slide1 l.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Logística Internacional I PowerPoint Presentation
Download Presentation
Logística Internacional I

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 31

Logística Internacional I - PowerPoint PPT Presentation


  • 194 Views
  • Uploaded on

Logística Internacional I. Faculdades Atlântico Sul. Pedro Calisto Luppi Monteiro. SOLUÇÕES DE ARMAZENAGEM. Comecemos por analisar o empilhamento, por ser a solução mais fácil de implementar. .

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Logística Internacional I' - issac


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide1

Logística Internacional I

Faculdades Atlântico Sul

Pedro Calisto Luppi Monteiro

slide3

Comecemos por analisar o empilhamento, por ser a solução mais fácil de implementar.

Consiste na sobreposição de paletes, aproveitando o espaço vertical do armazém. Esta solução utiliza a quase totalidade do espaço em planta, mas apresenta o inconveniente da manipulação dos materiais.

slide4

As outras soluções de armazenagem podem-se considerar divididas em cinco grandes grupos:

1. Armazenagem estática;

2. Armazenagem móvel;

3. Armazenagem dinâmica;

4. Armazenagem automática;

5. Armazenagem especial (para produtos com dimensões especiais).

slide6

A armazenagem estática é a solução mais vulgarmente encontrada, devido ao baixo investimento necessário para a sua implementação.

  • Dentro da armazenagem estática podemos considerar:
  • estantes metálicas
  • grades convencionais
  • grades de entrada e de passagem ( drive-in ou drive-through)
slide7

As estantes metálicas são constituídas por pilares e prateleiras ligados por aparafusamento ou por encaixe. Esta solução permite ultrapassar os 10 m de altura, com a existência ou não de pisos intermédios, e as prateleiras suportam uma carga até 400 Kg/m2 uniformemente distribuídos.

Esta solução destina-se normalmente à armazenagem de cargas leves, como pequenas peças sobressalentes, caixas de cartão e pequenos componentes muitas vezes armazenados em containers, sendo estes colocados nas prateleiras.

slide8
Estas grades são compostas por bastidores nos quais encaixam vigas metálicas protegidas por molas de segurança que funcionam como fusível mecânico no caso de ações irregulares.

As grades convencionais são semelhantes às estantes metálicas, mas permitem a armazenagem de cargas paletizadas (superiores a 20 toneladas).

slide9
As grades de entrada e de passagem possibilitam um sistema de armazenagem compacta. Esta solução permite uma rentabilização a 100% do espaço ocupado, uma vez que não são necessários corredores de acesso.

Na terminologia americana este sistema é designado por drive-in ou drive-through e consiste num bloco de grades com túneis, em substituição dos corredores, no interior dos quais a empilhadeira se desloca, removendo ou colocando o palete.

slide10
Este sistema obriga a um investimento unitário superior ao das grades convencionais e só permite uma altura de armazenagem até 10 m.

É necessário levar em conta que a colocação e a remoção de paletes segue uma regra FILO ( First In, Last Out), ou seja, que o primeiro palete a entrar será o último a sair.

slide12
A armazenagem móvel constitui uma outra solução de armazenagem compacta, utilizada quando o valor do espaço é muito elevado, como, por exemplo, numa zona nobre de escritórios ou em câmaras frigoríficas.

Vejamos dois sistemas de armazenagem móvel:

  • estantes móveis;
  • grades móveis.
slide13

As estantes móveis consistem num conjunto de estantes apoiadas em chassis com rodas, que se deslocam sobre trilhos implantados no solo, suportando uma carga máxima de 10 t. por chassis.

O sistema permite uma economia adicional de espaço em relação às estantes fixas, pois desaparecem os corredores, e, por outro lado, aumenta a segurança dos materiais armazenados devido à acessibilidade das estantes quando estão fechadas.

slide14

As grades móveis têm um funcionamento semelhante ao das estantes móveis, mas possibilitam a armazenagem de cargas paletizadas. Devido ao peso, a movimentação dos blocos é realizada por um motor elétrico, sendo a operação devidamente sinalizada através de um sistema sonoro ou luminoso, por razões de segurança.

O sistema permite o acesso a qualquer palete, bastando para tal abrir o corredor junto à posição pretendida. Estes equipamentos estão ainda munidos de sistemas de segurança que os bloqueiam, impossibilitando a sua movimentação quando se encontra um operador dentro do corredor.

slide16

A armazenagem dinâmica é uma solução de armazenagem compacta, sem corredores, em que são os materiais que se deslocam ao longo do túnel.

Este sistema funciona de acordo com a regra FIFO ( First In, First Out), isto é, o primeiro a entrar será o primeiro a sair. Os túneis de armazenagem estão equipados com tapetes de rolos e são ligeiramente inclinados: quando se coloca uma carga na zona mais elevada (zona de entrada), as seguintes avançam naturalmente, por efeito da gravidade, até à zona de saída.

slide17

As grades para caixas deslizantes, tal como o nome indica, constituem uma solução de armazenagem dinâmica para caixas de cartão ou container de plástico. A estrutura é constituída por pilares, vigas e calhas com roletes, que possibilitam o deslocamento das caixas através dos túneis. Esta solução funciona com pesos reduzidos, na ordem dos 20 Kg, e garante proteção aos produtos porque estes estão dentro da estrutura.

slide19

A armazenagem automática baseia-se numa estrutura equivalente às grades convencionais. Esta solução obriga a grandes investimentos, pelo que só se torna vantajosa quando explorada em comprimento e altura para armazéns de grande capacidade e rotação.

slide20

A designação “automática” deriva de os sistemas de operação e controlo serem automatizados, funcionando sem recurso a mão-de-obra. Os dados são introduzidos num sistema informático que se encarrega de, com a ajuda de sensores colocados em pontos estratégicos da estrutura, manipular todo o equipamento de armazenagem.

slide21

O componente principal deste sistema é o transelevador, que é o único equipamento de movimentação que pode operar acima dos 13 metros de altura.

Existe uma grande diversidade de equipamento de movimentação de materiais. A seleção do equipamento deve ter em conta diferentes fatores como as características do pavimento, o tipo de operações (entrada, saída, preparação de encomendas e transporte) a realizar e a solução de armazenagem utilizada.

slide22

Estes equipamentos classificam-se, de acordo com as suas características, em dois grupos:

1. Equipamentos fixos;

2. Equipamentos móveis.

slide23

Os equipamentos fixos representam um grupo de meios de movimentação que, sem se deslocarem, possuem um movimento contínuo ou descontínuo que provoca o fluxo de materiais.

Dentro deste grupo, os equipamentos mais comuns são os transportadores de rolos e de tela.

slide24

Os transportadores de rolos são constituídos por uma estrutura metálica que segue um determinado caminho e suporta uma linha de rolos sobre os quais se deslocam os materiais.

Os transportadores de tela utilizam-se para transportar material a granel e pequenos volumes. Este tipo de transportadores é muito utilizado em armazéns e em unidades industriais de produção em série.

slide25

O equipamento móvel permite movimentar materiais entre dois pontos do armazém ou da fábrica através do seu próprio deslocamento. Este equipamento pode ser operado manualmente ou com o auxilio de um motor.

Os equipamentos motorizados possuem motor próprio e a intervenção humana é somente ao nível da condução e controle. Dentro deste grupo, consideramos os porta-paletes elétricos, as empilhadeiras elétricas, os tratores elétricos, as empilhadeiras tri-direcionais, os order-pickers e os transelevadores.

slide27

Classificar materiais não é mais do que agrupar produtos de acordo com determinados critérios. Após a classificação, é necessário codificá-los de forma a conseguir representar num código toda a informação pertinente relativa ao produto.

O sistema alfanumérico é uma combinação de letras e números que permite identificar um número quase infinito de produtos, dependendo do número de caracteres que compõem o código.

slide28

Normalmente, o código divide-se em grupos e classes:

O código, normalmente, representa o produto seguindo uma estrutura em árvore.

Por exemplo, o primeiro nível identificativo poderá ser:

01 - Matéria-prima

02 - Óleos, combustíveis e lubrificantes

03 - Produtos em curso de fabrico

04 - Produtos acabados

05 - Material de escritório

06 - Material de limpeza

slide29

Seguidamente, cada um destes grandes grupos será subdividido. Tomemos por exemplo o grupo 05 - Material de escritório:

05 - Material de escritório

01 - Lápis

02 - Canetas esferográficas

03 - Blocos

04 - Borrachas

slide30

Podemos ter ainda um segundo nível em que definimos melhor cada um destes materiais.

Existem, com certeza, diferentes blocos:

03 - Blocos

01 - Lisos

02 - Pautados

03 - Quadriculados

Teríamos então, para identificar um bloco quadriculado, o código seguinte: 05 - 03 - 03.

slide31

Atualmente, a codificação é apresentada através de um código de barras que representa a estrutura referida atrás, mas possibilitando a sua leitura ótica por equipamentos especiais.

O código de barras permite a entrada da informação nele contida diretamente no sistema informático através de um periférico de leitura ótica.