁ APENAS DOIS MERCADOS NA ECONOMIA – O DE BENS E SERVIÇOS E DE FATORES DE PRODUÇÃO

  • MERCADO EM TERMOS ABSTRATOS É O ENCONTRO DOS FLUXOS DE OFERTA E DEMANDA


O economista como cientista5
O ECONOMISTA COMO CIENTISTA

  • HIPÓTESE 4: AS EMPRESAS PRODUZEM BEM E SERVIÇOS UTILIZANDO OS INSUMOS (FATORES DE PRODUÇÃO) ADQUIRIDOS DAS FAMÍLIAS COM A RECEITA DAS VENDAS DE BENS E SERVIÇOS ÀS FAMÍLIAS

  • HIPÓTESE 5: AS FAMÍLIAS CONSOMEM OS BENS E SERVIÇOS QUE ADQUIREM DAS EMPRESAS UTILIZANDO OS PAGAMENTOS QUE AS EMPRESAS FAZEM PELA AQUISIÇÃO DOS INSUMOS PERTENCENTES ÀS FAMÍLIAS.

  • O FUNCIONAMENTO DO FLUXO


Macro i fundamentos de economia i

O FLUXO CIRCULAR DE RENDA

MERCADO DE

BENS E SERVIÇOS

  • EMPRESAS VENDEM

  • FAMÍLIAS COMPRAM

EMPRESAS

FAMÍLIAS

  • VENDEM BENS

  • E SERVIÇOS

  • COMPRAM

  • SERVÇOS DE

  • FATORES

  • COMPRAM BENS E

  • SERVIÇOS

  • VENDEM SERVIÇOS

  • DE FATORES

MERCADO DE

FATORES DE PRODUÇÃO

  • FAMÍLIAS VENDEM

  • EMPRESAS COMPRAM


Macro i fundamentos de economia i

O FLUXO CIRCULAR DE RENDA

MERCADO DE

BENS E SERVIÇOS

  • EMPRESAS VENDEM

  • FAMÍLIAS COMPRAM

EMPRESAS

FAMÍLIAS

  • VENDEM BENS

  • E SERVIÇOS

  • COMPRAM

  • SERVÇOS DE

  • FATORES

  • COMPRAM BENS E

  • SERVIÇOS

  • VENDEM SERVIÇOS

  • DE FATORES

OFERTA DE SERVIÇOS DE FATORES DE PRODUÇÃO

TERRA, TRABALHO E CAPITAL

MERCADO DE

FATORES DE PRODUÇÃO

  • FAMÍLIAS VENDEM

  • EMPRESAS COMPRAM

DEMANDA POR FATORES DE PRODUÇÃO


Macro i fundamentos de economia i

O FLUXO CIRCULAR DE RENDA

MERCADO DE

BENS E SERVIÇOS

  • EMPRESAS VENDEM

  • FAMÍLIAS COMPRAM

EMPRESAS

FAMÍLIAS

  • VENDEM BENS

  • E SERVIÇOS

  • COMPRAM

  • SERVÇOS DE

  • FATORES

  • COMPRAM BENS E

  • SERVIÇOS

  • VENDEM SERVIÇOS

  • DE FATORES

OFERTA DE SERVIÇOS DE FATORES DE PRODUÇÃO

TERRA, TRABALHO E CAPITAL

INSUMOS PARA A PRODUÇÃO ADQUIRIDOS

MERCADO DE

FATORES DE PRODUÇÃO

  • FAMÍLIAS VENDEM

  • EMPRESAS COMPRAM

RENDIMENTOS DE FATORES SALÁRIOS, LUCROS E ALUGUÉIS

DEMANDA POR FATORES DE PRODUÇÃO


Macro i fundamentos de economia i

O FLUXO CIRCULAR DE RENDA

DEMANDA POR BENS E SERVIÇOS

MERCADO DE

BENS E SERVIÇOS

  • EMPRESAS VENDEM

  • FAMÍLIAS COMPRAM

OFERTA DE BENS E SERVIÇOS

EMPRESAS

FAMÍLIAS

  • VENDEM BENS

  • E SERVIÇOS

  • COMPRAM

  • SERVÇOS DE

  • FATORES

  • COMPRAM BENS E

  • SERVIÇOS

  • VENDEM SERVIÇOS

  • DE FATORES

OFERTA DE SERVIÇOS DE FATORES DE PRODUÇÃO

TERRA, TRABALHO E CAPITAL

INSUMOS PARA A PRODUÇÃO ADQUIRIDOS

MERCADO DE

FATORES DE PRODUÇÃO

  • FAMÍLIAS VENDEM

  • EMPRESAS COMPRAM

RENDIMENTOS DE FATORES SALÁRIOS, LUCROS E ALUGUÉIS

DEMANDA POR FATORES DE PRODUÇÃO


Macro i fundamentos de economia i

O FLUXO CIRCULAR DE RENDA

RECEITA DA VENDA DE BENS E SERVIÇOS

DEMANDA POR BENS E SERVIÇOS

MERCADO DE

BENS E SERVIÇOS

  • EMPRESAS VENDEM

  • FAMÍLIAS COMPRAM

OFERTA DE BENS E SERVIÇOS

BENS E SERVIÇOS ADQUIRIDOS

p

q

EMPRESAS

Sistema de preços

FAMÍLIAS

  • VENDEM BENS

  • E SERVIÇOS

  • COMPRAM

  • SERVÇOS DE

  • FATORES

  • COMPRAM BENS E

  • SERVIÇOS

  • VENDEM SERVIÇOS

  • DE FATORES

p

OFERTA DE SERVIÇOS DE FATORES DE PRODUÇÃO

TERRA, TRABALHO E CAPITAL

q

INSUMOS PARA A PRODUÇÃO ADQUIRIDOS

MERCADO DE

FATORES DE PRODUÇÃO

  • FAMÍLIAS VENDEM

  • EMPRESAS COMPRAM

RENDIMENTOS DE FATORES SALÁRIOS, LUCROS E ALUGUÉIS

DEMANDA POR FATORES DE PRODUÇÃO


O economista como cientista6
O ECONOMISTA COMO CIENTISTA

  • MODELOS ECONÔMICOS

  • SEGUNDO MODELO : FRONTEIRA DE POSSIBILIDADES DE PRODUÇÃO

  • HIPÓTESE 1: A ECONOMIA PRODUZ APENAS DOIS BENS

  • HIPÓTESE 2: TODOS OS FATORES DE PRODUÇÃO SÃO UTILIZADOS NA PRODUÇÃO DE COMPUTADORES OU DE AUTOMÓVEIS OU EM QUANTIDADES ALTERNATIVAS DE AMBOS


Fronteira de possibilidades de produ o
FRONTEIRA DE POSSIBILIDADES DE PRODUÇÃO

Quantidade

produzida de

computadores

3.000

1.000

Quantidade

produzida de

automóveis


Fronteira de possibilidades de produ o1
FRONTEIRA DE POSSIBILIDADES DE PRODUÇÃO

Quantidade

produzida de

computadores

3.000

2.200

  • C

1.000

600

Quantidade

produzida de

automóveis


Fronteira de possibilidades de produ o2
FRONTEIRA DE POSSIBILIDADES DE PRODUÇÃO

Quantidade

produzida de

computadores

3.000

2.200

  • C

2.000

  • A

700

1.000

600

Quantidade

produzida de

automóveis


Fronteira de possibilidades de produ o3
FRONTEIRA DE POSSIBILIDADES DE PRODUÇÃO

Quantidade

produzida de

computadores

3.000

Fronteira

de possibilidades

de produção

2.200

  • C

2.000

  • A

700

1.000

600

Quantidade

produzida de

automóveis


Fronteira de possibilidades de produ o4
FRONTEIRA DE POSSIBILIDADES DE PRODUÇÃO

Quantidade

produzida de

computadores

  • D

3.000

Fronteira

de possibilidades

de produção

2.200

  • C

2.000

  • A

  • B

700

1.000

600

Quantidade

produzida de

automóveis


Fronteira de possibilidades de produ o5
FRONTEIRA DE POSSIBILIDADES DE PRODUÇÃO

  • MOSTRA A COMBINAÇÃO DE PRODUTOS QUE A ECONOMIA PODE POTENCIALMENTE PRODUZIR

  • A SOCIEDADE PODE PRODUZIR EM QUALQUER PONTO SOBRE A OU DENTRO DA FRONTEIRA DE POSSIBILIDADES DE PRODUÇÃO

  • DIZ-SE QUE HÁ EFICIÊNCIA SE A SOCIEDADE ESTÁ OBTENDO TUDO O QUE FOR POSSÍVEL A PARTIR DOS RECURSOS ESCASSOS DISPONÍVEIS

  • B É UM PONTO DE INEFICIÊNCIA

  • D É UM PONTO INALCANÇÁVEL CONSIDERANDO OS RECURSOS DISPONÍVEIS


Deslocamento da fronteira de possibilidades de produ o
DESLOCAMENTO DAFRONTEIRA DE POSSIBILIDADES DE PRODUÇÃO

  • A FRONTEIRA DE POSSIBILIDADE DE PRODUÇÃO DE UMA ECONOMIA PODE SE DESLOCAR:

  • ISTO OCORRE CASO HAJA UM AVANÇO TECNOLÓGICO EM UMA DAS INDÚSTRIAS.

  • SUPONDO QUE ISTO TENHA OCORRIDO NA PRODUÇÃO DE COMPUTADORES; A QUANTIDADE DIÁRIA DE COMPUTADORES PRODUZIDA POR CADA TRABALHADOR AUMENTA.

  • ISTO BENEFICIA A PRODUÇÃO DE COMPUTADORES E TAMBÉM A DE CARROS.


Fronteira de possibilidades de produ o6
FRONTEIRA DE POSSIBILIDADES DE PRODUÇÃO

Quantidade

produzida de

computadores

4.000

Fronteira

de possibilidades

de produção

  • D

3.000

2.100

  • E

2.000

  • A

750

1.000

700

Quantidade

produzida de

automóveis


Micro e macroeconomia
MICRO E MACROECONOMIA

  • MICROECONOMIA

  • ESTUDO DE COMO FAMÍLIAS E EMPRESAS TOMAM DECISÕES E DE COMO INTERAGEM NOS MERCADOS

  • MACROECONOMIA

  • ESTUDO DOS FENÔMENOS DA ECONOMIA COMO UM TODO, TAIS COMO INFLAÇÃO, CRESCIMENTO, ETC


O economista como formulador de pol tica econ mica
O ECONOMISTA COMO FORMULADOR DE POLÍTICA ECONÔMICA

  • ECONOMIA POSITIVA X NORMATIVA

  • ECONOMIA POSITIVA: TENTA DESCREVER O PROCESSO ECONÔMICO COMO ELE É.

  • PODE SER TESTADA E CONFIRMADA OU REFUTADA

  • ECONOMIA NORMATIVA: TENTA PRESCREVER COMO O PROCESSO ECONÔMICO DEVERIA SER.

  • SUA AVALIAÇÃO NÃO PODE SER JULGADA APENAS PELOS FATOS POIS IMPLICA TAMBÉM EM VALORES (ÉTICA, RELIGIÃO)


Porque os economistas discordam
PORQUE OS ECONOMISTAS DISCORDAM

  • ALGUMAS PIADAS SOBRE ISSO

  • HARRY TRUMAN DISSE CERTA VEZ QUE GOSTARIA DE ENCONTRAR UM ECONOMISTA MANETA, POIS SEMPRE QUE SOLICITAVA UMA ORIENTAÇÃO ELES RESPONDIAM – ON ONE HAND ... (POR UM LADO); ON THE OTHER HAND ... (POR OUTRO LADO).

  • PRÊMIO NOBEL: ECONOMIA É A ÚNICA CIÊNCIA QUE DUAS PESSOAS PODEM DIVIDIR UM PRÊMIO NOBEL POR AFIRMAREM COISAS TOTALMENTE OPOSTAS. ESPECIFICAMENTE, MYRDAHL E HAYEK DIVIDIRAM UM DELES

  • J.K.GALBRAITH: A ÚNICA SERVENTIA DAS PREVISÕES ECONÔMICAS É FAZER A ASTROLOGIA PARECER UMA COISA RESPEITÁVEL


Porque os economistas discordam1
PORQUE OS ECONOMISTAS DISCORDAM

  • ALGUMAS PIADAS SOBRE ISSO

  • UM ECONOMISTA, UM FILÓSOFO, UM BIÓLOGO E UM ARQUITETO DISCUTIAM SOBRE QUAL ERA A VERDADEIRA PROFISSÃO DE DEUS:

  • FILÓSOFO – DEUS É UM FILÓSOFO POIS CRIOU OS PRINCÍPIOS PELOS QUAIS OS HOMENS DEVEM VIVER;

  • BIÓLOGO – RÍDICULO; ANTES DISSO DEUS CRIOU O HOMEM E A MULHER E TODAS AS CRIATURAS VIVAS; CLARAMENTE ELE ERA BIÓLOGO;


Porque os economistas discordam2
PORQUE OS ECONOMISTAS DISCORDAM

  • ARQUITETO – ERRADO: ANTES DISSO DEUS CRIOU O CÉU E A TERRA; ANTES DA TERRA HAVIA APENAS COMPLETA CONFUSÃO E CAOS;

  • ECONOMISTA (COM AR DE CONVENCIDO) – BEM...! QUEM VOCÊS ACHAM QUE CRIOU O CAOS ...?


Porque os economistas discordam3
PORQUE OS ECONOMISTAS DISCORDAM

  • WINSTON CHURCHILL: SE VOCÊ COLOCAR DOIS ECONOMISTAS EM UMA SALA, VOCÊ TERÁ DUAS OPINIÕES DISTINTAS; A MENOS, É CLARO, QUE UM DELES SEJA LORD KEYNES; NESTE CASO VOCÊ TERÁ TRÊS OPINIÕES


Porque os economistas discordam4
PORQUE OS ECONOMISTAS DISCORDAM

  • TRÊS MOTIVOS BÁSICOS

  • ELES PODEM DISCORDAR A RESPEITO DA VALIDADE DAS TEORIAS POSITIVAS ALTERNATIVAS E, PORTANTO, A RESPEITO DE COMO O PROCESSO ECONÔMICO FUNCIONA;

  • PODEM TER VALORES DIFERENTES E PORTANTO OPINIÕES NORMATIVAS DIFERENTES A RESPEITO DOS POSSÍVEIS OBJETIVOS DA POLÍTICA ECONÔMICA


Porque os economistas discordam5
PORQUE OS ECONOMISTAS DISCORDAM

  • TRÊS MOTIVOS BÁSICOS

  • BONS E SÉRIOS ECONOMISTAS PODEM CONCORDAR E, AINDA ASSIM, APARECERÃO CHARLATÃES E EXCÊNTRICOS PARA OBSCURECER O CONCENSO ENTRE ELES.


Porque os economistas discordam6
PORQUE OS ECONOMISTAS DISCORDAM

  • DIFERENÇAS NO JULGAMENTO CIENTÍFICO

  • DIFERENTES INTUIÇÕES SOBRE QUAL A TEORIA CORRETA

  • DISCORDAM DA DIMENSÃO DOS PARÂMETROS ENVOLVIDOS

  • CRESCIMENTO E INFLAÇÃO

  • TRIBUTO SOBRE A RENDA CORRENTE OU SOBRE O CONSUMO FAMILIAR

  • MOEDA E INFLAÇÃO


Porque os economistas discordam7
PORQUE OS ECONOMISTAS DISCORDAM

  • DIFERENÇAS NOS VALORES

  • INDEPENDENTEMENTE DA TEORIA AS POLÍTICAS ECONÔMICAS SUGERIDAS SERIAM DIFERENTES

  • APOSENTADORIA DIFERENCIADA PARA OS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS?

  • DAR TICKET OU $ NO PROGRAMA FOME ZERO? CONTROLAR OU NÃO SUA UTILIZAÇÃO?


Porque os economistas discordam8
PORQUE OS ECONOMISTAS DISCORDAM

  • CHARLATÃES E EXCENTRICOS

  • BUSCA DE POPULARIDADE OU DE PODER POLÍTICO.

  • BAIXAR OS JUROS DIMINUI O PAGAMENTO DA DÍVIDA E SOBRA DINHEIRO PARA O GOVERNO DAR AUMENTO PARA O FUNCIONALISMO.

  • FORA FMI!

  • BUSCA DE SOLUÇÕES FÁCEIS.

  • SE A ALÍQUOTA DO IMPOSTO DE RENDA FOR REDUZIDA A ARRECADAÇÃO AUMENTA

  • TODOS QUEREM A REFORMA TRIBUTÁRIA POIS COM ELA SE PAGARÁ MENOS IMPOSTOS E O GOVERNO ARRECADARÁ MAIS.


Porque os economistas discordam9
PORQUE OS ECONOMISTAS DISCORDAM

  • A DESPEITO DAS DISCORDÂNCIAS O CONSENSO É MAIOR DO QUE SE IMAGINA

  • A DESPEITO DISSO VÁRIAS MEDIDAS DE POLÍTICA ECONÔMICA CONSIDERADAS ERRADAS SÃO ADOTADAS.