as origens do medo l.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
As origens do medo PowerPoint Presentation
Download Presentation
As origens do medo

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 11

As origens do medo - PowerPoint PPT Presentation


  • 63 Views
  • Uploaded on

As origens do medo. – O medo é um inquietação para a preservação da vida humana, pois ele sempre se manifesta diante das situações de perigo aparente ou real. – C ausas de medo, podem ser de origem :

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'As origens do medo' - kassidy


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
as origens do medo
As origens do medo
  • – O medo é um inquietação para a preservação da vida humana, pois ele sempre se manifesta diante das situações de perigo aparente ou real.
  • – Causas de medo, podem ser de origem:
  • Natural – causado por causas naturais que ameaçam a vida humana, como terremotos, maremotos, tempestades, vulcões, doenças, animais cuja presença representa um risco como os violentos ou os peçonhentos, etc.
o medo como gerador da viol ncia
O medo como gerador da violência

A indústria do medo

  • A sociedade em que vivemos não tem como fundamento principal a pessoa humana, mas sim o econômico, de modo que tudo deve contribuir para o lucro. Assim, a busca do lucro se faz presente diante de todas as situações como uma grande força devoradora que submete tudo a si. Cf. MARCUSE, H. Eros e civilização.
o medo como gerador da viol ncia3
O medo como gerador da violência
  • Aqui encontramos as causas da existência da indústria do medo, que inclui sistemas de defesa, alarmes, vigilância, escolta, monitoramentos, blindagens, seguros dos mais diferentes tipos, etc.
o medo como gerador da viol ncia4
O medo como gerador da violência

LUCRATIVIDADE DA INDÚSTRIA DE SEGURANÇA ELETRÔNICA

  • A lucratividade da indústria de segurança eletrônica esta em ascensão de 15% em 2007 em relação ao ano passado, chegando a R$ 1,265 bilhão.
a impunidade nas altas rodas do crime
A impunidade nas altas rodas do crime

Corrupção, tráfico de influências, desvios de verbas, etc., estão sempre presentes no nosso noticiário.

Este tipo de crime é o que traz as conseqüências mais trágicas para a nossa sociedade, como fome, desemprego, doenças, analfabetismo, recessão da economia, etc.

No entanto, dificilmente alguém é condenado pela prática de tais crimes, por serem considerados não convencionais.

foro privilegiado pris o especial e imunidades
Foro privilegiado, prisão especial e imunidades

Embora todos sejam iguais perante a Lei, alguns têm foro privilegiado, como militares, deputados, senadores, presidente, ministros, etc.

Também existem as prisões especiais para quem comete o crime do colarinho branco (Tremembé, SP), além das imunidades mesmo quando cometem crimes comuns.

manchetes
Manchetes.

Na edição do jornal O Globo de 17 de junho de 2007.

“Brasil pune apenas 7% dos crimes de colarinho branco.”

Era uma referência à Lei n. 8.429, de 02 de junho de 1992. Criada para coibir a corrupção no pais”. Passados 15 anos, a Lei de Improbidade Administrativa debuta deixando as promessas para trás e se consolidando com a mais nova marca da impunidade no pais.

manchetes8
Manchetes.

Na edição do jornal O Globo de 18 de junho de 2007.

Manchete de primeira pagina:

“Em 40 anos, nenhuma ação criminal no STF deu punição.”

O Supremo Tribunal Federal (STF) abriu, desde 1968, 137 processos criminais contra deputados, senadores, ministros e um presidente da Republica, mas não condenou um deles sequer desde então.

tipos de viol ncia
Tipos de violência

Violência física- implica em atuação sobre uma realidade corpórea.

Diante dela, a reação da sociedade é quase sempre contrária, chegando a causar diversos tipos de mobilização.

tipos de viol ncia10
Tipos de violência

Exclusão social e violência

  • A falta dos recursos básicos para uma vida digna e, até mesmo, para a sobrevivência física das pessoas.
  • A exclusão social é uma das principais causas de violência no nosso país
viol ncia
Violência:

0,3% dos presos no Brasil tem o ensino superior.

  • O crime organizado não é de causa socioeconômico. É formado pelo que sobrou do socioeconômico, esta fora desta realidade, é o que foi excluído, jogado fora do econômico e do social.

O Brasil não é um país racista mais tem três raças.