slide1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Oração do Terço PowerPoint Presentation
Download Presentation
Oração do Terço

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 82

Oração do Terço - PowerPoint PPT Presentation


  • 90 Views
  • Updated on

Oração do Terço. DOUTRINA IGREJA Bem aventurados os pobres de espírito , porque deles é o Reino dos Céus. Bem aventurados os que choram, porque serão consolados. Bem aventurados os mansos, porque herdarão a terra.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

Oração do Terço


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
    Presentation Transcript
    1. Oração do Terço

    2. DOUTRINA IGREJA Bem aventurados os pobres de espírito, porque deles é o Reino dos Céus. Bem aventurados os que choram, porque serão consolados. Bem aventurados os mansos, porque herdarão a terra. Bem aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados. Bem aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia.

    3. Ano C- XXXII Domingo do Tempo Comum Silêncio

    4. É TEMPO DE SER ESPERANÇA É TEMPO DE COMUNICAR É TEMPO DE SER TESTEMUNHA DE DEUS NESTE MUNDO QUE NÃO SABE AMAR

    5. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.Ámen! A graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a Comunhão do Espírito Santo estejam convosco. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo. Irmãos, para celebrar dignamente os Santos Mistérios reconheçamos que somos pecadores (momento de silêncio)

    6. Confessemos os nossos pecados: Confesso a Deus Todo-Poderoso e a vós, irmãos, que pequei muitas vezes por pensamentos e palavras, actos e omissões,(batendo no peito)por minha culpa, minha tão grande culpa. E peço à Virgem Maria, aos Anjos e Santos, e a vós, irmãos, que rogueis por mim a Deus, Nosso Senhor. Deus Todo-Poderoso tenha compaixão de nós perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. Ámen!

    7. Senhor, tende piedade de nós. Senhor, tende piedade de nós. Cristo, tende piedade de nós. Cristo, tende piedade de nós. Senhor, tende piedade de nós. Senhor, tende piedade de nós.

    8. Glória a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens por Ele amados. Senhor Deus, Rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso: nós Vos louvamos, nós Vos bendizemos, nós Vos adoramos, nós Vos glorificamos, nós Vos damos graças por Vossa imensa glória.

    9. Senhor Jesus Cristo, Filho Unigénito, Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai: Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós; Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica; Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de nós. Só Vós sois o Santo;

    10. só Vós, o Senhor; só Vós o Altíssimo, Jesus Cristo; com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Ámen

    11. ORAÇÃO COLECTA Deus eterno e misericordioso, afastai de nós toda a adversidade, para que, sem obstáculos do corpo ou do espírito, possamos livremente cumprir a vossa vontade. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Amem.

    12. 1ª Leitura «O Rei do universo ressuscitar-nos-á para a vida eterna» 2 Mac 7, 1-2.9-14

    13. LEITURA I 2 Mac 7, 1-2.9-14 Leitura do Segundo Livro dos Macabeus Naqueles dias, foram presos sete irmãos, juntamente com a mãe, e o rei da Síria quis obrigá-los, à força de golpes de azorrague e de nervos de boi, a comer carne de porco proibida pela Lei judaica.

    14. LEITURA I 2 Mac 7, 1-2.9-14 Um deles tomou a palavra em nome de todos e falou assim ao rei: «Que pretendes perguntar e saber de nós? Estamos prontos para morrer, antes que violar a lei de nossos pais». Prestes a soltar o último suspiro, o segundo irmão disse: «Tu, malvado, pretendes arrancar-nos a vida presente, mas o Rei do universo ressuscitar-nos-á para a vida eterna, se morrermos fiéis às suas leis».

    15. LEITURA I 2 Mac 7, 1-2.9-14 Depois deste começaram a torturar o terceiro. Intimado a pôr fora a língua, apresentou-a sem demora e estendeu as mãos resolutamente, dizendo com nobre coragem: «Do Céu recebi estes membros e é por causa das suas leis que os desprezo, pois do Céu espero recebê-los de novo». O próprio rei e quantos o acompanhavam estavam admirados com a força de ânimo do jovem,

    16. LEITURA I 2 Mac 7, 1-2.9-14 que não fazia nenhum caso das torturas. Depois de executado este último, sujeitaram o quarto ao mesmo suplício. Quando estava para morrer, falou assim: «Vale a pena morrermos às mãos dos homens, quando temos a esperança em Deus de que Ele nos ressuscitará; mas tu, ó rei, não ressuscitarás para a vida». Palavra do Senhor. Graças a Deus

    17. Salmo

    18. Salmo 16 (17), 1.5-6.8b.15 (R. cf. 15b)Refrão: SENHOR FICAREI SACIADO QUANDO SURGIR A VOSSA GLÓRIA

    19. 2ª Leitura «O Senhor vos torne firmes em toda a espécie de boas obras e palavras» 2 Tes 2, 16 – 3, 5

    20. LEITURA II 2 Tes 2, 16 – 3, 5 Leitura da Segunda Epístola do apóstolo São Paulo aos Tessalonicenses Irmãos: Jesus Cristo, nosso Senhor, e Deus, nosso Pai, que nos amou e nos deu, pela sua graça, eterna consolação e feliz esperança, confortem os vossos corações e os tornem firmes em toda a espécie de boas obras e palavras.

    21. LEITURA II 2 Tes 2, 16 – 3, 5 Entretanto, irmãos, orai por nós, para que a palavra do Senhor se propague rapidamente e seja glorificada, como acontece no meio de vós. Orai também, para que sejamos livres dos homens perversos e maus, pois nem todos têm fé. Mas o Senhor é fiel: Ele vos dará firmeza e vos guardará do Maligno.

    22. LEITURA II 2 Tes 2, 16 – 3, 5 Quanto a vós, confiamos inteiramente no Senhor que cumpris e cumprireis o que vos mandamos. O Senhor dirija os vossos corações, para que amem a Deus e aguardem a Cristo com perseverança. Palavra do Senhor. Graças a Deus

    23. Aclamação Aleluia. Jesus Cristo é o Primogénito dos mortos. A Ele a glória e o poder pelos séculos dos séculos.

    24. Evangelho «Não é um Deus de mortos, mas de vivos» Lc 20, 27-38

    25. EVANGELHO Lc 20, 27-38 O Senhor esteja convosco, Ele está no meio de Nós. Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo segundo S. Lucas Gloria a Vós, Senhor!

    26. EVANGELHO Lc 20, 27-38 Naquele tempo, aproximaram-se de Jesus alguns saduceus – que negam a ressurreição – e fizeram-lhe a seguinte pergunta: «Mestre, Moisés deixou-nos escrito: ‘Se morrer a alguém um irmão, que deixe mulher, mas sem filhos, esse homem deve casar com a viúva, para dar descendência a seu irmão’. Ora havia sete irmãos. O primeiro casou-se e morreu sem filhos.

    27. EVANGELHO Lc 20, 27-38 O segundo e depois o terceiro desposaram a viúva; e o mesmo sucedeu aos sete, que morreram e não deixaram filhos. Por fim, morreu também a mulher. De qual destes será ela esposa na ressurreição, uma vez que os sete a tiveram por mulher?». Disse-lhes Jesus: Os filhos deste mundo casam-se e dão-se em casamento. Mas aqueles que forem dignos de tomar parte na vida futura e na ressurreição dos mortos,

    28. EVANGELHO Lc 20, 27-38 nem se casam nem se dão em casamento. Na verdade, já não podem morrer, pois são como os Anjos, e, porque nasceram da ressurreição, são filhos de Deus. E que os mortos ressuscitam, até Moisés o deu a entender no episódio da sarça ardente, quando chama ao Senhor ‘o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacob’.

    29. EVANGELHO Lc 20, 27-38 Não é um Deus de mortos, mas de vivos, porque para Ele todos estão vivos». Palavra da salvação. Gloria a Vós, Senhor.

    30. Nos tempos mais antigos os Israelitas não acreditavam numa outra vida. Lemos no livro de Jób: “O homem é como uma flor que desabrocha e murcha, uma sombra que foge sem parar... Para a árvore há uma esperança: cortada, pode ainda reverdecer e deitar novos rebentos...Mas o homem ao morrer, acaba. (Jó. 14;2,7e10) No seculo 2 AC nasceu o tema e a crença na ressurreição dos mortos.

    31. O segundo livro de Macabeus descreve que um peditório foi enviado ao templo de Jerusalém como acto de expiação pelos mortos. No tempo de Jesus, não existia consenso relativamente à ressurreição dos mortos entre fariseus e saduceus. Os fariseus acreditavam na existência dos anjos e na vida após a morte, mas os saduceus não.

    32. Os saduceus colocaram a Jesus a pergunta acerca da condição do matrimónio no céu. A dúvida dos saduceus rege-se pelo falso pressuposto de que a vida futura é continuação desta vida. Não faria sentido que nos fizesse morrer para depois nos restituir o mesmo corpo, a mesma vida. No céu, a relação entre marido e mulher não continua, já que o propósito pelo qual o matrimónio foi instituído deixa de existir-

    33. o nascimento de novas vidas. Como o feto no ventre da mãe não pode imaginar o mundo que a espera, assim a pessoa não pode imaginar como será a vida com Deus. É um mistério que não foi revelado, não porque o Senhor queira aumentar o suspense e a surpresa, mas simplesmente porque a nossa mente não o pode entender.

    34. No episódio da sarça-ardente, Yahweh diz a Moisés, “Eu Sou o Deus de Abraão, de Isaac e de Jacob”. Ao citar os nomes dos que morreram seis séculos antes, Yahweh revela que, os patriarcas permanecem para sempre junto dEle, ao garantir-lhes a ressurreição e a vida eterna. No Novo Testamento, a ideia da ressurreição torna-se mais clara. Jesus fala-nos do juízo final.

    35. Toda a teologia cristã está assente na crença da ressurreição dos mortos e na recompensa ou no castigo eterno. Precisamente, a profissão de fé da Santa Igreja termina com a declaração da nossa fé na ressurreição dos mortos. A mãe natureza ensina-nos que a morte é para um outro nascimento. Uma semente que se lança na terra morre, mas nasce uma planta. O ovo, para um comodista, é para comer,

    36. mas para uma realista é um pato em potência. A morte é a passagem duma porta. Quando estamos aqui, dentro da igreja, vemos poucas coisas. Mas quando passamos a porta para fora há muitas coisas para ver. A ressurreição de Cristo oferece o facto que não há duas vidas- a presente e a futura- mas uma única que continua de duas formas diferentes. Não podemos imaginar como será a vida com Deus, mas a fé dá-nos a certeza de que,

    37. depois da morte, o homem continua a viver como anjos. Um bom cristão organiza a sua vida tendo em vista a vida eterna. Rezamos a nossa Mãe pedindo “rogai por nós pecadores, agora e na hora da nossa morte” Assim Seja!

    38. «Não é um Deus de mortos, mas de vivos» Meditação

    39. Credo

    40. Creio em um só Deus, Pai todo-poderoso, Criador do céu e da terra De todas as coisas visíveis e invisíveis. Creio em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho Unigénito de Deus, nascido do Pai antes de todos os séculos: Deus de Deus, Luz da Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro; Gerado, não criado, consubstancial ao Pai. Por Ele todas as coisas foram feitas. E por nós, homens, e para nossa salvação

    41. desceu dos céus (Faz-se inclinação) E encarnou pelo Espírito Santo, no seio da Virgem Maria. e Se fez homem. Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos; padeceu e foi sepultado. Ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras; e subiu aos céus, onde está sentado à direita do Pai.

    42. De novo há-de vir em sua glória, para julgar os vivos e os mortos; e o seu reino não terá fim. Creio no Espírito Santo. Senhor que dá a vida, e procede do Pai e do Filho; e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado: Ele que falou pelos Profetas.

    43. Creio na Igreja una, santa, católica e apostólica. Professo um só batismo Para remissão dos pecados. E espero a ressurreição dos mortos, e vida do mundo que há-de vir. Ámen.

    44. Oração Universal

    45. Irmãs e irmãos em Cristo: Apresentemos a Deus as nossas súplicas por nós próprios e pela Igreja e em favor de todos os homens, dizendo com humildade: Ouvi-nos, Senhor. Pela nossa Diocese e suas comunidades, pelos fiéis que creem na ressurreição e pelos que têm plena confiança no Senhor, oremos, irmãos. Ouvi-nos, Senhor.

    46. Pelos que trabalham pela concórdia entre as nações, pelos que sofrem por amor da lei de Deus e pelos que não têm liberdade religiosa, oremos, irmãos. Ouvi-nos, Senhor. Pelas vítimas da violência e da guerra, pelos que sentem a solidão e a tristeza e pelos que creem na fidelidade do Senhor, oremos, irmãos. Ouvi-nos, Senhor.

    47. Pelos esposos que se amam um ao outro, pelos que deixaram morrer o seu amor e pelos jovens que escolheram o celibato, oremos, irmãos. • Ouvi-nos, Senhor. • Pelos que entre nós sabem aceitar os outros, • pelos que cumprem os mandamentos do Senhor • e pelos que amam a Cristo nos mais pobres, • oremos, irmãos. • Ouvi-nos, Senhor. • (Outras intenções: factos relevantes da vida paroquial; defuntos das nossas famílias ...).

    48. Senhor, que inspirastes aos sete irmãos Macabeus uma tão grande fé na vida eterna, concedei aos fiéis da santa Igreja a graça de testemunharem, neste mundo, a ressurreição de vosso Filho Jesus Cristo. Ele que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Ámen.

    49. Ofertório