f bulas considera es sobre o g nero n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Fábulas: considerações sobre o gênero PowerPoint Presentation
Download Presentation
Fábulas: considerações sobre o gênero

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 15

Fábulas: considerações sobre o gênero - PowerPoint PPT Presentation


  • 124 Views
  • Uploaded on

Fábulas: considerações sobre o gênero. Maria José Nóbrega. Características estruturais das fábulas. Brevidade; Título composto pela referência às personagens; Narração em terceira pessoa; Personagens típicas;. Presença predominante de seqüências narrativas e conversacionais;

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

Fábulas: considerações sobre o gênero


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
caracter sticas estruturais das f bulas
Características estruturais das fábulas
  • Brevidade;
  • Título composto pela referência às personagens;
  • Narração em terceira pessoa;
  • Personagens típicas;
slide3

Presença predominante de seqüências narrativas e conversacionais;

  • Tempo e espaço imprecisos: os ensinamentos são apresentados como válidos para qualquer época e lugar;
  • O desfecho, a moral da história, assume a forma de um aforismo ou provérbio.
origem da palavra f bula
Origem da palavra fábula
  • A palavra latina fábula deriva do verbo fabulare, “conversar”, “narrar”.
  • É dessa mesma palavra latina que vêm o substantivo português “fala” e o verbo “falar”.
a rela o entre f bula e oralidade
A relação entre fábula e oralidade

A fábula é um gênero prosaico próprio da fala cotidiana: é um ato de fala que se realiza por meio de uma narrativa.

a f bula e os atos de fala
A fábula e os atos de fala
  • Na fábula, o narrar está a serviço de vários atos de fala, como censurar, recomendar, aconselhar...
  • O enunciador serve-se de uma narrativa como instrumento de demonstração.
a f bula segundo os fabulistas
A fábula segundo os fabulistas
  • Fedro (séc. I d.C.) - “A fábula tem dupla finalidade: entreter e aconselhar.”
  • La Fontaine (séc. XVII) – “A fábula é uma pequena narrativa que, sob o véu da ficção, guarda uma moralidade.”
a f bula na perspectiva do enunciador e do enunciat rio
A fábula na perspectiva do enunciador e do enunciatário
  • Na fábula, há um discurso alegórico: a narrativa ancora outro significado.
  • Interpretar uma fábula é como decifrar um enigma.
moral apresentada para a f bula a raposa e as uvas por uma crian a da 2 s rie do ensino fundamental
Moral apresentada para a fábula “A raposa e as uvas” por uma criança da 2ª série do Ensino Fundamental

Quando precisar pegar algo que está no alto, chame um adulto!

da prosa para o verso
Da prosa para o verso
  • Jean de La Fontaine (1621-1695, séc. XVII), poeta francês, além de compor suas próprias fábulas, também reescreveu em versos muitas das fábulas de Esopo (séc. VI a.C.) e de Fedro (séc. I d.C.).
severino jos introdu o e sele o luiz de assis monteiro s o paulo hedra biblioteca de cordel
Severino José. Introdução e seleção: Luiz de Assis Monteiro. São Paulo: Hedra (Biblioteca de Cordel).

“A cigarra e a formiga”

Aquele que trabalha

E guarda para o futuro

Quando chega o tempo ruim

Nunca fica no escuro.

slide13
Durante todo o verão

A cigarra só cantava

Nem percebeu que ligeiro

O inverno já chegava

E quando abriu os olhos

A fome já lhe esperava.

slide14
E com toda humildade

À casa da formiga foi ter

Pediu-lhe com voz sumida

Alguma coisa pra comer

Porque a sua situação

Estava dura de roer.

slide15
A formiga então lhe disse

Com um arzinho sorridente

Se no verão só cantavas

Com sua voz estridente

Agora aproveitas o ritmo

E dance um samba bem quente.